Mangalarga Marchador

Top Marchador: histórias da linhagem Favacho e Traituba que inspiram criadores

Publicado

⠀em

Confira as lembranças da Fazenda Favacho pela matriarca Nízia Aguiar Andrade e, depois, da Fazenda Traituba pela Alice Aguiar Junqueira

“A princípio, minha história com os cavalos, iniciou-se logo na infância. Afinal, sempre demonstrei interesse pela fazenda e também acompanhava meu pai, José Ananias Ferreira de Aguiar, nas caçadas de veado. Nasci e fui criada na fazenda Campo Alegre, em Santo Antônio do Amparo, Mina Gerais.

Em 1953, casei-me com Rubens Junqueira de Andrade, o filho caçula de Gabriel Fortes Junqueira de Andrade (Cel. Bilota) e Josefa. Minhas irmãs, Júlia e Alice Aguiar, casaram-se antes com Ivan e Oswaldo Junqueira, primos de Rubens. A partir de então fui morar na fazenda Favacho, em Cruzília, Minas Gerais, onde vivemos por mais de 40 anos.

Acima de tudo, sempre tivemos uma convivência muito próxima na Traituba, em função de Alice ser minha irmã, Rubens e Oswaldo primos e por causa da proximidade das terras.

Na Favacho, minha relação com o Marchador foi se tornando cada vez mais constante. A fazenda era muito grande, tínhamos cerca de 10 retiros de leite. Da sede até a Serra do Favacho, lugar onde os cavalos eram criados, sempre a pasto, cavalgava-se em média 15 quilômetros. E como eu não me contentava em cuidar exclusivamente da casa, fazia questão, aliás, de acompanhar a lida de perto.

Primeiramente, tivemos três filhos: Haroldo, Gabriel (o inesquecível Bié) e Rubens (o Rubinho). Todos eles continuaram fazendo um trabalho muito bonito de seleção e criação, o resultado está aí… Afinal, a genética Favacho é considerada referência no cenário de reprodução de equinos, contribuindo com os principais plantéis da raça, dando origem a cavalos extremamente marchados, reconhecidos e premiados nacionalmente.

Inevitavelmente, o Mangalarga Marchador sempre esteve presente em nossa vida, nos proporcionando muitas alegrias. As exposições de Caxambu e Lavras, entre os anos 50 e 60, foram inesquecíveis, eram festivas reuniões de amigos agropecuaristas.

Antes de mais nada não posso deixar de relembrar da década de 80, época em que o Favacho Quociente e a Favacho Sina fizeram muito sucesso. Depois, na década de 90, teve a ocasião em que o Favacho Único e o Favacho Estanho foram campeões em Brasília. Essa dobradinha foi sensacional.

E falando em dobradinha, já nos anos 2000, o Favacho Diamante foi o Grande Campeão e a Favacho Escala sagrou-se Grande Campeã da Exposição Nacional. Recebemos com muita alegria o título de Segundo Maior Criador do País.

Durante um período a nossa tropa foi considerada fora de moda, mas, como este fato não mudou nossa concepção, conquistamos depois vários títulos nacionais de marcha. Um momento muito significativo foi quando colocamos três cavalos entre os dez melhores reprodutores da raça.

Nosso maior prazer é, sem dúvidas, criar. Quando animais de genética Favacho são reconhecidos e consagrados nos campeonatos, é uma alegria enorme para nós, independente de sermos ou não os proprietários dos indivíduos. O Favacho Estanho, por exemplo, possui três filhos que foram Campeões dos Campeões Nacionais de Marcha, inclusive a atual da raça, Sussu El Far.

Outro momento recente e emocionante do meio em que participamos foi a inauguração do Museu Nacional do Cavalo Mangalarga Marchador em Cruzília. É gratificante, portanto, ver que a história da raça não só está sendo preservada, como divulgada e à disposição de todos, de forma interessante, moderna, coerente e muito bonita. História da qual fazemos parte.

A base das tropas Favacho, Lobos e JF é a mesma, pois os reprodutores que comandaram, respectivamente, os criatórios dos irmãos Rubens, Bento e Geraldo eram do cruzamento entre o Armistício e a Onda, que foram: o Gesso para a JF, Jango para os Lobos e o Candidato, que ficou conosco na Favacho, portanto Candidato é o reprodutor de maior importância para nós, uma vez que todos os nossos animais descendem dele.

