Internacional

Kaique Pacheco vence em Deadwood e diminui diferença de pontos para José Vitor Leme

Na mesma noite, João Ricardo Vieira venceu o Bucking Battle, sendo a sua sétima vitória nessa disputa

Publicado

⠀em

Kaique Pacheco vence em Deadwood e diminuiu diferença de pontos para José Vitor Leme

O final de semana rendeu para os brasileiros que estão na disputa pela PBR – Professional Bull Riders. Pela quinta vez na temporada 2021 da PBR Unleash The Beast (UTB), o Campeão Mundial da 2018, Kaique Pacheco ficou no topo da etapa que aconteceu em Deadwood, na Carolina do Sul.

Durante a competição, que ocorreu nos dias 25 e 26 de setembro, Pacheco parou nos três touros que encarou durante a disputa, e saiu com 100% de aproveitamento. No primeiro desafio, o competidor registrou 86,00 pontos em Shootist, terminando o round na sexta colocação. Já no domingo, na semifinal, foi o terceiro melhor com 86,75 em Air Tight Alibi, encerrando na sequência com 91,00 pontos a bordo de Medicine Man, a maior nota do round final.

Com isso, o brasileiro encerrou a rodada com 263,75 pontos e um cheque de U$26.019,33. Então, para o ranking mundial, Pacheco diminuiu a diferença entre o primeiro colocado, José Vitor Leme, que segue afastado das competições após uma lesão na virilha direita.

Agora, com 139,5 pontos acrescentados no ranking mundial, Kaique Pacheco mantém a segunda colocação, agora com 1.374 pontos, diferença de 726,50 do primeiro colocado.

João Ricardo Vieira

Ainda em Deadwood, João Ricardo Vieira foi quem levou a melhor no 15/15 Bucking Battle. Ele conquistou a sua sétima vitória nessa disputa, sendo o competidor com mais vitórias no 15/15 Bucking Battle.

O competidor, que teve a nona conquista para o Brasil, conseguiu 59 pontos para o ranking mundial. Agora, com 34,50 garantidos na etapa regular, Vieira sobe para a quarta colocação no ranking mundial com 912 pontos. Sendo assim, Dener Barbosa é agora o quinto colocado com 826,83 pontos.

Por fim, a última edição do Bucking Battle na temporada será em Greensboro, marcada para os dias 9 e 10 de outubro. Já ac PBR Unleash The Beast será em San Antonio, no Texas, nos dias 2 e 3 de outubro.

Fonte: PBR
Tradução e adaptação: Heloísa Alves
Crédito das fotos: Divulgação/Andy Watson – Bull Stock Media

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Internacional

Shawn Hays é o Maior Cavaleiro do Mundo

O 2024 World Greatest Horseman Championship faz parte da programação do NRCHA Celebration of Champions

Publicado

⠀em

Shawn Hays é o Maior Cavaleiro do Mundo

O World’s Greatest Horseman – que traduzindo de forma literal, quer dizer: Maior Cavaleiro do Mundo -, é um dos eventos mais aguardados no início de temporada da NRCHA – National Reined Cow Horse Association.

Celebra, entre outros, o cavaleiro e seu cavalo que, em um mesmo evento, competem em quatro diferentes provas. Mostram para os juízes, então, suas habilidades no trabalho de rebanho (cowhorse), trabalho de rédeas, trabalho com gado (apartação) e guia de parada (laço).

O World’s Greatest Horseman 2024 ficou para Shawn Hays e Moonshineandtwoadvil. Foram US$ 393 mil em prêmios, desse total, US$150 mil para o conjunto campeão, que somou 885.5 pontos. O segundo lugar foi para Body Rice, com Saddling At Sunrise, 884 pontos. Os maiores nomes do WCH americano estavam na disputa.

Shawn Hays é o Maior Cavaleiro do Mundo
Shawn Hays é o Maior Cavaleiro do Mundo

O caminho para chegar ao título de Maior Cavaleiro do Mundo

Durante as finais, no trabalho de rédeas, Shawn Hays usou tanta força em conjunto com Moonshineandtwoadvil, que seu chapéu quase caiu. Após sua corrida na cerca, Hays ficou tão animado que tirou o chapéu e o jogou para o céu.

Sua empolgação foi sentida por todo o Will Rogers Coliseum. Embora ninguém soubesse disso no momento, Shawn Hays e Moonshineandtwoadvil tinham acabado de se tornar campeões. Em sequencia, o conjunto marcou 221,5 (herd work), 225,5 (steer stop), 217,5 (rein work) e 224,5 (cow work). 

