Tie-down Roping

Testa, o maior laçador de todos os tempos, no Hall da Fama ABQM

Publicado

⠀em

Considerado o ‘Pelé’ do Laço, Lucinei Nunes Nogueira, o famoso Testa, fez história na modalidade Laço de Bezerro

Um dos nomeados ao ABQM Hall da Fama em 2018, premiação que imortaliza grandes nomes que fizeram história no cavalo Quarto de Milha, Lucinei Nunes Nogueira faleceu em 1996 aos 36 anos de idade de infarto fulminante em cima de um cavalo. Mesmo não estando mais entre nós há 22 anos, Testa continua sendo um mito, difícil de ser superado. O 8º Hall da Fama e o 11° ABQM Awards acontecem dia 24 de fevereiro, no Golden Hall World Trade Center, na capital paulista.

Sem dúvidas, quando o assunto é Laço de Bezerro, hoje denominado Laço Individual, não tem como deixar de falar no Testa. Para os que tiveram o privilégio de conhecê-lo, os elogios são muitos, principalmente por ter sido uma pessoa de coração enorme e de uma habilidade ímpar com o laço. Entre os mais novos, que só o conhecem pelos feitos na modalidade, fica a vontade de seguir seus passos. Até hoje, ninguém o superou e ele continua sendo o cavaleiro mais pontuado da modalidade pela ABQM, com 592,50 pontos.

“O Testa era muito educado, fazia questão de cumprimentar as pessoas pegando na mão”, lembra Eliziane Ribeiro Nogueira, esposa de Testa, contando que ele vivia e respirava cavalo. “Ele era diferenciado. O seu corpo dependia do cavalo. Para você ter ideia, quando chovia e ele ficava dois ou três dias sem montar, ele morria de dor nas costas, sentindo a falta da montaria. Era só montar que tudo passava”.

Com um conhecimento incrível dos animais, só de olhar um potro se movimentando sabia se seria bom e se tornaria um campeão. “Era bater o olho para identificar o que iria acontecer. Sem dizer no conhecimento que ele tinha dos bezerros. Sabia um por um o que tinha feito em tal prova, se dava problema, era incrível. E também reconhecia novos talentos no laço”, continua.

De família humilde, Testa gostava muito de futebol e foi nesse esporte que ganhou o apelido, já que fazia muitos gols com a cabeça. A família trabalhava na lavoura e, como ele não gostava muito, sempre dava um jeito de escapar para ficar ‘laçando’ galinhas no quintal de casa, quando criança. “Foi o primo dele, Geraldo Ribeiro, que viu o seu talento e começou a tentar trazê-lo para São Paulo treinar, mas o pai foi contra, então o jeito foi fugir de casa escondido, pulando a janela. Assim que o pai descobriu, veio buscá-lo, mas o Geraldo soube convencer o sr. Santo a deixa-lo aqui. E assim começou sua vida no laço, fazendo cursos, lidando na fazenda, treinando muito e, na maioria das vezes, sozinho. Chegou até a adaptar um bambu para ele mesmo soltar os bezerros no brete”.

Os primeiros títulos de Testa chegaram quando tinha 16 anos e, a partir daí, não parou mais, tendo uma carreira com ascensão muito rápida. “Eu o conheci quando ele tinha 26 anos e já era um mito no laço. Em dez anos ele conquistou o reconhecimento e acabou trazendo praticamente toda a família, como irmãos e sobrinhos, para a modalidade. O laço era a sua paixão, a sua vida!”

Foram recordes e mais recordes batidos e, segundo Eliziane, até regras de campeonatos foram mudadas por causa dele. “O Campeonato Nacional por etapas ninguém o batia, ele já vencia com antecedência, então foi mudado o sistema. O mesmo acontecendo com a quantidade de animais que cada cavaleiro podia apresentar. Ele era incansável na pista. Se tivesse 50 bezerros para laçar ele estava pronto, cansava o cavalo, trocava a montaria e continuava”.

Pela paixão na vida ser o laço, Testa comentava que se morresse em cima de um cavalo, morreria feliz, e assim aconteceu. Em julho de 96, no Jaguariúna Rodeo Festival, ele desistiu dos planos de ir com a família para pegar uma carona com um amigo e ir sozinho buscar mais um título na importante festa. “Achei estranho ele ir sozinho, porque o Juninho estava de férias, e iríamos, como sempre, todos juntos. Mas ele decidiu, tava decidido. E dos três animais que levaria, para competir também no Bulldog e no Team Roping, levou só o seu cavalo de Bezerro”. E o rodeio começou estranho também, ele errou o bezerro, algo muito difícil de acontecer. Ele reclamou que uma dor no braço o estava atrapalhando.

