As emoções da terceira etapa foram um aperitivo para o que vem por ai na decisão da temporada

O final de semana de Equitação de Trabalho em Amparo/SP, válido pela terceira etapa do campeonato paulista, começou de forma diferente do tradicional. A Copa Hipocampo de Equitação de Trabalho 2019, já no primeiro dia de provas, enquanto um bom número de competidores que compunham os 60 conjuntos inscritos na etapa reconheciam o percurso, na sala de reuniões acontecia um encontro de diretoria da ABET – Associação Brasileira de Equitação de Trabalho.

Além de tratar de assuntos de interesse da modalidade, a reunião serviu para aprovar novos sócios e, principalmente, apresentar os novos diretores e representantes de raças que reforçam, a partir de agora, o time da modalidade no país. Como diretores, assumiram Raul Maura Silva – Assuntos Internacionais, que auxiliará nas tratativas e parcerias com associações ligadas à modalidade de outros países, bem com a filiação da ABET na World Association For Working Equitation (WAWE).

Mariana Arruda Proto e Jakarta
Mariana Arruda Proto e Jakarta

A Diretoria de Arbitragem ficou com a também veterinária, professora e juíza da modalidade Claudia Leschonski, que cuidará da revisão anual dos regulamentos, reprises e padronização de julgamentos, bem como no auxílio de formação de novos juízes. Na ocasião foram apresentados também quatro representantes de raças: Lusitano – Geraldo Roberto Lefosse do Haras das Mangueiras; Mangalarga Marchador – Sophia Baptista de Oliveira da Agro Maripá; Mangalarga – Camila Glycerio de Freitas do Haras Mangabaia; Pampa – Marisa Iorio do Haras Lagoinha.

A terceira etapa da Copa Hipocampo – Campeonato Paulista aconteceu com o maior número de conjuntos inscritos dos último três anos. Estiveram presentes representantes de sete raças de cavalos e um animal sem raça definida. Segundo a Cia de Equitação de Trabalho, organizadores do campeonato, vale frisar também que, pela primeira vez na história da competição, a maioria dos conjuntos inscritos na prova foram compostos por cavalos Mangalarga Marchador.

Fabio Lombardo e Raro de Maripá
Fabio Lombardo e Raro de Maripá

Os destaques foram o crescimento de participantes de Nível I (mais de 80% do total de inscritos) nas categorias e a diversidade de raças entre os vencedores da competição. Por exemplo, nas provas Completas Jakarta (sem raça definida) montada pela amazona Júlia Lourenzon foi campeã da categoria Aberta Amadores. O Quarto de Milha de Tawan Gois Requena, Smoke Bravo, ficou com o título na Aspirantes.

Lucas Padro levou o Marchador Nassau do Encanto ao título da categoria Cavalos Novos A. E outro Marchador foi campeão, Raro de Maripá na Intermediária montado por Fabio Rogério Lombardo. Entre os vencedores Lusitanos, na Cavalos Novos B a vitória foi de Equistro UDC Hip Hop, com Aluisio Marins (foto); na Preliminar, Brio V8, que é meio sangue lusitano, venceu com Ricardo Bacellar Wuerkert; e Artemis da SASA JE e Benedito Torres Macedo foram campeões da Principal.

 Kim Cintra e Furacão TB da Bocaina
Kim Cintra e Furacão TB da Bocaina

Já nas provas de Tempo Ideal, onde também o crescimento do número de inscritos surpreendeu a organização, novamente a égua Jakarta foi ao pódio, dessa vez com a jovem amazona Mariana Arruda Proto, levando o troféu da Aberta Jovens Cavaleiros. O Pampa de Marcelo dos Santos Chagas, Forrest do PEC, venceu a Aberta Amadores. Para ver mais conteúdo como esse clique aqui.

Ainda o Lusitano Baliel Interagro, foi campeão da Aberta com Roberto Rahu. E, finalmente fechando os resultados, o conjunto composto pela Mangalarga Furacão TB da Bocaina e Kim Cintra, venceram a Aspirantes. A temporada do Paulista de Equitação de Trabalho se encerra no próximo dia 5 de outubro, no Conexão Equestre, em Bragança Paulista. Todos os resultados e informações: http://www.ciadeequitacaodetrabalho.com.br/.

Colaboração: Cia de Equitação de Trabalho
Fotos: Ricardo Monteiro/ABET

Escreva um comentário