Internacional

Resultado da PBR Velocity Tour define finalistas 2022

17 brasileiros disputaram, em Corpus Christi, a final da segunda divisão da PBR e principal divisão de acesso à elite da associação; os resultados mudaram o topo do ranking mundial e definiram os finalistas de 2022

Publicado

⠀em

Resultado da PBR Velocity Tour define finalistas 2022

Se você gosta de PBR e não consegue acompanhar com profundidade tudo que acontece na associação ao longo do ano, talvez tenha deixado passar a importância da final da Pendleton Whisky Velocity Tour.

A decisão da segunda divisão da PBR, a mais importante divisão de acesso à elite da entidade, aconteceu nos dias 6 e 7 de maio, em Corpus Christi, Texas. E mudou uma parte do cenário da PBR World Finals, que começa essa semana.

João Ricardo Vieira não é mais o líder da temporada. Daylon Swearingen assumiu a primeira posição do ranking mundial e está à frente do brasileiro por 8.99 pontos após sua participação na final da Velocity Tour.

O jovem bullrider encerrou o final de semana em terceiro lugar, com duas montarias em três saídas. E levou 41.33 pontos à classificação geral do campeonato. O brasileiro, um dos candidatos ao título mundial esse ano, também montou, mas não parou nos touros.

Dos 17 brasileiros que estiveram na final da Velocity Tour, o melhor resultado foi de Ednei Caminhas. O campeão mundial de 2002 foi quinto colocado, com duas paradas em três montarias.

Depois dele, Dener Barbosa também obteve duas montarias válidas. E Silvano Alves, Luciano de Castro e Alisson de Souza voltaram para casa com uma montaria cada.

Outro ponto importante sobre a decisão da Velocity Tour é que seus resultados definem os finalistas. É isso mesmo! Quando acaba a temporada regular, todo mundo precisa aguardar a final da segunda divisão para saber com certeza quem vai montar na PBR World Finals.

Além do título e da premiação do fim de semana, o evento também valeu pontos para o ranking mundial. Dessa forma, definiu os 35 classificados para a PBR World Finals – que acontece de 13 a 22 de maio, em Fort Worth, Texas.

Estiveram em jogo ainda mais cinco vagas extras para competidores que não terminaram no #top35 após a noite de sábado.

Resultado da PBR Velocity Tour define finalistas 2022
Ednei Caminhas

Ednei Caminhas volta à Finals após Velocity Tour

Campeão mundial de 2002, Ednei Caminhas assumiu o posto de ‘o mais velho classificado’ a uma PBR World Finals aos 46 anos. Ele sabe que seu corpo não é o que era há quase 20 anos, quando subiu ao topo do mundo. Mas garante que tem a mesma mentalidade de campeão que o ajudou a ganhar a fivela dourada.

O brasileiro fez história na final da Pendleton Whiskey Velocity Tour 2022. Com duas montarias válidas em três saídas, terminou a competição em quinto lugar. Se já não fosse bom o suficiente, ficou com uma das vagas extras (wild card) para a final mundial.

Será o seu retorno à elite da PBR após 13 anos. A última Finals que Ednei montou foi em 2009. E quando entrar na arena no próximo dia 13, marcará sua décima participação em uma decisão mundial. “Para mim, chegar às World Finals dez vezes é uma bênção. Me aposentei três vezes, mas continuei voltando”, alegra-se o brasileiro.

Das cinco vagas extras, uma delas foi para Alex Cardozo. Ele concorria ao convite internacional com um canadense e um mexicano. Nenhum deles foi bem na Velocity Tour, contudo, Alex era o melhor posicionado entre os três no ranking.

As outras quatro são destinadas aos dois melhores do ranking geral da Velocity Tour e aos dois melhores da etapa final da Velocity Tour. Se os melhores já estiverem no #top35, a vaga fica para o competidor seguinte.

