Cavalo Árabe

Haras Al Ventur e a busca pelo ‘tipo’ ideal do cavalo Árabe

Publicado

⠀em

Criatório aposta em Abbas Al Ventur como o garanhão que irá imprimir para a tropa algo único, unindo qualidade e pedigree

Quando iniciou a criação de cavalos da raça Árabe no Haras Al Ventur, localizado em Sorocaba/SP, Eduardo Gama não imaginava que conseguiria rapidamente atingir suas metas. A princípio, eram de criar um campeão nacional e exportar um animal que tivesse condição de ser campeão internacional. 

Por conta disso, Eduardo logo precisou redefinir o foco de sua criação. Assim, atualmente, o proprietário busca criar animais que as pessoas consigam, facilmente, reconhecer no pasto como sendo um exemplar que saiu do Haras Al Ventur, ou seja, o “tipo” ideal do cavalo Árabe.

“Como sonhar não tem limite e eu costumo focar naquilo que eu sonho, o que eu quero, de verdade, é criar um “tipo”. Creio que para isso acontecer é indispensável um garanhão. Um cavalo que consiga transmitir para a tropa algo único, algo que só ele tenha, unindo qualidade e pedigree”.

Nessa busca, o criatório aposta em Abbas Al Ventur (Halyr Meia Lua x Emozione Al Ventur). Afinal, recentemente, o jovem garanhão se tornou campeão Potro, por decisão unânime, da Exposição Internacional do Cavalo Árabe, que foi realizada em Indaiatuba.

“Foi um título importante por diversas razões. Primeiro, porque ele ficou extremamente nervoso nas cocheiras do parque a ponto da gente chegar a pensar que não teria condições físicas e psicológicas de entrar na pista”, lembra Eduardo.

Eduardo Gama com o Abbas Al Ventur

Como consequência, Abbas chegou a perder mais de 50 quilos em três dias por não dormir, não comer e só se hidratar através de soro. Inevitavelmente, isso afetou o corpo e as forças dele na apresentação. Mesmo assim, Dejair Silvestre soube conduzi-lo para a vitória da melhor maneira possível.

Superação de Abbas Al Ventur

Ademais, outro ponto que também marcou bastante a vitória do jovem garanhão foi o fato dele ter ficado em primeiro lugar entre 10 animais, incluindo o atual campeão nacional. “[Abbas] ele é fruto de tudo de melhor que eu já criei e já apostei. Ele é o descendente macho em produção no Brasil de uma das éguas brasileiras mais importantes e ganhadoras nos últimos anos, a Honey’s Delight RB”.

Eduardo Gama e a filha Isabel após Abbas Al Ventur ganhar a Internacional do Cavalo Árabe

Contudo, para que a próxima meta do proprietário também seja alcançada, Abbas vem sendo condicionado pela Estância Monte Verde, de Acácio Franco. Segundo Eduardo, Acácio é, com certeza, uma das pessoas mais experientes e capacitadas para lidar com cavalo Árabe que tem no Brasil.

“Antes de mais nada, vale lembrar que foi ele [Acácio] quem administrou e cuidou do Haras Meia Lua, que é referência mundial na criação de árabe durante 50 anos”, enfatiza o criador do Haras Al Ventur que já está cobrindo suas éguas com Abbas.

Portanto, para 2020, Eduardo planeja levar o jovem garanhão para disputar o Campeonato Cavalo Jovem na próxima Exposição Nacional do Cavalo Árabe.  “Achamos ele um cavalo muito competitivo e sabemos da força do sangue que ele tem quando entra numa pista”.

Outros animais de destaque

Além de Abbas, outros animais se sobressaem no plantel do Haras Al Ventur. Entre eles está Esperanzza Al Ventur, que foi adquirida por um dos maiores haras do mundo que fica na Arábia Saudita. “Apesar de sair daqui muito jovem, foi campeã nacional Mirim unânime”.

Esperanzza Al Ventur foi campeã da All Nations Cup em 2013

Depois, na Europa, Esperanzza foi campeã da All Nations Cup, em Aachen, na Alemanha, que é a segunda exposição mais importante que existe na raça. Além disso, ainda foi reservada campeã do Campeonato Mundial em Paris, na França, que é o suprassumo das exposições da raça árabe no planeta.

