Cavalo Árabe

Cavalo Árabe se sobressai durante o 30º Campeonato Brasileiro de Enduro Equestre

Saiba como foram as disputas em cada categoria do campeonato, as dificuldades enfrentadas pelo percurso e, por fim, quais conjuntos se sagraram campeões brasileiros

Publicado

⠀em

Cavalo Árabe se sobressai durante o 30º Campeonato Brasileiro de Enduro Equestre

O Haras Minas Gerais Endurance, localizado em Cartanópolis/MG, foi palco recentemente das disputas do 30º Campeonato Brasileiro de Enduro Equestre (CBEE), esporte em que o Cavalo Árabe se sobresai perante as demais raças. De acordo com Pedro Manetta, que ficou responsável pelo marketing da prova – realizada de 16 a 18 de setembro – praticamente todos os animais inscritos no evento tinham sangue Árabe. “Isso porque os Árabes são mais resistentes e possuem melhor recuperação cardíaca, se comparado as demais raças, sobretudo nas maiores distâncias”.

Ainda de acordo com Manetta Caetanópolis é uma prova bastante conhecida pelos enduristas. “Possui trilha bastante plana, com piso bom, sem muitas pedras e com muitas sombras, uma vez que grande parte do percurso está entre grandes eucaliptos. Contudo, como já era esperado devido ao clima típico da época, o fim de semana reservou dias muito quentes e secos, transformando a prova em uma experiência mais técnica”, acrescenta.

Na quinta-feira, dia 16, houve o Vetcheck inicial para as provas do dia 17 – 160km (Brasileiro); 100km e 80km qualificatórias. O foco da sexta-feira foi o Campeonato Brasileiro de 160km, que contou com a participação de 6 animais, todos eles PSA registrados na ABCCA. Já no sábado foram realizadas as demais categorias: 140km, 120km, 100km, 80km, 60km, 40km e 20km. A prova contou com 81 conjuntos inscritos, sendo que 59 concluíram, 16 foram eliminados e 6 retirados.

Primeiro dia de disputas

Após 08h51m48s de prova, Rodrigo Moreira Barreto e Mandalla Rach (Pavel Rach x Minuette Rach por *Pamir) sagraram-se campeões brasileiros de 160km, com média de 18,05 km/h. José Caio F Vaz Guimarães e Cabo Frio CSM (*Eksport x Ahuar por *Pepi) foram os vice campeões, com média de 17,57 km/h.

O destaque aqui fica na recuperação cardíaca dos animais: Mandalla Rach, que também recebeu o prêmio Best Condition, teve uma recuperação total de 18m38 nos 5 primeiros anéis, enquanto Cabo Frio CSM de 15m43. Sinal de que os animais apresentaram alta preparação física, uma vez que mesmo com o calor, conseguiram manter o rendimento.

Rodrigo Barreto, o Guigo, cavaleiro do Rancho Barreto, localizado em Brasília/DF comentou um pouco sobre os desafios que o levaram ao título: “O grande desafio foi o calor e a baixa umidade, talvez tenha sido a prova mais quente que já corri lá. A trilha é considerada plana, mas engana um pouco, pois tem subidas não tão íngremes, porém bem longas. Outra coisa que reparei, até mesmo depois de ver os resultados, foi em relação ao anel amarelo, de 28km. Era um anel que tinha uma parte bem quebrada no meio, com mais subidas e acabou que alguns conjuntos foram eliminados depois de correr esse anel”.

Guigo também contou um pouco da estratégia utilizada na prova: “Minha estratégia foi andar mais rápido no primeiro anel, quando estava mais fresco, pois a largada foi as 5:00 da manhã, e nos outros anéis, andar mais tranquilo, para poupar a Mandalla do calor intenso. No último anel, que era mais plano, consegui aumentar minha velocidade, pois a Mandalla estava muito bem e fomos coroados ganhando o prêmio de best condition também”.