“No dia seguinte, durante a segunda classificatória, dentro da pista, montado, esperando sua vez de entrar no brete, teve um infarto fulminante e caiu do cavalo. Tinham acabado de anunciar seu nome, era a sua vez de se apresentar. Mas não deu tempo”. Na opinião do amigo Beto Bobeda, que estava ao seu lado no momento do acontecido, não vai nascer outro que supere seus feitos. Testa era portador do Mal de Chagas, causa do infarto. Além de referência no Laço de Bezerro, também praticava Team Roping, lançando pé, como o filho Juninho.

Sim! Se você leu essa reportagem com atenção sabe que estamos falando do pai de Juninho Testa, ou Lucinei Nunes Nogueira Junior. Jovem ainda, é um ídolo mundial hoje. Unanimidade quando morava e treinava no Brasil, conquistou a américa. Tem o título de All-Around pela PRCA e dois vice mundiais. O talento e o amor por cavalos e o laço nós sabemos de onde veio!

Por Equipe Cavalus
Fotos: arquivo pessoal de Miguel Oliveira

Tie-down Roping

Kenny Cunha se destaca no 3º Tour PCRT de Guararema (SP)

Na sela de Ronda Roosters RCT, laçador conquistou duas das três etapas, garantindo uma vaga para a final

Publicado

⠀em

Kenny Cunha se destaca no 3º Tour PCRT de Guararema (SP)

Kenny Cunha foi o grande nome do 3º Tour PCRT realizado neste final de semana, no Rancho Bonanza, em Guararema, interior de São Paulo. Em conjunto com Ronda Roosters RCT (Pop Super Horse x Roosters To Loock), Kenny venceu a 7ª etapa, realizada no dia 12, com o tempo de 8s78 e a 8ª etapa, do dia 13, com o tempo de 9s17.

“Foi maravilhoso. A gente trabalha bastante para conquistar e foi melhor do que o esperado! Eu me preparei bastante, estava vindo um pouco para traz no ranking e precisava de um bom resultado para poder estar entre os 10 primeiros para a final da PCRT, e graças a Deus atingimos a meta”, comemorou o laçador.

Com o resultado, Kenny Cunha alcançou o terceiro lugar no ranking final, se classificando para a grande final que será realizada em novembro. “É uma prova que terá só a elite do Laço Individual do Brasil e estar no meio deles vai ser muito importante para mim”, comemorou.

Kenny Cunha e Ronda Roosters RCT são um conjunto relativamente novo, com menos de um ano de formação, mas já estão se destacando no meio. “No campeonato da ARLI nós fomos reservados campeões, pelo critério de desempate. A partir do momento que você começa a competir em alto nível, o animal passa a ser determinante para um resultado e ela vem atendendo toda hora, realmente me ajudando e fazendo a diferença”, comenta Cunha.

3º tour PCRT

Promovido pela Professional Calf Ropers Tour (PCRT), e valendo para o ranking da Associação Nacional do Laço Individual (ANLI), a prova de Guararema recebeu 36 inscritos por etapa, totalizando 108 participantes, em busca da premiação de mais de R$ 30 mil distribuídos entre o primeiro e o quarto lugar de cada etapa.

Confira os melhores colocados

7ª Etapa:

Kenny Cunha e Ronda Roosters RCR – 8s78

Marcos Nocolielo e Joia Lady Boy – 9s13

Fernando Mendes e Tilly Sonita – 9,64

Zenilton Junior e VPJ POP Sports – 9s83

Adenilson Ferreira e Apolo Lider BCQ – 9,83.

8ª Etapa

Kenny Cunha e Ronda Roosters RCR – 9s17

José neto e Bela Epoca HF – 10s22

Bruno Paulini e Tigre Dun It FSH – 10s25

Matheus Cardoso e Whiz N Jay – 10s30

9ª Etapa

José Netto e Bela Epoca HF – 8s96

Fabio Pereira e One Tome Jay LN – 9s06

Douglas da Penha e Check Out This Cat – 9s10

Zenilton Junior e VPJ Pop Sports.

Por Camila Pedroso. Redação Cavalus

Fotos: Miguel O. Filho

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Tie-down Roping

Bem-estar dos bezerros é regra durante as provas de laço

Eventos chancelados pela ABQM e ANLI seguem regras rigorosas e passam por fiscalização a fim de garantir a saúde dos bezerros

Publicado

⠀em

Bem-estar dos bezerros é regra durante as provas de laço

Quando o assunto é provas de Laço de Bezerro, a discussão é longa e válida. Muitos defendem o esporte pela importância da ação na lida diária nas fazendas, já outras pessoas pedem o fim da atividade pelo fato de supostamente judiar do bezerro. O que muita gente não sabe é que existem regras muito rígidas com relação ao bem-estar dos bezerros que participam das provas.

A Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM) e a Associação Nacional do Laço Individual (ANLI), possuem regras rígidas e fiscalização nas provas chanceladas pelas entidades. Regras da ABQM As regras da ABQM para a modalidade são:

1 – Os animais devem ser submetidos à avaliação de escore de condição corporal (ECC), bem como, inspeção, realizada por médico veterinário, para garantir que estejam fisicamente e clinicamente aptos para participarem;

2 – Podem participar bovinos jovens com peço mínimo de 800 kg;

3 – Deve ser fornecida suplementação específica para a categoria de animais participante dessa modalidade, a fim de mantê-los nutridos de acordo com suas necessidades;

4 – Os bovinos devem se alimentar ao local de prova previamente ao início da atividade esportiva, através de sua condução para reconhecimento de todos os ambientes;

5 – Deve-se atentar ao número de vezes que o bovino participa da prova, para que este não seja elevado e excessivo, evitando o desgaste físico desnecessário do animal, sendo oferecido o devido descanso;

6 – Deve ser conduzido um animal por vez no tronco coletivo que antecede o brete de partida, com isso se reduz o risco de acidentes e de que entrem dois ou mais animais ao mesmo tempo;

7- A retirada do laço e da peia que envolvem, respectivamente, pescoço e membros do bovino, devem ser realizadas imediatamente após a sua participação, com o animal ainda em pista e de maneira adequada, gentil e precisa, evitando agitação e estresse.

Papel dos juízes na garantia do bem-estar dos bezerros

Segundo o juiz de provas e médico veterinário da ABQM Thiago Nitta, os juízes são muito rígidos para a manutenção do bem-estar do bezerro. “Somos muito severos e nos atentamos à diversas regras que garantem o tratamento adequado dos bovinos”, ressalta.

Dentre as regras exigidas, Nitta ressalta a importância das condições dos aninais. “Os bezerros precisam estar ingerindo comida sólida sozinhos, estar desmamados para ter condições de participar, por exemplo”.

Ele ainda ressalta que nas provas oficiais das associações este quesito é obrigatório. Já o vice-presidente da ANLI e membro da área de bem-estar animal da ABQM Francisco Feitosa, ressalta que as Associações possuem regras para a organização dos eventos voltadas à proteção dos animais, como água potável à disposição, alimentação, espaço com tamanho adequado, solo seco, sombra, quantidade apropriada de bezerros, além do tamanho do animal.

“São regras rígidas para a garantia do bem-estar dos bezerros, como o uso de equipamentos adequados e laços homologados, apropriados para a prática”, frisa Feitosa.

Traumas

Segundo Thiago Nitta, já foram realizados alguns estudos sobre traumas nos animais que participam das provas de laço. “Já é sabido que se a prova for realizada de maneira correta, os traumas são mínimos, tanto é que hoje em dia, o trauma cervical, que seria o trauma no pescoço do bezerro causado pelo choque da coluna cervical no solo, o conhecido Jerky Down, é desclassificado. Prezamos muito pelo bem-estar destes animais, justamente porque essa prova deve sim ser estimulada, pois é a mais funcional que existe”, expõe o especialista.

Importância cultural

Quem já atuou na lida diária das fazendas sabe que diversas atividades diárias que precisam ser realizadas nos animais necessitam do laço para serem viabilizadas. “Temos fazendas enormes, com quilômetros de distância do pasto ao centro de manejo, por exemplo, e que, para realizar as atividades diárias, os vaqueiros precisam laçar os animais. Isso não só no Brasil, como no mundo inteiro”, explica Francisco Feitosa.

Os bezerros, por exemplo, precisam passar pela “cura do umbigo” durante os primeiros quatro dias de vida, e que para isso, precisam serem laçados. “Ou mesmo para tratar uma lesão, o vaqueiro utiliza a técnica de laço para a execução do deu trabalho diário”, exemplifica.

Com o passar do tempo, as pessoas começaram a se desafiar para ver quem fazia a cura do umbigo mais rapidamente, nascendo assim, as provas de laço. “A atividade possui um papel muito importante dentro do cenário agropecuário do Brasil, porque é uma das provas mais funcionais que existe. A prática que se faz nas provas é exatamente igual ao manejo realizado diariamente nos criatórios em uma rotina de campo. É uma prova extremamente funcional”, finaliza Nitta.

Por Camila Pedroso. Redação Cavalus

Fotos: Arquivo

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Tie-down Roping

Laço Individual rege a vida de Kin Yuda

Inserido no meio dos cavalos através do incentivo de sua mãe, hoje tem o Laço como estilo de vida, passado o legado para as futuras gerações

Publicado

⠀em

Laço Individual rege a vida de Kin Yuda

O universo do cavalo é com certeza uma família, e isso o próprio ambiente proporciona, com eventos, competições para todas as idades. Por isso, cada vez mais vemos histórias de quem começou a competir através da inserção nesse universo pela família. É o caso do laçador da modalidade de Laço Individual Kin de Almeida Passos Yuda.

Natural de Jundiaí (SP), o competidor de 32 anos, nos conta que os cavalos e a modalidade foram apresentados pela sua mãe, Adriane Passos, que trabalha nesse meio há mais de 20 anos, que é sua grande incentivadora. “Minha história com os cavalos começou por causa da minha mãe, que já trabalhava no meio desde sempre. Foi então que me apaixonei por eles, então comecei no Tambor e Baliza, e depois de um certo tempo conheci o Laço Individual, um verdadeiro ‘amor à primeira vista’, e quis isso para mim”, relembra.