Irmã inteira de Esperanzza, Emozione Al Ventur também se destaca. Como a irmã, ela foi exportada para um importante criatório e já disputou os maiores shows, estando sempre as melhores colocadas. “Ainda é jovem e já produziu campeã no oriente e campeão no Brasil”, acrescenta Eduardo.

Além delas, o proprietário também destaca Paladino Al Ventur,  que foi campeão nacional Mirim, e Alma Al Ventur, égua campeã nacional chilena.

Por fim, Eduardo não poderia esquecer de mencionar Renee El Jamaal, a égua de 17 anos com quem viveu momentos importantes de sua vida e hoje fica solta no jardim da sua casa. “Ela já foi campeã nacional e é de criação da maior criadora de cavalos que o Brasil já teve, minha grande amiga que eu jamais esquecerei Lenita Perroy.”

Eduardo Gama com a Renee El Jamaal de 17 anos

Início da criação do Haras Al Ventur

O primeiro contato de Eduardo com o cavalo Árabe aconteceu muito cedo. Afinal, o pai e o tio já criavam a raça, no Haras Kurumim. Portanto, ele, a irmã e os primos costumavam passar os fins de semana e as férias na fazenda. “Nós éramos em cinco crianças, sendo eu o mais novo. Porém, eu já era entre nós o que mais gostava de ficar perto dos cavalos e mais me identificava com eles”, lembra.

Contudo, quando Eduardo tinha 10 anos de idade, a família parou a criação. Assim, os anos se passaram, mas a paixão dele pelos cavalos não. Tanto que, em 2006, o seu pai lhe fez uma proposta irrecusável que, inesperadamente, acabaria resultando no início da sua criação.

Aos 4 anos, Eduardo com uma égua Árabe de criação do Haras Kurumim

“Quando eu comprei uma moto Harley Davidson, meus pais ficaram preocupados. Daí eles me ofereceram uma pequena propriedade rural em troca da moto. A condição era de que eu nunca mais tivesse uma moto novamente. Isso, imediatamente, me remeteu a cavalo. Eu entreguei a moto no mesmo instante e assumi a propriedade”.

Mas para dar o pontapé inicial na criação, Eduardo convidou o seu pai para criar junto com ele e, assim, começaram a montar o plantel baseado no que ele conhecia. “Nessa montagem, meu pai se encantou pela égua Honey’s Delight RB, de criação do Haras das Cascatas. E por um garanhão que pertencia a um condomínio chamado Fa El Shawan. Ficamos com essa égua e compramos 10 coberturas desse cavalo. Isso acabou sendo um divisor de águas na nossa criação”.

Tanto a égua quanto o cavalo acabaram sendo campeões no Brasil e nos Estados Unidos das competições mais importantes, ainda segundo Eduardo. 

Equipe do haras

O Haras Al Ventur funciona em uma propriedade de dois alqueires, em Sorocaba/SP.  Atualmente, apenas três pessoas trabalham no criatório, Eduardo, a sua esposa Camila que é médica veterinária pós-graduada em reprodução equina e mais um ajudante geral.

Como apresentador para pista, Eduardo tem títulos conquistados com o Rodolfo Guzzo, Dejair Silvestre e Rinaldo Longuini. “Três apresentadores do mais alto nível. Aliás, o Brasil está muito bem servido de apresentadores, temos vários que apresentam e são ganhadores das mais importantes exposições no mundo”, garante.

Eduardo Gama e a esposa Camila grávida em 2015 junto com a Emozione Al Ventur exportada para os Emirados

Além deles, quase toda a família também está envolvida com a criação. Alguns diretamente e outros indiretamente. “Meu pai é um apaixonado como eu, curte demais os nascimentos e resultados nas pistas e é, sem duvida, quem mais me ajudou a trazer a criação até aqui”.

Representatividade do cavalo Árabe

Para seguir em busca do seu sonho criando a raça, Eduardo deixou para trás a sua vida agitada, urbana e profissional como empresário em São Paulo para morar no haras, há oito anos. Nessa jornada, a esposa de Eduardo foi a sua maior companheira.

