Internacional

Kaique Pacheco vence em Deadwood e diminui diferença de pontos para José Vitor Leme

Na mesma noite, João Ricardo Vieira venceu o Bucking Battle, sendo a sua sétima vitória nessa disputa

Publicado

⠀em

Kaique Pacheco vence em Deadwood e diminuiu diferença de pontos para José Vitor Leme

O final de semana rendeu para os brasileiros que estão na disputa pela PBR – Professional Bull Riders. Pela quinta vez na temporada 2021 da PBR Unleash The Beast (UTB), o Campeão Mundial da 2018, Kaique Pacheco ficou no topo da etapa que aconteceu em Deadwood, na Carolina do Sul.

Durante a competição, que ocorreu nos dias 25 e 26 de setembro, Pacheco parou nos três touros que encarou durante a disputa, e saiu com 100% de aproveitamento. No primeiro desafio, o competidor registrou 86,00 pontos em Shootist, terminando o round na sexta colocação. Já no domingo, na semifinal, foi o terceiro melhor com 86,75 em Air Tight Alibi, encerrando na sequência com 91,00 pontos a bordo de Medicine Man, a maior nota do round final.

Com isso, o brasileiro encerrou a rodada com 263,75 pontos e um cheque de U$26.019,33. Então, para o ranking mundial, Pacheco diminuiu a diferença entre o primeiro colocado, José Vitor Leme, que segue afastado das competições após uma lesão na virilha direita.

Agora, com 139,5 pontos acrescentados no ranking mundial, Kaique Pacheco mantém a segunda colocação, agora com 1.374 pontos, diferença de 726,50 do primeiro colocado.

João Ricardo Vieira

Ainda em Deadwood, João Ricardo Vieira foi quem levou a melhor no 15/15 Bucking Battle. Ele conquistou a sua sétima vitória nessa disputa, sendo o competidor com mais vitórias no 15/15 Bucking Battle.

O competidor, que teve a nona conquista para o Brasil, conseguiu 59 pontos para o ranking mundial. Agora, com 34,50 garantidos na etapa regular, Vieira sobe para a quarta colocação no ranking mundial com 912 pontos. Sendo assim, Dener Barbosa é agora o quinto colocado com 826,83 pontos.

Por fim, a última edição do Bucking Battle na temporada será em Greensboro, marcada para os dias 9 e 10 de outubro. Já ac PBR Unleash The Beast será em San Antonio, no Texas, nos dias 2 e 3 de outubro.

Fonte: PBR
Tradução e adaptação: Heloísa Alves
Crédito das fotos: Divulgação/Andy Watson – Bull Stock Media

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Internacional

Quinto round não trouxe glórias aos brasileiros na NFR

Nenhum dos dois conseguiu pontuar na noite. Junior continua no primeiro lugar na classificação geral, já Marcos Costa se encontra apenas no 11° lugar

Publicado

⠀em

A noite do quinto round não foi muito boa para a os brasileiros Junior Nogueira e Marcos Alan Costa na National Finals Rodeo (NFR), em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Competindo na modalidade de Team Roping, os laçadores Junior Nogueira e Kaleb Driggers não conseguiram uma boa classificação, ficando apenas na 11° colocação, com 14s7 e não acrescentando valores no round.

Ainda assim, mesmo com o resultado ruim, o laçador brasileiro continua no primeiro lugar do ranking final com US$ 198.144.88, seguido por Jade Corkill, com US$ 163.678.27 e Travis Graves com US$ 155.592.82.

Para a sorte do brasileiro, o segundo e terceiro colocados também não pontuaram no quinto round, não mexendo na ordem do ranking.

Contudo, a dupla campeã do quinto round foi Coleman Proctor e Logan Medlin, seguidos por Rhen Richard com Jeremy Buhler e Clay Tryan com Jake Long.

Vida nada tranquila para Marcos Costa

A princípio, a noite também não foi boa para o laçador Marcos Costa. Competindo na modalidade de Tie-Down Roping, o competidor conseguiu laçar o boi com 8s6, 1s3 a mais que o primeiro colocado Marty Yates, terminando o quinto round em sétimo lugar.