Não posso deixar de mencionar, aliás, alguns de seus filhos, como o Radical, que nos deixou o Farol e a Fumaça, que veio a ser mãe da Sina e do Quociente, que geraram Estanho, Malta e Dama, que com o meio irmão Estanho nos deu a Invicta.

Além da Rassunda, mãe da Mexicana, que com o Chimango nos deu o Teorema. O Chimango nos deixou também a Surpresa, que por sua vez gerou a Escala e a Zazueira. Rassunda foi mãe também do Farol e da Passarela, mãe da Ilíada. O Candidato também nos deixou a Tesoura e o Albatroz, que com a Dengosa foi o pai da Havana, que nos deixou o Único e a Xuxa, mãe do Diamante, Gesso, Iate e Radiola.

Mencionei alguns, mas seus descendentes continuam nos orgulhando através da reprodução Brasil afora. Além disso, é importante ressaltar que mantínhamos no máximo 15 matrizes e 2 garanhões na fazenda Favacho. Optamos pela qualidade, não quantidade.

Deixo aqui uma referência ao Valusse e ao Quati, que foram os cavalos da minha sela e do Rubens por quase 15 anos. Atualmente, meu contato com os animais gira em torno dos filhos, netos e bisneto. Uma paixão em comum que nos une ainda mais.

Com a proposta de preservar e evoluir esta genética bicentenária, fundamos a Linhagem Favacho Ltda. Os sócios que a integram desenvolvem um trabalho de seleção rigoroso dos animais e de fusão da marca.

Mário Lúcio Borges, nosso amigo e co proprietário da marca Favacho, nos presenteou com o potro batizado de Armistício, uma homenagem ao Armistício da Consulta, pai do lendário Candidato. Favacho Armistício hoje é o nosso reprodutor chefe e encontra-se em Oliveira, aos cuidados do meu filho Haroldo e meu neto João Augusto.

Recentemente dividi as cotas da Linhagem Favacho Ltda. e os animais entre meus filhos: Haroldo; Jayme, José Ananias e Níbia (meus netos e filhos do Bié, meu filho que faleceu) e Rubinho.

Acho importante possibilitar que eles, cada qual a sua maneira, deem continuidade. Acredito que serão fiéis as características da linhagem, priorizando a funcionalidade, a resistência e a comodidade dos animais. Espero que sigam firmes no propósito, independente de modismos, e que continuem trabalhando com seriedade, humildade, competência e honestidade”.

* Nízia Aguiar Andrade veio a falecer no início desta semana. O portal Cavalus se solidariza com toda a família.

Alice Aguiar Junqueira

Natural de Santo Antônio do Amparo, Alice Aguiar Junqueira, hoje com 86a nos, mudou-se para Cruzília, em 1949, para se casar com Oswaldo Cruz de Azevedo Junqueira. Mas sua história e paixão pelo cavalo começou bem antes…

Alice conta, com carinho, que, ainda na casa de seus pais, na Fazenda Campo Alegre, o cavalo sempre teve grande importância para toda a família. Acima de tudo, era usado na lida, no lazer ou como meio de transporte.

Naquela época, era a única forma que muita gente tinha de se deslocar de um lugar a outro. Para estudar, por exemplo, ainda menina, Alice percorria uma légua de distância sobre o lombo de um cavalo quando assistia aulas na fazenda da avó.

De acordo com ela, cavalo bom era aquele que aguentava o “batidão”. Muitos eram identificados durante as caçadas, das quais o pai de Alice tanto gostava. Com uma saudade evidente na voz, ela diz se lembrar de ver o pai praticar o esporte, montado em exemplares imponentes e ágeis. Atividade sempre feita em grupo e que, às vezes, levava uma semana inteira.

Com tanta vivência em meio ao cavalo, não foi difícil entrar no ritmo da Fazenda Traituba, onde ela passou a morar depois de casada, na época com 19 anos. No criatório, sempre se identificou bastante com as paixões do esposo e da família Junqueira.

Consequentemente, vieram os filhos do casal e, inevitavelmente, o gosto por criar Mangalarga Marchador também tomou conta deles! O cavalo, como interesse em comum, fez, sem dúvidas, com que a família se unisse ainda mais.