Foi a quarta participação do ‘Maior Cavaleiro do Mundo’ no evento, todas anteriores com erros que ele considerou aprendizado. Moonshineandtwoadvil, um castrado de 2104, filho de Metallic Cat e Little Short Stuff (por Shorty Lena), é de propriedade de Angela Massey, e está sob o comando do treinador desde quando tinha três anos.

O World Greatest Horseman faz parte do NRCHA Celebration of Champions, que aconteceu de 11 a 24 de fevereiro, no Will Rogers Memorial Center, em Fort Worth, Texas. O evento levou para pista ainda o World Championship Show (em 14 categorias) e o CowHorse Classic Derby. Para resultados completos, clique aqui.

Por Luciana Omena/Redação Cavalus
Crédito das fotos: Amy Olson/Cedida Quarter Horse News

Leia mais notícias internacionais aqui

Continue lendo

Internacional

Renata Nunes da Rosa segue a paixão do pai pela Montaria em Touros

A jovem vive nos Estados Unidos para ter mais oportunidades de competir no esporte que cresceu acompanhando de perto

Publicado

⠀em

Renata Nunes da Rosa segue a paixão do pai pela Montaria em Touros

Quando o pai foi campeão mundial de Montaria em Touros pela PBR – Professional Bull Riders, Renata Nunes da Rosa tinha cinco anos. Desde os três ela já competia em carneiro e cresceu acompanhando bem de perto esse mundo dos rodeios. Hoje, aos 19 anos, ela trilha seu próprio caminho no esporte.

Natural de Buritama, interior de São Paulo, Renata mora em Marietta, Oklahoma desde o começo do ano. Seu foco é crescer como competidora e já colhe frutos da sua dedicação. Seu pai é Renato Nunes, campeão mundial de Montaria em Touros pela PBR em 2010, hoje aposentado das competições.

Conversamos com ela, confira!

Renata Nunes da Rosa segue a paixão do pai pela Montaria em Touros
Renata e o pai, Renato Nunes, campeão mundial de Montaria em Touros PBR 2010

Portal Cavalus: Como foi crescer no meio do rodeio?
Renata Nunes da Rosa: Comecei a competir em rodeio de Carneiro com três anos de idade. Eu ia aos rodeios do meu pai e, nesses eventos, ele me levava pra montar também, nos carneiros, que é o rodeio infantil que muitos do Brasil também conhecem.

Portal Cavalus: Então, desde cedo você tem contato com a Montaria em Touros?
Renata Nunes da Rosa: Sim. Eu via meu pai montar, participava da vida dele, me incentivava a melhorar.

Renata Nunes da Rosa segue a paixão do pai pela Montaria em Touros
Renata se dedica aos treinos diariamente em busca de ser referência no esporte que ganhou seu coração

Portal Cavalus: E como foi desenvolvendo e evoluindo?
Renata Nunes da Rosa: Com meus 10 anos de idade, comecei a montar em mini boi, que é muito comum aqui nos Estados Unidos. Com 11 anos, fui morar no Brasil, porque meu pai aposentou. Fiquei no Brasil, montando em garrotes, treinando na Cia do meu pai, Nunes Bucking Bulls. E voltei esse ano para América, com 19 anos. Sigo treinando, com meu namorado Júlio Cesar Marques, e também com a ajuda do Guilherme Marchi, JW Hart. Sem contar o apoio do meu pai, que está no Brasil, me ajudando de longe. Um grande amigo meu, que me incentiva e foi meu companheiro de competições enquanto crescíamos, é o John Crimber.

Renata e John Crimber (atual número 2 do ranking mundial da PBR) cresceram juntos nos bastidores do rodeio e hoje trilham suas trajetórias profissionais

Portal Cavalus: Cite algumas competições e conquistas.
Renata Nunes da Rosa: Dos 3 anos aos 10 anos, ganhei quatro medalhas e uma fivela na competição de Carneiro. No mini boi, eu participei da final em Las Vegas, do MBR – Mini Bull Riders, em 2015. E agora, fui convidada para participar da final mundial feminina do Elite Lady Bull Riding, de 20 a 24 de março, em Beaumont, Texas.

Portal Cavalus: Como vê seu futuro na Montaria em Touros?
Renata Nunes da Rosa: Não estou em busca de ser famosa. Só quero ser boa no esporte que sou apaixonada, me dedico a isso. Não temos muitos rodeios femininos, mas o que tiver, quero estar praticando e competindo.

Siga e torça por ela @renatanunesrosa

Por Luciana Omena/Redação Cavalus
Crédito das imagens: Arquivo Pessoal

Leia mais notícias internacionais aqui

Continue lendo

Internacional

John Crimber vence seu primeiro evento Unleash The Beast e assume vice-liderança do ranking

Durante a etapa em Jacksonville, na Flórida, o jovem competidor consolidou sua vitória com uma montaria perfeita que rendeu 91 pontos

Publicado

⠀em

John Crimber vence seu primeiro evento Unleash The Best e assume vice-liderança do ranking

A corrida para a tão aguardada final da PBR – Professional Bull Riders segue agitada. Neste último final de semana, foi a vez de Jacksonville, Flórida, receber as montarias de alto nível e os melhores competidores da atualidade, com destaque para o jovem John Crimber.

