Evento recém lançado premiará com um milhão de dólares uma competição entre 12 atletas

O The Run For A Million nem aconteceu e já está dando o que falar. Natural que isso acontecesse devido ao formato da competição. Duas empresas se uniram e convidaram 12 dos melhores atletas de Rédeas da atualidade para disputar nada menos que US$ 1.000.000,00 de prêmio em dinheiro. E para poder sancionar essa prova, a NRHA, associação americana de Rédeas, criou a Categoria 13.

A prova acontece de 15 a 17 e agosto, em Las Vegas, Nevada, e teve iniciativa de Taylor Sheridan, cineasta e roteirista, co-criador de Yellowstone, uma série de televisão da Paramount Network que destaca cavalos western de performance. Ele procurou o Brumley Management Group, grupo que já realiza grandes eventos de Rédeas como o High Roller Classic Derby e o Reining By The Bay.

Para definir quem seriam os sortudos, os organizadores usaram como critério convidar nove treinadores que já ganharam acima de um milhão de dólares na carreira e estão no topo do ranking nos últimos três anos. Para completar a lista, eles chamaram três treinadores de forma aleatória, que denominaram de Wild Card.

O ‘zum zum zum’ já tinha começado com a definição dos critérios, gerando grande controvérsia nos bastidores dos eventos de Rédeas, como o NRBC em abril, quando foram anunciados. O local foi usado, inclusive, para gravação de imagens para um documentário da Paramount. A ‘escolha’, mesmo que utilizando o ranking como base, deixou em aberto várias questões para muitas pessoas. Entre elas, se os valores obtidos contariam para os ganhos vitalícios dos competidores.

Nenhuma outra prova de Rédeas premiou com um valor tão alto para uma única categoria, então a NRHA não tinha precedentes para entender como resolver. A solução, anunciada pelo presidente da entidade, Mark Hancock, foi a criação da nova categoria. Nesse evento e em outros de formato semelhante, os ganhos não contarão para efeito de ranking e nem para o status de NRHA Million Dollar.

O conselho de diretores da associação ouviu opiniões diversas de grupos variados por todo o globo. Só para entender melhor, a princípio, o The Run For A Million seria uma prova sancionada pela NRHA de Categoria 11. Nesse caso, os valores obtidos como premiação entrariam para os registros. Com toda a discussão, especialmente por ser uma prova fechada para convidados, a nova categoria foi criada, mantendo o apoio da NRHA.

Todo o burburinho também despertou interesse dos organizadores da prova para resolver da melhor forma essa questão. A própria Amanda Brumley enviou uma carta para a NRHA sugerindo essa opção como alternativa. O que ninguém queria era que a entidade saísse da jogada. O evento, por si só, atraiu atenção de toda a indústria, e não seria interessante para ninguém não ter o apoio da NRHA.

“Considerando todas as informações adicionais da promotora do evento e a grande quantidade de informações que o conselho de diretores recebeu das partes interessadas por e-mails, mensagens de texto, ligações e mídias sociais, optamos por introduzir a Categoria 13 a fim de reconhecer o evento The Run For A Million Invitational”, disse Hancock.

Disputarão o prêmio:  Andrea Fappani, Casey Deary, Shawn Flarida, Jordan Larson, o brasileiro Franco Bertolani, Jason Vanlandingham, Craig Schmersal, Tom McCutcheon, Duane Latimer, Abbey Lengel, Cade McCutcheon e Matt Mills.

Além dessa prova com premiação milionária, a programação conta também com um Shootout, prova aberta para cavalos e cavaleiros, com premiação de US$ 100.000,00; Rookie Championships e Non Pro Championship, com US$ 50.000,00 de prêmio cada uma. E ainda o Freestyle Invitational. Todas com aprovação da NRHA.

Por Luciana Omena
Fonte e Foto: Quarter Horse News

Escreva um comentário