De antemão, questionada a respeito do cavalo que mais marcou sua vida, Alice não tem dúvida e responde com precisão: “O Rádio, né?!” Garanhão que fez história não só na Fazenda Traituba, mas também em outros grandes criatórios, como Bananal e Cabeça Branca.

Por fim, a simpática senhora espera continuar vendo seus descendentes se dedicarem cada vez mais ao Mangalarga Marchador e deixando assim viva a memória de seu saudoso esposo.

Por Top Marchador
Crédito das fotos: Reprodução/Top Marchador

Veja mais notícias sobre o Mangalarga Marchador no portal Cavalus

Mangalarga Marchador

Estão abertas as inscrições para a 39ª Exposição Nacional do Mangalarga Marchador

Evento mais esperado da raça Mangalarga Marchador ocorrerá entre os dias 18 e 30 de junho, no Parque da Gameleira, em Belo Horizonte/MG

Publicado

⠀em

Mangalarga Marchador

Estão abertas as inscrições da 39ª Exposição Nacional do Cavalo Mangalarga Marchador. O evento mais esperado da raça será realizado entre os dias 18 e 30 de junho, no Parque da Gameleira, em Belo Horizonte/MG.

Nestes 13 dias de festa, a família Mangalarga Marchador, além de acompanhar em pista os julgamentos dos melhores animais da raça, terá oportunidade de aprofundar os laços de amizade e resgatar histórias de paixão pelo cavalo. 

Realizada pela Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), a Exposição Nacional acontece anualmente desde 1982. Mas, devido a pandemia da Covid 19, nos anos de 2020 e 2021 a festa foi suspensa. Por esta razão, esta edição será ainda mais especial.

Os eventos classificatórios para a Nacional do cavalo Mangalarga Marchador acontecerão até o dia 19 de junho.

Inscrições para 39ª Exposição Nacional do Mangalarga Marchador

Com o número de vagas limitado a 1.590 animais participantes, as inscrições serão encerradas no dia 21 de junho de 2022 (terça-feira) ou antes, caso se esgotem as vagas disponíveis.

Os animais serão inscritos exclusivamente pelo portal da ABCCMM.

Pausa de dois anos devido à Covid-19

Em 2020 e 2021, a ABCCMM não realizou a Nacional em função da pandemia. Mas realizou dois eventos muito importantes a CBM de Macha Batida, no Rio de Janeiro e a CBM de Marcha Picada em Salvador/BA, eventos grandiosos, com recorde de inscrições, animais, público e transmissão ao vivo pela internet.

Mesmo com os impactos da pandemia, a raça continuou em plena expansão e fechou 2021 com 21 mil associados e 700 mil animais vivos inscritos, sendo considerada a maior do país.

Serviço:

39ª Exposição Nacional do Mangalarga Marchador

Data: 18 a 30 de junho

Local: Parque da Gameleira, em Belo Horizonte/MG.

Mais informações: ABCCMM

Por: Camila Pedroso

Fotos: Arquivo

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga Marchador

Varginha recebe Exposição Brasileira do Criador 2022

De 20 a 28 de março, no Parque de Exposições de Varginha (MG), apaixonados pela raça poderão acompanhar provas de Marcha e Morfologia

Publicado

⠀em

Varginha (MG), novamente é palco da Exposição Brasileira do Criador, evento oficial raça Mangalarga Marchador, que é realizado até o próximo dia 28.

Com participação de 410 animais, exclusivamente Mangalarga Marchador, de Marcha Picada e Batida, andamentos característicos da raça, o evento reúne toda infraestrutura necessária para atender com conforto e bem-estar criadores, animais e fãs da boa marcha que passarem pelo Parque de Exposições de Varginha.

Além de assistir aos campeonatos de Marcha e Morfologia, os visitantes também têm a oportunidade de aproveitar de um espaço de lazer completo, incluindo boa gastronomia e shows musicais no período noturno.

A raça em Minas Gerais

A Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), fundada em 1949, possui, hoje, 21 mil criadores associados. Deste total, 11.174 sócios estão situados em Minas Gerais. O estado também possui o maior número de animais registrados, são 287.249 exemplares. No plantel nacional constam 708 mil animais.

A importância do Sul de Minas Gerais para o Mangalarga Marchador não está apenas em sua origem. Destaque em toda a trajetória da raça, atualmente, a região abriga 43.851 animais e 954 criadores credenciados.

Cabe ressaltar ainda que, desde 2014, o Mangalarga Marchador é reconhecido pela Lei Federal nº 12.975 como a Raça Nacional. Cômodo, multifuncional e dócil, é utilizado na lida diária das fazendas, em cavalgadas, Exposições, Copas de Marcha e Provas Esportivas.

Por: Assessoria de Imprensa ABCCMM

Fotos: Divulgação/ABCCMM

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga Marchador

Varginha recebe Exposição Brasileira do Criador

Com organização da ABCCMM, tradicional evento da raça será realizado de 20 a 24 de março, no Parque de Exposições da cidade

Publicado

⠀em

Boa notícia para o criador de Mangalarga Marchador!

De antemão, a Exposição Brasileira do Criador, realizada pela Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), já tem data marcada: de 20 a 27 de março, no Parque de Exposições de Varginha, em Varginha (MG).

Acima de tudo, tradicional evento da raça, a competição reunirá provas de Julgamento, momento, segundo a organização, ideal para avaliar a tropa, rever amigos e curtir de perto exemplares de qualidade de sela, beleza e muita marcha.

Primeiramente, visando valorizar os criadores de todo o Brasil que queiram mostrar nas pistas o trabalho que vem realizando em seus haras, só podem participar do evento animais com o sufixo/prefixo do expositor.

Programação

Os animais realizarão a entrada nos dias 20 e 21 de março (domingo e segunda) e dos dias 22 e 27 (terça a domingo) serão realizados os julgamentos dos animais.

Porém, a programação, informa a organização, pode sofrer alterações.

Atrações

Assim, para dar mais conforto ao criador e apaixonado pela raça, o evento contará com Camarotes para os criadores mais exigentes, além de choperia, Villa Gourmet e áreas comercias para selarias e empresas.

Além de atrações musicais com shows no tradicional espaço Viola e Marcha.

Então, pensando na família do criador, o encontro terá ainda Espaço Kids e Espaço Mulher.

Mais informações no site da associação.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Arquivo

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga Marchador

Mangalarga Marchador nas provas de Enduro

ABCCMM e CBH assinam parceria para estimular a participação da raça nas provas, demostrando a pluralidade da raça

Publicado

⠀em

Balanço 2020: Mangalarga Marchador chega a 19 mil associados

A Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos Mangalarga Marchador (ABCCMM) e a diretoria de Enduro Equestre da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) assinaram um Acordo de Cooperação Esportiva.

Com a iniciativa, a raça passa a participar das provas de Enduro chanceladas pela CBH, estimulando e ampliando o número de modalidades esportivas equestres dentro da raça Mangalarga Marchador.

A parceria se deu devido à aptidão competitiva demostrada pelos exemplares da raça dentro das provas de irregularidades. Com isso, a iniciativa vai incentivar a multifuncionalidade da raça.

De acordo com o diretor da ABCCMM Maurício Camera Pierrotti, o Mangalarga Marchador tem demonstrado boas aptidões para atividades esportivas.

“Essa parceria chega para estimular e ampliar o segmento. Estamos empenhados para esse intercâmbio entre as entidades que será certamente muito enriquecedor. Estaremos presentes nos eventos sendo representados por grandes nomes da raça. Tenho certeza que essa ação trará visibilidade para a raça, que atuará com brilhantismo nos quatro cantos do país”, enfatiza o presidente.

As associações trabalharão em conjunto na divulgação das etapas que o Mangalarga Marchador participar.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Arquivo

Mais notícias sobre o cavalo Mangalarga Marchador no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga Marchador

Exposição Brasileira do Criador 2022 está com inscrições abertas

Evento de Marcha Picada e Marcha Batida será realizado entre os dias 22 a 27 de março, em Varginha (MG). Inscrições vão até o dia 14 de março

Publicado

⠀em

Mangalarga Marchador

A Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo da Raça Mangalarga Marchador (ABCCRMM) divulgou a abertura das inscrições da Exposição Brasileira do Criador 2022, que será realizada de 22 a 27 de março, em Varginha (MG).

A Exposição Brasileira do Criador é destinada para os animais cujo prefixo/sufixo é o mesmo do expositor, válido para cavalos, éguas, potros, potras, castrados e progênies, tanto de Marcha Batida quanto de Marcha Picada.