Além de competir, Kin é formado em Medicina Veterinária, formação que surgiu através desse amor pelos cavalos. “Atuei na área por dois anos, e durante esse tempo continuei laçando, porque como falei antes, o Laço Individual se tornou a minha paixão”. Por essa paixão ao Laço Individual e já tendo como profissão, em 2014 Kin foi morar nos Estados Unidos, no Werneck Ranch, de Frederico Werneck, laçador brasileiro que há muitos anos reside na América.

O período que esteve por lá foi de grande aprendizado o que hoje aplica em seus treinos. “Fiquei um período no Werneck, no Texas e seis meses no Mississippi, na Pickett Farm com um americano chamado King Pickett. Tive a experiência de correr muitas provas e rodeios com os melhores do mundo viajando e conhecendo alguns estados, alguns ranchos dentre os melhores e mais importantes do mundo do Laço. Foi uma grande experiência”, conta.

Destaque no Laço Individual

O laçador, que compete na Aberta, comenta que treina bastante, e com isso, coisas boas acabam acontecendo, e alguns títulos importantes foram conquistados. “Não tinha como não ser o Laço Individual, corro na categoria Profissional há alguns anos, e vivo disso. Treino cavalos para diversas categorias, dou aula, tenho diversos alunos, desde 8 anos de idade até mais velhos, e é isso o que eu faço, não é só um estilo de vida, é a minha vida por inteiro”, destaca.

Entre seus títulos de destaque estão: campeão Nacional ABQM – Aberta Sênior Castrado, campeão Potro do Futuro ABQM, campeão Potro Futuro ANLB, campeão Nacional ABQM – Profissional Light Cronômetro, Top 5 Prorelax, também foi finalista em alguns rodeios importantes como: RJF, Divinaexpo, Rodeio de Cláudio e tem em seu currículo o tão almejado ABQM Awards.

Kin explica que o CT fica na cidade de Santa Cruz da Conceição (SP), que é considerada uma boa localização para os adeptos do Laço Individual. Para ele, essa é uma região “espetacular”, tem muitos ranchos e muitas pessoas laçando.

E, assim como em qualquer esporte, nos esportes equestres também temos os ídolos que inspiram a todos, seja pela trajetória, história de vida ou conquistas. “Tenho algumas pessoas que são inspirações para mim, que, além de ídolos, são na verdade pessoas que me ensinaram muito”.

Em sua trajetória no Laço Individual, Kin nos conta que morou com três pessoas que fizeram ele ser o que é hoje: Fabinho Pereira, Jose Nilton e Flávio de Oliveira. “Esses três caras são referências e me ajudaram muito, continuam me ajudando até hoje. São parceiros para quem está começando no esporte, eles são mais do que ídolos, tudo o que sou hoje, aprendi com eles. Além deles, tenho como ídolos o Marcos Costa e o Junior Nogueira, que são brasileiros campeões do mundo, não tem como não ser eles”.

Kin deixa um recado para quem está começando agora: “A mensagem que eu daria para quem está começando é procurar um profissional com uma boa didática, um profissional que vai te ensinar direito, um cavalo professor, um cavalo velho, que não te de trabalho. Mais a dica maior é procurar um profissional qualificado e um cavalo bom, que na gíria do laço é ‘um cavalo baseado, um cavalo velho’”, afirma.

Sobre as parcerias, o laçador conta que tem alguns parceiros que estão ao seu lado há algum tempo, que são pessoas que acreditaram e continuam acreditando na sua capacidade, contribuindo para bons resultados.

“Agradeço aos meus patrocinadores Organnact, Portal Cavalus e Revista Ropers Sports, por confiarem em meu trabalho para representar o nome de suas empresas em pista. Ao Rancho FP pela parceria, aos meus clientes por acreditarem no trabalho de treinamento e bem-estar animal que faço com médico veterinário. Obrigada a todos os meus alunos e famílias que juntos a gente vem formando um time forte de novos laçadores e laçadoras. E por fim, agradeço a meus amigos e minha família que me apoia em tudo”, finaliza Kin Yuda.

Por Heloisa Alves. Redação Cavalus

Fotos: Arquivo pessoal

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Tie-down Roping

Laçadores do Brasil se preparam para o 45º Campeonato Nacional do Cavalo Quarto de Milha

Fábio Parizzi, diretor da ANLI, relata as expectativas e novidades para o Nacional

Publicado

⠀em

Bem-estar dos bezerros é regra durante as provas de laço

O maior campeonato de Laço Individual do Brasil está chegando. O 45º Campeonato Nacional do Cavalo Quarto de Milha promete reunir os principais laçadores do país em busca da premiação recorde de R$ 475 mil, subdivididas entre as categorias Laço Individual; Laço Cronômetro e Técnico e Breakaway.