Segundo dia de disputas

No sábado, segundo dia de disputas, começou as 5:30 da manhã com a categoria de 140km, que contou com 4 animais inscritos, todos também PSA registrados na ABCCA. Fernanda Carvalho M de Abreu e Pocahontas HVP (Bey Shadow TGS x *Padrons Teariffic por *Padron) foram campeãs e Best Condition, com média 17,23 km/h.
Em segundo lugar ficaram Rafaela Moreira Barreto e Tannat XB (Nawwak NA x Thaylla por Khaid El Jammal), com média de 17,23 km/h. Foi uma prova com 100% de aproveitamento, todos os 4 conjuntos terminaram. Rodrigo Storani Saliba e Blues Master Rach (Mister Eros HX x Blue Note Rach por *Polonez) e Gabriela Carvalho M de Abreu e Thelos (Thelonius x Thetis T por Mirage LM) fecharam a classificação.

A categoria de 120km contou com 17 animais inscritos, divididos nas categorias FEI e Young Riders (Campeonato Brasileiro) e Nacional. Todos registrados na ABCCA, sendo 2 anglo-árabes, 2 cruza-árabes e 13 PSA. Tiago Manetta B de Lana e NNL Tremendão (RSC El Deb Haran x NNL Miss Darling por Rashid Van Ryad) foram campeões brasileiros e Best Condition de 120km Adulto, com média 18,21 km/h, enquanto Fernando Gonçalves Costa e Miranda Rach (Vesper Rach x Melina Rach por *HS Titian) ficaram com a medalha de prata, média 17,16 km/h.

Destaque para a incrível recuperação cardíaca do campeão NNL Tremendão, que somou apenas 5m22 nos três primeiros anéis. Cabe ressaltar o bom número de inscritos, 10 no total, aumentando a disputa pelo título. Ainda, 7 concluíram a prova, o que significa 70% de aproveitamento, um índice interessante para provas de longa distância. Na 120km Nacional, João Paulo Nunes da Silva, montando Forlan Trio (Verano Rach x Frontera Endurance por Ledhyr NA) foram os vencedores, com média de 17,09 km/h.

Na categoria Young Riders, após emocionante sprint, que infelizmente culminou na eliminação do conjunto vencedor, João Pedro Antocheski e RG Kamil (*Zapal x Camamu CSM por Ekspresjon Rach), Diogo Martins e Verve Rach (Voltaire Rach x Vaneska Rach por Mister Eros HX) sagraram-se campeões brasileiros, com média 16,31 km/h, seguidos por Helena Haaland e Valente HEB, cruza árabe, filho do importado *Streak of Wiking, que finalizaram com média 15,04 km/h.

Diogo comenta: “Foi uma prova técnica. Já sabia que a competição seria desafiadora quando vi que os 120km seriam em apenas 4 anéis grandes, mas quando o dia chegou e senti o clima quente e seco percebi que seria ainda mais difícil terminar. Tentei conservar ao máximo minha égua durante a prova e tivemos gás para gastar num final disputado e finalizar com êxito”.

A categoria 100km adulto contou com 8 conjuntos, sendo 2 anglo-árabes e 6 PSA, todos registrados na ABCCA. Destaque para o garanhão *D’Jok PY (Djebel Lotois x Keniah por Kesberoy), propriedade do Haras TRIO, o qual teve dois filhos nas duas primeiras colocações: Conan D’Jok Trio (*D’Jok PY x RT Crysti por Nawwak NA), montado por Pedro Stefani Marino, campeão brasileiro com média de 18,71 e grande recuperação cardíaca de 5m41, contando os 3 primeiros anéis, seguido por La Tache D’Jok Trio (*D’Jok PY x *SM La Turca, por JQ Fame Beauty), montado por Rafaela Pantel Vianna, com média de 18,07 km/h.

Nos 80km, 5 conjuntos participaram, sendo 4 registrados na ABCCA. 2 PSA, que faturaram as duas primeiras colocações, Hanna Del RET (Hafid Delmar Sahara x Sahara Alimazara por *Shihan Ali) campeã, montada por Telmo José Sousa Gois e média de 17,12 km/h e Hanke Apprentice (*Thee Apprentice x Hami Vasc por AF Vasco) vice campeão, montado por Rodrigo Beleplacito, com média 15,94. Também correram 2 anglo-árabes, destaque para Norpol CVV (Spirit x Oklahoma HEB por *Northon), que ficou na 4ª colocação.

