Geral

Programa de intercâmbio Young Riders leva cinco brasileiros competirem Enduro na França

Retomada do programa tem o intuito de elevar o nível técnico dos atletas de Enduro e é liderada pelo Dr. Guilherme Santos, veterinário FEI 4* e responsável pelo mesmo projeto no Brasil entre os anos de 2005 e 2010.

Publicado

⠀em

Visando o incentivo ao esporte e com o intuito de elevar o nível técnico dos cavaleiros da modalidade Enduro, a diretoria de Enduro da Confederação Brasileira de Hipismo retomou o projeto de intercâmbio de enduro na categoria Young Riders, voltada a cavaleiros e amazonas entre 14 e 21 anos. A inciativa é liderada pelo Dr. Guilherme Santos, veterinário FEI 4* presente nos principais eventos do circuito mundial e responsável pelo mesmo projeto no Brasil entre os anos de 2005 e 2010.

“Em nosso primeiro ciclo de intercâmbio tivemos um importante crescimento do número de jovens enduristas animados com a perspectiva de poder competir internacionalmente”, conta Dr. Guilherme, que também reassumiu o cargo de veterinário na comissão de Enduro da CBH. “À época tivemos expressivas conquistas internacionais com dois bronzes nos Mundiais de Young Riders no Bahrein 2005 e Argentina 2007. Em Pan-americanos garantimos dois ouros na Argentina 2005 e no Brasil em 2007. Chegamos em 2008 com 40 jovens atletas em atividade no país”, lembra Guilherme, um dos grandes responsáveis pelo fomento da modalidade no país.

Dr. Guilherme também atuou como colaborador da equipe francesa de Enduro entre 1998 e 2008. “Essa experiência foi muito importante, inclusive, para implementar o primeiro programa de intercâmbio. Competimos na Itália, Namíbia e Argentina”, lembra o veterinário.

Em 2012, a treinadora da equipe francesa e pioneira do enduro Bénédicte Atger, mãe de Virginie Atger, líder do ranking mundial em 2009/2010, medalhista de ouro por equipe e prata no Mundial 2006, entre inúmeras outras conquistas, esteve em Minas Gerais, a convite de dr. Guilherme, acompanhando uma competição. “Ela ficou muito impressionada com a capacidade técnica e resiliência dos enduristas brasileiros, lembra Dr. Guilherme, ressaltando o talento dos atletas no país. “Acredito que os brasileiros pelas condições que enfrentam nas competições em solo nacional estão muito bem preparados para competir no Exterior.”

Os cinco atletas brasileiros que vão participar do primeiro intercâmbio em 2022 no tradicional Concurso Internacional 1*, 2* e 3* de Enduro de Castelsagrat, na França, em 28 de maio, já estão selecionados. Embarcam do Brasil rumo à França: Artur Leonel Machado Ulsenheimer e João Pedro Bornia Antocheski, do Paraná, Diogo de Oliveira Martins, de Brasília, Helena Halland, de São Paulo e Rodrigo Storoni Saliba, de Minas Gerais, para competir na categoria Young Rider 1*, disputada na distância de 100 km.

Na prática, o programa de intercâmbio funciona da seguinte forma: jovens enduristas franceses irão ceder um cavalo aos brasileiros que, por sua vez, retribuirão aos franceses em uma competição no Brasil. “Decidimos pelo intercâmbio a prova de 100 km pela maior facilidade de disponibilizar um cavalo”, explica Dr. Guilherme. “Além da experiência de competir, os jovens praticam o companheirismo e estabelecem amizades. Ao mesmo tempo, os brasileiros também precisam cuidar de suas montarias, uma vez que em casa no Brasil muitas vezes esse cuidado fica mais a cargo dos tratadores”, acrescenta o veterinário.

Nesta nova etapa do projeto, aproveitando a experiência já adquirida dos ciclos anteriores, foi convidado a participar do programa o endurista André Vidiz. “O André participou de um dos primeiros programas de intercâmbio é um dos enduristas mais experientes do país e referência dentro no esporte. Foi da equipe medalha de prata de 2021 entre outras e tem muitas experiência e conhecimento para transmitir aos jovens enduristas”, completa Dr Guilherme.

em dúvida, outro ponto a se destacar no programa de intercâmbio é a possibilidade de competir internacionalmente sem muito custos. Em 1º de maio, os enduristas convocados para competir na França se encontraram na II Etapa do Campeonato Paulista de Enduro Equestre de 2022 no Haras Endurance em Bragança Paulista. “O projeto de intercâmbio de Young Riders de Enduro vem para melhorar o nível técnico dos cavaleiros bem como servirá para alavancar o nosso esporte e atrair novos adeptos à modalidade com a perspectiva de competir em alto desempenho tanto no Brasil como no Exterior”, reforça Marcelo Ulsenheimer, que assumiu a diretoria da modalidade na nova gestão da CBH no início de 2022 com Fernando Sperb na presidência.

Por: Assessoria de Imprensa CBH

Fotos: Acervo pessoal

Mais notícias no portal Cavalus

WordPress Ads
WordPress Ads