Segundo o presidente da Associação Nacional do Laço Individual (ANLI) Fábio Parizi, as expectativas são muito positivas. Haja vista que o maior campeonato, receberá os melhores atletas das modalidades.

“Será um show! Essa é a maior prova do ano, terá uma premiação recorde distribuída e com certeza reunirá os melhores atletas do país. Uma ótima oportunidade do público ver o melhor das modalidades em um único evento”, comemora.

A ANLI e a Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos Quarto de Milha (ABQM) possuem uma parceria de anos, em que os competidores que ganham valores em dinheiro no Nacional possuem estes valores adicionados ao ranking da ANLI.

“Os sócios da ANLI que ganharem dinheiro terão estes valores acrescidos para o ranking da associação. Mais um incentivo aos nossos atletas”, explica Parizi.

Nessa edição, outra novidade será uma categoria Aberta Castrado, nas modalidades de Laço Individual Técnico, Laço Cabeça, Laço Pé, em que os animais castrados de todas as idades deverão realizar nova inscrição e farão uma passada em separado.

As provas de Laço Individual serão realizadas na Arena RAM e terão início no dia 20 de julho, quarta-feira e se encerram no sábado, dia 24.

O portal Cavalus fará toda a cobertura do 45º Campeonato Nacional do Cavalo Quarto de Milha. Façam suas apostas, quem serão os melhores laçadores da etapa? Vamos conferir juntos!

Por: Camila Pedroso

Fotos: Arquivo

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Tie-down Roping

Yuri Martins vence o Campeonato ARLI 2022

Em uma disputa acirrada com Kenny Cunha, Yuri levou a melhor e faturou o título da ARLI 2022

Publicado

⠀em

Yuri Martins vence o Campeonato ARLI 2022

O cenário da última etapa do Campeonato ARLI, realizado no Della Ranch em Santa Cruz da Conceição, interior de São Paulo, não poderia ser melhor para os apaixonados pelas laçadas. Sete competidores chegaram a última etapa do campeonato com chances reais de levarem o título para a casa. A grande expectativa que gerou essa disputa foi o ponto alto da etapa.

Na sexta-feira (24), Kenny Cunha, o atleta que vinha liderando o campeonato, terminou a prova em quinto lugar, totalizando 295 pontos.

Já no sábado (25), Yuri Martins, da categoria iniciante, que vinha disputando a liderança com Kenny, finalizou a prova em quarto lugar, também totalizando 295 pontos.

A competição ficou empatada, mas após o quarto critério de desempate, Yuri Martins consagrou-se o Campeão da ARLI 2022.

“O alto nível do campeonato se fez presente com a dedicação e empenho de todos os competidores, amigos e parceiros que estiveram aqui durante as etapas”, comemorou e agradeceu Ícaro Dellai, organizador da prova.

O Campeonato ARLI 2022 foi realizado entre os dias 24 e 25 de junho. Seguindo o sucesso das últimas três etapas, a prova recebeu 188 inscrições, divididas entre cinco categorias: Aberta, Amador, Iniciante, Breakaway Mirim e Feminino.

Ao total, o Campeonato ARLI distribuiu R$ 150 mil em prêmios.

Confira a lista dos Top 10 de campeonato:

  1. Yuri Martins 295 pontos
  2. Kenny Cunha 295 pontos
  3. Marcos Gagheggi 265 pontos
  4. Pedro Antonelli 230 pontos
  5. Marcos Gonçalves 175 pontos
  6. Fernando dos Santos 155 pontos
  7. Mateus Copola 155 pontos
  8. Adilson Magalhães 129 pontos
  9. Rodinei Ravanhani 124 pontos
  10. Tiago Leme da Silva 115
  11. Adenilson Ferreira 155

Pro Tie Down Roping no Campeonato da ARLI

A etapa do Campeonato ARLI 2022 recebeu a categoria Pro Tie Down Roping. A prova ofereceu uma premiação de R$ 35 mil.

Confira a lista de campeões:

1º Kenny Cunha

2º Junior Cesar

3º Bruno Dias

4º Marcos Gonçalves

5º Mickael Garcia

Por: Camila Pedroso

Fotos: Marcelo Mardom

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Rodeio

DivinaExpo recebe provas de Rodeio, Três Tambores, Laço Individual, Bulldog e Laço em Dupla neste final de semana

Um dos maiores rodeios de Minas Gerais, provas serão realizadas entre os dias 3 e 4 de junho, no Parque de Exposições da cidade. DivinaExpo deve receber mais de 60 mil pessoas por dia

Publicado

⠀em

DivinaExpo

Divinópolis, localizada na região oeste do estado de Minas Gerais está em festa, com a realização da 50ª edição da DivinaExpo, uma das maiores e mais importantes exposições agropecuárias do estado.

A etapa, além dos tradicionais shows, receberá provas das modalidades de Rodeio da PBR e Cutiano, Três Tambores, Laço Individual, Bulldog e Laço em dupla. As etapas serão realizadas entre os dias 3 e 4 de junho, no Parque de Exposições da cidade.

