Internacional

Kaique Pacheco se junta a grupo de elite da PBR com 200 montarias válidas

Brasileiro, campeão mundial de 2018 pela PBR, é o atual terceiro colocado do ranking, pouco mais de 700 pontos atrás do líder José Vitor Leme; final mundial foi realocada

Kaique Pacheco tornou-se o 31° bullrider na história da PBR chegar a 200 montarias qualificadas na série premier. Antes de mais nada, a marca veio com em Billings, Montana, 18ª etapa da temporada 2020. O brasileiro parou em Game Changer e marcou 85 pontos. Em seguida já marcou sua montaria 201, com o terceiro lugar no 15/15 Bucking Battle e os 90 pontos em Marquis Metal Works Bill The Butcher.

Sobretudo, aos 25 anos, Kaique Pacheco é o 11° atleta mais jovem na história da PBR a atingir a marca de 200 montarias. Só para ilustrar, o mais jovem de todos foi o bicampeão mundial JB Mauney, aos 22 anos. Outros cinco alcançaram essa marca aos 24 anos: Justin McBride, Mike Lee, Kody Lostroh, LJ Jenkins e Austin Meier. Com a mesma idade de Kaique, Guilherme Marchi, Silvano Alves, Chris Shivers e Ross Coleman.

Desde 2014, quando começou a pontuar pela PBR nos Estados Unidos, Kaique Pacheco já montou em mais de 424 bois. Portanto, esse é o número de montarias que ele demorou até atingir as 200 válidas. De acordo com as estatísticas da PBR, uma ótima porcentagem. Além disso, Kaique tem dez notas na casa dos 90 pontos em sua carreira desde que venceu o Rookie of the Year em 2015.

Kaique Pacheco, campeão mundial de 2018 pela PBR, é o atual terceiro colocado do ranking, bate recorde de montarias; final mundial realocada
João Ricardo planeja pelo menos mais dois anos em alto nível

João Ricardo Vieira

Segundo lugar no ranking mundial no momento – 545,09 pontos a menos que o líder José Vitor Leme – João Ricardo Vieira tem perseguido a história durante toda a temporada 2020 da PBR. Desde que venceu o PBR Major de abertura da temporada em Nova York, ele está focado em conquistar seu primeiro título mundial. Se isso acontecer, ele entrará para os livros como o segundo campeão mundial mais velho na história ao se juntar ao tricampeão mundial Adriano Moraes, que foi campeão aos 36 anos.

O brasileiro entende que tem muito trabalho pela frente. Porém, diz que está simplesmente grato por ter a oportunidade de ganhar a vida fazendo o que ama. Acima de tudo, este ano, já que a pandemia da Covid-19 perturbou e afetou a vida de tantas pessoas em todo o mundo. “Está sendo muito difícil para o mundo. Por isso, eu vejo 2020 como um bônus. Poder ganhar dinheiro e ao rodeio, com toda a certeza, é algo de bom para nós”.

Com a parada dos eventos por conta da quarentena, João Ricardo perdeu quatro etapas quando optou por voltar para o Brasil com sua família. Em Março, ele estava apenas 93,75 pontos atrás do líder. E quando retornou a diferença já era maior que 270 pontos. “Mesmo que deseje o título, eu olho etapa por etapa, um passo de cada vez. Ser campeão mundial será uma consequência de uma boa temporada e consistência nas montarias”.

Ele não pensa em aposentadoria. Pretende continuar por pelo menos mais dois anos, a fim de completar dez classificações para a final mundial. “Meu corpo está em boa forma e se eu continuar montando bem, permaneço.”

At&T Stadium – Foto: Divulgação/Dallas News

Final mundial da PBR muda de data e local

A PBR anunciou com grande expectativa a mudança de data e local da World Finals 2020. De acordo com Sean Gleason, CEO da entidade, o evento que estava marcado a T-Mobile Arena em Las Vegas, de 4 a 8 de novembro, foi realocado para o AT&T Stadium, em Arlington, Texas, de 12 a 15 de novembro.

O motivo você já deve imaginar, são os reflexos da pandemia do novo coronavírus. A cidade de Las Vegas está com restrições mais severas para eventos com público, então a PBR, assim como a PRCA, optou por mudar o local e poder receber os fãs do esporte. Vale lembrar que a PBR World Finals oferece um bônus de US$ 1 milhão ao campeão mundial, além da cobiçada fivela de ouro.

As mudanças atingem ainda as finais do PBR Pendleton Whiskey Velocity Tour, decisão do campeonato da segunda divisão. Anteriormente marcadas para 31 de outubro e 1º de novembro, no South Point Arena em Las Vegas, agora serão realizadas no Denny Sanford PREMIER Center, em Sioux Falls, South Dakota, dias 6 a 7 de novembro.

O AT&T Stadium, a casa do Dallas Cowboys, não é estranho para os amantes da Montaria em Touros. A PBR, por exemplo, realiza eventos anualmente no local nos últimos dez anos. Inclusive, o estádio detém o recorde de público em etapas. Em um único dia recebeu mais de 46.000 fãs em fevereiro de 2018. O AT&T também realizou duas edições da PBR Global Cup USA, em 2019 e 2020.

Kaique Pacheco, campeão mundial de 2018 pela PBR, é o atual terceiro colocado do ranking, bate recorde de montarias; final mundial realocada
Três Tambores (foto), Breakaway e Team Roping entram na programação da final mundial da PBR

Campeonato Mundial Feminino

E não para por ai! A primeira final mundial WCRA/PBR só para as mulheres também foi afetada. O Women’s Rodeo World Championship foi dividido em dois momentos. A fase de classificatórias acontece no Will Rogers Coliseum, em Fort Worth, Texas, em 9 de novembro. Em seguida, as rodadas decisivas chegam à programação do AT&T Stadium, de 13 a 15 de novembro.

O campeonato mundial feminino será disputado em quatro disciplinas: Breakaway Roping, Barrel Racing e Team Roping (cabeça e pé). Não apenas a competição é histórica, como também a premiação. Serão premiadas com US$ 750.000,00. Sendo US$ 136.000,00 para distribuir entre as melhores e US$ 60.000,00 para cada campeã.

A programação inclui ainda a Final Mundial da ABBI – American Bucking Bull Inc.. Os melhores touros de 2 e 3 anos do mundo disputam o título mundial e US$ 100.000,00. Ah, e a PBR confirmou também que a próxima Global Cup será em Las Vegas, ainda sem data. Os fãs podem assistir tudo isso através da CBS Sports Network e do RidePass.com.

Há 26 anos a PBR acontece em Las Vegas, portanto, foi uma decisão difícil que a diretoria ponderou bastante antes de bater o martelo e dar preferência aos fãs. Lembrando ainda que a entrada deve ser restrita por conta das medidas de contenção para a não-propagação do vírus. Brasileiros ainda não poderão viajar para acompanhar, aguarda-se que o presidente Trump libere a entrada dos turistas.

Fonte: PBR
Tradução e adaptação: Luciana Omena

Crédito das fotos: BullStockMedia/
PBR

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

X