Leia mais notícias sobre o cavalo Árabe

“Eu mudei minha vida pelo cavalo árabe. Inclusive, eu costumo dizer uma frase de uma obra de Willian Shakespeare, ‘Um cavalo, um cavalo, meu reino por um cavalo…’ Eu me identifico com essa frase por ter trocado “meu reino” pela convivência com os cavalos”, finaliza.

Por Natália de Oliveira/Equipe Cavalus
Crédito das fotos: Arquivo Pessoal/Eduardo Gama

Cavalo Árabe

ABCCA realiza campanha solidária para doação de cestas básicas

Ação visa contribuir com a redução dos impactos causados pela pandemia da Covid-19, que atinge milhares de famílias em todo o país

Publicado

⠀em

Dados recentes da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (RBPSSAN) mostram que 19 milhões de brasileiros estão passando fome em decorrência da pandemia da Covid-19. Diante da situação, a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Árabe (ABCCA) iniciou nesta semana uma campanha solidária para doação de cestas básicas.

Conforme Cristiane Durante, diretora de fomento da Associação, a campanha solidária é aberta para os associados, bem como para toda a comunidade que possa ajudar nesse momento tão delicado que o país enfrenta. “A ABCCA acredita que, se cada um fizer um pouco, menos famílias estarão nesta situação e conseguiremos vencer o vírus da fome. Faça a diferença você também”.

Sendo assim, a Associação está pedindo a doação de R$ 50, que é o valor da cesta básica. Contudo, os interessados em participar da campanha solidária podem contribuir com o valor que desejar. Portanto, o dinheiro deve ser depositado na conta da ABCCA até o dia 20 de abril. (Abaixo estão os dados da conta)

Depois dessa data, todo o valor arrecado será destinado para a compra das cestas básicas. Posteriormente, elas serão entregues e distribuídas pela Paróquia Assunção de Nossa Senhora, em São Paulo (SP), através do Pároco Juarez de Castro.

Por fim, para mais informações acesse o site www.abcca.com.br. Ou entre em contato ainda pelo telefone (11) 99978-9161, com Cláudio. Ademais, é possível enviar um e-mail para os endereços: presidencia@abcca.com.br ou claudioexpo@abcca.com.br.

Serviço

Doações de Cesta Básica
Valor R$50,00
Enviar até o dia 20 de abril
Conta: Banco Itaú – Agência 0383 – Conta Corrente: 66830-8
CNPJ: 45.880.556/0001-58
Obs: O comprovante do depósito deve ser enviado para o e-mail: presidencia@abcca.com.br ou claudioexpo@abcca.com.br.

Por Equipe Cavalus
Fonte: ABCCA
Crédito da foto: Divulgação/ABCCA

Veja mais notícias do Cavalo Árabe no portal Cavalus

Continue lendo

Cavalo Árabe

Mentor Rach bate recorde e vence páreo válido pelo Prêmio President Cup Séries

No segundo páreo do dia da raça Árabe, Cashmerie AJR foi a campeã; evento distribuiu um total de R$ 20 mil em bolsa

Publicado

⠀em

Com direito a quebra do recorde nacional nos 1.300m na pista de grama, o Prêmio President Cup Séries marcou com grande estilo a retomada das corridas do Cavalo Árabe após um período de paralisação por causa da pandemia. O evento – que contou com a realização de dois páreos da raça – aconteceu no último sábado (10), no Jockey Club de São Paulo (JCSP)

Antes de mais nada vale lembrar que o evento esteve fechado ao público, podendo ser acompanhado apenas pelos proprietários, bem como a equipe técnica. No entanto, os amantes do turfe puderam acompanhar as disputas ao vivo pelo canal do YouTube do Hipódromo de Cidade Jardim.

De acordo com Almir Ribeiro, diretor de Corrida da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Árabe (ABCCA), o Prêmio President Cup Séries contou com o patrocínio da Emirates Equestrian Federation dos Emirados Árabes Unidos. Dessa forma, os dois páreos tiveram bolsa de R$ 10 mil cada, com premiação para os cinco primeiros colocados.