Além disso, foi uma noite bem competitiva para a modalidade, com empate no segundo lugar entre os laçadores Caleb Smidt e John Douch, ambos com 7s9, faturando US$ 18.724 cada um.

Além disso, outra dupla também empatou. Os Laçadores Tuf Cooper e Cory Solomon, bateram 8s2, conquistando o quinto lugar e faturando US$ 11.321 e US$ 5661 respectivamente.

Agora, se o campeonato acabasse hoje, Marcos Alan Costa terminaria em 11° lugar com US$ 135.063.01, US$ 77.013.33 a menos que o primeiro colocado Shane Hanchey (US$ 212.076.43).

A segunda colocação é de Caleb Smidt (US$ 210.467.71), seguido por Shad Mayfield (US$ 195.909.77).

Por: Camila Pedroso

Fotos: Divulgação

Mais notícias internacionais no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

Júnior Nogueira e Kaleb Drigger fecham o quarto round em primeiro lugar

Dupla laçou em 4s1, 0s3 a menos que os segundos colocados Dustin Egusquiza e Travis Graves

Publicado

⠀em

Junior Nogueira, o Testinha, fecha o domingo com chave de ouro na National Finals Rodeo (NFR), em Las Vegas, nos Estados Unidos. Ele e sua dupla Kaleb Driggers terminaram o quarto round em primeiro lugar. Os laçadores realizaram suas laçadas em 4s1, 0s3 a frente dos segundos colocados, Dustin Egusquiza e Travis Graves, e faturaram o primeiro lugar da noite, somando US$ 26.997 nos rankings de cada um dos laçadores.

Com o feito, Junior Nogueira se distancia ainda mais do segundo colocado no ranking final. Testinha já conquistou US$ 198.144.88, US$ 34.466.61 a mais que o segundo colocado Jade Corkill (US$ 163.678.27) e US$ 42.552.05 a mais que o terceiro colocado Travis Graves (US$ 155.592.83).

Nogueira e Driggers são os primeiros na média, com um tempo de 18s20 em quatro cabeças, apenas 0s3 a frente de Clay Smith e Jade Corkill, que estão em segundo na média e em terceiro e segundo na classificação mundial da PRCA, respectivamente, com US$ 163.678,27 cada. Smith e Corkill ficaram com 5s0 na quarta rodada e não se classificaram na primeira noite desta semana. 

Frosty Pepto de Kiehne

Testinha participa da NFR montado em Frosty Pepto de Kiehne (Pepto Bluelena x Kiehnes Frosty Blue).

Castrado e com 11 anos de idade, o cavalo é parceiro de Junior desde 2019, quando Driggers o conheceu na propriedade de Kenny Brown, de Maryland.

Nogueira conta que seu parceiro soube que Brown estava com o cavalo e como estava com o tornozelo quebrado, não poderia trabalhar com ele. Brown enviou alguns vídeos de Frosty a Driggers, que percebeu que o animal seria perfeito para fazer dupla com Juninho – era dócil, fácil de trabalhar e atlético.

Junior comprou o animal sem vê-lo ou experimentá-lo. Mandou um caminhão para a casa de Brown e só viu o animal quando ele chegou a sua casa.

Em entrevista ao Team Roping Jounal, o laçador afirmou as qualidades do animal. “Ele é muito bom em tudo o que faz. Quanto mais montamos, melhor ele fica”, afirmou.

Marcos também comemorou o quarto round

Marcos Alan Costa pontuou pela segunda noite consecutiva, recuperando o oitavo lugar no ranking final da categoria Tie-Down Roping.

Com o tempo de 8s1, o laçador terminou o quarto round em quinto lugar, somando US$ 6.967.

O primeiro colocado da noite foi Shad Mayfield, com 7s6, (0,5s a menos que Marcos) somando US$ 26.997.

Contudo, se o campeonato acabasse hoje, Shane Hanchey seria o grande campeão com US$ 121.076.43, seguindo por Shad Mayfield com US$ 195.909.77 e Caleb Smidt com US$ 191.744.00.