De acordo com a diretora de Eventos da ABCCMM, Georgina Penna Costa, a competição será oportuna para o criador acompanhar o grau de evolução da tropa escolhida, além de rever amigos.

“Certamente a pista terá muita qualidade com animais provenientes de todo o Brasil. Um evento completo pensado em acolher com carinho a família do Marchador”, enfatizou.

As inscrições podem ser feitas até o dia 14 de março. Informações pelo telefone: (31) 98286-3953 com Ana ou Luciana.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Divulgação

Mais notícias sobre o cavalo Mangalarga Marchador no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga Marchador

Núcleo Bandeirantes realiza 7ª Edição Especializada do Mangalarga Marchador

Evento é realizado no Haras Raphaela/SP e reúne provas de morfologia e marcha

Publicado

⠀em

O Haras Raphaela, localizado em Tietê (SP), recebe entre hoje e o dia 5 de fevereiro a 7ª Edição Especializada do Mangalarga Marchador do Núcleo Bandeirantes.

Durante o encontro, realizado pelo Núcleo Bandeirantes da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), serão realizados julgamentos das provas de morfologia e marcha.

Os melhores animais de cada modalidade serão definidos pelo árbitros Carlos Eduardo Federici de Oliveira, nas provas de morfologia, e Marcio Meirelles Leite nas de marcha.

Ao todos, são quase 300 animais inscritos dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Goiás.

“O diferencial dessa edição é a quantidade de animais inscritos dos mais variados locais do Brasil e a qualidade do evento. Estávamos ansiosos, pois este é o nosso primeiro evento depois da retomada das atividades diante do avanço da vacinação”, comenta Gabriel Köhn, diretor do Núcleo Bandeirantes do Cavalo Mangalarga Marchador.

O evento é transmitido ao vivo pelo canal do YouTube da LR Eventos.

O Haras Raphaela

O complexo Haras Raphaela é o maior e mais completo espaço para a realização de eventos equestres e sociais da América Latina. É considerado referência nacional e internacional em suas quatro frentes de atuação: criatório, recinto, eventos e Raphaela’s Hall.

Localizado há apenas 130 km de São Paulo, na cidade de Tietê/SP, o empreendimento possui infraestrutura de primeiro mundo. Com 35 alqueires, o complexo possui ainda um plantel estrelado com mais de 180 animais das melhores linhagens de Velocidade e Trabalho, 390 baias entre o Haras e o Recinto, Central de Reprodução, além de uma equipe técnica qualificada e especializada.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Divulgação

Mais notícias sobre o cavalo Mangalarga Marchador no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga Marchador

Conheça as principais pelagens do Mangalarga Marchador

Laboratório Allele oferece exame para pelagem tobiana em cavalos da raça, com maior agilidade para associados da ABCCMM, já que recentemente ambos firmaram parceria

Publicado

⠀em

De origem brasileira, a raça Mangalarga Marchador surgiu há cerca de 200 anos na Comarca do Rio das Mortes, no Sul de Minas. Tal surgimento se deu através do cruzamento de cavalos da raça Alter – trazidos da Coudelaria de Alter do Chão, em Portugal – com outros cavalos selecionados pelos criadores daquela região mineira.

De acordo com a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador – ABCCMM, a raça conta com um plantel de 645 mil animais, alimenta 40 mil postos de trabalho diretos e gera cera de 200 mil empregos indiretos no campo.

Desde 2014, o cavalo Mangalarga Marchador é considerado uma raça nacional, sancionada na Lei nº 12.975, sancionada pela então presidente, Dilma Rousseff. O cavalo Mangalarga Marchador possuí mais de 50 variações de pelagens, que é determinada pelos genes, sendo um conjunto formado por pele, pelos, crina e cauda.

Segundo a ABCCMM, em 2019, os tipos mais comuns registrados foram: Tordilho (172.827), Castanha (101.018) e Alazã (48.313). Uma das curiosidades que a associação destaca sobre as pelagens é que existe um fator histórico na grande presença de tordilhos, além disso é o que mais agrada os criadores.

