Os métodos de treinamento não convencionais de Shawn Grant, em conjunto com o programa de criação de Dean Tuftin, estão impulsionando a indústria

Se não está familiarizado com o mundo do treinamento de cavalos em Scottsdale, Arizona, o nome Shawn Grant pode não significar muito para você. Mas se prestar atenção aos grandes cavalos de Laço, verá os frutos de seu trabalho através do programa DT Horse. Patrocinado pelo proprietário Dean Tuftin, em que os cavalos são apresentados pelos lendários CR Bradley e JD Yates.

Muitos, com títulos mundiais da American Quarter Horse Association e sucesso no American Rope Horse Futurity. Grant, o homem que passa os primeiros anos com esses grandes cavalos, no entanto, optou por gastar seu tempo fora dos holofotes das arenas. Mas têm sido seus métodos e sua base que estabeleceram êxito ao programa. É a atenção meticulosa de Grant ao detalhe que faz dele o ajuste perfeito. Na verdade, Grant pode ser o melhor treinador de cavalos de Laço que você nunca ouviu falar.

Agora com 45 anos, foi para o Arizona depois de uma infância no Alaska, onde cresceu em uma família que vive do rodeio. Seu pai viu oportunidades no estado do Grand Canyon, então a família mudou-se para o sul quando Shawn tinha 12 anos. Aos 13 anos, Grant começou a trabalhar para Jimmy Paul, Jim Paul, Sr. Mike Drennan e Steve Payne, laçando e montando bons cavalos.

“Segui o circuito profissional por alguns anos e percebi que precisava de cavalos melhores e mais dinheiro. Sai do Steve e com ajuda de Monty Joe Petska, conheci e fui trabalhar para Jimmy Paul. Por cinco ou seis anos fiquei com ele e comecei a treinar cavalos. Aprendi muito, especialmente sobre cavalos com senso de boi. Foi quando percebi o que queria que meus cavalos sentissem”.

Ao mesmo tempo, Grant tinha contato com caras como os grandes campeões do BFI Mark Arnold e Rickey Green, e o sete vezes campeão mundial Jake Barnes. Aos 18 anos, ele era amador no circuito de rodeios quando conheceu um pezeiro canadense chamado Dean Tuftin. Passaram a laçar juntos em jackpots, enquanto Tuftin fazia dupla nos rodeios com Speed ​​Williams.

Com pouco mais de US$ 63 mil dólares em ganhos pela PRCA, Grant ficou até 2007 se dividindo entre os rodeios e o treinamento. Trabalhou para o Four Peaks Ranch por 15 anos, onde Tuftin deixava quatro cavalos por ano de sua fazenda no Oregon. A vida deles sempre estava se cruzando. “Ele me enviava quatro cavalos de cada vez do Oregon e eu montava de setembro a maio no Arizona. Mandava de volta aqueles quatro e no ano seguinte, pegava outros”.

Mas quando Tuftin mudou sua criação para Scottsdale, em 2017, visando abrir uma operação em grande escala de cavalos de Laço e Working Cow Horse, ele convenceu Grant a desempenhar o papel  de treinador em tempo integral. A missão de Tuftin com a DT Horses é construir atletas equinos fáceis de treinar, mais rápidos e belos. Ele permanece constantemente aprimorando seus garanhões e suas éguas, manejando 150 cavalos.

Sua estratégia é cruzar os melhores garanhões com as melhores éguas, lace o melhor gado, contrate os melhores cavaleiros e leve o melhor cuidado a cada animal. É assim que Tuftin cria cavalos que os campeões mundiais e os campeões da World Series querem montar. “É um trabalho sensacional. Tenho os melhores cavalos, a melhor instalação e o melhor gado. Se não saírem de lá bons animais, há algo errado”, reforçou Grant. Os garanhões Hickory Holly Time, campeão do 2018 World’s Greatest Horseman de Cow Horse com Kelby Phillips; e Metallic CD, atual campeão mundial AQHA Open Senior Heeling com JD Yates são os chefes do programa de reprodução do DT Horse.

Dos 20 a 25 cavalos que nascem todos os anos, eles decidem juntos quais vão ser preparados para o Laço com Grant e quais vão para o Cow Horse com Phillips. Antes, um trabalho especial de doma é feito por outro treinador, Jeff Gleason. Trabalham, especialmente, o fortalecimento da cabeça dos potros. Grant enfatiza que gosta que todo o processo seja feito de forma lenta e gradual, sem pular etapas ou antecipar manobras sem antes dos cavalos estarem preparados.

Atenção aos pequenos detalhes do processo e acesso ao que tem de melhor em genética e infraestrutura foram a aposta certeira de Grant.

Fonte: Team Roping Journal
Fotos: Kari DeCastro Photography

Escreva um comentário