O jovem, que tem dupla cidadania (americana e brasileira), teve uma largada eletrizante no início da competição, empatando na vitória do primeiro round ao montar Flatliner por 87 pontos.

Já no seu segundo round, John Crimber escolheu Border Crisis, com quem ultrapassou a posição exclusiva do primeiro lugar na tabela de classificação do evento, 87,75 pontos. Seguindo para o round final, João precisava apenas de 86,25 pontos para conquistar sua primeira vitória na liga principal da PBR.

Foi então que escolheu Doze You Down para entrar na VyStar Veterans Memorial Arena. Com a montaria, o jovem fenômeno alcançou os oito segundo com facilidade, conquistando nada menos que 91 pontos.

A montaria garantiu a ele sua primeira vitória na Unleash The Beast, sendo a sua segunda montaria na casa dos 90 pontos da temporada e terceira maior pontuação em todos os níveis de competição.

Vale lembrar que John Crimber faz sua temporada de estreia como profissional. Quando completou 18 anos começou a montar no Chalenger Series com sucesso, e logo chegou a elite.

Além do cheque de campeão, o atleta, filho do ex-bullrider Paulo Crimber, conquistou 148 pontos no ranking da Unleash The Beast, o que lhe rendeu o 2º lugar da classificação geral do Campeonato Mundial PBR de 2024, fincando a 295 pontos do nº 1, o brasileiro Cassio Dias.

John Crimber

John Crimber é filho de Paulo Crimber, ex-competidor de Montaria em Touros, que fez carreira nos Estados Unidos. Ao lado da mãe, Maria Amélia, e da irmã, Helena, ele começou a crescer no mesmo meio que o pai. Entretanto, em uma trajetória diferente, já que por morar na América passou por todas as etapas do rodeio escolar.

O jovem conquistou sua primeira grande vitória aos 14 anos e, pensando em ser um profissional no futuro, ele concorreu ao campeonato mundial da Miniature Bull Riders e foi campeão em 2019. Em 2022, o Portal Cavalus conversou com John Crimber, a entrevista completa você confere aqui.

Por Heloísa Alves/Portal Cavalus (Com informações da PBR)
Crédito da foto: Cortesia/Andy Watson/Bull Stock Media

Leia mais notícias internacionais aqui

Continue lendo

Internacional

Como a temporada 2024 de Cássio Dias se compara à temporada recorde de 2021 de José Vitor Leme

Cássio Dias é o atual número um do ranking mundial da PBR e vem fazendo uma participação emocionante durante todas as etapas

Publicado

⠀em

Como a temporada 2024 de Cássio Dias se compara à temporada recorde de 2021 de José Vitor Leme

Desde que a temporada 2024 começou para a PBR – Professional Bull Riders, os olhos se voltaram para os brasileiros na arena. E dessa vez, quem está colocando o Brasil no topo da disputa é Cássio Dias. O jovem mineiro é considerado uma das sensações da PBR neste ano e já vem há semanas liderando a disputa.

De acordo com a PBR, há muito tempo não se vê uma temporada como essa em que Cássio está atuando. Logo na metade da temporada, o brasileiro segue liderando o ranking do Campeonato Mundial, a série principal ‘Unleash The Beast’,, com 850,83 pontos.

José Vitor Leme x Cássios Dias

A PBR destaca que a temporada de 2021 de Leme é considerada a melhor que o esporte já viu, já que ele quebrou ou empatou seis recordes rumo ao segundo título mundial consecutivo. E, apesar de acreditar que não assistirão algo como aquela temporada, Cássio Dias está no caminho de vencer tantos eventos quanto Leme naquele ano.

O recorde de vitórias de eventos do Leme em uma única temporada parece ser o mais tênue. Na verdade, Leme compartilha esse recorde com o bicampeão mundial e técnico do Nashville Stampede, Justin McBride. Então, se Dias os igualasse, ele se juntaria a elite.

Uma observação interessante: Leme perdeu oito eventos devido a lesão em 2021, enquanto Dias ainda não ficou fora de nenhuma etapa nesta temporada. Se ele permanecer saudável, esse recorde deve ser observado à medida que nos aproximamos da Final Mundial da PBR de 2024, de 9 a 19 de maio, em Fort Worth, Texas.

José Vitor Leme

Comparação em números:

Porcentagem de montarias: 49 de 71 (69%) vs. 22 de 37 (59%)
Vitórias no evento: 8 vs.
Rodadas de 90 pontos: 24 vs.
Vitórias na rodada: 21 x 7
Rodada com maior pontuação: 98,75 pontos vs. 94,75 pontos
Pontuação média das rodadas: 89,82 pontos vs. 87,36 pontos

Se Cássio Dias continuar ganhando eventos, as chances são de que ele também continuará ganhando rodadas. Ele ainda tem terreno para recuperar se quiser pegar Leme nessa categoria.

Dias também poderia pegar Leme no departamento de porcentagem de montaria. Embora seus atuais 59% estejam decentemente atrás da porcentagem de 69% de Leme em 2021, Dias já provou que pode atuar com o bicampeão.

Durante a temporada de 2023 do PBR Camping World Team Series, os competidores obtiveram porcentagens idênticas de 71% de montaria – Dias fez 20 de 28, enquanto Leme fez 23 de 32 para ganhar seu segundo prêmio consecutivo de MVP da temporada regular.

Cassio Dias

Conclusão

Claro, a temporada da Unleash The Beast é duas vezes mais longa que a do PBR Teams. Manter esse nível de produção ao longo de sete meses é um grande feito que apenas os maiores cavaleiros de touros da história conseguiram realizar.

O recorde do Leme de mais rodadas de 90 pontos em uma temporada, entretanto, parece seguro. Até agora em sua carreira na PBR (uma temporada de Teams e metade de uma temporada UTB), Dias fez 10 montarias de 90 pontos.

Ele não parece ser exatamente o tão firme que sabemos que Leme é. No entanto, na primeira temporada completa de Leme na série principal, ele registrou apenas cinco montarias de 90 pontos. A melhor performance de Dias ainda pode estar à sua frente, o que deve causar medo no coração de todos os outros competidores.

Quando mudamos a conversa para a maior pontuação, os 98,75 pontos de Leme em Woopaa tendem a não ter adversário. Woopaa, que ajudou os atletas nas três montarias com maior pontuação na história da PBR, se aposentou. E ainda não temos outro touro ocupando o mesmo lugar em termos de pontuações altíssimas.

No fim de semana passado, em Los Angeles, porém, Dias tirou a invencibilidade de Man Hater, o touro líder do ranking no momento, que tinha a marca de 30 montarias sem que ninguém ficasse os 8 segundos. Marcou um novo recorde na sua carreira de 94,75 pontos. Vemos, então, que o potencial para pontuações enormes existe.

Concluindo, parece que Leme manterá o controle da melhor temporada de todos os tempos (20210. Mas o simples fato de outro competidor demonstrar que pode superar – um novato -, significa apenas coisas boas para o esporte de Montaria em Touros.

Nas cenas dos próximos capítulos dessa novela, Leme é questionável devido a uma lesão persistente na virilha, mas Dias estará em ação. A 13a. etapa da UTB acontece em Jacksonville, Flórida, dias 23 e 24 de fevereiro.

Por PBR (Tradução e adaptação: Heloisa Alves)
Crédito das fotos: Bull Stock Media/Cortesia PBR

 Leia mais notícias internacionais aqui

Continue lendo

Internacional

Danjer é celebrado Campeão Mundial de Corrida AQHA 2023

Mesmo após a sua morte, um dos cavalos de corrida mais talentosos que já apareceu nas pistas de velocidade, foi homenageado pela AQHA com seu segundo título de campeão mundial

Publicado

⠀em

Danjer é celebrado Campeão Mundial de Corrida AQHA 2023

Muitos proprietários, criadores e treinadores de cavalos de Corrida esperam ter um Campeão Mundial, mas apenas alguns chegam lá. Danjer realizou esse sonho de Dean Frey como criador, proprietário e treinador do cavalo castrado que ficou famoso por seus feitos nas pistas de corrida dos Estados Unidos.

Quando a notícia da morte de Danjer se espalhou em junho de 2023, muitas lágrimas foram derramadas, de acordo com a AQHA (associação americana do cavalo Quarto de Milha). Aos 7 anos de idade, ainda estava no auge, vencendo outros cavalos de ponta quando o portão se abria. No final do ano, mais lágrimas foram derramadas quando ele foi nomeado Campeão Mundial de Corrida 2023 American Quarter Horse Association.

Danjer é um alazão de 2016, filho de FDD Dynasty em Shez Jess Toxic (por Take Off Jess). Ele foi criado por Frey, que estava realizando seu sonho como criador, dividindo a propriedade com a Downtime Enterprises LLC (Pat Guthrie) e Billy G. Smith. Era Frey quem o treinava, para seu jóquei, Cody Smith, brilhar nas diversas conquistas.

Danjer é celebrado Campeão Mundial de Corrida AQHA 2023
Danjer é celebrado Campeão Mundial de Corrida AQHA 2023 – imagem Facebook AQHA

Os prêmios do Campeão Mundial de Corrida AQHA 2023

Melhor filho de todos os tempos do famoso garanhão FDD Dynasty, Danjer foi duas vezes nomeado Campeão Mundial de Corrida AQHA, 2021 e 2023. Na cerimônia de premiação, um dos momentos da gala de cada temporada entre os quartistas da Corrida, ele também foi nomeado 2023 champion aged gelding (campeão castrado) e champion aged horse (cavalo mais velho), elevando o total de títulos de campeão de sua carreira para oito.

Segundo o Stallion Search, Danjer fixou o SI em 120, com 22 vitórias em 35 corridas, entre outras classificações como segundo e terceiro lugares, somando um total de US$ 2.499.432,00 em ganhos na carreira. Além dos prêmios citados, ele foi AQHA Supreme Race Horse, campeão Sunland Park S.-G1, Debbie Schauf Remington Park Invitational Championship S.-G1, Albuquerque Championship H.-G1, Albuquerque Fall Championship-G1, Leo Stakes-G1, entre outros.

Danjer também é o terceiro maior ganhador de dinheiro de todos os tempos em Corrida e o único cavalo na história da modalidade a ultrapassar a marca de US$ 2 milhões em ganhos sem nunca ter vencido uma corrida com bolsa de sete dígitos.

Danjer é celebrado Campeão Mundial de Corrida AQHA 2023
Foto exclusiva da cerimônia – blog Haras Vista Verde

Outros ganhadores

A Cerimônia de Premiação dos Campeões Mundiais AQHA 2023 aconteceu em Oklahoma City, em 17 de janeiro. Premiou os melhores em diversas categorias. Por exemplo, como melhor criador, Steve Burns; melhor proprietário foi West Texas Racing Partnership; melhor treinador, Wesley Todd Giles; e melhor jóquei ficou para Francisco Calderon.

Houve ainda as premiações por idade dos cavalos: Cowboys Gun Z ganhou como melhor cavalo 2 anos de idade. Cyber Attack ficou com o prêmio de melhor cavalo 3 anos de idade. E, como dissemos acima, Danjer  foi celebrado como melhor cavalo mais velho, 4 anos ou mais. Todas essas categorias subdivididas também por melhor castrado, melhor macho, melhor fêmea.

Ademais, a AQHA sempre entrega alguns reconhecimentos especiais: o Millie Vessels Award foi para Robin Glenn; o John Andreini Award, para Larry Findley; e o Gordon Crone Award, ficou com Butch Wise. Assim como foram premiados os melhores cavalos mexicanos e canadenses, entre outros.

De acordo com o blog do Haras Vista Verde, esta foi a primeira vez em vários anos que não se reconheceu o Campeão Sul Americano, título que ficou para o Brasil em algumas ocasiões. Esse fato se deu por conta do fim do AQHA Racing Challenge América do Sul, prova que garantia a participação do vencedor da América do Sul na final americana.

Por Luciana Omena/Redação Cavalus
Crédito da foto de chamada: Divulgação/AQHA/
Dustin Orona

Leia mais notícias internacionais aqui

Continue lendo

Internacional

Cássio Dias vence mais uma etapa da PBR e amplia sua vantagem como líder mundial

Brasileiro marcou a sua quarta vitória na temporada e segue na busca do título de Campeão Mundial da Professional Bull Riders

Publicado

⠀em

Cássio Dias vence mais uma etapa da PBR e amplia sua vantagem como líder mundial

Los Angeles parou para ver mais uma perfeita montaria do brasileiro Cássio Dias. Natural de São Félix de Sales, Cássio, de acordo com a PBR, realizou a maior prova do esporte em dois anos.

Apesar disso, o brasileiro não começou muito bem, no sábado, o cowboy que faz parte do Kansas City Outlaws na liga separada PBR Teams, foi ao chão após 3s04. Mesmo assim, fez a sua reviravolta. Ele avançou na rodada do campeonato, voltando sua atenção para touro Man Hater que voltava às arenas na etapa de Los Angeles.

A bordo do touro, considerado um dos mais difíceis e temidos, Cássio apresentou uma bela montaria, o que lhe rendeu a pontuação mais alta da temporada da PBR: 94,75 pontos. Lembrando que a última montaria que rendeu essa pontuação em Los Angeles foi a do também brasileiro, José Vitor Leme, em 2022.

Com a apresentação, o touro Man Hater conquistou o título de ‘Touro do Evento YETI “Construindo para a Natureza” e uma pontuação de 46 pontos. De acordo com a PBR, antes de Cássio conseguir os 8s, Man Hater já havia derrubado mais de 30 cavaleiros consecutivos.

Vitória Cássio Dias

Cássio garantiu com a montaria, além de um cheque de US$ 50.856, 127 pontos para o Ranking Mundial da Unleash The Best. “Deus me deu forças para fazer tudo isso acontecer. Eu só quero levar isso no dia a dia. Ainda há muito terreno a ganhar e muitos eventos pela frente”, destacou Dias em entrevista à PBR.

Por fim, vale destacar que a próxima parada da PBR – Unleash The Best, que chega em sua 13ª etapa da temporada, será em Jacksonville, Flórida, no Vystar Veterans Memorial Arena.

Confira os cinco primeiros colocados do ranking atual da Unleash The Best:

Cássio Dias – 850.83 pontos
Austin Richardson – 533.50 pontos
John Crimber – 415.83 pontos
Eduardo Aparecido – 348.50 pontos
Koltin Hevalow – 345 pontos

O ranking completo pode ser acessado através do site da PBR.

Por Heloísa Alves/Portal Cavalus (Com informações da PBR)
Crédito da foto: Cortesia/Andy Watson/Bull Stock Media

Leia mais notícias internacionais aqui

Continue lendo

Internacional

Brasileiros não avançam na competição milionária The American Rodeo

Considerado um dos eventos mais aguardados da temporada de rodeio Estados Unidos, competição distribuirá mais de US$ 3 milhões em prêmios

Publicado

⠀em

Brasileiros não avançam na competição milionário The American Rodeo

O The American Rodeo avançou em mais uma etapa para a sua tão aguardada realização que ocorre nos dias 8 e 9 de março, no Globe Life Field, em Arlington, Texas. O rodeio milionário, produzido e organizado pela Teton Ridge, empresa de entretenimento do segmento western, distribuirá mais de US$ 3 milhões em prêmios.

Brasileiros no The American Rodeo

Entretanto, uma notícia triste para os brasileiros que acompanham a competição. Neste ano, estava na disputa Junior Nogueira, que já é bicampeão desse evento no Team Roping, sexto colocado no mundial da PRCA ano passado, passou pelas classificatórias do The American, chegou na final Nacional, mas não avançou.

Outros dois brasileiros também disputaram vaga, mas na modalidade de Touro. Warley de Oliveira da Silva, campeão de Barretos, e Christian Oliveira Silva, classificado pela Liga Nacional de Rodeio, também não avançaram.

Vale destacar que não houve mais brasileiros na disputa porque, pelo que soubemos, a Professional Bull Riders – PBR, proibiu os seus competidores de participar das classificatórias.

The American Rodeo

Desde que a competição foi assumida pela empresa Teton Ridge, o seu formato é mudado a cada ano, gerando uma incógnita e curiosidade para quem acompanha a prova. No ano passado, já haviam sido instituídas as etapas regionais, como uma espécie de semifinal classificatória. Para a edição de 2024, todos os competidores que participaram das provas ao longo do ano e conseguiram vaga, disputaram o seu regional.

O West Regionals aconteceu em Las Vegas, nos dias 12 e 13 de janeiro, já o Central Regionals, em Oklahoma City, foi de 18 a 20 de janeiro e por fim, o East Regionals, em Lexington, de 25 a 27 do mesmo mês. De cada um deles, cinco competidores por modalidade ganharam chance de competir o que os organizadores chamaram de final Nacional, dia 10 de fevereiro, a última chance de vaga para o evento milionário. Dessa final, apenas cinco vagas por modalidade para o The American, em Arlington.

Em anos anteriores, durante o evento aconteciam as últimas provas classificatórias. Pela programação desse ano, serão apenas o The American Performance Horse no dia 8 de março, e o American Rodeo no dia 9, com apenas dez competidores por modalidade.

Pelo formato dos últimos anos, deve haver uma rodada com os dez e depois uma decisiva entre os quatro melhores. Vale U$1 milhão em prêmios para os campeões, e ainda um bônus de U$ 1 milhão se algum dos ganhadores ganhou a vaga através das classificatórias.

Como em todos os anos, o evento convida os melhores colocados dos principais rankings. Antes entrava PBR, mas agora não mais, somente os cinco melhores do ranking mundial da PRCA foram convidados.