“Primeiramente, temos que agradecer ao Emirados Árabes Unidos, que acredita no crescimento das corridas de cavalo Árabe no mundo, principalmente no Brasil e na América do Sul. Ele que, juntamente com os criadores da raça, a ABCCA e o Jockey Club de São Paulo, iniciaram um novo ciclo virtuoso de crescimento. Ciclo que, certamente, colocará o Brasil definitivamente no roteiro internacional das corridas de cavalo Árabe no mundo”, cita o diretor de Corrida.

1º páreo com direito a recorde nacional

Na primeira disputa, seis animais se enfrentaram em 1.300 m, na pista de grama. Depois da largada, Gunther Rach tomou a dianteira. Enquanto que Graccus Rach aparecia em segundo seguido de Mentor Rach.

Contudo, na volta final Graccus Rach abriu muito e foi parar na grade de fora. Assim, Mentor avançou, pelo lado de fora, e assumiu a ponta, deixando Gunther na segunda posição. Como resultado, com sete corpos de vantagem, Mentor Rach – com o jóquei I. Silva – cruzou a faixa final com o tempo de 1:27.685. (Veja vídeo do páreo acima)

Ainda de acordo com a ABCCA, conquista de Mentor Rach – de propriedade do Rach Stud, de Ricardo Saliba – foi ainda mais especial. Afinal, ele quebrou o recorde nacional de tempo em 1.300m na pista de  grama em páreos disputados pelo Cavalo Árabe. 

“A satisfação é muito grande. Porque ele é o atual recordista dos 1.000m para machos e agora é recordista dos 1.300m. Conquista importantíssima, não só para o Rach Stud, mas para o aprimoramento das corridas no Brasil. O recorde anterior era de 2014, estava difícil quebrar, mas a gente fez o planejamento sabendo que tinha chance de quebrar agora”, explica Saliba.

O criador ainda acrescenta que é importante baixar os tempos para mostrar para o resto do mundo o nível dos animais do país. “A gente esta com o tempo compatível com outros países. Na comparação com os tempos de lá de fora, não estamos devendo para ninguém. Certamente, em breve teremos cavalos brasileiros brigando lá fora”.

Por fim, o criador ainda faz questão de falar sobre a genética de Mentor. “Ele é um filho do Samata, garanhão importado puro polonez, que teve cinco vitórias na Polônia e, no Brasil, foi Campeão Nacional Cavalo em 2001. Já a mãe é filha do Polonês, que tem uma história parecida: vitórias na Polônia e no Brasil foi Campeão Nacional Cavalo em 1991. Sendo assim, ele [Mentor] é um dos raros animais hoje, jovem, que tem pedigree puro polonês”.

Cashmerie AJR – Foto: Divulgação/JCSP/Porfírio Menezes

2º páreo de 1000m

Já no segundo enfrene do Prêmio President Cup Séries, nove exemplares da raça Árabe entraram em disputa em 1.000m, também na pista de grama. Enquanto Obstinado Rach largou mal, Vince Rach assumiu a dianteira, seguido de Holly Pol Rach e Revelation Rach.

Na sequência, Cashmerie AJR avançou e, na seta dos 400 metros, assumiu a primeira colocação. Do mesmo modo, Obstinado Rach se recuperou pelo lado de fora e, assim, apareceu na segunda colocação nos 200 metros finais. Ambos mantiveram essa posição até cruzar a faixa final. (Veja vídeo do páreo abaixo)

Cashmerie AJR é de criação e propriedade do diretor de Corrida da ABCCA, Almir Ribeiro. “Me sinto extremamente feliz e orgulhoso. Pois são poucos os criadores que tem a honra e o privilegio de acompanhar bem de perto a historia de um animal vencedor. Desde a escolha do cruzamento, seu nascimento, seu desenvolvimento ate a vitória num páreo importante como estes. Agradeço também ao Sr. Oberdan Pereira e seu time pela dedicação, esforço e trabalho profissional que construíram o sucesso da Cashmerie AJR desde a sua chegada ate a sua vitoriosa estreia”, finaliza.

