Agronegócio

O Poder da Nutrição: desvendando os segredos da Biofortificação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de dois bilhões de pessoas no mundo sofrem de deficiências de micronutrientes, frequentemente chamadas de “fome oculta”

Publicado

⠀em

O Poder da Nutrição Desvendando os Segredos da Biofortificação

A biofortificação é uma estratégia inovadora e promissora no combate à desnutrição e deficiências nutricionais em populações vulneráveis. Diferente da fortificação tradicional, que adiciona nutrientes aos alimentos durante o processamento, a biofortificação enriquece os alimentos na fase de cultivo, através de técnicas de melhoramento genético e biotecnologia. Este processo visa aumentar o teor de vitaminas e minerais essenciais em culturas alimentares básicas, como arroz, feijão, milho, trigo, mandioca e batata-doce.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de dois bilhões de pessoas no mundo sofrem de deficiências de micronutrientes, frequentemente chamadas de “fome oculta”. A falta de nutrientes como ferro, zinco e vitamina A pode levar a sérios problemas de saúde, incluindo anemia, cegueira e menor resistência a doenças. A biofortificação surge como uma solução sustentável para esse desafio global, especialmente em regiões onde o acesso a uma alimentação diversificada e suplementação é limitado.

Principais métodos de biofortificação:

  • Melhoramento Genético: Seleção e cruzamento de variedades de plantas da mesma espécie que naturalmente possuem maior teor de nutrientes e boas qualidades agronômicas.
  • Biotecnologia: Uso de técnicas de engenharia genética para introduzir genes que aumentam a concentração de micronutrientes nos alimentos.
  • Agronomia: Aplicação de fertilizantes e outras práticas agrícolas que aumentam a absorção de nutrientes pelas plantas.

Cada método possui suas vantagens e desafios, mas todos contribuem para a produção de alimentos mais nutritivos sem alterar significativamente suas características sensoriais ou custo de produção.

Exemplos de Sucesso

Diversos programas de biofortificação têm mostrado resultados positivos ao redor do mundo. A iniciativa HarvestPlus, um consórcio internacional de pesquisas, tem sido pioneira na promoção da biofortificação. Ela apoia a pesquisa e distribuição de culturas biofortificadas em países da África, Ásia e América Latina, alcançando milhões de pessoas com alimentos mais nutritivos.

No Brasil, a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) coordena a Rede BioFORT que busca diminuir a desnutrição e a fome oculta garantindo maior segurança alimentar através do aumento do teor de nutrientes essenciais como ferro, zinco e vitamina A nos alimentos básicos de nossa alimentação como arroz, feijão, mandioca, batata doce, milho, abobora e trigo.

Desafios e Perspectivas Futuras

Apesar dos avanços, a biofortificação enfrenta desafios como a aceitação por parte dos agricultores e consumidores, a necessidade de políticas públicas favoráveis e a integração com outras estratégias de segurança alimentar. No entanto, o potencial de impacto positivo é enorme. Com o apoio adequado, a biofortificação pode contribuir significativamente para a erradicação da fome e a melhoria da saúde global.

A continuação da pesquisa e desenvolvimento, juntamente com programas de educação nutricional e distribuição de sementes biofortificadas e cultivares, são cruciais para o sucesso desta abordagem. A colaboração entre governos, instituições de pesquisa, organizações internacionais e comunidades locais será essencial. Tanto para maximizar os benefícios da biofortificação como alcançar uma nutrição melhor para todos.

Fonte: Agro em Campo
Foto de chamada: Reprodução/Pixabay

Leia mais notícias aqui.

WordPress Ads
WordPress Ads