O memorial dele é visitado anualmente por milhares de pessoas do mundo, que conhecem ou querem conhecer a história do touro mais temido do Brasil

Foi erguido em agosto de 2009, no Parque do Peão de Barretos, onde acontece a maior festa do Peão da América Latina, o memorial em homenagem ao touro Bandido que foi enterrado em janeiro do mesmo ano. O memorial é um dos locais mais visitados do parque, já que o touro virou uma verdadeira estrela que tomou conta da mídia não só dos envolvidos com rodeio, mas de um público diverso que passou a conhecer a história do Bandido dentro e fora das arenas.

Com a exibição em 2005 da novela América, em que a autora Glória Perez enfatizou a cultura e a vida dos rodeios, o touro Bandido brilhou ainda mais. Até quem não conhece a fama do Bandido, se interessa na história e passam sempre pela estátua em destaque no memorial aproveitando para fazer uma foto tradicional, junto ao ícone dos rodeios.

Touro bandido
Estátua do touro Bandido no Parque do Peão de Barretos. Foto: Flicker Carlos Lopes

O locutor Almir Cambra teve a sorte de acompanhar e, de muito perto, quase toda a história do touro Bandido. “Sei que ele era mesmo diferenciado, difícil de montar e de um temperamento único porque foi domado por uma só pessoa”, ressalta o locutor que sente falta da adrenalina que o touro transmitia durante as competições.

O memorial abriga o corpo e a história do Bandido e no espaço as pessoas podem conhecer a fama e ficarem próximas da estátua em ferro reproduzindo o touro em tamanho real. O empresário e proprietário do Bandido e de diversos animais da mesma linhagem, Paulo Emílio Marques, desde a morte do touro mais temido do Brasil, manteve estudos em genética.

Touro bandido
Touro Bandido. Foto: Cedida

E  além de clones, Paulo Emílio deu continuidade nas linhagens que carregam o diferencial em pista e frequentemente apresenta animais com o mesmo perfil de habilidade em pulos, que trazem um grau elevado de dificuldade nas montarias. Paulo Emílio postou em uma rede social, o nascimento de um bezerro que carrega o sangue dos ícones Bandido e Agressivo. A postagem foi em março deste ano.

Foram mais de 200 peões que tentaram permanecer os oito segundos no lombo do Bandido e somente Carlos de Jesus Boaventura, realizou tal proeza, durante o rodeio de Jaguariúna/SP em 2002. O touro mais famoso do Brasil que para muitos, era indomável, recebia alimentação balanceada, praticava natação e dentre tantos cuidados, até os cascos tinham tratamento especial. Bandido ficou mundialmente conhecido pela expressão forte e a mania de cavucar a terra com o chifre, ele morreu com câncer de pele, aos 17 anos de idade.

A Festa do Peão Boiadeiro de Barretos em 2019 acontece de 15 a 25 de agosto. Para mais informações, clique aqui.

Por Camila Furtado

Escreva um comentário