Agora, Marcos está na oitava posição, com US$ 135.063.01, US$ 13.986,58 a menos que o primeiro colocado, ainda com chances de vencer o campeonato.

Por: Camila Pedroso

Fonte: Team Roping Journal/ ProRodeio

Fotos: Team Roping Jounal

Mais notícias internacionais no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

Ganhos dos brasileiros na PBR atingem a segunda melhor marca do país no campeonato

Valores ficaram abaixo de 2018, ano com valores oferecidos maiores que os desta temporada

Publicado

⠀em

José Vitor Leme mantém a liderança da PBR após vitória em Cheyenne

Um levantamento realizado pelo Portal Rodeio SA e a Agência PrimeComm apontou que os brasileiros faturaram US$ 3.713.330,68 em prêmios nas etapas da Unleash The Beast, as provas de elite da Word Finals da Professional Bull Riders – PBR, a segunda maior marca dos brasileiros no campeonato.

Nesta temporada, brasileiro José Vitor Leme conquistou o seu bicampeonato mundial. Além de Leme, outros sete brasileiros ultrapassaram a marca de US$ 100 mil em premiações e outros cinco faturaram ao menos US$ 50.

Atualmente, a lista de maiores ganhos de 2021 é liderada pelo peão José Vitor Leme que, somando o bônus pelo segundo título mundial, fechou a temporada com US$ 1.827.905,40 nas etapas da Unleash The Beast, marca que estabeleceu o novo recorde de premiação obtida na principal divisão em uma mesma temporada, superando o recorde anterior de Jess Lockwood que faturou mais de US$ 1,7 milhões em prêmios em 2019.

Confira como foram as provas

A lista de brasileiros que mais faturaram conta ainda com Kaique Pacheco, em segundo lugar, que totalizou US$ 477.8880,67, seguido de João Ricardo Vieira (US$ 182.724,16), Maurício Moreira (US$ 176.970,87) e Dener Barbosa (US$ 149.973,32).

Analogamente, vale destacar que em 2018, quando foi estabelecido o recorde histórico de brasileiros na PBR, o faturamento deles foi de US$ 3.836.898,60 nas etapas da principal divisão. Reforçando que em 2021, a premiação total da temporada foi menor se comparada à 2018, demostrando um índice de aproveitamento muito superior dos brasileiros neste ano.

A PBR Unleash The Beast, principal liga de montaria em touros do mundo, foi realizada em Las Vegas (EUA) entre os dias 3 e 7 de novembro.

Confira o ranking mundial ao fim da temporada:

1 – José Vitor Leme
2 – Kaique Pacheco
3 – Cooper Davis
4 – João Ricardo Vieira
5 – Mauricio Gulla Moreira
6 – Boudreaux Campbell
7 – Dener Barbosa
8 – Derek Kolbaba
9 – Eli Vastbinder
10 – Silvano Alves

Por: Camila Pedroso

Fotos: Divulgação/André Silva Photo

Mais notícias internacionais no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

Terceiro round da NFR traz recuperação de Marcos Alan Costa

Peão finalmente pontua, terminando a noite em sexto lugar. Junior Nogueira segue rumo ao título, conquistando a quinta colocação

Publicado

⠀em

O terceiro round da National Finals Rodeo (NFR), em Las Vegas, nos Estados Unidos foi de recuperação para o laçador Marcos Allan Costa. Disputando as provas de Tie-Down Roping, ele finalmente conseguiu pontuar nas disputas, terminando a noite no sexto lugar, com 8s3, somando US$ 4.354.

Todavia, com o resultado, Marcos Alan caiu para a 9° posição no ranking, com US$ 128.096.5.

O primeiro lugar do round três ficou com Caleb Smidt, com 7s1, somando US$ 26.997.

Agora, se o campeonato terminasse hoje, Shane Hanchey seria o grande campeão da modalidade, com US$ 212.076.43, seguido por Caleb Smidt com US$ 173.20.29 e Shad Mayfield US$ 168.912.80.

Rumo ao título inédito

Já Junior Nogueira continua firme em seu caminho rumo ao título inédito. No round três do Team Roping, ele e sua dupla Kaleb Driggers laçaram o boi em 4s9, somando US$ 6.967, ficando com a quinta colocação.