Resultados do Prêmio President Cup Séries

1º PÁREO

  • 1º: Mentor Rach e I.Silva
  • 2º: Gunther Rach e V. Souza
  • 3º: RG Kodak e R. Mendonça
  • 4º: Osiris Rach e A.R. Oliveira
  • 5º: Farouk AJR e O. Pereira Filho

2º PÁREO

  • 1º: Cashmerie AJR e F. Larroque
  • 2º: Obstinado Rach e J. Severo
  • 3º: RG Kemir e J. Alves
  • 4º: Vince Rach e V. Souza
  • 5º: RG Kansas e M. Silva
  •  

Por Natália de Oliveira
Colaboração: Assessoria de Imprensa ABCCA
Crédito das foto: Divulgação/JCSP/Porfírio Menezes

Veja mais notícias do Cavalo Árabe no portal Cavalus

Continue lendo

Cavalo Árabe

Prêmio President Cup Séries marca a retomada de corridas do Cavalo Árabe

Ao todo, serão realizados dois páreos para animais com três ou mais anos, em distâncias de 1.000 e 1.300 metros, na pista de grama; Prêmio terá bolsa total de R$ 20 mil

Publicado

⠀em

Após um novo período de paralisação por conta do agravamento da pandemia no país, o Prêmio President Cup Séries marcará a retomando de corridas do Cavalo Árabe. O evento acontece neste sábado (10), a partir das 12h45, no Jockey Club de São Paulo.

Contudo, o evento será fechado ao público, podendo ser acompanhadas apenas pelos proprietários e a equipe técnica. Mas as disputas são transmitidas ao vivo pelo canal do YouTube do JCSP.

De acordo com Almir Ribeiro, diretor de Corrida da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Árabe (ABCCA), serão realizados, ao todo, dois enfrenes válidos pelo Prêmio Presidente Cup Séries, em Cidade Jardim. O evento tem patrocínio da Emirates Equestrian Federation dos Emirados Árabes Unidos.

“A President Cup Series é uma competição mundial com corridas nos cinco continentes que começará na América do Sul, a partir do Brasil. É mais um importante parceiro e patrocinador que acredita no sucesso das corridas de cavalo árabe no Brasil”, pontua Almir Ribeiro, diretor de Corrida da ABCCA.

Prêmio Presidente Cup Séries I e II

O Prêmio President Cup Séries I será exclusiva para animais de 3 anos ou mais, com até três vitórias, nos 1.300 metros na pista de grama. Como resultado, o campeão leva para casa a bolsa de R$4.500,00. O enfrene acontece às12h45.

Na sequência, correm animais de 3 anos ou mais, sem vitórias ou inéditos, pelo Prêmio President Cup Séries II. Na raia, nove animais disputam o enfrene de 1.000 metros na pista de grama, às 13h10. O vencedor também leva para a casa a bolsa de R$ 4.500,00.

Ao todo, os dois páreos terão bolsa de R$ 10 mil cada, com premiação para os cinco primeiros colocados. Além disso, os animais irão pontuar no ranking do Aravian Cup. Ou seja, concorrerão a premiações exclusivas ao final da temporada.

“A atual diretoria da ABCCA não tem medido esforços no intuito de fomentar e promover o Cavalo Árabe de Esporte. As corridas de Cavalo Árabe é mais uma modalidade a se juntar a este inédito e importante programa de fomento”, ressalta Ribeiro.

Corrida de Cavalo Árabe

A ABCCA, através da Brazilian Arabian Horse Racing (BAHR), associada a International Federation Arabian Horse Racing (IFHAR), tem a estimativa de movimentar nessa temporada mais de R$ 300 mil em bolsas de premiações.

“É sempre importante lembrar que as premiações destinadas às corridas de cavalo Árabe no Brasil são provenientes dos patrocinadores estrangeiros. Estes que fomentam as corridas de cavalo árabe no mundo. Além, ainda, de acreditarem no potencial de nossa criação”, finaliza Almir Ribeiro.

Por fim, a ABCCA informa que o número de animais participantes vem crescendo a cada Prêmio. Mantendo, assim, uma média de nove por páreo realizado. Ademais, os criadores têm investido cada vez mais em genética, realizando cruzamentos que aliam resistência e velocidade.

Por Natália de Oliveira
Fonte: ABCCA
Crédito das foto: Divulgação/JCSP

Veja mais notícias do Cavalo Árabe no portal Cavalus

Continue lendo