Etapa está marcada para o Cheyenne Frontier Days, dias 22 e 23 de julho

Entre Green Bay, no Wisconsin, etapa da PBR que encerrou a primeira parte da temporada na Unleash The Beast, e o Last Cowboy Standing um hiato de um mês e meio esquenta a conversa nos bastidores do campeonato mundial 2019. A maioria dos competidores não planeja se afastar muito tempo das competições nessa parada de verão, visando pontuar para garantir boas posições no ranking.

Nesse tempo, nas próximas semanas só aconteceram etapas da Touring Pro, a terceira divisão da Professional Bull Riders. Sabemos que a corrida pelo título mundial está longe de terminar, especialmente com dois grandes eventos, de pontuação alta, que ainda restam antes da final mundial. A decisão da temporada está marcada para 6 a 10 de novembro, em Las Vegas, na T-Mobile Arena.

O Last Cowboy Standing, no tradicional e cobiçado Cheyenne Frontier Days, em Cheyenne, Wyoming, de 22 a 23 de julho, pode mudar drasticamente a classificação do mundial. É possível somar até 1250 pontos por ser uma etapa PBR Major e ganhar até U $ 100.000,00. No formato do evento, o próprio nome já diz: último homem a ficar de pé. E ele foi revisado pelo comitê de competição da PBR no mês passado.

Ainda será um evento progressivo de eliminação, como nas temporadas anteriores, mas a partir de Cheyenne, etapa com transmissão pela CBS Sports Network e RidePass (online), para avançar, o atleta deve ter uma boa soma de notas. Serão 40 bullriders na primeira roda. Os 20 melhores passam de fase. Entre eles, com a soma das notas obtidas, oito chegarão à fase da mata-mata.

Quem obtiver a maior nota – ou permanecer maior tempo em cima do touro, caso não complete os oito segundos -, nos confrontos diretos passará para a quarta rodada. Novo chaveamento será feito, com os dois embates. Caso apenas um atleta pare, ele já será declarado campeão. Se tivermos um vencedor em cada batalha com nota válida, eles seguem para o quinto round. Um contra o outro, para decidir quem será o melhor da etapa.

Last Cowboy Standing da PBR
Arena do Cheyenne Frontier Days

Dada a importância do evento, a PBR elegeu oito favoritos. No topo da lista, João Ricardo Vieira, o número dois no momento do ranking. Tem provado que é bom e consistente em ganhar etapas especiais. Só em 2019, ganhou a WCRA em Green Bay, o PBR Iron Cowboy e o The American. São mais de US$ 830.000,00 esse ano. Aos 34 anos, está com 17 paradas em 32 touros montados na temporada, 53,13% de aproveitamento.

O campeão mundial pela PBR em 2017, Jess Lockwood, é o segundo dessa lista. O problema dele, que tem 17 paradas em 27 montarias, com 62,96% de aproveitamento, é que passou três meses sem competir por conta de uma clavícula esquerda quebrada. Mas a média dele, quando está em ação, é bem interessante. Por exemplo, tem o mesmo número de paradas que João Ricardo mas com menos bois montados. É, certamente, um favorito em Cheyenne.

O líder do mundial vem em terceiro lugar. Mas assim como Chase Outlaw, o quarto da lista, José Vitor Leme poderia facilmente ser o primeiro colocado como favorito nessa avaliação. Nos dois últimos Last Cowboy Standing ele chegou muito perto de vencer. Campeão da etapa Las Vegas na PBR World Finals 2017, o brasileiro tem 53,17% de aproveitamento nessa temporada e nada menos que oito notas na casa dos 90 pontos.

Em Cheyenne ano passado, Outlaw fraturou o rosto em diversos lugares, saindo da mesa de cirurgia com 68 parafusos. Mas sua volta por cima tem sido espetacular e ele está pronto para voltar à arena desse rodeio. O atual campeão mundial Kaique Pacheco não poderia ficar de fora e ocupa a quinta posição na lista dos favoritos. Mesmo não tendo bom aproveitamento em 2019, ele já venceu três Last Cowboy Standing seguidos (2016, 2017 e 2018). Do seu total de ganhos pela PBR, quase meio milhão são devidos a essas vitórias.

E a lista segue com Cooper Davis, Luciano de Castro e Cody Teel. Davis, campeão mundial PBR 2016, espera que uma vitória nessa etapa Major impulsione seu caminho para um novo título. Para o brasileiro sétimo colocado do ranking mundial, também será uma boa chance, já que ele tem feito bons Last Cowboys em edições anteriores. E Teel vem fazendo uma boa temporada, coleciona vitórias esse ano, e já foi campeão mundial pela PRCA.

Por Justin Felisko/PBR
Tradução e adaptação: Luciana Omena
Na foto de chamada: Kaique Pacheco, que tem três títulos de Last Cowboy Standing no curriculo

Escreva um comentário