O primeiro lugar da noite ficou com a dupla Rhen Richard e Jeremy Buhler com 4s2, somando US$ 26.997.

Contudo, se o campeonato acabasse hoje, o pezeiro seria o grande campeão com US$ 171.147.91, seguido por Jade Corkill US$ 163.678.27 e Paden Bray US$ 148.273.23.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Divulgação

Mais notícias internacionais no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

Junior Nogueira começa bem nos primeiros dois rounds da NFR

Marcos Costa não teve a mesma sorte e não pontuou nas primeiras noites

Publicado

⠀em

A primeira noite de provas da Wrangler National Finals Rodeo, no recinto Thomas & Mack Center, em Las Vegas, contou com um bom resultado para o laçador Júnior Nogueira, na provas de Team Roping.

Ao lado de Kaleb Driggers, ele laçou seu boi em 4s6, faturando US$ 16,111 mil cada. A dupla ficou na terceira colocação no round.

Com resultado, Junior manteve a primeira posição entre os heelers (pezeiros) do mundial, acumulando US$ 159,826 mil com o que ele já tinha ganho durante as etapas regulares. Ele ficou US$ 11,553 mil na frente do segundo colocado, o texano Paden Bay.

Nesta rodada, a dupla Tyler Wade e Trey Yates atingiu o primeiro lugar com o tempo de 4s conquistando US$ 26.997.

Já Marcos Allan Costa, no Tie-Down Roping, não teve a mesma sorte. Laçou o boi com 11s2, ficando apenas no 13° lugar e, assim, não premiando neste round. Com o resultado, ele caiu uma posição no ranking mundial, ficando em sétimo lugar.

O primeiro lugar da noite ficou com Shane Hanchey, com 7s4, somando UU$ 26.997.

Segundo round

A dupla Junior Nogueira e Kaleb Driggers, competindo no Team Roping, ficou na sexta colocação no round 2. Com o tempo de 5s5, os laçadores somaram US$ 4.354, cada.

A dupla Dreeick Begay e Brady Minor finalizaram a noite em primeiro lugar, com o tempo de 3s9, somando US$ 26.997 cada.

Marcos Allan novamente não teve uma boa noite de provas no segundo round. O laçador concluiu a rodada com 22s1, ficando em penúltimo lugar e não somando nenhum valor a sua carteira.

Shad Mayfield, com o tempo de 7s2, somou US$ 26.997 a sua carteira, conquistando o primeiro lugar do round

Classificação geral

Se as provas terminassem hoje, no Mundial de Laço Pé), Team Roping Heelers, Junior Nogueira terminaria em primeiro lugar com US$. 164.180.95, seguido por Paden Bray com US$ 148.273.23 e Jade Corkill US$ 142.341.95.

No Tie-dow Roping, Shane Hanchey soma US$ 212.076.43, ocupando a primeira colocação, seguido por Shad Mayfield com US$ 168.912.80 e Caleb Smidt com US$ 146.023.32.

Marcos Costa ocupa a 9° posição com US$ 123.741.70 acumulados.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Divulgação

Mais notícias internacionais no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

Marcos Costa recebe premiação de Melhor Animal do Laço Individual no prêmio Nutrena Horse of the Year de sua companheira “Paraguaia” – Sort a Popular

Égua Quarto de Milha foi eleita a melhor do ano AQHA/PRCA

Publicado

⠀em

A noite de ontem foi especial para Marcos Alan Costa e sua égua Sort a Popular, mais conhecida como Paraguaia. O laçador recebeu o troféu Nutrena Horse of the Year – Melhor Animal do Ano, premiação promovida pela PRCA em parceria com a AQHA. A premiação foi entregue no MGM Grand Las Vegas, durante um jantar especial de entrega das premiações dos melhores do ano.

Todos os anos, ao final da temporada regular do campeonato mundial de rodeio da Profissional Rodeo Cowboys Association, os próprios competidores de cada uma das modalidades votam para definir o melhor animal da temporada. E Paraguaia foi a mais votada do Tie-down Roping.

