Mais dois nomes que contribuíram para a história do cavalo de Working Cow Horse nos Estados Unidos foram homenageados

Diversas associações nos Estados Unidos têm o seu Hall da Fama, seja entidades nacionais ou regionais, até os museus instruíram essa honraria a pessoas que foram essenciais para a construção positiva da história de um esporte. No caso estamos falando da Colorado Reined Cowhorse Association – CRCA, que no começo de fevereiro introduziu Jerry Peters e sua égua Hailn Magic Diamonds ao Hall of Fame da Associação. O anuncio foi feito durante o baquete anual, no Bear Dance Golf Club, em Larkspur, Colorado.

Peters e sua esposa, que se mudaram para o Colorado em 1999, entraram no Working Cow Horse a convite da já falecida Kathy Coleman, que perguntou se poderia levar seus cavalos para cavalgar com eles. “Depois, o que me lembro, era de ter quatro cavalos em nossas baias e Kathy sempre por perto”, disse Peters. “Ela também me chamou para ir a uma reunião da CRCA apenas para ver o que estava acontecendo. Acabei comprando um dos cavalos que Kathy montava e me envolvi na diretoria da CRCA como tesoureiro em 2002”. Além do tesoureiro, Peters também trabalhou como secretário de provas pela Associação por dez anos e foi diretor executivo nos últimos três anos.

“Jerry foi fundamental para o sucesso da CRCA”, disse Jim Cook, que fazia parte do comitê que nomeou Peters e Hailn Magic Diamonds para o Hall da Fama. “Não se se todo mundo entende ou sabe o quanto ele trabalhou para tornar nossas provas um sucesso, e as inovações que ele apresentou, como os pagamentos no mesmo dia do evento. Não o ter como membro efetivo da equipe faz muita falta”.

Mas ele também competia e entrou em seu caminho uma grande égua. Ele tinha dez animais da raça Qaurto de Milha e entre eles Hailn Magic Diamonds, uma égua nascida na sua casa, de sua criação. “Quando decidi que não ia mais ser o proprietário dela, tentei vende-la, mas não consegui. Eu a vi nascer no rancho e a iniciei nos treinamentos aos dois anos e ela sempre foi ótima desde o início. Seus ganhos – incluindo premiações pela NRCHA – National Reined Cow Horse Association – no momento em que ela se aposentou era de US$ 72.000,00. Naquela época, ela estava entre os 100 melhores cavalos Working Cow Horse em termos de ganhos”, contou ele, que acabou por vende-la um tempo depois. Ela agora tem 14 anos.

De forma humilde, ele conta que pensou algum dia chegar a ser introduzido no CRCA Hall Of Fame, mas não pensou que seria esse ano. “Quando eles anunciaram que Hailee estava no Hall of Fame, isso também me emocionou”, disse Peters. “Ela era um cavalo tão bom nas pistas desde o início. Tive sorte de ser proprietário de um cavalo como ela. Mesmo com todos os seus feitos, fiquei surpreso também com a indicação agora. Achei que demoraria mais, até seus filhos ganharem mais prêmios em provas. Ouvir meu nome e depois o dela durante o banquete anual da CRCA foi um espanto, a princípio, e depois uma emoção muito grande”.

Por Luciana Omena
Fonte: QuarterHorseNews

 

1 Comentário

Escreva um comentário