Crioulo

La Invernada Hornero é o chefe-maior da raça Crioula no Brasil

Luciano Rodrigues pesquisou e conta nesse artigo sobre um dos cavalos mais famosos do Crioulo

No dia 25 de agosto de 1997, a raça Crioula perdeu La Invernada Hornero. De fato, considerado o garanhão ‘divisor de águas’ do Crioulo. Descendente de TrenTren Arrebol com a égua Aculeo Nutria II, assim sendo, criado pelo senhor Alberto Araya Gomez, do Criadero La Invernada, no Chile.

Tudo começou em 1972 quando um grupo de amigos comprou o garanhão La Invernada Aniversário durante a Exposição de Palermo, em Buenos Aires. Trata-se, portanto, do senhor Luiz Martins Bastos, da Estância Nazareth, em parceria com os sobrinhos Flávio e Roberto Bastos Tellechea.

La Invernada Hornero é o chefe-maior da raça Crioula no Brasil
La Invernada Aniversário. Foto: cavalobomvaiparaoceu

História

O êxito do cruzamento do Aniversário com as excelentes matrizes da Nazareth renderam animais ágeis, mansos e com uma funcionalidade incomparável. Dessa forma, com a melhoria adquirida no cruzamento do sangue chileno nas matrizes brasileiras, Dirceu Pons e Flávio Bastos Tellechea fizeram uma sociedade.

Adquiriram o La Invernada Hornero! Portanto, nas palavras de Oswaldo Dornelles Pons: “poucos sabem que ele (Hornero) entrou em pista de remates pela porta dos fundos. Foi reprovado na admissão por ser portador de um sobre-osso num dos membros anteriores. Por isso ficou impedido de participar da Expointer daquele ano (1976)”.

Foto: Coisas de Campo

De acordo com Oswaldo, estavam aguardando a chegada do cavalo quando Flávio Bastos Tellechea deu um sorriso e disse: ‘já vi que o tordilho vai para Bagé!’. “Então, nosso pai lhe respondeu: ‘sim, vamos tentar’. Vendo que sua presença ali era pelo Hornero, nosso pai lhe disse: ‘quem sabe levamos em sociedade?’ Ele gostou da ideia e sorriu. Como seus companheiros (La Invernada El Buitre e Pozo Azul Chacao)saíram vendidos antes e bem valorizados, nos levou mais uma vez acreditar que sairia por um valor razoável”.

Sobretudo, a compra foi motivo de muita crítica. Além do sobre-osso, Hornero também era pequeno. Muitos diziam que eram um animal ‘sem raça’. De fato, Hornero não participou de competições funcionais nem morfológicas.

Foto: Reprodução/Facebook Cabanha São Marcelo MF

Legado

Se destacou por suas progênies, colocando o garanhão no topo do Registro de Méritos da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Crioulo – ABCCC. Mesmo passados mais de 20 anos de sua morte.

La Invernada Hornero morreu com 26 anos. Seu legado é indiscutível! Mudou a história da raça Crioula no Brasil, revolucionando o biótipo morfológico e funcional dos seus filhos. Atualmente fica seu legado de filhos e netos que transmitem todo uma genética vitoriosa.

 Colaboração: Luciano Ferreira Rodrigues Filho
Cavaleiro e Pesquisador | 
Campeira Dom Herculano | lu_fr@yahoo.com.br
Fonte: cavalosdosul.com.br; canalrural.com.br; cosasdelcampo.com.br; cavalocrioulo.org.br
Foto de chamada/crédito: Cedida/Cavalo Crioulo

 Leia também:
Adeus aos Cavalos