“Estou extremamente feliz por minha grande égua ser eleita Horse of the Year AQHA/PRCA 2021. Ela é extremamente especial para mim e minha família”, comemora o laçador brasileiro. Com Paraguaia, o treinador foi campeão mundial PRCA, campeão da NFR, Top Gun Award 2017 em Laço Individual, entre outros títulos importantes.

“Ela tem sido uma bênção para minha carreira e o melhor cavalo em que já montei”, complementa.

Paraguaia, é Filha do garanhão Popular Resortfigure. Égua da raça Quarto de Milha, é a companheira de títulos do laçador nas arenas norte-americanas.

História de sucesso

A trajetória de sucesso de Marcos Alan Costa e Paraguaia se iniciou em 2016, ano que se classificaram para a National Finals Rodeo. Sort a Popular ficou em segundo lugar na votação de Animal do Ano.

No ano seguinte, 2017, o conjunto venceu o campeonato mundial no Laço Individual, se colocando de uma vez por todas entre os melhores do mundo.

Nos anos seguintes, 2018 e 2019, o laçador lutou contra lesões no seu joelho, que o tiraram do meio. Depois de duas cirurgias, em 2020, voltou a competir o circuito mundial com mais regularidade, mas não conseguiu pontuação suficiente para participar da NFR.

Em 2021, de volta à elite da PRCA, Marcos Alan Costa conquistou seis vitórias e ficou outras 21 vezes no Top 5, totalizando US$ 113.741.70 mil. Classificou em sexto do ranking de Tie-down Roping, com chances reais de um novo título mundial.

“Foi um ano muito desafiador, mas por causa da Paraguaia estou voltando para a NFR. No meu último rodeio do ano, em Salinas, Califórnia, ela me ajudou a ganhar”, reforça Marcos Alan. Esse é um dos rodeios mais cobiçados do circuito e foi decisivo para a classificação final na temporada regular da PRCA para o brasileiro.

Histórico da premiação

Realizada pela PRCA desde 1989, a votação de Horse of the Year concede um prêmio em dinheiro e um troféu de bronze ao melhor animal de cada modalidade. A eleição é feita através da votação dos 25 primeiros competidores de cada categoria no ranking da PRCA.

Por: Camila Pedroso/Luciana Omena /Abner Henrique

Fonte: @rodeiosa/@ProRodeo

Fotos: Divulgação

Mais notícias internacionais no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

National Finals Rodeo terá transmissão pelo canal Terra Viva

Serão dois dias de transmissão ao vivo, hoje (2) com o Round de abertura do evento e o Round Final no sábado, 11. Diariamente, público poderá acompanhar a rodada anterior com retransmissão a partir das 13h

Publicado

⠀em

Ótima notícia para os apaixonados pelo Rodeio! O canal Terra Viva vai transmitir em português as provas do 63° Wrangler National Finals Rodeo, NFR, a grande Final da Temporada da PRCA – ProRodeo Cowboys Association, que será realizada entre os dias hoje (2) e 11 de dezembro.

Serão dois dias de transmissões ao vivo, hoje (2), com a abertura e no dia 11 com as finais. Os outros dias serão televisionados todos os dias, das 13 às 15h, em todos os canais do grupo Terra Viva.

Segundo explicou a diretora do canal Cris Bertelli, o sinal retransmitido será o do Cowbol Channel, uma parceria inédita entre o canal e a Terra Viva.

“Teremos dois dias ao vivo, hoje (2) e 11, a partir das 22h30 e os outros uma retransmissão no dia seguinte, a partir das 13h, com todas as emoções que ocorreram na noite anterior”, explica.

Bancada de peso

A apresentação do 63° Wrangler National Finals Rodeo ficará a cargo de Esnar Ribeiro com comentários de Abner Henrique Therézio.

Ex-competidor de Montaria em Touros, Esnar tem mais de 35 anos de experiência em Rodeios, atuando em diversas áreas. 

