Internacional

Pesquisa avalia efeito da pandemia na criação de equídeos

Alvo do estudo foram proprietários de cavalos, cavaleiros, treinadores e outros profissionais equestres dos Estados Unidos e Canadá

Uma pesquisa realizada pela Flair, LLC – em parceria com o Dr. David Marlin e a Science Supplements USA – buscou apontar o efeito da pandemia da Covid-19 na criação de equídeos. Sobretudo, o alvo do estudo foram proprietários de cavalos, cavaleiros, treinadores ​e outros profissionais equestres. 

Ao todo, mais de 4.000 pessoas participaram da pesquisa. Entre os pontos observados no estudo é que mais de 40% dos entrevistados relataram que tiveram que mudar o gerenciamento de seus cavalos devido à pandemia. 

Todavia, algumas descobertas da pesquisa incluem:

  • Mais da metade dos entrevistados relatou que suas interações com o cavalo foram alteradas. Para aqueles que tiveram que fazer mudanças, 58% disseram que as mudanças não eram de sua própria escolha;
  • 60% dos entrevistados não precisaram reduzir o número de vezes por dia que visitavam seus cavalos;
  • Em relação à capacidade de andar a cavalo, 35% dos entrevistados relataram que ainda podiam andar normalmente, enquanto 28% reduziram os treinamentos. Isso, obviamente, devido às restrições impostas a eles por outras pessoas ou devido à sua própria escolha. Já quase 30% relataram não serem capazes de continuar montando seu cavalo – devido a restrições impostas a eles ou por outros. Para 6% dos entrevistados, o cavalo não está sendo montado;
  • Uma grande maioria, mais de 86%, relatou que não foi avisada nem viu conselhos sugerindo que alterem a gestão de seus cavalos para o período integral. Isso a fim de limitar a necessidade de viajar ou visitar o haras para alimentação, manuseio e limpeza de bancas;
  • Quase 88% dos entrevistados relataram que não é provável que seu cavalo seja submetido a um período prolongado de confinamento como resultado da Covid-19;

E a pesquisa não para por aí…

  • À luz das mudanças na rotina necessárias para reduzir a propagação da doença, 9% estavam preocupadas com a saúde de seus cavalos, quase 27% estavam levemente preocupadas e quase 64% não estavam preocupadas com a saúde de seus cavalos;
  • Dos 2.221 entrevistados que mantêm o cavalo alojado (não em particular), quase 84% relataram que o local implementou medidas para permitir o distanciamento social e a maioria achou que as medidas eram satisfatórias;
  • Aproximadamente 40% estão preocupados que a situação atual possa dificultar o atendimento das necessidades de seus cavalos (por exemplo, custos com alimentação, alimentação, forragem, contas de ferrador, contas de veterinário).

Integrantes da pesquisa

A equipe de pesquisa era composta por Marlin, fisiologista e bioquímico com mais de 25 anos de experiência na indústria de equídeos; Louisa Taylor, BVM, BVS (Hons), BVMedSci (Hons), MRCVS; Jane Williams, Ph.D., da Universidade Hartpury, Reino Unido; Shannon Pratt-Phillips, Ph.D, da Universidade Estadual da Carolina do Norte; e Jenna Kutzner-Mulligan, MS, da Science Supplements USA.

Sobretudo, esta pesquisa na América do Norte foi apoiada por uma parceria entre a Science Supplements USA e a Flair, LLC. Ante de mais nada vale destacar que uma pesquisa semelhante foi realizada no Reino Unido e na Austrália.

Fonte: Horse Illustrated
Crédito da foto: Fotokostic/Shutterstock

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus