Geral

Conheça a trajetória do médico veterinário Helio Itapema

Entre todas as suas frentes de trabalho, o médico veterinário contribui bastante para a regulamentação das provas e com o Bem-Estar Animal

Figurinha ‘carimbada’ nas principais competições equestres, o médico veterinário Helio Luiz de Itapema Cardoso, 44, atua hoje nas áreas de Clínica esportiva, Radiologia equina, Bem-Estar equino, Responsabilidade técnica de eventos e como sócio na Villa Campus com cursos veterinários. Natural de São Paulo, capital, onde mora até hoje, ele conta que teve ainda uma participação dentro das pistas.

Helio Itapema já fez ‘doma circense’ com cavalos Lusitanos. Até que em 2000 foi trabalhar com o proprietário da Hípica Nashville, em Atibaia/SP e competiu em algumas provas de Três Tambores. Modalidade, aliás, que é um dos seus focos de atuação. Apesar de que, como médico veterinário, atende animais de diversos esportes e raças.

De onde tudo começou à rotina ‘puxada’ de um médico, Helio Itapema contou para a nossa reportagem um pouco da sua trajetória. Confira!

 Primeiro contato com cavalos

“Em 1988, meu pai comprou uma égua em uma cocheira na represa de Guarapiranga (prainha), em São Paulo. Logo depois nos apaixonamos por cavalos e começamos a criar em uma propriedade nossa na cidade de Joanópolis. Infelizmente, minha família passou por uma crise logo após meu ingresso na faculdade de Veterinária e tivemos que vender todos os animais”.

Entre todas as suas frentes de trabalho, o médico veterinário Helio Itapema contribui bastante para a regulamentação das provas e com o Bem-Estar Animal
Helio Itapema tem uma ligação importante com cavalos desde criança

Medicina Veterinária

“Quando decidi fazer Medicina Veterinária já havia decidido trabalhar com equinos. Na época, acima de tudo. eram poucas as faculdades de veterinária em São Paulo, por esse motivo fui estudar em Minas Gerais. Desde o primeiro ano já fazia estagio em equinos, com meu professor Álvaro.

No final da faculdade comprei um caminhão e fazia transporte de cavalos para ajudar nos custos. Assim também, nos meus primeiros seis meses de formado, trabalhei como gerente da Hípica Nashville, em Atibaia, quando o Renato e Sandra eram os proprietários. Lá eu fazia de tudo: dirigia o caminhão, montava, cuidava da administração, mas não estava contente, pois atuava pouco como veterinário. Por esse motivo fui fazer estágio na Hípica Paulista, na capital, com a equipe da Dra Santina.

Trabalhei com ela por aproximadamente dois anos. Nesse período fiquei na Alemanha, trabalhando também com a Luciana Diniz. Tive a oportunidade de passar um tempo em um conceituado hospital veterinário na cidade de Telgte. Em seguida, após esses dois anos, trabalhei até 2017 na equipe da Hípica Paulista, com o Dr. Fabio Tuna. Em 2008 conheci minha esposa Rachel, também veterinária, que me ensinou a administrar melhor meu tempo e dinheiro (risos)”.

Frentes de atuação hoje

“Comecei me empenhando na clinica esportiva equina, logo depois radiologia equina. Atualmente atendo cavalos de Hipismo, Adestramento, especialmente da raça Brasileiro de Hipismo; e ainda Crioulo, Mangalarga e Quarto de Milha; essa última Três Tambores, Ranch Sorting, Laço, Rédeas, em todo Brasil. Viajo muito para Mato Grosso, Maranhão,  Acre, Rondônia, Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, e claro, atendo em São Paulo. Também tive clientes fora do país, como Argentina,  Estados Unidos e França. Além disso, atendo ainda cavalos utilizados para passeio/lazer.

Desde 2005 enxerguei um ramo que era muito deficiente no mercado, os eventos equestres precisavam de um responsável técnico e um veterinário clínico. Por esse motivo me tornei responsável técnico de vários eventos no estado de São Paulo. Dessa forma, foi possível permitir ao evento uma prestação de serviço eficiente e qualificada para os animais que participam da prova. Ademais, essa prestação de serviço é muito segura, pois trabalhamos com muita seriedade para garantir a sanidade animal dos rebanhos nos recintos de eventos.

Há cerca três meses, me tornei sócio de uma empresa de cursos veterinários, a Villa Campus, e estou super empolgado com esse novo projeto. Como fomos pegos de surpresa com essa pandemia, adaptamos a interatividade com os estudantes através de grupos de estudos para equinos, palestras online em faculdades de todo Brasil. Além dos demais projetos que estamos desenvolvendo.

Trabalho de segunda a segunda, pois durante os finais de semana acompanho os eventos de Quarto de Milha ou Adestramento. Atualmente tenho metade dos meus clientes fixos relacionados com esporte western e outra metade no Hipismo. Acredito que quando você ama o que faz não se desgasta”.

Entre todas as suas frentes de trabalho, o médico veterinário Helio Itapema contribui bastante para a regulamentação das provas e com o Bem-Estar Animal

Bem-Estar Animal

“É muito gratificante fazer parte de uma história como essa. Especialmente agora com a paralisação das provas devido ao coronavírus e que tantos assuntos importantes estão sendo discutidos. Quando começamos em 2005 as pessoas mal sabiam o que era exame de AIE ou sobre GTA.

Atualmente, várias pessoas ligam para mim e para minha esposa para tirar duvidas ou até para nos convidar para encabeçar projetos como a retomada dos esportes equestres ou desenvolver protocolos de bem-estar para as modalidades. Sinto-me lisonjeado por termos feito um bom trabalho nesses 15 anos. É um trabalho de bastidor, mas vivenciar a coisa toda quando finalmente está acontecendo, mesmo que poucos saibam o quanto foi trabalhoso ou difícil chegar àquele ponto, é uma sensação incrível.”

Conselho

“Um estudante de Medicina Veterinária ou um recém-formado deve ter muita dedicação e muito estudo para ser um bom profissional no meio equino. A veterinária muda e se recicla a cada dia, se não nos atualizarmos e nos reciclarmos ficaremos para trás. Pode até parecer desgastante, mas é muito prazeroso levar bem estar a esses animais maravilhosos”.

Futuro

“Antes de mais nada, quero agradecer à minha família maravilhosa, que sempre me apoiou. Também à meus parceiros de hoje, além da minha esposa, os veterinários Ingrid Moretti e Thiago Horwath e a cada um que passou pela clinica.

Nos meus planos está ser feliz, seguir minha carreira mantendo a ética e o respeito pelos animais, fazendo um bom trabalho e mantendo o que construí até hoje. Ao longo dos anos venho construindo uma carreira sólida com base nestes princípios, sempre buscando agregar e aproximar outros profissionais veterinários.

Não vejo concorrentes, vejo colegas que podem caminhar para o mesmo sentido; tem lugar para todo mundo que age com ética, seriedade e respeito. E o novo projeto que é educar, de forma efetiva, os novos profissionais que chegarão ao mercado através de cursos de qualidade é um grande desafio, muito empolgante!”

Por Luciana Omena
Crédito das fotos: Arquivo Pessoal

Veja outras notícias no portal Cavalus

X