Um dos principais nomes da atualidade, Esnar foi um dos pioneiros na atuação como comentarista técnico de Rodeio. Possui experiência na apresentação de provas em várias emissoras e atualmente é apresentador do programa Liga Nacional de Rodeio, exibido semanalmente pelo canal Terra Viva.

Abner é empresário e desenvolvedor do projeto “Mapa do Rodeio Brasileiro”, em que faz um levantamento inédito da quantidade de Rodeios realizados no Brasil.

Já atuou em diversos veículos especializados como Revista É Rodeio, sites Rodeio Magazine, Portal Cavalus, Canal Thiago Arantes, entre outros, além de manter um site próprio, “Rodeio S.A.”, especializado em conteúdo de mídia e publicidade no Rodeio e provas equestres.

“Quem quiser ainda pode acompanhar tudo, ao vivo pelo aplicativo do Cowboy Channel Plus. Será uma transmissão completa, especial, em português para todos os brasileiros”, comemora Cris Bertelli.

Por: Camila Pedroso

Fonte: @rodeiosa/@ProRodeo

Fotos: Divulgação

Mais notícias internacionais no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

Junior Nogueira vai em busca de conquista inédita no NFR

Laçador volta a fazer dupla com o antigo parceiro Kaleb Driggers

Publicado

⠀em

Júnior Nogueira pontua em Fort Madison e assume liderança no ranking da PRCA

Pela oitava vez consecutiva, o laçador Junior Nogueira, o Testinha, disputa o título mundial, inédito na sua carreira, de Laço Pé, na Wrangler National Finals Rodeo, em Las Vegas.

O brasileiro não foi muito bem na edição passada, mas este ano volta com tudo, retornando com seu antigo parceiro Kaleb Driggers.

Testinha chega a competição como número 1 do ranking entre os “pezeiros” da modalidade de Laço em Dupla, com a somatória de US$ 133.715.50 em ganhos.

Recordista absoluto entre os brasileiros que já se classificaram para a NFR, com oito participações, o laçador chega nesta edição como o melhor do mundo no Team Roping.

Com 31 anos, Testinha terminou quatro temporadas como o segundo melhor do mundo (2016 a 2019). De acordo com o @rodeiosa, em entrevista cedida à revista oficial da PRCA, ele disse que essas participações serviram de experiência e devem ser um ponto positivo para seu desempenho nessa edição.

Apesar da excelente classificação, o “pezeiro” afirma que todos os laçadores têm chances de conquistarem a fivela de ouro, que a posição não faz tanta diferença e quem for melhor em Vegas, será o campeão mundial.

Histórico do atleta

Rookie of the Year em 2014, ou seja, o melhor estreante do ano, Testinha tornou-se ainda o primeiro sul-americano a ser campeão mundial Alll-Around Cowboy, (Cowboy Completo) em 2016 – título concedido ao competidor que ganha mais dinheiro em duas modalidades durante uma temporada. Contando os quatro vice campeonatos e oito Finals consecutivas, além de títulos mas mais importantes provas de Team Roping dos Estados Unidos, tem uma trajetória vitoriosa na América.


No ano passado, ele ficou pela primeira vez fora do Top 10 do ranking no final da temporada, encerrando o ano na 12ª posição.

Temporada 2021

Na categoria Team Roping, com o parceiro Cody Snow, Junior foi campeão na North Texas State Fair & Rodeo, em Denton, Texas.

Com Keleb Driggers como parceiro, Junior foi campeão no Mandan (ND) Rodeo Days, Campeão no St. Paul (Oregon) Rodeio, ganhou o maior rodeio do Kansas (Phillipsburg), venceu o rodeio Tri-State (Fort Madison, Iowa), foi campeão da Feira Tri-State de Amarillo (Texas) e Rodeio, co-campeão do Rooftop Rodeo (Estes Park, Colorado) e co-campeão no Walla Walla (Washington).

A dupla estreia já nesta quinta-feira, em Las Vegas. Serão dez rodadas consecutivas, tendo a chance de pontuar entre os seis primeiros a cada noite, somando dólares importantes ao ranking mundial.

