Geral

Artista autodidata transforma jaquetas jeans em obras de arte

Publicado

⠀em

Trabalho de customização é  feito a mão, exclusivamente, por Karlanny Rocha, que busca retratar em cada peça a relação do cliente com o seu cavalo

Quando Karlanny Rocha pegou uma jaqueta jeans usada da filha e pintou com o nome do cavalo que a menina mais gostava, nem imaginava que estava criando algo tão único que iria despertar o interesse de outras pessoas. Afinal, ao postar uma foto da jaqueta customizada em seu perfil em uma rede social, muitos passaram a perguntar onde ela havia comprado aquela peça de roupa, que mais se parecia com uma obra de arte.

“Minha filha estava super triste porque o cavalo que ela mais gostava, o ST TE QUIERO, estava indo embora do haras porque havia sido vendido. Então eu peguei uma jaquetinha jeans usada e pintei o nome dele para ela guardar de recordação. Postei a foto no meu perfil pessoal das redes sociais e todo mundo começou a perguntar onde eu havia comprado. Então na hora percebi que era algo especial e que ainda ninguém tinha feito!”.

Tanto que Karlanny passou a receber muitas encomendas de jaquetas customizadas, vindas de todas as partes do país e até de fora. Pedidos de outros apaixonados por cavalos que também queriam eternizar momentos únicos em uma peça de roupa. “Este ano eu fiz as jaquetas para premiar as finalistas do GP do Haras Raphaela a convite da Carol Rugolo e me senti abençoada por, de certa forma, participar de algo tão importante”, lembra.

Karlanny com o marido Evelino Rocha, treinador de Três Tambores, e a filha Laurinha

Artista autoditada

Antes de mais nada vale frisar que, apesar de não ter nenhuma formação acadêmica em artes, a pintura sempre esteve presente na vida de Karlanny. Inclusive, na adolescência ela chegou a fazer pinturas em murais para escolas, souvenires e até em tecidos.

“Sempre foi algo que eu gostava de fazer. Na minha casa podia riscar as paredes. Na casa da minha avó até a época em que ela estava viva ainda tinha a mãozinha do meu pai riscada numa parede. A minha tia que também é artista autodidata. Eu acho que faz parte de nós”, conta.

No entanto, após se casar Karlanny abandonou completamente a pintura. Assim, passou a se concentrar apenas em ajudar o marido, Evelino Rocha, que é treinador de Três Tambores. Só que depois que nasceu a filha do casal, a Laurinha, aos poucos ela foi parando de ir às competições.

Jaqueta exclusiva para o Grand Prix do Haras Raphaela

Dessa forma, resolveu montar uma loja no Instagram de pinturas, mas focado em enxovais para bebês. Contudo, após a jaqueta do ST TE QUIERO para Laurinha fazer tanto sucesso – isso há um ano e meio, aproximadamente -, viu a sua vida mudar completamente.

“Meu marido sempre me dizia para voltar a trabalhar com isto, minha tia que também é artista  sempre me dava puxões de orelha quando nos encontrávamos, e até alguns amigos, hoje quando vejo tantas oportunidades legais aparecendo, percebo o quanto deveria tê-los escutado há mais tempo.”

Jaqueta personalizada com a competidores de Três Tambores Fallon Taylor e o seu cavalo Babyflo 

Processo de customização 

Como o processo de customização das jaquetas jeans é feito, exclusivamente, por Karlanny, ele acaba sendo demorado. Afinal, ela se encarrega desde o contato com o cliente até a finalização. Neste um ano e meio de produção, ela até já tentou colocar alguém para receber os pedidos e falar com o cliente, mas acabou desistindo.

“Trata-se de tentar captar ao máximo a relação daquela pessoa com o seu animal, além de conhecer o estilo pessoal. Então, normalmente, são muitas horas de conversa”, explica a artista que também vende as jaquetas jeans cruas para facilitar, caso os clientes queiram.

Para a pintura, ela conta que uso várias técnicas. Isso porque, desde o começo, sua proposta foi de que nunca iria customizar uma jaqueta igual a outra. “A tinta que uso é tinta para tecido, na maioria das vezes, mas também uso outros tipos de tinta que tenham boa fixação”.

Karlanny faz e refaz, quantas vezes for necessário, o desenho antes de aplicar na jaqueta

Paixão por pintar cavalos

Acima de tudo, ela tenta atender a expectativa do cliente com relação ao desenho. Faz e refaz, quantas vezes for preciso. “Para mim este trabalho com arte vai além de ganhar dinheiro ou vender, é algo que me faz sentir contando uma história. Eu amo o cavalo Quarto de Milha. Então, quando me vejo pintando cavalos e pessoas que, por muitas vezes parei tudo para assistir, me sinto privilegiada”, acrescenta.

Com relação ao custo para se ter uma peça personalizada como esta no seu guarda-roupa, Karlanny explica que não tem um preço fixo. “Exatamente porque depende muito de jaqueta para jaqueta. Algumas eu faço em três ou quatro dias, enquanto outras já demorei bem mais do que isso”.

Além de personalizar as jaquetas jeans, a artista também tem feito outros trabalhos para a marca Cutter Jeans. Mesmo assim, ela garante que quer continuar a pintar cavalos, que é a paixão dela e de sua família. “Para ser bem sincera, eu acho bem mais fácil pintar um cavalo do que montar bem um”, finaliza aos risos a artista.

Por Natália de Oliveira
Crédito das fotos: Divulgação/Karlanny Rocha

Veja mais notícias no portal Cavalus

WordPress Ads
WordPress Ads