Por Heloisa Alves/Portal Cavalus
Colaboração: Luciana Omena
Fotos: Reprodução/Facebook The American Rodeo

Leia mais notícias internacionais aqui

Continue lendo

Internacional

Pesquisa aponta um impacto econômico equino de US$ 177 bilhões em 2023 nos EUA

De acordo com o site Quarter Horse News, os resultados esclarecem as contribuições significativas e robustas da indústria equina para a economia dos EUA

Publicado

⠀em

Pesquisa aponta um impacto econômico equino de US$ 177 bilhões em 2023 nos EUA

As conclusões da tão aguardada Pesquisa de Impacto Econômico Equino de 2023 foram oficialmente divulgadas pelo American Horse Council (AHC). Os resultados esclarecem as contribuições significativas e robustas da indústria equina para a economia dos EUA. A pesquisa oferece uma visão abrangente do impacto econômico e das tendências no setor equino e destaca como este vai muito além das pastagens e fazendas em todo o país.

Os principais destaques da pesquisa incluem:

  1. Diversos setores econômicos impactados: US$ 177 bilhões. Esse é o valor agregado total da indústria equina em 2023, acima dos US$ 122 bilhões em 2017. O efeito cascata da indústria equina estende-se para além dos setores tradicionais, influenciando um amplo espectro de indústrias. Da agricultura e turismo aos serviços veterinários e tecnologia, a pesquisa mostra a interligação do mundo equino com outros domínios económicos
  2. Impulso do Emprego: O estudo revela um impacto substancial no emprego, com 2,2 milhões de empregos ligados direta e indiretamente ao setor equino. Não estão representados apenas criadores, treinadores, veterinários e ferradores, mas também caminhoneiros, nutricionistas, químicos, policiais e jornalistas.
  3. Ligeira redução na população: Embora haja uma ligeira redução na população total de cavalos de 2023 (6,6 milhões) em comparação com 2017 (7,2 milhões), isso é apenas uma ligeira consideração quando comparado com os números crescentes em empregos e despesas.

O objetivo da pesquisa é demonstrar o valor da indústria equina nas economias nacionais e estaduais, analisando os impactos econômicos diretos, indiretos e induzidos da propriedade de cavalos, recreação e serviços relacionados com equinos.

Os dados recolhidos irão informar os investimentos públicos e privados em negócios relacionados com equinos, cuidados de saúde equinos, educação, decisões sobre o uso da terra, política fiscal, turismo, incentivos ao emprego, etc.

A AHC expressa a sua gratidão a todos os participantes, partes interessadas e parceiros que contribuíram para o sucesso da Pesquisa de Impacto Económico Equino de 2023. Os resultados não só sublinham a importância económica da indústria, mas também servem como base para a tomada de decisões informadas e o planeamento estratégico dentro da comunidade equina.

“O Estudo de Impacto Económico é a ferramenta mais eficaz na nossa aljava de defesa”, afirma Julie Broadway, presidente da AHC. “Quando a indústria precisa focar em uma questão, esses dados são inestimáveis para nos ajudar a traçar o quadro das contribuições que a indústria faz e a amplitude e profundidade de sua composição”.

Mais informações sobre o Estudo de Impacto Econômico Equino de 2023 podem ser encontradas aqui: https://horsecouncil.org/economic-impact-study/.

Fonte: Quarter Horse News
Tradução e adaptação: Heloisa Alves/Portal Cavalus
Imagens: Reprodução/Pexels

 Leia mais notícias aqui

Continue lendo

Internacional

Budweiser retorna com os amados Clydesdales no Super Bowl

Os Clydesdales se tornaram os favoritos do Super Bowl, aparecendo nos comerciais que apoiam a extravagância da NFL em 45 ocasiões diferentes

Publicado

⠀em

Budweiser retorna com os amados Clydesdales no Super Bowl

Os amados Budweiser Clydesdales estão fazendo um retorno triunfante ao Super Bowl durante a transmissão de The Big Game da CBS no domingo (11). E o pessoal da Anheuser-Busch quer que o mundo saiba que o público verá muito mais cavalos robustos do que nos últimos anos.

Budweiser Clydesdales

Em 2023, por exemplo, os Clydesdales fizeram apenas uma aparição fugaz em um comercial que foi veiculado apenas em alguns mercados locais durante o Super Bowl LVII – um forte contraste com o anúncio de 2022 dirigido pela vencedora do Oscar Chloé Zhao (Nomadland).

Mas, este ano, de acordo com um anúncio da Anheuser-Busch, “a Budweiser e os icônicos Clydesdales estão de volta com uma mensagem atemporal de resiliência, determinação e união tomando uma cerveja. O comercial está enraizado nas cenas, nas histórias e na magia da tela que moldaram o legado da marca como uma das principais anunciantes de todos os tempos

“A Budweiser Clydesdales também desempenhará um papel fundamental em Las Vegas, encantando os consumidores e representando a herança de longa data da Anheuser-Busch e da Budweiser”, destaca a empresa.