Por: Camila Pedroso

Fonte: @rodeiosa/@ProRodeo

Fotos: Divulgação

Mais notícias internacionais no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

Marcos Costa volta a Wrangler National Finals Rodeo depois de quatro anos

Laçador chega com chances reais de vitória, em sexto lugar, depois de duas cirurgias no joelho

Publicado

⠀em

Após quatro anos ausente, Marcos Costa está de volta a NFR.

Competindo com o número 24, ele chega a Finals na sexta posição, com um pouco mais de US$ 113.741.70, apenas US$ 61 mil a menos que o primeiro colocado, Shane Hanchey, que possui US$ 175.079.46 em ganhos.

Campeão Mundial no Laço Individual em 2017, ele chega com chances reais de título, devido à baixa diferença entre os valores que possui comparados aos de Shane.

Segundo sua esposa, Keyla Polizello Costa, Marcos está bem preparado para a competição. “Ele está muito bem, com um corpo bom, atlético, o que é muito importante. Está com os joelhos bons, depois das duas cirurgias, está se sentindo bem, a égua dele, que ganhou Cavalo do Ano, também está muito bem e estamos com muitos pensamentos positivos, pedindo a Deus para que dê tudo certo!”, afirma Keyla.

O laçador já está em Las Vegas há três dias, se preparando para as provas. “Foram dois dias de viagem, ela é longa, realizamos treinos intensos para vir pra cá, e como acabei as minhas competições há 15 dias, estamos com foco total no Marcos, com trabalho de academia, físico, treinos no cavalo, eu ofereço todo suporte para ele”.

Lesões o tiraram das provas

Desde a conquista do título mundial há quatro anos atrás, Marcos Costa não conseguiu mais se classificar entre os 15 melhores que disputam o principal evento da PRCA.

Ainda em 2018, logo após o título, Costa sofreu uma grave lesão no joelho e precisou passar por duas cirurgias, o que comprometeu sua classificação para a WNFR daquele ano.

Em 2019 e 2020, apesar de ter disputado toda a temporada, ele não conseguiu pontuação suficiente para se posicionar entre os 15 melhores e participar da WNFR.

2021 e uma nova oportunidade

Para esta edição da competição, Marcos venceu seis provas, entre elas o Crossett (Ark.), Riding Club 73º PRCA Rodeo, Missoula (Mont.) Stampede, Tri-State Rodeo (Fort Madison, Iowa) e o California Rodeo Salinas, quando garantiu o título da temporada ProRodeo Tour.

PRCA: Marcos Alan Costa vence rodeio e acrescenta pontos na somatória do ranking
Campeão Mundial no Laço Individual em 2017, ele chega com chances reais de título.

Ele ficou outras 21 vezes entre os cinco melhores na classificação dos eventos que disputou, ganhando até o momento US$ 113.741,70 acumulados.

Sua companheira de vitórias, a égua “Paraguaia” (Sort a Popular), também foi eleita Animal do Ano na modalidade Laço Individual nesta temporada, tornando o conjunto como um dos favoritos da WNFR.

Marcos Costa estreia já nesta quinta-feira, em Las Vegas. Serão dez rodadas consecutivas, tendo a chance de pontuar entre os seis primeiros a cada noite, somando dólares importantes ao ranking mundial.

Por: Camila Pedroso

Fonte: @rodeiosa/@ProRodeo

Fotos: Divulgação

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

63° Wrangler National Finals Rodeo, NFR estreia nesta quinta (2)

Edição conta com dois brasileiros nas disputas Marcos Costa no Tie-down Roping e Junior Nogueira, no Team Roping Heeling (Pé)

Publicado

⠀em

Os amantes do Rodeio estão contando os dias para a tão esperada 63° Wrangler National Finals Rodeo, NFR, a grande Final da Temporada da PRCA – ProRodeo Cowboys Association, que será realizada entre os dias 2 e 11 de dezembro.

De volta para a sua casa no Thomas & Mack Center, em Las Vegas, o evento terá a premiação total de quase US$ 13,3 milhões, a maior de todos os tempos, sendo US$ 10,2 milhões aos competidores e mais de US$ 3 milhões aos tropeiros.

