Como é tradição, a festa em homenagem aos indicados ao Texas Cowboy Hall Of Fame abriu oficialmente o evento no dia 11

O Fort Worth Stockshow & Rodeo, que aconteceu de 12 de janeiro a 3 de fevereiro, reuniu criadores de gado e cavalos de todas raças do estado do Texas e do México. Uma das mais tradicionais festas do gênero dos Estados Unidos, e porque não do mundo, viveu dias de uma programação intensa. No rodeio, os melhores em cada uma das modalidades foram em busca de mais de US$ 660 mil em prêmios na disputa do World’s Original Indoor Rodeo. Cultura e diversidade permeiam a atmosfera desse evento cobiçado por todos os atletas.

Os fãs dividiram seu tempo entre as arquibancadas do rodeio indoor e noites regadas ao som de muita música country e dança na Rodeo Redhouse. Puderam ver milhares de animais de perto, incluindo cavalos, gado, porcos, ovelhas, aves, pombos, coelhos e até lhamas. Foram três semanas de entretenimento para toda a família. A programação realmente é vasta e completa. Os visitantes não só acompanharam as performances dos atletas profissionais, como puderam presenciar a exposição de animais, fazer compras, participar das festas organizadas pela comissão e ainda clínicas de cunho educacional. A data do ano que vem já está marcada: 19 de janeiro a 9 de fevereiro. Será o último no histórico Will Rogers Memorial Coliseum. Em 2020 o evento será realizado na nova Dickies Arena.

Do primeiro evento, em 1896, dentro do Marine Creek, em Fort Worth, ao que é hoje, a evolução foi enorme. Ao todo, o Fort Worth Stockshow & Rodeo recebe mais de um milhão de visitantes por edição e é um dos mais conhecidos do mundo. Não só por sua tradição, mas também por sua localização. A cidade é histórica, da época do transporte de gado longhorn e tornou-se o que é hoje por causa da pecuária e equinocultura fortes.

As disputas pela Professional Rodeo Cowboys Association estão entre as mais importantes, mas o Fort Worth Stockshow & Rodeo tem uma infinidade de apresentações em diversas modalidades fora do rodeio também. Para serem definidos os campeões pela PRCA, por exemplo, foram necessários 17 dias. Uma longa jornada para quem tem a intenção de chegar à final e pontuar para o ranking mundial. Do total da premiação, cada campeão ganhou em média US$ 10.000,00 de prêmios.

Dos 47 concorrentes no Bareback Riding, 12 foram para a final e a vitória ficou com J.R. Vezain, de Cowley, Wyo., cinco vezes qualificado para a NFR, com 338.5 pontos somados. Tyler Pearson, Louisville, Miss., campeão mundial de Steer Wrestling (Bulldog) em dezembro na NFR, não diminuiu o ritmo. Depois de vencer em Denver ganhou mais um importante rodeio. Com 12s4 em três apresentações, foi o campeão e lidera o ranking mundial no momento.

J.R. Vezain

Outro competidor que vem fazendo grandes apresentações neste começo de temporada é Shane Hanchey, Sulphur, La., no Tie-Down Roping. Ele também foi o campeão de Denver e agora levou Fort Worth também, ao somar 23s em três passadas. Campeão mundial em 2013, ele agora é o segundo do ranking, atrás apenas do brasileiro Marcos Alan Costa. Marquinhos esteve em Fort Worth, fez o segundo melhor tempo do primeiro round, 8s, ganhando pouco mais de cinco mil dólares. No round final ele não teve muita sorte e não entrou entre os pontuados no avarage (soma de tempos). Mas ainda lidera o ranking mundial com Us$35.118,36.

No Bull Riding (montaria em touros), o resultado levou Trevor Kastner, de Roff, Okla., ao bicampeonato. Ao montar Little Big Man na final ele marcou 87 pontos que somaram 251.5 para dar a vitória a ele, que lidera o ranking mundial. Matt Sherwood, Pima, Ariz., também chegou ao bi em Fort Worth. Esse ano laçando com Walt Woodard, de Stephenville, Texas, somou 15s5 para vencer. Sete vezes classificados para a NFR, o Saddle Bronc rider Jacobs Crawley, de Boerne, Texas, reuniu 247.5 pontos para ser campeão em Fort Worth. Vitória também para Amberleigh Moore, de Keizer, Ore., com 49s32 de somatória nos Três Tambores.

Por Luciana Omena
Fonte e Fotos: FWSSR

Escreva um comentário