Quanto ao comercial em si, podemos dizer que é um clássico instantâneo na tradição da Budweiser. Efetivamente sublinhado pela música de assinatura da The Band, “The Weight”, o comercial – intitulado “Old School Delivery” – ilustra a robustez dos poderosos equinos enquanto eles enfrentam os elementos e, com uma pequena ajuda de um amigável Labrador Retriever, entregam sua marca registrada para moradores sedentos de uma cidade coberta de neve.

“A Budweiser é sinônimo de Super Bowl há décadas”, disse Kristina Punwani, chefe de marketing, em comunicado, para ela, a transmissão continua a ser um momento muito especial para a marca e um pilar central da estratégia publicitária. “Sabíamos que não havia melhor maneira de mostrar o compromisso contínuo da Budweiser em entregar aos seus fãs do que com as nossas maiores celebridades”.

Fonte: Cowboys & Indians
Foto: Reprodução/Internet

 Leia mais notícias aqui

Continue lendo

Internacional

Confira o ano inacreditável de duas lendas dos Três Tambores

Brittany Pozzi Tonozzi e Kassie Mowry ganharam mais de US$ 1 milhão em 2023, de acordo com o conceituado Equistat, PRCA e BFA

Publicado

⠀em

O ano inacreditável de duas lendas dos Três Tambores

Elas são duas lendas dos Três Tambores. Vencedoras e veteranas, nomes fortes entre os treinadores de cavalos da modalidade. Poderiam já ter conquistado tudo e ‘tirado o pé do acelerador’, mas continuam nos holofotes do esporte, ano após ano.

Brittany Pozzi Tonozzi, atual campeã mundial de Três Tambores PRCA/WPRA, e Kassie Mowry, terceira melhor amazona ano passado pela PRCA/WPRA, ganharam mais de US$ 1 milhão em 2023, de acordo com o conceituado ranking estatístico Equistat, com a própria PRCA e com o Barrel Futurities of America (BFA).

Para Brittany, foram US$ 1.486.984,00 em ganhos na temporada passada, enquanto para Mowry, o saldo ficou em US$ 1.161.404,00. Valores que se juntam ao total de ganhos delas ao longo da carreira. Brittany agora soma mais de $5,1 milhões e Mowry, mais de $6,7 milhões.

O ano inacreditável de duas lendas dos Três Tambores
Britanny Pozzi Tonozzi e Jets Top Gun, em Las Vegas ano passado, selando o título de campeões mundiais

Quem são elas no circuito dos Três Tambores?

Nascida em 9 de fevereiro de 1984, em Victoria, Texas, Britanny Pozzi Tonozzi mora hoje em Lampasas, Texas, com o marido, o laçador Garrett Tonozzi, e a filha Tinlee. Na PRCA desde 2003, ela dedica seus dias aos rodeios do campeonato mundial, assim como participa de provas de potros por todo os Estados Unidos.

Confirmou seu terceiro título mundial PRCA/WPRA (2007, 2009, 2023) por antecipação, com duas rodadas de antecedência, em dezembro de 2023, em Las Vegas. Uma das mais premiadas  competidoras de Três Tambores de todos os tempos, Pozzi atingiu a marca dos US$ 3 milhões em ganhos só pela PRCA por sua performance na temporada passada.

Chegou à NFR liderando, com mais de $270 mil em ganhos, e levou sua fivela de ouro ao somar $496 mil, um recorde para a modalidade no campeonato. Além de ganhar alguns dos mais lucrativos rodeios da temporada, como Reno, Calgary, Dodge City, Ellensburg, Caldwell e Puyallup, ela quebrou recordes e ‘sobrou’ por onde passou.

O ano inacreditável de duas lendas dos Três Tambores
Kassie Mowry e Force The Goodbye durante a nona rodada da NFR 2023, em que venceram

Kassie Mowry é contemporânea de Pozzi. Nasceu em 11 de março de 1982, em Corona, Califórnia, e hoje mora em Dublin, Texas. Está na PRCA desde 2003 e, mesmo estando todo esse tempo como membro, tem se dedicado mais as rodeios nos últimos anos. 2023 foi sua quarta qualificação para a NFR (as outras foram em 2005, 2017 e 2022) e ela busca o título mundial.

Mowry é a maior ganhadora de dinheiro de todos os tempos em Três Tambores, fazendo sua carreira treinando potros. Sem dúvida, uma das treinadoras de potros mais conceituadas dos Estados Unidos.

Na PRCA, ano passado, de sexta melhor do mundo, encerrou o ano como a terceira melhor, somando $322.592,71 na temporada e foi a terceira melhor na soma de tempos da NFR, 141s20, montando Force The Goodbye (Jarvis).

Por Luciana Omena/Portal Cavalus
Fonte: Barrel Racing Report, PRCA, Barrel Horse News
Crédito das fotos: Cedidas/Divulgação/Springer

Leia mais notícias internacionais aqui

Continue lendo