Hipismo

Jogos Paralímpicos já começou e cavaleiros do Brasil buscam medalhas no Hipismo

Com uma única modalidade de Hipismo no programa da Paralimpíada, Time Brasil do Adestramento Paraequestre contará com os memos integrantes da Rio 2016

Publicado

⠀em

Jogos Paralímpicos já começou e cavaleiros do Brasil buscam medalhas no Hipismo

Começou nessa terça-feira (24), os Jogos Paralímpicos, em Tóquio. Com uma única modalidade de Hipismo na disputa, integrantes do Time Brasil na Rio 2016 estão de volta aos Jogos: Rodolpho Riskalla com Don Henrico, Sérgio Froés Oliva com Millennium. Brasileiros já estão em Tóquio e têm suas estreias marcadas para os dias 26 e 27 de agosto.

Logo, a disputa do Time Brasil será no Adestramento Paraequestre, que é uma competição mista, em que mulheres e homens de diferentes idades competem em nível de igualdade. Então, as provas acontecem entre 26 e 30/08 no Baji Koen Equestrian Park reunindo 78 competidores de 27 países e 15 equipes.

Atletas Time Brasil

Dessa forma, no mais recente ranking da FEI Rodolpho Riskalla, que reside na Alemanha, ocupa a vice-liderança do Grupo IV e o 11º lugar na classificação geral. O atleta radicado na Europa, estreou nos Jogos do Rio 2016 e está de volta a Tóquio cinco anos depois de subir no palco do FEI Awards para receber o troféu como vencedor da categoria Against All Odds 2016.

Já Sérgio Oliva, que é dono de dois bronzes nos Jogos do Rio 2016, chega a Tóquio para sua quarta disputa Paralímpica consecutiva. O brasiliense, que mora no Brasil, estava sem competir devido à pandemia. Contudo, o atleta está em 16º no Grau Ia e 57º no ranking geral.

“Tivemos um período de quarentena ótimo! Pude fazer ótimos treinos. Por conta da distância e experiência, junto com os meus treinadores, Rosangele Riskalla e Holga Finken, a equipe veterinária do Dr. Marc Suls que nos acompanham até Tokyo, e a minha irmã Victoria que viajou o meu cavalo Don Henrico. Que apesar da idade, aos 18 anos, está em plena forma”, contou Rodolpho, ainda durante o voo.

Bem como, Sérgio também está otimista. “Meu cavalo está bem, estou fazendo um conjunto bacana com o cavalo, estou esperançoso. Que dê tudo certo e com bom resultado. Torçam pela gente, torçam pelo Brasil!”, disse Sérgio, que está em Tóquio ao lado sua treinadora Marcela Parsons, diretora Paraquestre da CBH, e apoio de Maria José.

Os Graus do Paraequestre

Então, os competidores são divididos em cinco níveis identificados com algarismos romanos I, II, III, IV e V, do maior ao menor grau de comprometimento físico.

No Grau I, onde compete Ségio Oliva, reúne atletas que são capazes de andar sem ou com auxílio, mas que possuem comprometimento unilateral moderado, comprometimento moderado nos quatro membros ou comprometimento severo dos braços.

Os atletas de Grau IV, em que compete Rodolpho Riskalla, os atletas têm deficiência severa dos membros superiores ou deficiência moderada nos quatro membros ou baixa estatura. Dessa forma, atletas no grau IV são capazes de andar, geralmente não necessitam utilizar cadeiras de rodas na sua vida diária. Do mesmo modo, também inclui atletas cegos totais.

Demais graus

Grau II – Cadeirantes ou aqueles com comprometimento locomotor severo, envolvendo tronco e com boa a razoável funcionalidade dos membros superiores ou atletas que possuem comprometimento unilateral severo. A classe engloba, ainda, pessoas com comprometimento unilateral moderado, comprometimento moderado nos quatro membros ou comprometimento severo dos braços.

Grau III – Pessoas que são capazes de andar sem ou com auxílio, mas que possuem comprometimento unilateral moderado, comprometimento moderado nos quatro membros ou comprometimento severo dos braços

Grau V – Deficiência leve ou deficiência de força muscular leve, ou deficiência em um membro ou deficiência leve em dois membros. Grau V também inclui atletas com deficiência visual moderada.

Programação Adestramento Paraequestre nos Jogos Paralímpicos

26/8 (quinta-feira)

15h00 às 22h35 (local) -03h00 às 10h35 (Brasil)
Individual Test – Grau II, Grau IV (Rodolpho), Grau V
Pódio

27/8 (sexta-feira)

15h00 às 22h00 (local) – 03h00 às 10h00 (Brasil)
Individual Test – Grau I (Sérgio) e Grau III
Pódio

28/8 (sábado)

17h00 às 22h10 (local) – 05h00 às 10h10 (Brasil)
Test Team Freestyle
Pódio equipe

30/8 (segunda-feira)

15h00 às 22h15 (local) – 03h00 às 10h15 (Brasil)
Individual Freestyle Test
Graus IV e V – Premiação
Graus III, II e I – Premiação

Por fim, o perfil completo dos dois conjuntos do Time Brasil nos Jogos Paralímpicos, assim como mais informações sobre a modalidade, está disponível no site da CBH.

Fonte: CBH
Credito da foto: Divulgação/Acervo Pessoal

Veja mais notícias do Hipismo no portal Cavalus

WordPress Ads
WordPress Ads