Hipismo

João Victor Marcari Oliva registra duas notas recordes neste final de semana

Com a vitória no Grand Prix e terceira colocação no GP Freestyle, o conjunto registrou duas notas recordes em um Concurso de Dressage Internacional CDI3* em Jerez de La Frontera, na Espanha.

Publicado

⠀em

Campeão do Grand Prix do CDI3* Andalucia Deja Huella em Jerez de La Frontera, na Espanha, no sábado (19), com a nota média final de 72,696%, e terceiro lugar neste domingo, (20), no GP Freestyle – prova com coreografia livre e música – com a nota média final de 75,095%, João Victor Marcari Oliva montando o Lusitano Escorial Horsecampline registrou um novo recorde em um Concurso de Dressage Internacional (CDI3*), superando no Freestyle os 74,275% de Mauro Pereira Junior montando Tulum Comando SN nos Jogos Panamericanos de Guadalajara, no México, em 2011.

Nesse domingo, na avaliação individual dos juízes da Federação Equestre Internacional (FEI), o francês Jean Michel Roudier (FEI5*) atribuiu a nota 74,025% para a dupla, e os FEI4* Slawomir Pietrzat, da Polônia (77,750%), Fouad Hamoud, da Argélia (76,000%), Mariano Santos Redondo, da Espanha (73,875%) e o argentino César Lopardo Grana (73,825%).

A campeã do GP Freestyle foi a francesa Morgan Barbançon montando Sir Donnerhall II Old (77,185%), se posicionando em segundo lugar o espanhol José Antonio Garcia Mena (76,185%).

Carreira de sucesso

Competindo desde os 12 anos, o paulistano João Victor Marcari Oliva foi morar na Alemanha aos 18 anos e, atualmente, reside em Portugal.

Oliva começou a montar aos três anos no rancho dos pais (hoje, Coudelaria Ilha Verde), em Araçoiaba da Serra (SP). Aos 12 anos estreou nas pistas, sendo inspirado por Rogério Silva Clementino, então funcionário da coudelaria.

Atleta militar, radicado em Portugal, Oliva busca consolidar sua vaga no Time Brasil para o Campeonato Mundial de Dressage / Adestramento – ECCO FEI – World Championships – que acontece entre 6 e 10 de agosto em Herning, na Dinamarca.

Desde sua estreia em pista, em 2008, o jovem talento soma importantes conquistas: melhor atleta do time Brasil de Adestramento nas Olimpíadas do Rio 2016 e o melhor brasileiro em uma Final da Taça do Mundo de Dressage, em 2017, em Omaha, Estados Unidos; medalha de bronze por equipe em duas edições dos Jogos Panamericanos, Lima 2019 e Toronto 2015; campeão Sul-Americano individual e por equipe (Odersul/Chile 2014); melhor atleta da equipe brasileira nos Jogos Equestres Mundiais da Normandia, na França, em 2014, e de Tryon, em 2018, nos Estados Unidos.

Bem como, João Victor Oliva é também pentacampeão brasileiro (Amador em 2008, Mirim em 2009, Junior em 2010 e 2011, Young Riders em 2012). Da mesma forma obteve títulos paulistas e lideranças nos rankings anuais da Confederação Brasileira de Hipismo – CBH e Federação Paulista de Hipismo – FPH.

Na Olimpíada de Tóquio, ele conquistou o melhor resultado do Brasil em Olimpíadas.

Nova semana de desafios

O CDI3* Andalucia Deja Huella continua até sábado 2(6), com retorno a pista de Jerez de La Frontera dos dois cavaleiros brasileiros na competição.

Nesta segunda-feira 21, Pedro Tavares de Almeida com o seu também cavalo Lusitano Famous do Vouga, 15º no GP, compete no GP Special.

Já João Victor Oliva / Escorial Horsecampline compete na quinta-feira (24) em mais um Grand Prix e na sexta-feira (25) no GP Freestyle.

Fotos: Divulgação

Mais notícias no portal Cavalus

WordPress Ads
WordPress Ads