Rodeio

Um dos precursores do Bulldog em Minas, Nivio Daldegan fala do esporte

Publicado

⠀em

Desde pequeno ele anda a cavalo e acabou fazendo nome na modalidade pelos melhores rodeios do país

Há quem diga que o Bulldog acabou por não vê-lo mais sendo realizados nas maiores festas do peão no interior de São Paulo. Isso não é verdade, já que o pessoal de Minas Gerais vem segurando as pontas e reerguendo o esporte pouco a pouco. Bem antes de toda essa ‘maré Baixa’, Nivio Alves Daldegan, de Minas Gerais, se destacava.

Aos 36 anos, ele ainda é ativo na modalidade, mesmo que indo há poucas provas, e se juntou aos antigos companheiros e à nova safra de buldogueiros para a retomada da Associação Nacional de Bulldog. Como consequência, o esporte voltou a se fortalecer. Nascido e ainda residente em Divinópolis/MG, um dos poucos rodeios que realiza todas as modalidades, o cavalo vem de berço para ele.

Seus animais estão alojados o rancho da família, o Rancho Daldegan. Nesses anos de estrada Nivio contou sempre com o apoio dos pais Nilton Marcelino Daldegan (In Memorian) e Maria Dionisia Alves Daldegan, 78; dos irmãos Nilton Junior, 56, Nilmar, 46, Mirna, 55, Milene, 53, e Nivaldo Daldegan (45); e da esposa Mariana Pires Coelho Daldegan, 34, e dos filhos Bento, 3, e Mariah, 1.

Divide seu tempo entre o trabalho na empresa da família e os cavalos. Confira nossa conversa com ele!

Como tudo começou?

Nivio: Foi na comunidade rural do Cacôco, em Divinópolis/MG, onde temos o rancho. Eu tinha aproximadamente três anos e montava já nos cavalos de lida. Eu andava com meu pai me puxando.

Lembra quando fez sua primeira prova?

Nivio: Fiz a minha primeira prova de Bulldog em 1997, no cavalo chamado Itu, no rodeio de Divinópolis. Mas a primeira prova que eu competi foi de Seis Balizas, no ano de 1992, no rodeio de Divinópolis também. Era exposição agropecuária esse ano e eu ganhei!

Além de Bulldog e Baliza, já fez outros esportes?

Nivio: Sim. Pratiquei Laço de Bezerro, Três Tambores, Maneabilidade e Team Roping.

Como buscou se aperfeiçoar no Bulldog?

Nivio: Fazendo cursos fora, buscando técnicas diferentes e que mais eu me adaptava. E sempre, até hoje, procuro trocar ideias com todos. Hoje não treino mais no dia a dia, mas sempre que posso vou ao rodeio de Divinópolis e Claudio.

Títulos mais importantes:

Nivio: Alguns rodeios em que fui campeão como Divinópolis quatro vezes, Americana uma vez, Vargem Grande do Sul uma vez, Cajuru quatro vezes, Cláudio três vezes, Pará de Minas uma vez, Itauna uma vez, Arcos uma vez, Carmópolis uma vez, Itapecerica uma vez, e da CNAR.

Qual prova te marcou mais até hoje e porque?

Nivio: Foi o rodeio de Barretos no ano de 2011 em que fiquei em segundo lugar. Mas para mim foi como se fosse o primeiro lugar, pois eu perdi apenas para o americano, Luke Branquinho que estava no Brasil e que hoje é pentacampeão mundial na modalidade.

Com My Last Boy

Tem um cavalo especial da vida?

Nivio: Sim. My Last Boy

 A ANB voltou esse ano, Minas é um estado forte hoje no Bulldog, como você vê esse momento da modalidade?

Nivio: Para mim, Minas Gerais sempre foi um estado forte na modalidade. Talvez até o mais forte. Porém está em destaque agora devido a todas as atenções estarem voltadas para cá. O fato de não ter mais a modalidade em São Paulo, fez com que os olhos voltassem para o nosso estado!

Por Luciana Omena
Colaboração: Yasmin Sani
Fotos: Cedidas

Rodeio

Esposas contam como é a vida ao lado dos maridos profissionais de rodeio

André Silva bateu um papo super descontraído com Isabella Santana, Amanda Rodrigues e Flavia Perecin, esposas de três competidores de rodeio

Publicado

⠀em

Isabella Santana de Castro, Amanda Rodrigues Lem e Flavia Perecin Barbosa. O que elas têm em comum? Se você acompanha o campeonato da PBR nos Estados Unidos, sem dúvida, já identificou os sobrenomes e seus maridos. Em resumo, nesse bate-papo para o canal do fotografo brasileiro André Silva, elas contam sobre suas vidas ao lado dos maridos famosos no rodeio. O começo, desafios, alegrias e muito mais. Confira!

Veja outras notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Rodeio

PBR: Brasil soma agora 11 títulos mundiais

O primeiro em 1994, por Adriano Moraes; e o mais recente foi conquistado em novembro de 2020 por José Vitor Leme

Publicado

⠀em

A PBR é uma organização internacional profissional de montaria em touros, com sede em Pueblo, Colorado. Dessa forma, mais de 600 cowboys dos Estados Unidos, Canadá, México, Brasil, Austrália e outros países são membros da entidade.

Em 1992, 20 atletas se reuniram pela primeira vez para montar a PBR. A reunião foi em um quarto de hotel em Scottsdale, Arizona, e cada um contribuiu com US$ 1.000,00. Em outras palavras, o objetivo era tornar o esporte ainda mais profissional e reconhecido. Hoje, mais de 25 anos depois, meta mais do que atingida.