Os números da festa são grandiosos. A expectativa é receber 60 mil pessoas diariamente, 220 animais do rodeio cronometrado alojados no parque, além de em torno de 60 competidoras da modalidade de Três Tambores, 90 de Laço Individual, 30 de Bulldog e 40 duplas de Laço em Dupla.

Realizada pelo Sindicado Rural de Divinópolis, a DivinaExpo está comemorando 50 anos de história em uma edição que marca também a volta do evento após dois anos paralisado devido à pandemia.

Na modalidade de Team Roping, será oferecido como premiação 100% das inscrições, não havendo distinção de handcap para inscrição ou premiação. Os competidors podem realizar mais de uma inscrição, desde que com parceiros diferentes. Thiago Lima será o juiz da etapa.

No Laço Individual, serão oferecidos R$ 50 mil em prêmios, sendo R$ 15 mil mais uma fivela ao primeiro colocado, R$ 10 mil ao segundo, R$ 7 mil ao terceiro, R$ 5 mil ao quarto lugar, R$ 3.500 mil ao quinto lugar, R$ 2.100 ao sexto lugar, R$ 1.900 ao sétimo, R$ 1.700 ao oitavo, R$ 1.500 ao nono lugar e R$ 1.300 ao décimo.

Noel Homen de Melo será o juiz da etapa e o gado da Fazenda Limeira, Fazenda Florada e Rancho Colorado (cruzamento industrial).

A modalidade de Bulldog oferecerá R$ 15.500 em prêmios, sendo R$ 4 mil mais a fivela ao primeiro lugar, R$ 3 mil ao segundo, R$ 2.500 ao terceiro, R$ 2 mil ao quarto lugar, R$ 1 mil ao quinto, R$ 500 ao sexto, sétimo, oitavo, nono e décimo lugares.

O julgamento ficará a cargo de Noel Homem de Melo.

Finalizando, a modalidade de Três Tambores, em parceria com a Associação Nacional dos Três Tambores (ANTT), oferecerá R$ 17 mil em prêmios, com valores especiais de inscrições para as afiliadas à ANTT.

Informações e inscrições para todas as modalidades podem ser realizadas pelos telefones: (37) 9 9987-6703 (Romeu Gomes) ou (37) 9 8832-303 (Amanda).

A DivinaExpo

Idealizada por José Gontijo, conhecido como Zé Capitão, a DivinoExpo teve sua primeira edição em 1969, e tinha como objetivo promover o agronegócio e proporcionar momentos festivos aos produtores rurais da região.

A família já realizava montarias no Bairro Niterói, que na época era conhecido como Charqueada.

A primeira edição da festa foi realizada em um dos terrenos da família e foi chamada de Exposição Agropecuária e Industrial de Divinópolis, que em 1972, se tornou a DivinaExpo.

Hoje, a festa se tornou um dos maiores rodeios da região, movimentando a economia regional.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Divulgação

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Tie-down Roping

Grandes disputas e emoção marcam ES Roping de Laço Individual realizada no Haras Sulera

Categoria 4 de Laço Individual foi o grande destaque da rodada, com a diferença mínima entre os competidores na etapa final ainda

Publicado

⠀em

Bem-estar dos bezerros é regra durante as provas de laço

Disputas acirradas marcaram a etapa deste final de semana da ES Roping de Laço Individual, realizada no Haras Sulera, em Bálsamo/SP.

Ao todo, 150 competidores dos estados de Goiás, Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio de Janeiro, entraram nas duas pistas do haras em busca da premiação total de R$73 mil, uma das maiores do ano.

A etapa recebeu as modalidades de Breakway Roping, Feminino, Jovem e Laço individual.

A etapa da ES Roping de Laço Individual foi afiliada à Associação Nacional do Laço Individual (ANLI), com suas pontuações somadas ao ranking final da entidade.

Campeões no Laço Individual

O grande destaque da rodada foi a Categoria 4. Daniel Lopes, José Netto, Marcos Nocolielo e Kenny Cunha chegaram praticamente empatados na rodada final, quando Daniel Lopes levou o título com 8s233, seguido por Netto, Nocolielo e Cunha.

“Foi uma prova fantástica, com os laçadores praticamente empatados na rodada final, mostrando a qualidade técnica dos competidores”, frisou Lucas Vilalta, organizador da prova.

Na Categoria 1, Donizete Vieria foi o grande campeão, seguido por Pedro Scatimburgo, Ivanio Lemo e José Corte.

Na Categoria 2, Felipe Penha foi o grande campeão com 12s687, seguido por Feilpe Penha, Gabriel Santos, Diego Bianco e Matheus Copola.

Na Categoria 3, Fabiano Batista, com o tempo de 11s49 foi o grande campeão, seguido por Adriano Pauliélio, Adriano Ribeiro e Vitor Kupper.

No Breakaway Feminino, Lavínia Dias, com o tempo de 3s58 foi a grande campeã, seguida por Ana Clara Paulini Dias, Ana Rosa Ferreira de Paula e Gabriela Savio.