Dito isso, apesar de não estar entre as pelagens mais comuns da raça, nos últimos anos, a pelagem Pampa, também denominada de Tobiana, conseguiu conquistar o seu espaço entre os criadores da raça. Dados da associação apontam que, até 2019, havia o registro de 15 mil animais com essa pelagem.

“A pelagem Pampa é caracterizada pela presença de manchas brancas, despigmentadas combinadas com qualquer outra pelagem da raça. Se a presença das manchas brancas for maior, a designação Pampa virá primeiro, por exemplo, Pampa de Preto. Mas se a cor predominante for outra, a qualificação Pampa, virá depois, por exemplo, se a pelagem de fundo é Castanha, o animal será resenhado como de pelagem Castanha Pampa”, explica a entidade.

Para um cavalo produzir um descendente tobiano, ele precisa ter pelo menos uma cópia do alelo tobiano, considerando que é uma característica dominante. Esses cavalos podem exibir pistas visuais, como “manchas de tinta” ou “pegadas”.

Atualmente, o laboratório Allele, credenciado a ABCCMM, oferece o exame de pelagem Tobiana, que vai apontar se o cavalo produzirá ou não o padrão de pelagem tobiano. Natalie Lekevicius Costardi, biomédica e Diretora Técnica do Laboratório, explica um pouco sobre esse processo.

“O teste genético é a única maneira de ter certeza da composição genética do cavalo. Se um cavalo é heterozigoto, o que significa que tem apenas uma cópia (Tt), e é cruzado com um cavalo não tobiano (tt), há uma chance de 50% por potro de que ele não herdará o gene tobiano. Além disso, podemos determinar se o cavalo é homozigoto (TT) ou heterozigoto (Tt) para o padrão de pelagem. Este conhecimento torna-se especialmente importante durante a criação”, finaliza Natalie.

Por: Equipe Cavalus Comunicação

Fotos: Arquivo

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga Marchador

Retrospectiva 2021 – Cavalo Mangalarga Marchador

Maurício Camera Pierotti, Carlos Saqui e Denílson César de Castro reportaram as conquistas da raça em 2021 e as expectativas para 2022

Publicado

⠀em

Mangalarga Marchador

Na retrospectiva das raças de hoje, nosso bate-papo foi especial. Conversamos com três membros da diretoria da Associação dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM) Maurício Camera Pierotti, diretor de esportes, Carlos Saqui, diretor do colégio de jurados e Denílson César de Castro, diretor administrativo e presidente do Núcleo Bandeirante do Estado de São Paulo.

O trio destacou os principais ganhos da raça em 2021 e comentou sobre a expectativa da associação para 2022.

A ABCCMM conta com 21 mil associados e 700 mil animais vivos inscritos, sendo considerada a maior do país.

Confira a entrevista!

Cavalus Comunicação: Como foi o ano de 2021 para o cavalo Mangalarga Marchador?

Saqui. Eu acho que 2021, apesar da pandemia, foi muito bom para o Mangalarga Marchador, as lives se multiplicaram e elas acabaram agregando muita gente. Coisas que você iria fazer em um evento presencial, para um número “X” de pessoas, a live permitiu que milhares de pessoas assistissem, isso não só no marchador, mas eu acredito que em todas as raças, foi o lado bom da pandemia.

Pierrot: A raça cresceu consideravelmente em 2021 em números de eventos, de animais, comercialização, leilões, então, como Saqui falou, apesar dos pesares, foi um ano muito bom. Esperamos que em 2022 seja ainda melhor.

Castro: 2021 nós tivemos um número grande de eventos, um crescimento, dentro dos padrões da ONS (Organização Mundial de Saúde), a nossa raça aumentou muito o número de eventos mesmo com a pandemia, então para nós de eventos, tanto de esportes quanto de exposição de animais, houve um grande crescimento e uma entrada de novos associados. Inclusive o número de comunicação de nascimentos aumentou muito em 2021, então nós temos uma grande expectativa para 2022, com uma nova diretoria, novos pensamentos, nós temos uma grande expectativa da raça crescer mais ainda.

Cavalus Comunicação: Como foram os leilões da raça?

