Um das finais mundiais de Team Roping mais importantes do calendário aconteceu em Oklahoma

Comanda pela AIM Media, uma empresa muito forte no ramo da comunicação nos Estados Unidos, e pela World Series, a USTRC realizou a final de temporada. Com brasileiros vencendo uma das categorias, as provas em diversos handcaps aconteceram de 27 de outubro a 2 de novembro.

O Oklahoma State Fairgrounds, em Oklahoma City, foi palco mais uma vez dessa competição, que está entre as mais importantes do calendário de Team Roping. Além da USTRC Finals, aconteceu também no mesmo período o Guthrie Shoot-Out Championships, uma pista fora do complexo, mas que conta para o campeonato.

Brasileiros fidelizados pelo CPLD viajaram por mais um ano para essa experiência. Assim como em outras oportunidades, não voltaram de mãos vazias. Alcione Miclos está entre os laçadores que sempre faturam alguma premiação durante o evento.

Veja outras notícias sobre a USTRC no portal Cavalus

Ele laçou com outro brasileiro, Gabriel Salgado, que reside nos Estados Unidos. Na categoria #12,5 Daily Double, somaram 30s75 em quatro rodadas para ficar com o prêmio máximo de US$ 15.740,00.

Ano passado, na mesma categoria, Alcione Miclos ao lado de Rodrigo Viero foram quinto colocados; Miclos e Viero voltaram a premiar na #12 Shoot-Out, sexto lugar. E ainda na #12 Shoot-Out, Fred Weneck e Diego Toledo ficaram com o segundo lugar.

Brasileiros vencem categoria durante a USTRC Finals
Dr Junior e Gabriel Salgado em ação durante a USTRC Finals

USTRC

Completando 30 anos em 2019, a United States Team Roping Championships está presente nos estados de Alabama, Georgia, New York, Oklahoma, Tennessee, Texas. E ainda nas regiões de Campbell, Central Texas, College Station, Dallas/Fort Worth, Guthrie, Harriman, Montgomery, Oklahoma City, Perry e West Texas.

São 85 eventos sancionados por ano, com cerca de 300 eventos afiliados, reunindo laçadores de todos os Estados Unidos e alguns brasileiros que moram e competem por lá. O encerramento da temporada, a USTRC Finals é realizado em mais de 20 categorias. Em 2019, premiou com US$ 1.755.820,00.

“Ano passado foi um ‘ano de reconstrução’”, conta Karl Stressman, presidente da USTRC. “Fizemos algumas mudanças que nos colocaram em uma boa posição e nossa meta é continuar a fortalecer ainda mais a marca [USTRC]”.

Brasil

A participação dos brasileiros classificados através do Cartão Internacional CPLD acontece desde 2013. Poder ter a chance de laçar na maior prova de Laço em Dupla do mundo é algo que é motivo de orgulho para o Campeonato Paranaense de Laço em Dupla proporcionar. Pioneiro em diversos quesitos, o CPLD também foi o primeiro levar os competidores para os Estados Unidos.

Nos Estados Unidos, tiveram hospedagem e ajuda no aluguel dos cavalos do brasileiro radicado por lá Frederico Werneck. Chegaram uns dias antes e puderam treinar e se ambientar no rancho do Fred, em Burleson, Texas.

Portanto, além da USTRC Finals, os laçadores brasileiros têm a oportunidade de vivenciar outras experiências. Como a participação na prova de Team Roping que o Kaleb Driggers, parceiro de Juninho Testa, realiza todos os anos nessa época.

De novo ele, Alcione Miclos, o Dr Junior, e Diego Toledo, no pódio. Foram segundo lugar e ainda tivemos Fred Werneck ganhando um round.

Brasileiros vencem categoria durante a USTRC Finals. Um das finais mundiais de Team Roping mais importantes do calendário aconteceu em Oklahoma

Formato

Todos os dias, a programação começa pelos Shoot-Outs, que são as categorias que pagam melhor. A prova é feita em três arenas simultâneas, e todo mundo corre o primeiro boi na principal, depois todos vão para o barn 8 correr o segundo boi. Quem acerta, segue para o barn 6, terceiro boi. E o quarto boi, que é o da final da categoria, volta a correr na pista principal.

Depois, têm as disputas das categorias Daily Dual (antiga Qualifier), provas que pagam 80% das inscrições. Sempre começando pelas somatórias mais altas, como a Open e #16, e chegando ao final da semana, com as disputas na #7. Ainda na programação outras categorias, como a Ladies, só para duplas de mulheres, a Century, onde a idade dos laçadores ultrapassa 100 anos, a Junior, para Jovens.

Houve também na programação, extra campeonato, os jackpots (prova aberta), em diversos handcaps; o USTRC Jr.Looper Championships, para laçadores de seis a doze anos de idade. Todos os resultados e informações, clique aqui.

Por Luciana Omena
Fonte e Foto: USTRC

Escreva um comentário