No Breakaway Júnior, com o tempo de 3s77 foi o grande campeão, seguido por Gabriel Antonelli, José Corte, José Alveranga e Gabriel Gregório.

“Gostaria de agradecer a todos que prestigiaram nosso evento e abrilhantaram as duas pistas da nossa casa”, agradeceu Vilalta.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Rodolfo lesse

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Tie-down Roping

Sucesso a parceria entre ANLI e ABQM no Congresso

Recorde de inscrições, com crescimento de 30% com relação a edição anterior e premiação adicional da ABQM marcaram a passagem do Laço Individual pelo evento

Publicado

⠀em

A parceria entre a Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM) e a Associação Nacional do Laço Individual (ANLI) na modalidade de Laço Individual no 31º Congresso Brasileiro do Quarto de Milha – Trabalho e Conformação foi um sucesso.

Nesta edição, a modalidade de Laço Individual contou com 1030 inscritos, um crescimento de 30% com relação a edição anterior. No Breakaway, outro recorde surpreendente: aumento de 70% das inscrições.

Segundo o presidente da ANLI Fábio Parizi, o Congresso foi muito positivo para a ANLI. “Foi um evento histórico, com recordes de inscrições, conjuntos com muita qualidade nas pistas. Essa parceria colabora para fomentar nosso esporte no Brasil”, comenta.

O apoio da ABQM foi muito importante para a modalidade de Laço Individual no Congresso. As associações realizaram uma congruência e os competidores que ganharam dinheiro na modalidade cronômetro, tiveram seus valores adicionados no ranking final da ANLI.

“No final do ano selecionamos os 15 melhores laçadores para a grande final da ANLI, aliás, a edição deste ano será histórica. O ranking é resultado da soma dos valores conquistados ao logo do ano, e o resultado do Congresso será adicionado a este ranking, colaborando ainda mais com nossos atletas”, afirmou o presidente.

A ABQM adicionou ainda uma premiação extra à modalidade, para incentivar ainda mais os laçadores. “Para se ter uma ideia do apoio, o primeiro colocado da categoria Aberta Livre somou mais de R$ 26 mil”, ressaltou.

Resultados do Laço Individual

A modalidade de Laço Individual estreiou na quinta-feira (21) na Arena RAM. O grande destaque dessa edição ficou para o laçador Kenny Cunha, que pasmem, ganhou apenas as quatro primeiras colocações na categoria Laço Individual Técnico Aberta Junior.

Shinning Tari LFRB, VPJ Blacked Out Pop, MR Spark Pop e Ronda Roosters RCR, respectivamente, foram os animais que ele montou e o ajudaram a bater essa surpreendente marca.

E não parou por ai. O laçador ainda conquistou o primeiro lugar na categoria Aberta Sênior, montando Son Ofa Dunit RLE.

“Parece que cada vez que eu chego é a primeira vez, e quando você vem com uma constância boa, parece que cada vez você está com mais adrenalina, mais vontade de vencer”, ressaltou Kenny Cunha.

“Ver o Kenny em pista, para quem é apaixonado pela modalidade é muito prazeroso. Ele, com certeza, é um dos melhores laçadores do país na atualidade. Ele é um laçador muito técnico, conquistou muitos títulos tanto no cronômetro quanto no técnico, tem um trabalho diferenciado. Ele conta com o apoio incondicional da sua família, seu pai, irmãos Renato e Jeferson, eles têm um trabalho fantástico de treinamento de cavalos de laço. É uma excelente equipe que colabora com o desempenho de Kenny, um rapaz jovem, muito educado, fácil de conversar. Um atleta incrível”, apontou Fábio Parizi.

Outro destaque da modalidade foi o campeão da categoria Aberta Livre, Marcos Mendonça Andrade Nicolielo, que montado em Dream in Spooky conquistou o primeiro lugar com o tempo de 8s535.

Com o resultado, ele passa a liderar o ranking da ANLI.

Julgamentos do Laço Individual no Congresso

Ainda de acordo com o presidente, nesta edição os juízes do Congresso realizavam uma avaliação nos animais a fim de dar as mesmas condições aos atletas. “Se o animal não desse condições de pista ao atleta, o juiz oferecia uma nova oportunidade de laço com outro animal. Essa era uma argumentação constante e foi uma grande conquista”, declarou Parizi.

Confiança da ANLI

Das 640 inscrições realizada para a modalidade de Laço Cronômetro no Congresso, 313 foram agregados ao ranking da ANLI. Ao se inscrever na modalidade, o atleta optava se queria adicionar seus ganhos ao ranking. “Este número mostra o quanto os atletas estão confiando na nossa associação e enriquece nosso esporte”, finaliza Fabio Parizi.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Miguel O. Filho

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Tie-down Roping

Della Ranch recebe 3ª etapa do Campeonato ARLI de Laço Individual

Expectativa é receber 220 competidores em busca da premiação oferecida pela ARLI. Provas de Laço Individual receberão boiada especial

Publicado

⠀em

O Della Ranch, localizado em Santa Cruz da Conceição (SP) recebe neste final de semana (29 e 30) a 3ª etapa do Campeonato ARLI 2022 de Laço Individual.