A categoria curta livre – 60km, contou com 12 conjuntos, todos registrados na ABCCA, sendo 9 no “adulto”, 2 na “jovem” e 1 na “mirim”. Eli Peres Steinbruch e Major “Oman El Hylan” (Hylan x Orquidea el Jammal por *Ali Jammal) foram os campeões brasileiros da categoria mirim, com média 15,21 km/h.

Na categoria jovem, destaque para a criação do Rach Stud, de onde vieram o campeão e o vice: Oliver Rach (Pavel Rach x Opera Rach por *Polonez), montado por Carolina Rocca Borges e Firefox Rach (*Almir SWSB x Freeze Frame Rach por Ocho el Negro), montada por Victor Nuno de Aquino Lucas ficaram, respectivamente, em primeiro e segundo, com médias de 16,57 km/h e 16,55km/h.

A categoria adulto reservou boa disputa pelo título, com 9 conjuntos. Carolina Cardoso Duarte, montando Chief OfControl Rach (Controller x Comitia Rach por Eksort Rach) sagrou-se campeã com média de 18,17 km/h e destaque para a velocidade de anel mais rápido entre todos os competidores que terminaram a prova, com média de 20,32 km/h de trilha. “Foi uma prova com alto nível de dificuldade, calor escaldante, competidores de qualidade, que foi coroada com muita festa de todas as equipes e uma cooperação e parceria ímpar”, disse Carolina. Em segundo lugar, Pedro Manetta B de Lana, montando Dode Trio (Dormane x WN Partytura por *Pepi), com média de 16,39 km/h.

Provas de regularidade

Por fim, mas não menos importante, as provas de regularidade, conhecidas por serem o fomento do esporte, contaram com 21 conjuntos, sendo 10 na graduado adulto, todos PSA, sendo 9 registrados; 1 na graduado jovem, Franco AF, animal cruza árabe pampa sem registro, criação de Aloísio Faria, montado por Paulo Fernandes Torres, campeão; 4 na aberta adulto e 6 na categoria especial marchador.

Pela graduado adulto, José Ubiraci Soares Batista e Giselli da São José, égua árabe sem registro, sagraram-se campeões, com 72,26 pontos, seguidos por Otavio Marques de Paiva Neto e Mona RLC (Aryes El Ludjin x *Super Marc por *QR Marc) com 72,22 pontos. Destaque para a mínima diferença de 0,04 pontos. A título de comparação, o terceiro lugar Logan D’Jok Trio ((*D’Jok PY x *SM La Turca, por JQ Fame Beauty) obteve 66,82 pontos.

Já pela aberta adulto, Martin Mastrangelo e a anglo-árabe Russia Endurance (Miroslav Endurance x Granada Endurance por *Northon) foram os campeões, com 33,33 pontos. O segundo lugar, com 24 pontos, foi Daniel Abbud Haddad, montando o PSA Royal do Bom Viver (*Azhar Du Barthas x *Al Saida Larzac por Said Lotois).

Próximas disputas

E o Enduro Equestre não para por aqui. Esse ano ainda serão realizadas cinco provas: dia 25/09, no Haras Endurance, em Bragança Paulista, acontece a próxima etapa do Campeonato Paulista; em 09/10, ocorre a última etapa do Campeonato Brasiliense, no Brasília Country Club; dia 16/10, Campeonato Gaúcho de Enduro Equestre, no Haras Jacovas, Rio Grande do Sul; em 23/10, a última etapa do Campeonato Paulista, no Haras Albar em Campinas e para fechar o ano, O III International Endurance Festival of Campos Gerais no Haras Triunfo, em Ponta Grossa, Paraná.

Para fechar o ano com chave de ouro, o Uruguai promoverá a Copa Sudamericana em Punta Del Este, dias 06 e 07 de dezembro, com premiações em dólar.

Colaboração: Cavalus Comunicação Equestre
Crédito das imagens: Divulgação/CBH

Veja mais notícias do Cavalo Árabe no portal Cavalus

WordPress Ads
WordPress Ads