Quarto de Milha

Há 50 anos, Jerriel Betts cria cavalos Quarto de Milha

Fazendeiro aposentado de Oklahoma não deixou sua criação de cavalos de lado

Jerriel e Sue Betts casaram-se há 54 anos. Faz tempo! Praticamente o mesmo período que ele cria seus cavalos Quarto de Milha. Embora seja menos tempo do que ele tem contato com cavalos.

“Eu cresci no condado de Atoka, Oklahoma, no mesmo rancho que eu tenho hoje”, afirma Jerriel, um fazendeiro aposentado que faz 83 anos em agosto. “Papai tinha cavalos e gado, e eu tive um monte deles. Vendi todos e consegui algumas éguas registradas em 1964. Assim sendo,  isso que me levou ao Quarto de Milha”.

O casal criou os filhos Glenda Dever, Jay Betts e Amanda Betts em sua fazenda, que fica a sete quilômetros a oeste de Atoka. Sem dúvida, um local ótimo também para a vista dos netos. O plantel, não só de cavalos como também de gado, é mais reduzido nos dias de hoje.

No passado, a propriedade era maior e trabalhava com uma operação grande de gado de leite. Seu pai era quem comandava tudo. Assim como faziam os demais fazendeiros da época para ganhar a vida. De acordo com Jerriel, ele assumiu o lugar do pai quando foi necessário.

Trabalhava em uma empresa fora de casa e quando o pai ficou doente, por volta de 1955, voltou. De construir pontes, Jerriel passou a atuar de forma profissional com cavalos e gado. “Papai viveu até os 82 anos, em 1977. Como já estava bem estabelecido, continuei com o negócio”.

Fortalecimento

O negócio de cavalos do Betts Ranch deu um grande passo à frente no começo dos anos 70. “Queria mudar parra cavalos de raça, portanto comprei Leo Betts em 1972 e comecei a criar”, lembra Jerriel. O potro de seis meses era filho de John Leo e neto de Leo na linha alta e de Ariel Buck, que era Pretty Buck, na linha baixa.

“Palomino, crina e cauda brancas, provavelmente pesava cerca de 480 kg e media cerca 1m52”, recorda. Jerriel usava Leo Betts para lida, para passeio, para tudo. Primordialmente, para reprodução. Leo Betts gerou 69 potros registrados pela AQHA, alguns dos melhores cavalos de rancho da região.

Entretanto, Jerril sabe, o sucesso dos eu garanhão esteve atrelado ao das éguas que cruzaram com ele. O ‘magic cross’ dos sonhos foi com Sue’s Payday, uma alazã filha de Son O Leo. Na lista das ‘joias’ do criador ainda destaque para Peerless Prince, um filho puro-sangue de Noholme II. Produzindo grandes campeões em Corrida.

“Eu fiz muito na minha vida, principalmente com gado e cavalos. Trabalhei em alguns outros empregos, no entanto o rancho era meu prazer. Também lacei muitos anos.  Sempre trabalhando a moda antiga, na lida do gado com cavalos”.

Mesmo que não tenha a vitalidade de antes, Jerriel  mantém seus cavalos Quarto de Milha. Já não congrega todos em sua propriedade. “Tenho alguns cavalos no Texas, alguns aqui em Oklahoma. Sempre gostei deles e não quero parar. O meu prazer e amor é trabalhar com meus cavalos.”

Por Richard Chamberlain/AQHA
Tradução e adaptação: Luciana Omena
Foto: Arquivo Pessoal

Veja mais notícias no portal Cavalus