Proprietário de uma das maiores farmácias veterinárias do Brasil, assumiu a presidência da ANLI para essa temporada

A rotina do campo chama a atenção para o trabalho, o lazer, o esporte e, neste caso, a luz brilhou para o início também de uma empresa neste segmento, que há mais de 20 anos atrai o público envolvido com cavalos. Abrir a Nutrivet era só o começo de uma história de reconhecimento e inovação do mercado de farmácia veterinária.

Fábio Luis Parizi é natural de Jaguariúna/SP, uma região onde tem muitas provas e eventos. Também se envolveu diretamente com os cavalos e os esportes equestres, passando para o filho esse gosto, mais especificamente no Laço Individual.

Após todos esses anos envolvidos, chegou que agora era a hora de contribuir mais e assim assumiu a Associação Nacional de Laço Individual – ANLI. Confira a entrevista do empresário contando pouco mais da sua história, missão e sua visão do Laço no Brasil.

Como começou sua história com os cavalos? Sua família já tinha envolvimento com o campo?

Fábio Parizi: Meu pai nasceu na fazenda e já foi administrador de haras. Eu cresci acompanhando essa rotina. Sempre fomos ligados aos animais e o cavalo faz parte da nossa história, faz parte da nossa vida.

Como você e sua família conheceram o Laço Individual?

Parizi: Já tem mais de 20 anos que a Nutrivet monta estandes em eventos equestres pelo Brasil. Foi durante um desses eventos que meu filho, Gabriel Parizi, se interessou pelo Laço Individual e já está nesta modalidade há mais de 13 anos. Ele é uma inspiração para nós.

 Quando surgiu a ideia de montar uma empresa no segmento de farmácia veterinária?

Parizi: Montamos a Nutrivet há 23 anos, trazendo o que era novidade em medicamentos Veterinários. Hoje ela é a mais completa farmácia veterinária do Brasil mantendo o foco principal em equinos.

Como você vê o mercado de cavalos de esporte no Brasil?

Parizi: Na minha opinião, o mercado de cavalos está em um ótimo momento, já que o cavalo faz parte da vida de muitas pessoas, tanto no sentido profissional, quanto para o lazer, além de movimentar e trazer dados positivos para a economia do nosso país.

Fábio Luis Parizi
Fábio Luis Parizi

Quais seus animais para competição?

Parizi: Miss Winnin Doc Pine, Lord June e Playboy Gamay. Inclusive, todos campeões em âmbito nacional de Laço Individual.

Como começou o treinamento do seu filho no esporte equestre?

Parizi: Quem iniciou o Gabriel no Laço Individual foi Zenilton Benedito dos Santos, que há 12 anos treina nossos cavalos e passa todo o conhecimento necessário para o meu filho. E o profissional e grande amigo, Fábio Junior da Paz Pereira.

Como foi assumir a presidência da ANLI e quais as expectativas para este ano junto à Associação?

Parizi: Assumir a ANLI é uma tarefa de muita responsabilidade e ao mesmo tempo é muito prazeroso poder contribuir para que o Laço Individual evolua de forma positiva e se fortaleça a cada ano. Temos grandes expectativas principalmente quando o assunto é desenvolver a modalidade.

Como você vê o envolvimento dos atletas, treinadores e criadores com o esporte equestre?

Parizi: Vejo o esporte equestre em crescimento constante, com valorização das raças, das modalidades, da criação e do comércio, pois o cavalo gera muitos empregos além de trazer prazer para as pessoas. É muito frequente ver o aperfeiçoamento do segmento equestre que favorece não só o atleta, ou o criador, mas o mercado como um todo.

Que mudança seria importante para favorecer o desenvolvimento e reconhecimento do Laço no Brasil?

Parizi: Um dos desafios mais importantes que temos para desenvolver e contribuir para o crescimento positivo do Laço Individual é a regulamentação de leis que tragam respaldo jurídico para o nosso esporte, aliado sempre às regras que preservam o bem-estar animal. É importante cada um fazer a sua parte no sentido de apoiar, participar para que em breve sejamos de fato, uma modalidade de referência.

Por Camila Furtado
Fonte: Editora Passos
Foto: Cedida

Escreva um comentário