Caso de Brandon Davis, terceiro no ranking final, e Casey Coulter, o quinto. Ganharam a vaga porque Clayton Sellars, Cody Jesus e Swearingen já estão classificados. O mesmo aconteceu com Josh Frost, quarto colocado no evento, e  Ednei Caminhas, quinto.

Resultado da PBR Velocity Tour define finalistas 2022
Cody Jesus

Campeões 2022 da Pendleton Whiskey Velocity Tour

Clayton Sellars (foto de chamada) começou a final da PBR Velocity Tour na 15ª posição no ranking da segunda divisão. Caiu do primeiro boi, mas se recuperou. Parou em Dan Post’s Night Moves na segunda rodada, por 88.5 pontos. E selou a campanha com 87.5 pontos em Harold’s Genuine Risk.

Dessa forma, o jovem da Flórida terminou em segundo lugar no evento, somando 59.33 pontos para o ranking geral. Com essa pontuação, subiu de 15° para 1° no ranking da Velocity Tour, 5.08 pontos à frente de Cody Jesus.

Por esse feito, Sellars ganhou o bônus de campeão da temporada da Velocity Tour de US$ 50.000,00. E encerrou o ano da segunda divisão com mais de US$ 73 mil, o melhor de sua carreira.

Ele ainda concorre, nos próximos dias, ao título de Rookie of the Year (novato do ano), em disputa com Bob Mitchell. Claro, sem esquecer que participará de sua primeira World Finals. De 26° colocado no ranking mundial, ele chega à Fort Worth em 21°.

Cody Jesus foi o vencedor do evento. Parou em Blue on Black na primeira rodada, para 87 pontos. Em seguida, marcou a melhor nota do fim de semana em Corpus Christi, 91 pontos em Johnny Rocket.

Mesmo caindo no terceiro round, tinha somatória suficiente para garantir a vitória. Com esse desempenho, Cody Jesus embolsou US$ 29.250,00. E com os 82 pontos somados ao ranking geral, subiu de 33º para 26º colocado na classificação geral.

Resultado-da-PBR-Velocity-Tour-define-finalistas-2022-daylon-swearingen
Daylon Swearingen

Daylon Swearingen corre como ‘azarão’

Depois de um ótimo final de semana disputando a final da Velocity Tour, assumindo a liderança do ranking mundial, o jovem de 22 anos abraçou seu próprio papel como ‘azarão’ na corrida pelo título do Campeonato Mundial da PBR de 2022.

De acordo com informações do site da PBR, Daylon Swearingen entende que está competindo ao lado de dois campeões mundiais – o bicampeão José Vitor Leme e o campeão mundial de 2018 Kaique Pacheco -, além de um veterano de 37 anos, que esteve no topo disputando o título por diversos anos – João Ricardo Vieira.  

Algumas pessoas podem vê-lo como o menos experiente desse grupo. Mas Swearingen não sente a pressão. “Estou aceitando ser um ‘azarão’. Eu não tenho toda a pressão que eles têm. A mídia e os holofotes estão todos neles e não em mim”, comenta. No entanto, sem achar que está em segundo plano nessa disputa.

A experiência não garante o sucesso no final das contas. O que valerá é o que cada um apresentar na Dickies Arena na próxima semana. João Ricardo Vieira, agora segundo colocado, fez uma temporada muito boa e está matematicamente empatado com Swearingen.

Entre Kaique Pacheco, terceiro do ranking, e  José Vitor Leme, quarto, Kaique teve uma arrancada na reta final mais consistente. A briga vai ser boa, disso ninguém duvida.

Fique ligado que o portal Cavalus trará tudo sobre a PBR World Finals nos próximos dias – com a lista completa de classificados. E teremos uma correspondente especial lá no Texas, mostrando bastidores e entrevistas exclusivas no @portalcavalus.

Por Luciana Omena
Colaboração: Abner Henrique/PBR Brazil

Crédito das fotos: Divulgação/André Silva (Bull Stock Media)

Mais notícias no portal Cavalus

WordPress Ads
WordPress Ads