Nem toda história de título, tem por trás só alegrias. O que se vive fora das arenas pode ter um lado não tão feliz como muitos pensam

Pegar o troféu de campeão da Copa Inverno nas mãos, na etapa de Pompéia/SP, do Circuito Rancho Primavera, representou muito mais do uma missão de um competidor para Nilton Batista, de Guzolândia/SP. Representou a fé, a superação, não desistir. Motivos para não estar ali, ele tinha de sobra.

Sua cabeça estava longe, seus pensamentos em seu pai, que se encontra doente e, Nilton esteve várias vezes nestes últimos meses entre montar e parar de montar. Já são quatro meses de sofrimento, quatro meses de incerteza, buscando forças onde não tinha. Nilton começou no rodeio um pouco tarde, aos 23 anos de idade, hoje com 36 anos, ele continua a ser um competidor competitivo.

crp
Nilton Batista

Quando Rogério Paitl do CRP apresentou o formato para 2018, mostrando que haveria quatro Copas, comentou que esse formato favorecia quem montasse bem em determinado período do ano. Nilton Batista é um exemplo. Ele estava montando bem, estava em segundo lugar no campeonato, quando chegou em Colorado e se contundiu.

Ficou meses fora, voltou e começou a montar bem, ganhou dois rodeios e chegou em Pompeia como líder da Copa Inverno. Há chances de Nilton ser campeão do CRP? Há sim, matematicamente existe essa possiblidade, mas ficar de fora esse tempo contundido, tirou dele a possibilidade de brigar para liderança geral.

Porém, ele já tem garantido R$25.000,00 após confirmar o título da Copa Inverno. “Eu disse para minha esposa que ia montar pensando em ganhar a Copa, porque o título da temporada está difícil. Meu objetivo era ganhar qualquer uma Copa dessas. Eu estava em 29º quando eu voltei, e graças a Deus deu certo”.

Nilton aprova essa ideia do Rogério. “Foi fundamental. Acabei sendo prejudicado por uma contusão, voltei montando bem e consegui ganhar uma Copa, isso ajuda muito”. Durante o tempo de recuperação, Nilton descobriu que seu pai estava doente. Foi como um balde de água fria em suas esperanças. A vontade de desistir da carreira de competidor foi imediata.

“Eu viajei todo esse tempo sem aquela vontade de ir para o rodeio, meu pensamento não era só montar em touros. Eu ligo na minha casa, se meu pai está bem, eu fico bem. Mas se eu ligasse e ele estivesse pior, eu ficava ruim, com os ânimos desmotivados”.

Mas ele passou a montar bem quando retornou da contusão. “Não dá para entender, eu não tinha motivos para estar montando bem. Nessas horas vejo a presença de Deus na minha vida. Pode observar nos vídeos onde eu vencia os touros, mas não tinha aquela alegria, era algo exterior que me deixava triste”.

É o pai, no entanto, que tem dado forças aos competidor. “Por incrível que pareça! Por mim, eu já tinha parado. Tenho a certeza é que Deus está me capacitando para montar”. Em momentos de sofrimento, angústias, Nilton também encontrou nos amigos a força, as palavras, o incentivo para continuar nas arenas.

“Eu me sinto muito em casa, não só o Rogério, como todos os competidores e todo Staff do Circuito Rancho Primavera, me receberam muito bem. Há uma energia muito grande no CRP, uma religiosidade na abertura, nos bastidores. Então estamos sempre recebendo uma palavra amiga, um ambiente familiar que me acolheu bem e eu me adaptei rápido”.

CRP
Nilton Batista

Ele pensa, por conta da idade, que já está entrando em uma fase final de carreira. “Sempre persegui em todos os campeonatos, um título nacional. Quando retornei da contusão, achava isso meio impossível para esta temporada, mas hoje estou em oitavo no ranking do CRP. Para Deus nada é impossível, tenho e preciso sonhar alto. Tem uma turma montando muito bem, mas quero disputar esse título, enquanto houver chances eu estarei lutando”, finaliza o atleta.

A premiação total da temporada do CRP é de R$ 200.000,00, sendo R$ 100.000,00 de premiação para a final e outros R$ 100.000,00 divididos em quatro Copas: Verão, Outono, Inverno e Primavera – R$ 25.000,00 para cada campeão. Já foram campeões Copa Verão – Rafael Brito; Copa Outono – Alexandre dos Santos; e agora Copa Inverno – Nilton Batista.

A Copa Primavera terá a final em Avaré, 6 a 9 de dezembro, uma semana antes da grande final da temporada, que acontece em Quintana/SP, de 13 a 16 de dezembro. Fique de olho!

Por Eugênio José
Fotos: Ricardo Mariotto

2 Comentários

  1. I like the helpful info you supply for your articles. I will bookmark your blog and test again here regularly. I am rather sure I will learn many new stuff proper right here! Good luck for the following!

Escreva um comentário