O modelo da PBR como empresa é um case de sucesso. Formato, antes de mais nada, pensando nos fãs e nos patrocinadores. Entretenimento através do esporte montaria em touros. Só pra ilustrar, o prêmio para o campeão mundial é de US$ 1 milhão.

PBR: Brasil soma agora 11 títulos mundiais; o primeiro em 1994 e o mais recente foi conquistado em novembro de 2020 por José Vitor Leme
Ednei Caminhas, Kaique Pacheco e José Vitor Leme – Fotos: PBR/Cedidas

A PBR e o Brasil

Nesse cenário entra o Brasil, hoje com 11 títulos mundiais. Adriano Moraes venceu na primeira temporada da PBR em 1994 e ‘puxou uma fila’ de impressionantes talentos ao longo do tempo. Ele voltou a vencer em 2001. Em seguida foi a vez de Ednei Caminhas, em 2002. Ídolo mundial, Adriano Moraes carimbou seu terceiro título em 2006.

Guilherme Marchi comemorou sua fivela de ouro em 2008, enquanto Renato Nunes levou em 2010. Silvano Alves, é único tricampeão ao lado de Adriano. Assim sendo, conquistou seu primeiro título em 2011. De tal sorte que repetiu a dose em 2012. Tornou-se, na oportunidade, o único bicampeão consecutivo. Em 2014 deu Silvano mais uma vez.

A nova geração entrou em cena e Kaique Pacheco marcou seu nome nessa galeria em 2018. Venceu machucado logo após uma linda temporada. Chegamos a 2020 e encontramos José Vitor Leme com a taça na mão. Esse ano, atípico por conta da pandemia, foi o recorde de classificações de brasileiros na PBR World Finals, 20 atletas na lista.

Por Luciana Omena
Fonte: PBR
Crédito da foto de chamada: Divulgação PBR Brazil/Alberto Gonzaga
Na foto de chamada, 8 títulos mundiais: Adriano Moraes, Guilherme Marchi, Renato Nunes e Silvano Alves

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Continue lendo

Rodeio

Fatiana Ferreira participa de evento de lançamento da Nova RAM 1500

Marca patrocina o Campeonato Nacional de Três Tambores da ANTT, inclusive, a atual temporada foi oficialmente denominada Circuito RAM Rodeio ANTT

Publicado

⠀em

A tetracampeã nacional da modalidade Três Tambores pela ANTT, Fatiana Ferreira, foi uma das convidadas especiais do evento exclusivo de lançamento da Nova RAM 1500 Rebel. Antes de mais nada, evento promovido pela RAM do Brasil, marca do FCA Group.

A apresentação da nova picape da série RAM aconteceu no dia 10 de dezembro, no Autódromo da Fazenda Capuava, em Indaiatuba/SP. A amazona conheceu todas as novidades em primeira mão e ainda realizou um Test-Drive na pista do autódromo.

Fiquei muito feliz em ser uma das convidadas especiais para conhecer em primeira mão a Nova RAM 1500. Vi tudo de perto e tive uma explicação de todos os detalhes do modelo. São surpreendentes e encantadores, como sempre”, afirma a atleta, que também é uma das diretoras da ANTT, entidade patrocinada pela marca.

Marca patrocina o Campeonato Nacional de Três Tambores da ANTT; Fatiana Ferreira é tetracampeã Nacional e diretora da ANTT

Em seguida, a tetracampeã nacional teve a honra de dirigir a picape recém-lançada. Uma aventura única, sem dúvida. “Fizemos o Test-Drive debaixo de chuva e com muita lama. Realmente, ela tem um poder inigualável. Silenciosa e de arrancar suspiros quando acelerada. Indo de 0 a 100 km/h em 6s4. Sou muito fã da marca”, complementa a competidora.

ANTT e a parceria com a RAM

A Associação Nacional dos Três Tambores é o campeonato da modalidade mais longevo do Brasil até hoje, 17 anos ininterruptos. Conhecido pela maioria das competidoras, suas famílias e fãs como o maior e melhor campeonato de Três Tambores do Brasil.

Patrocinadora oficial, a RAM do Brasil esteve presente durante a temporada 2019/2020. Inclusive, a ANTT deu a RAM o ‘naming right’ do campeonato esse ano, Circuito RAM Rodeo ANTT. Além disso, outras diversas ações dentro das competições, com as competidoras e nas redes sociais foram realizadas.

Marca patrocina o Campeonato Nacional de Três Tambores da ANTT; Fatiana Ferreira é tetracampeã Nacional e diretora da ANTT

A RAM tem sido uma grande parceira da ANTT e esteve ao nosso lado neste ano tão complicado. Grandes eventos foram cancelados e mesmo assim lutamos para concluir nosso campeonato. É uma grande honra ter uma marca tão importante acreditando na nossa entidade. E, sobretudo, apoiando a modalidade Três Tambores. Esperamos que esta parceria seja duradoura”, corrobora Flávia Cajé, presidente da ANTT.

Para saber mais sobre a Nova RAM 1500, clique aqui. Fique por dentro das novidades da ANTT: www.antt.org.br | @estrelasdaantt.

Colaboração: Agência PrimeComm
Crédito das fotos: Divulgação/Arquivo Pessoal

Veja mais notícia da modalidade Rodeio no portal Cavalus

Continue lendo
X
X