A competição fez parte da programação de uma das maiores e mais respeitadas exposições agropecuárias do Brasil, em Maringá, norte do Paraná

Entre os diferenciais do evento, está a importância que é dada às competições, sendo que nos três últimos dias – no caso de 2019, 17 a 19 de maio – a programação da arena é totalmente dedicada ao rodeio, não havendo shows musicais. Para isso, a Bolfer Eventos, empresa que atua a mais de 20 anos na área e que retornou à organização do Rodeio Expoingá este ano, preparou um verdadeiro espetáculo, criando uma experiência incrível para os fãs do esporte e pessoas que admiram as competições.

“Buscamos atender algumas reivindicações do público e além do nível dos competidores e animais, colocamos diversas atrações na arena desde a abertura, até o encerramento, para prender a atenção dos fãs e agradar quem esteve presente”, explicou Alexandre Bolfer, diretor da empresa. E o resultado pode ser visto e ouvido, já que o público presente foi um show à parte. “Foi surpreendente, este público já é consagrado como o melhor público de rodeio do Paraná, mas este ano havia uma empolgação e uma vibração ainda maior. Eles interagiram o tempo todo”, completou.

rodeio
Público foi destaque pela animação e torcida

O respeito e a atenção dos organizadores com o público talvez tenha sido a chave principal deste sucesso. Todas as noites o rodeio começou pontualmente, com cada atração em seu devido tempo, sem enrolação e sem deixar o público esfriar. Além de tudo, as atrações na arena, entre abertura e competições foram realizadas de forma dinâmica e ágil, terminando todas as noites em horário familiar, proporcionando que o público ainda visitasse outras atrações fora da arena, antes de voltar para casa.

Na arena, o destaque ficou por conta do tetracampeão nacional, Edevaldo Ferreira, que conquistou seu primeiro título após a recuperação da cirurgia que realizou no ombro no ano passado. Presidente da ACR – Associação dos Campeões de Rodeio, time responsável por levar a arena de Maringá os melhores e mais premiados competidores da atualidade, o paulista chegou à decisão na segunda colocação e sorteou o touro Bola 8 (Shalon) tido como o animal mais difícil da final.

Edevaldo Ferreira
Edevaldo Ferreira e Alexandre Bolfer

Porém, com sua experiência e talento inegáveis, Edevaldo suportou os oito segundos em uma montaria onde o público vibrou em pé, garantindo a vitória, 261 pontos e o prêmio de R$ 10.000,00. O outro único invicto na competição foi o goiano Caic Cássio, que terminou em segundo lugar, 252,5 pontos, após protagonizar um dos momentos mais marcantes da edição 2019 do Rodeio Expoingá. Em sua montaria da final, Caic bateu violentamente o rosto no chão após seu touro desiquilibrar enquanto pulava e cair.

Devido a pancada, o competidor necessitou de auxílio médico na arena, mas dispensou a maca e saiu andando da arena sob aplausos do público, indo se preparar para uma nova montaria. Menos de cinco minutos depois quando voltou ao brete em seu segundo touro, Caic Cássio foi ovacionado de pé pelo público, que reconheceu seus esforços e torceu muito pelo título. Dono da melhor nota da final, o experiente Francis Dezembro conquistou a terceira colocação no evento, 177,75 pontos.

Edevaldo Ferreira
Edevaldo Ferreira

Seguido pelo paranaense Leandro Henrique Machado, que ficou em quarto lugar, 175 pontos, e Wilton Leite, que terminou na quinta posição, 174,75 pontos. Também foram premiados o Melhor Touro, onde Wassabi (Roberto Mazetti) conquistou a fivela e Melhor Boiada foi igualmente da Cia. Roberto Mazetti, que obteve a melhor média de pontos entre as quatro boiadas presentes.

Além das boiadas de Roberto Mazetti, Shalon, Tião do Vale e João Inácio, o Rodeio Expoingá 2019 ainda contou com a locução de Adriano Duarte, comentários de Thiago Arantes, locução comercial de Joca, os salva-vidas Profeta, Cabeça e Cigano, a animação do Palhaço PT, entre outros tantos profissionais e empresas que trabalharam em prol de um belíssimo espetáculo.

Edevaldo Ferreira
Edevaldo Ferreira

Colaboração: Agência PrimeComm
Fotos: Hugo Lemes

Escreva um comentário