Vaquejada

Micheline Carvalho atua com bem-estar animal no esporte equestre

Formada em Zootecnia, Micheline Carvalho é uma das mulheres que trabalha zelando pelos cuidados com cavalos e bois no esporte

Micheline dos Santos Carvalho, de Maceió/AL, hoje mora em Marechal Deodoro/AL. Autônoma, tem entre suas frentes de atuação no mercado equestre a equinocultura e o bem-estar animal. Formada na segunda turma de Zootecnia da UFAL – Universidade Federal de Alagoas, ela sempre esteve ligada ao meio esportivo e ao bem-estar animal.

Além disso, também é Inspetora da ABC Paint e juíza de Bem-Estar Animal pela ABVAQ desde 2017. Entre os projetos, Micheline, que é pioneira como instrutora do ‘Curso de Formação para Tratadores de Equinos’, espera poder continuar focando seu dia a dia na formação de mão de obra capacitada para o setor.

Conversamos com ela, confira!

Micheline Carvalho atua com bem-estar animal no esporte equestre Formada em Zootecnia, ela é uma das mulheres que trabalham zelando pelos cuidados com cavalos e bois no esporte
Crédito da foto: Divulgação/Anderson Cavalcanti

Cavalos

“Desde criança sempre gostei de cavalos e sempre tive o foco de que quando fosse adulta iria trabalhar com eles. Em 1999 fiz minha primeira participação como estagiária na Expoagro de Alagoas, na área de equinos e, desde esse dia, nunca mais deixei de mexer com cavalos.

Meu seguimento sempre foi ligado às raças Quarto de Milha e Paint Horse. Um grande exemplo que segui desde a faculdade foi a atuação do zootecnista na área, uma grande inspiração, meu mestre querido Dr Travassos. Zootecnista de respeito em nossa região.

Micheline Carvalho atua com bem-estar animal no esporte equestre Formada em Zootecnia, ela é uma das mulheres que trabalham zelando pelos cuidados com cavalos e bois no esporte
Crédito da foto: Divulgação/Anderson Damasceno

Eu monto, mas nunca competi de forma séria. Brinquei algumas vezes com Vaquejada, mas preferi ficar na parte mais árdua que é bem-estar mesmo. Já arrisquei também nos Três Tambores, um esporte apaixonante”.

Bem-estar animal

“O bem-estar para mim foi mais fácil, porque eu já tinha a experiência como juíza em provas de Vaquejada pela ABC Paint (cavalo Paint Horse). Ingressar como juíza de bem-estar de Vaquejada pela ABVAQ veio mais fácil. Contudo, um pouco mais árduo, pois para os criadores de raça os regulamentos já existiam, já para cavalos sem registro não.

Micheline Carvalho atua com bem-estar animal no esporte equestre Formada em Zootecnia, ela é uma das mulheres que trabalham zelando pelos cuidados com cavalos e bois no esporte

A minha primeira prova como juíza de bem-estar animal foi pela ABC Paint, em agosto de 2015, em Santa Cruz/RN, durante o Nacional de Vaquejada da Raça Paint. Entretanto, como juíza de bem-estar da ABVAQ foi em janeiro de 2017, no Parque de Vaquejada Ulisses Miranda, em Palmeira dos Índios/AL

No começo, houve muita resistência e até mesmo problemas sérios por causa da falta de orientação. Na época, por ser algo novo, o ‘não pode’ causou muitos problemas iniciais. Assim, até se estabelecer a informação para toda a vaqueirama muita ‘água rolou’. Hoje, apesar de sempre haver um que resista às regras, muito se evoluiu. Mas ainda se tem muito a ser feito”.

Desafios

“Como toda atividade, o juiz de bem-estar animal precisa estar sempre atento para exercer um bom trabalho. Desse modo, prestamos atenção em equipamentos cortantes e os velhos costumes que vemos em alguns competidores, que são completamente inaceitáveis nos dias de hoje. Essa função, sem dúvida, já é mais respeitada, mas ainda se tem muito para evoluir.

E tem o fato de ser mulher nesse meio. Porém, como eu e algumas colegas seguimos a linha ‘dura’ de Dr Travassos, fica mais fácil trabalhar. Não me intimido em fazer meu trabalho. O que está escrito no regulamento se cumpre na íntegra.”

Micheline acabou de ser mãe do pequeno Miguel Henrique

Fique por dentro: @suprianimal

Por Luciana Omena
Crédito das fotos: Arquivo Pessoal

Veja mais notícias da modalidade Vaquejada no portal Cavalus

X