Égua do país vizinho conquistou o primeiro lugar na categoria das fêmeas enquanto nos machos filho de campeão da modalidade teve a vitória

Com grande número de concorrentes, mais uma seletiva ao Freio de Ouro foi disputada com final doa 16 de junho. No Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS, se classificaram 16 exemplares, oito machos e oito fêmeas, para a grande final da modalidade. Promovida pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos, ocorrerá no primeiro final de semana da Expointer.

Depois de quatro dias de provas, com a colaboração do tempo, que permitiu pista seca aos participantes, a classificatória gaúcha teve vitória nas fêmeas da égua Jaguel Olimpica (foto de chamada), da Cabanha Septiembre, de Maldonado, Uruguai, montada pelo ginete Cláudio Fagundes. Já nos machos, o primeiro lugar no pódio ficou com o cavalo Jangadeiro do Nonoai, da Cabanha Santa Luiza, de Nonoai, guiado pelo ginete Guto Freire.

Na final do Freio de Ouro, assim como em suas credenciadoras e classificatórias, os cavalos passam por duas avaliações: Morfologia e Funcionalidade. Na segunda etapa, são realizadas provas de Andadura, Figura, Volta Sobre Patas e Esbarrada, Mangueira, Prova de Campo ou Paleteada. E toda a programação acontece sempre em quatro dias.

Freio de Ouro
Jangadeiro do Nonoai . Fotos: Fagner Almeida

A campeã, para o administrador da cabanha uruguaia, Álvaro Rubio, é uma grande descoberta. “Ela é magnífica. Tem apenas cinco anos e se revelou muito melhor do que acreditávamos”, avaliou, acrescentando que a preparação e a busca pela qualidade são constantes. “Estamos muito orgulhosos e rodeados de excelentes profissionais. Já participamos dez vezes de finais e fomos a primeira cabanha do país a ganhar um Freio de Bronze. Este ano temos altas expectativas”.

Sérgio Turra, representante do Condomínio Balaqueiro, expositor de Jangadeiro do Nonoai, afirmou que esta vitória representa o reinício de uma história. Lembra que o cavalo esteve na final do Bocal de Ouro e não conseguiu chegar na última prova. “Hoje ele carimbou um passaporte importante para a final do Freio de Ouro, prova que o pai dele, o Balaqueiro do Nonoai, já foi campeão”, destacou, afirmando que agora é seguir confiando no ginete Guto Freire para aprimorar o que o Jangadeiro do Nonoai apresentou até aqui e poder sonhar com o pódio novamente.

O presidente da ABCCC, Francisco Fleck, observou a qualidade da classificatória e do trabalho da equipe da entidade na organização. “O clima ajudou, com um fim de semana de sol, o que facilitou a seleção dos animais”.

A próxima parada do Freio de Ouro já ocorre neste final de semana, em Araranguá/SC, na classificatória que junta os Estados de Santa Catarina e Paraná. Resultados completos. www.abccc.com.br.

Freio de Ouro
Exposição Morfológica Goiânia. Foto: ABCCC/Divulgação

Em tempo – Com um crescimento de 7,25% em 2018, chegando a uma manada de 1,48 mil animais registrados, segundo a ABCCC, o Estado de Goiás ganhou mais um ponto de referência do Cavalo Crioulo. No final de maio, foi inaugurada no Parque de Exposições da capital goiana a sede do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos do município.

Durante a inauguração oficial, o presidente do Núcleo Goiano, João Adriano da Silva, falou sobre as perspectivas de fomento e crescimento da raça Crioula, agora com a atuação do novo núcleo na região, inaugurado em dezembro do ano passado.

“Finalmente conseguimos estabelecer este Núcleo com uma sede para confraternizar. Queremos agradecer a todos que, de um jeito ou de outro estão contribuindo para este momento. Este é o início de um processo e temos tudo para crescer”, destacou.

Na ocasião também ocorreu a primeira exposição morfológica oficial do Cavalo Crioulo durante a Exposição Pecuária de Goiânia, que teve como jurado Francisco Carlos Habowski. A Grande Campeã entre as fêmeas foi a égua Magia da Savana. E nos machos o Grande Campeão foi El Barquero 13 Traful.

Colaboração: Assessoria de Imprensa

Escreva um comentário