Serão distribuídos mais de US$ 1,1 milhões em premiações, para cada modalidade, sendo US$ 87 mil por noite, divididos proporcionalmente entre os seis melhores, e mais US$ 261 mil divididos entre os oito melhores na classificação geral da somatória total do rodeio.

Além disso, a melhor nota ou tempo da noite ganha US$ 26,9 mil e o campeão na somatória de cada modalidade recebe US$ 69,2 mil.

Brasil representado na NFR

A camisa verde e amarela estará presente na NFR deste ano e mais uma vez, com dois cavaleiros: Marcos Costa no Tie-down Roping e Junior Nogueira, no Team Roping Heeling (Pé).

Marcos Costa, o Marquinhos, carimbou sua passagem ao vencer a prova de Laço Individual no centenário California Rodeo Salinas, um dos mais tradicionais dos Estados Unidos, que sediou este ano a final do ProRodeo Tour, uma série que acontece somente em alguns Rodeios pré-determinados durante o ano, e que tem um dos títulos mais cobiçados da PRCA.

Campeão Mundial da modalidade em 2017, Marquinhos volta a Finals depois de quatro anos.

No Salinas, o paranaense manteve a regularidade nos Round’s classificatórios, garantindo uma das oito vagas nos round’s finais, em que os tempos eram zerados. Na semifinal, Marquinhos conquistou o segundo melhor tempo e uma das quatro vagas para a final.

No Round Final, os tempos dos quatro laçadores foram novamente zerados e quem fizesse a melhor apresentação ficava com a fivela. Marcos Costa finalizou a laçada em 11s2, quase um segundo mais rápido que os outros concorrentes, garantindo assim título tanto do Rodeio de Salinas quanto da temporada do ProRodeo Tour.

Ele chega a NFR na sexta colocação com US$ 113.741,70 acumulados.

8° Final consecutiva

Oitava vez consecutiva. Este é o feito do laçador Junior Nogueira, que entra na disputa pelo título mundial de Laço Pé na NFR. Natural de Presidente Prudente, interior de São Paulo, Juninho chega classificado em primeiro lugar com US$ 133.715.50.

Considerado um dos melhores laçadores do mundo, o atleta foi Rookie of the Year em 2014, tornou-se o primeiro sul-americano a ser campeão mundial Alll-Around em 2016 e deteve por quatro anos consecutivo, 2016 – 2019, o vice-campeonato no Laço Pé.

Parceiro de Kaleb Driggers, ele não teve uma boa passagem pela Finals em 2020, mas este ano, retomando a parceria com seu antigo parceiro, está se preparando para superar a edição anterior e terminar campeão.

Por dentro da Wrangler National Finals Rodeo

Reunindo sete modalidades do Rodeio completo, Bareback Riding, Saddle Bronc Riding, Bull Riding, Steer Wrestling, Team Roping Heading (Cabeça), Team Roping Heeling (Pé), Tie-Down Roping e Barrel Racing, a competição envolve os 15 melhores de cada uma das modalidades, definidos através do ranking da temporada. Este ranking é definido pelo dinheiro ganho em cada uma das etapas, ou seja, quanto mais dinheiro ganho, melhor a classificação.

Ao todo serão 119 competidores, já que Stetson Wright se classificou em duas modalidades. O cowboy completo será definido pela somatória em duas ou mais categoria.

Os campeões mundiais em cada modalidade serão definidos pela somatória de dinheiro da temporada mais o total acumulado durante os 10 Round’s da WNFR e o prêmio da colocação no evento.

A ordem final da etapa é definida através da somatória dos dez tempos/notas de cada finalista, denominados average, e de acordo com a classificatória após as dez rodadas, os oito primeiros colocados recebem uma premiação em dinheiro.

A premiação do average (média) é US$ 2.030.769,23 – US$ 253.846,15 por modalidade.

Portanto, para ser campeão, é necessário somar dólares diariamente e ficar entre os oito melhores na média. Ao final, serão revelados dois campeões por modalidade: o campeão mundial e o campeão do evento.

Por: Camila Pedroso

Fonte: @rodeiosa/@ProRodeo

Fotos: Divulgação

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo