Evento, que foi também marcado pelo primeiro Sul Americano de Rédeas da raça, teve aumento, estimado pela ABCCC, em 30% no número de inscrições

Foi em Campina Grande do Sul/PR, na pista que ostenta uma das maiores coberturas da América do Sul, que novamente se realizou o Rédeas de Ouro. Cavaleiros e cavalos renomados encheram os olhos do público, de 4 a 6 de outubro. Na oportunidade, as provas definiram os campeões do Potro do Futuro, Snaffle Bit e Campeonato Nacional da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos.

Rédeas de Ouro
Gilsinho Diniz e Jubileu da Roraima

Com emoção até o fim, os quase 30 competidores correram por cada ponto e cada pedaço da pista buscando atingir o máximo, enquanto eram observados por cinco juízes experientes. Destes, quatro brasileiros – Ricardo Marinato Heymann, Renata Ricci, Ederson Machado e Paulo Koury -, e o italiano Filippo Mais. Além do juiz de equipamentos, Giovani Bornancin.

Na programação também o primeiro Sul-Americano de Rédeas do Cavalo Crioulo, com Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai. Para o analista de expansão da ABCCC, Gérson de Medeiros, o local foi estratégico. Segundo ele, por ser de fácil acesso para quem é da Região Sul e também de São Paulo, região em que se concentram os principais treinadores.

Rédeas de Ouro
Roberto Jou e Estupendo Marca dos Santos anotaram 226,5 de nota, marcando o recorde da temporada

“Além disso, a pista é coberta e ofereceu em 2017 uma das melhores condições de todas as provas de Rédeas do Brasil. Nós também tivemos uma nota extremamente alta e assistimos animais muito competitivos. E todo esse sucesso da prova foi devido às condições que oferecemos no lugar”, observou.

Gérson também destacou o momento único que o Cavalo Crioulo vive, se falando em Rédeas. “Viemos de um resultado fantástico do bicampeão do Rédeas de Ouro F5 Licurgo Tapajós, que recentemente conquistou a melhor colocação da raça Crioula nos Jogos Equestres Mundiais. Portanto, há clima para novos criadores apostarem na raça e sabemos que o nosso Cavalo Crioulo tem potencial extremo para andar na ponta em qualquer competição mundial”.

Rédeas de Ouro
Evandro Levendosk e Jubileu da Roraima

Na pista, o grande destaque foi, sem dúvidas, Gilson Diniz Filho. Além de garantir o título do Campeonato Nacional Aberto, montando Jubileu da Roraima, com 223,50 de nota, foi também segundo e terceiro colocado. Montando Craque Marca dos Santos marcou 222,5 e com Jararaca da Roraima, sua nota foi 219,5. O terceiro lugar foi empate para Gilsinho e Marcelo Almeida, com Mandinga Tunuyan.

Mas Gilsinho não parou por ai, e ajudou o time brasileiro a ser campeão do Sul-Americano, beliscando também segundos e terceiros lugares em outras categorias. No Potro do Futuro Aberto, a vitória foi de Roberto Jou, que acabou de chegar extasiado após sua participação nos Jogos Equestres Mundiais. E ele levou ao pódio Estupendo Marca dos Santos, filho de F5 Licurgo Tapajós.

Rédeas de Ouro
Ana Paula Correa, brasileira que mora no Uruguai há 14 anos, com El Tropillero Cuando Quiera

Jou marcou a maior nota da modalidade na temporada, 226,50! Dá para se ter uma ideia do nível de apresentação dele! Outros títulos: Campeonato Nacional Amador – Ana Paula Correa – El Tropillero Cuando Quiera; Potro do Futuro Amador – Evandro Levendovisky – Jubileu da Roraima; Snaffle Bit Aberto – Antonio Corrêa – Xará do Trinta e Oito; Snaffle Bit Amador – Daniel José Marques Ferreira – Lema da Roraima.

Jovens e principiantes também fizeram bonito. No Principiante Aberto, o título ficou para Adilson da Cruz de Lima com O Caminho do AEC. Na categoria Principiante Amador, o grande vencedor foi Gabriel Cordeiro, com Araguaína do Perone. Higor Bernardo Machado, com Vichadero da Quinta, e Isabele Prestes Tizao, com Alegrete do Sapezal, foram campeões Iniciante Amador.

A primeira edição do Sul-Americano de Rédeas do Cavalo Crioulo movimentou a tarde de sábado, 6. Os times de cinco países da América do Sul competiram pelo lugar mais alto do pódio na pista da arena. A competição foi dividida em três categorias: Jovem, Amador e Aberto.

Rédeas de Ouro
Arena de Campina Grande do Sul

Para decretar o país vencedor, as notas de cada um dos competidores foram somadas. Com 624 no total, o Brasil tornou-se campeão desse 1º Sul-Americano de Rédeas do Cavalo Crioulo. O time foi composto por Francielle Wisciniemski da Silva, Gabriel Cordeiro Martins e Gilson Diniz Filho.

Todos os resultados e informação encontram-se no: www.abccc.com.br.

Colaboração: Assessoria de Imprensa ABCCC
Fotos: Felipe Ulbrich/ABCCC

3 Comentários

  1. hello!,I like your writing very a lot! proportion we be in contact extra about your post on AOL? I need a specialist in this house to unravel my problem. May be that’s you! Taking a look forward to peer you.

  2. Pingback: ANCR encerra 2018 com Super Stakes de Rédeas em Avaré - Cavalus

  3. Pingback: web brand

Escreva um comentário