Segundo o organizador da etapa, Ícaro Dellai, a expectativa é receber 220 inscrições de laçadores em busca do prêmio de R$ 100.000,00, dividido entre quatro etapas. A próxima será realizada nos dias 24 e 25 de junho de 2022, todas no mesmo local.

A qualidade do gado disponível nessa etapa surpreende. Segundo Dellai, a tropa do evento é oferecida pelo Della Ranch, Ricardo Simarelli do Rancho São Francisco, Fábio Pereira do Rancho Tikiva e o gado que correu as provas de Breakaway e a categoria Amador, do Congresso da ABQM, ambas realizadas no domingo último.

Cronograma

A categoria Aberta e Profissional será realizada na sexta-feira, na sequência corre a etapa da Pro Tie-Down Ropping.

No sábado, correm as categorias de Laço Individual 1, 2 e 3 e finaliza com a modalidade de Breakaway.

Durante a etapa, cada prova contará com dois rounds, e os cinco melhores tempos de cada round se classifica para o Short Go, que conta com apenas 10 competidores.

O primeiro colocado de cada categoria soma 100 pontos, o segundo 80, o terceiro 60, o quarto 40, o quinto 20, sexto 18, sétimo 16, oitavo 14, novo 12 e o décimo 10 pontos.

Atrações não faltam no Laço Individual

A expectativa da organização é receber 600 pessoas entre os dois dias de provas. “Temos uma praça de alimentação completa, arquibancada com bancos, tudo para dar mais conforto e comodidade aos amantes da modalidade de laço”, finaliza Dellai.

Por: Equipe Cavalus Comunicação

Fotos: Marcelo Domeniqueli/MarDomPhotos

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Tie-down Roping

1ª Etapa da Copa Vale do Ivaí retorna depois de dois anos de pausa

Com recorde de inscritos, mais de 120 conjuntos entraram na pista em busca da premiação de 80% do valor das inscrições

Publicado

⠀em

Lindianópolis (PR) recebeu neste final de semana a 1ª Etapa da Copa Vale do Ivaí de Laço Individual.

A etapa, credenciada pela Associação Nacional do Laço Individual (ANLI), teve recorde de inscritos, com mais de 120 conjuntos entrando nas disputas pela premiação de 80% do valor das inscrições.

Todos os animais que participaram do evento tiveram que apresentar os exames de Anemia Equina e Mormo a fim de garantir a segurança e o bem-estar da tropa.

A Copa Vale do Ivaí é dividida em quatro etapas, e devido à pandeia estava paralisada desde 2020.

“Com a volta das provas, recebemos um grande número de competidores nesta primeira etapa, não apenas do Vale do Ivaí, mas também de outras cidades, além de um grande número de público que compareceu para prestigiar o evento”, comemorou Sandra Loures, presidente da Associação de Cavaleiros e Comitiva São Sebastião de Lidianópolis e uma das responsáveis pela organização do Campeonato.

Laçada do bem durante a Copa Vale do Ivaí

Nessa edição, além das provas de laço, o público pode desfrutar da praça de alimentação com serviço de bar completo, com toda a arrecadação do espaço destinada à APAE do município.

“Neste ano, cedemos este espaço para a APAE poder comercializar produtos e assim levantar fundos à instituição, uma maneira de colaborarmos com o trabalho tão importante da APAE”, enfatiza Sandra.

Grandes campeões

Na Categoria 4, o primeiro lugar ficou com Fabiano Barbosa, seguido por Fernando Fernandes e Douglas de Oliveira.

Já na Categoria 3, Murilo Pereira foi o grande campeão, seguido por Júlio Gutendorff e Fabiano Barbosa.

Marlos Fernandes foi o grande campeão da Categoria 2, seguido por Julian Sena e Lucas Otávio.

Fechando a lista, na Categoria 1, Lucas Araújo foi o grande Campeão, seguido por Marcelo Sérgio e Cauã Pedroso.

Na Categoria Mirim, João Lucas Damasceno foi o grande campeão, com Lorena Lopes no segundo lugar.

Na modalidade de Breakaway, a primeira coloca foi Ana Clara Dias, seguida por Daniela Eduarda.

As próximas etapas da Copa Vale do Ivaí de Laço individual 2022 serão: segunda etapa 11 de junho, terceira etapa 13 de agosto e quarta etapa (final) 01 de outubro. Outras informações, clique aqui.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Divulgação

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Categorias

COPYRIGHT © 2021 CAVALUS. TODOS DIREITOS RESERVADOS
ESSE SITE É PROTEGIDO PELO GOOGLE RECAPTCHA
POLÍTICA DE PRIVACIDADE | TERMOS DE SERVIÇO