Geral

Posição de cabeça e pescoço e seus efeitos no corpo do cavalo

Claudia Ono, em sua coluna da semana, apresenta diferentes situações sobre o assunto

Sobretudo, como a posição de cabeça e pescoço afeta o corpo do cavalo? Assim sendo, veja a reflexão de Claudia Ono em diferentes situações.

#1 – Na embocadura

Na embocadura, portanto, significa que o cavalo está em contato com as mãos do cavaleiro de forma calma e suave. Ao contrário do que muitos pensam, a posição da cabeça de um cavalo influencia totalmente a forma com que ele move e usa a força de seu corpo.

Assim sendo, nessa posição o cavalo se move de forma equilibrada e uniforme. Com passadas simétricas não só nos apoios dianteiros como também nos posteriores. É nessa posição que eles têm melhor visão dos obstáculos à sua frente, além de não ocorrer danos em sua musculatura.

#2 – Acima da embocadura

Quando o cavalo é montado nessa posição, acima da embocadura, antes de tudo a cabeça é levantada e o pescoço fica rígido. Trabalhando nessa posição, o corpo do cavalo é projetado para trás.

Dessa forma, o peso fica concentrado na mão de fora, a garupa se solta e as passadas dos posteriores é encurtada. Cavalos que trabalham constantemente assim desenvolvem uma protuberância no contorno inferior do pescoço.

A embocadura tem ação completamente errada. Provavelmente, um cavalo que assume essa posição quando montado tem problemas com a embocadura, incômodo ou dor. Ele não se concentra no que o cavaleiro pede, não está conectado à mão do cavaleiro, porque sua atenção está voltada para o incômodo gerado pela embocadura.

Posição da cabeça e pescoço e seus efeitos no corpo do cavalo

#3 – Abaixo da embocadura

Infelizmente vemos muitos cavalos montados dessa maneira. Não apenas cavalos de Adestramento. Mas é incorreto, não importa qual seja a modalidade.

Quando se monta um cavalo colocando sua face para trás do plano vertical, as vértebras de seu pescoço são comprimidas.

Desse modo, o foco de sua visão é prejudicado. Nessa posição totalmente errada, suas passadas ficam desiguais fazendo com que encurte as passadas dos posteriores e alongue a dos dianteiros.

Montar um cavalo nessa posição faz com que a musculatura superior ao longo do pescoço se desenvolva em excesso. Além disso, suas glândulas parótidas (em amarelo) aumentam de tamanho e ficam permanentemente salientes.

Observe e pense nisso sempre que pensar em exigir uma mudança na posição natural do seu cavalo.

Por Claudia Ono
Três Giros
Foto de chamada/crédito: Candi Zion

Leia também:
Aprendizado ou trauma: fique atento com aquela ‘pegada’ na boca do cavalo