Basicamente, eram as regras para que as provas de cavalos mais velhos de Rédeas tivessem a aprovação da Federação Equestre Internacional

Após meses de discussões e negociações envolvendo todas as partes, a Federação Equestre Internacional decidiu encerrar o Acordo de Cooperação de 2014. Isso afeta a National Reining Horse Association, de Rédeas, a American Quarter Horse Association, do Quarto de Milha. Cancelamento já está valendo desde o dia 19 de novembro, desde que o anúncio foi feito em 16 de novembro no Bahrein.

Segundo nota da NRHA, este 2014 Cooperation Agreement foi tratado para oficializar as provas de Rédeas como Jogos Equestres Mundiais. E ainda um pequeno número de outras provas, principalmente na Europa. Outro fator importante do Acordo era ajustar as aparições da Rédeas nos Jogos Olímpicos.

A FEI alega que as duas entidades descumpriram as regras, especialmente no que tange ao antidoping. Os líderes da NRHA se ofereceram para uma reunião em janeiro, para negociar, mas a FEI optou por recusar a oportunidade e rescindiu o contrato. Segundo o Quarter Horse News, alguns pontos dessa história ainda não ficaram muito claros, mas a FEI ainda fará eventos de Rédeas nos Estados Unidos.

De acordo com o que foi divulgado, a FEI alega ainda que não somente sobre medicamentos (antidoping), mas também algumas questões nas categorias para cavalos de sete anos ou mais e ainda sobre os stewards (secretários de prova) foram descumpridas. “A fim de garantir a integridade da disciplina e manter condições equitativas para todos os atletas que competem em Rédeas pela FEI, o acordo com esses dois órgãos foi encerrado”, disse a FEI em sua nota.

Assinado em 2014, o Acordo de Cooperação concedia à FEI a única jurisdição sobre competições de Rédeas para cavalos com sete anos ou mais. E a NRHA e a AQHA administrariam todas as competições para cavalos de seis anos de idade, com exceção do FEI World Equestrian Games 2014, na França.

Esse Acordo abrange áreas de interesse comum, incluindo o bem-estar dos cavalos, Regras e Regulamentos da FEI, o FEI Clean Sport (livre de drogas), administração (stewards), clínicas, entre outros. A Rédeas é uma disciplina reconhecida pela FEI desde 2002. Isto é, um bom tempo antes da assinatura do acordo.

Ainda segundo a NRHA, as mudanças que eventualmente desagradaram a FEI foram feitas com base no que eles encontravam de dificuldades no dia a dia. E para o andamento das competições. Todas as provas para cavalos de sete anos ou mais, sem exceção, tinham que seguir à risca o regulamento da FEI. Por exemplo, a NRHA, concordando ou não, tinha que aceitar quaisquer penalidades impostas pela FEI.

“No final, sentimos que seria mais prejudicial para o crescimento das provas de cavalos mais velhos avançar com este conceito. No entanto, esperamos discutir outras oportunidades para crescimento futuro e benefício mútuo com a FEI”, afirma Mike Hancock, presidente da NRHA.

Por sua vez, a AQHA contestou que a associação de Amarillo, no Texas, esteja violando o acordo. Em nota, a entidade do Quarto de Milha disse que “como sempre, o compromisso da AQHA é com o esporte e também em manter o bem-estar do cavalo Quarto de Milha em qualquer competição. Isso continua sendo uma prioridade”.

Na prática, a FEI continuará fazendo seus eventos de Rédeas, só não mais vinculados à NRHA ou a AQHA, por enquanto. Ela ainda é parceira da United States Equestrian Federation e usará essa estrutura. Pela AQHA, um único CRI – Concurso de Rédeas Internacional, que pontuava pela FEI para os Jogos Equestres Mundiais, era realizado.

A NRHA acredita que, por hora, a quebra do acordo não irá afetar as federações nacionais de Rédeas, que continuarão fazendo seus eventos. O que ninguém disse ainda é como ficarão as provas para os próximos Jogos Equestres. No entanto, todos os envolvidos esperam que essa situação possa ser resolvida e o vínculo entre as três associações se restabeleça.

Por Luciana Omena
Fonte: NRHA e Quarter Horse News
Foto: Sportfot

1 Comentário

Escreva um comentário