Saqui. Tivemos quase um leilão por dia. O Mangalarga Marchador possui um mercado muito amplo porque aqueles animais que não servem para pista, eles vão para o esporte ou para a cavalgada, ele tem um leque de opções. O Mangalarga Marchador é um animal dócil, macio, então ele serve para as cavalgadas, para as famílias, e isso para nós é uma honra, motivo de crescimento ainda maior, não só em pista, porque nós falamos muito do cavalo em pista, mas o foco do nosso cavalo são as cavalgadas. Nós temos o esporte também, mostrando a funcionabilidade do nosso cavalo, que ele também serve para o campo, então, é um cavalo multifuncional. E este mercado cresceu demais também, e nós queremos que este grande número de leilões cresça ainda mais devido à este leque de opções do cavalo Mangalarga Marchador.

Cavalus Comunicação: Falando em mercado internacional, como estão os negócios envolvendo a raça?

Pierrotti: Temos criatórios não apenas na Alemanha, como nos Estados Unidos, Argentina, Uruguai, Itália, em vários países e são mãos de 70 associados fora do Brasil.

Castro: Na verdade o que vai se começar a investir mais é na venda de embriões, principalmente para os Estados Unidos, nós temos uma equipe que trabalha lá, temos um técnico de registro residente lá. Nós temos um banco com mais de 60 embriões congelados, com isso você dribla a barreira sanitária inclusive, por causa das doenças tropicais que lá não existem.

Equipe Cavalus: E o que esperar para 2022?

Pierotti: Estamos muito animados com o que vem pela frente, como o Denilson falou, tem uma diretoria nova pela frente, iniciando em janeiro, e estamos com uma expectativa bastante grande.

Equipe Cavalus: como foi a Nacional da Raça?

Pierotti: Este ano nós não tivemos, já são dois anos sem a Nacional em função da pandemia. Realizamos dois eventos muito importantes para a raça, a CBM de Marcha Batida, no Rio de Janeiro e a CBM de Marcha Picada em Salvador, Bahia. Foram eventos grandiosos, muito bons, com recorde no número de inscrições, animais, público, com transmissão via internet.

E o ano que vem, a expectativa é voltar com a Nacional, estamos todos sonhando com isso!

Saqui: As Nacionais são realizadas em Belo Horizonte, em Minas Gerais, e o estado estava muito fechado em função da pandeia, então não tinha como fazer na Gameleira, uma decisão sábia.

Castro. Nós temos uma passagem de pessoas, nos 10 dias da Nacional, de cerca de 220 mil pessoas, então não seria viável, prudente, realizar a Nacional.

Saqui: Pra você ter uma noção, a CBN de Batida e de Picada foram um recorde inclusive de visualizações no YouTube. Elas foram transmitidas ao vivo, uma das maiores visualizações que já tivemos, 800 mil acessos, isso apenas no de Batida.

Pierrotti. Expectadores do Brasil e internacionais, inclusive pessoas que não criam, de outras raças, curiosos, amentes do cavalo em geral. A internet tem essa particularidade, atrai todo mundo, o que foi muito bom!

Castro: Hoje nós somos a segunda maio raça, e em número de associados somos a primeira, com 21 mil associados e 700 mil animais associados, animais vivos, fora os desaparecidos. Então, as expectativas são muito positivas.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Divulgação

Mais notícias no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga Marchador

Parceria entre Allele e ABCCMM permite agilidade em exames aos associados

Laboratório reforça o compromisso com os criadores de todas as raças, contribuindo não só na agilidade da entrega dos exames, como também na qualidade dos mesmos

Publicado

⠀em

Parceria

Uma raça tipicamente brasileira, o cavalo Mangalarga Marchador surgiu há mais de 200 anos na Comarca do Rio das Mortes, no Sul de Minas de Gerais, através do cruzamento de cavalos da raça Alter – trazidos da Coudelaria de Alter do Chão, em Portugal – com outros cavalos selecionados pelos criadores daquela região mineira.

Atualmente, a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador – ABCCMM, tem um registro de mais de 686 mil animais, sendo 21 mil criadores associados. Então, em vista do tamanho deste plantel e a importância da raça na equinocultura brasileira, a Allele, firmou mais uma parceria de peso.

Agora, proprietários e criadores de Mangalarga Marchador poderá contar com acesso mais simplificado aos laudos dos exames feitos pelo laboratório. Além disso, eles contam ainda com a agilidade e qualidade que a Allele já oferece.

Dessa forma, para ter um acesso mais fácil, o criador e/ou proprietário pode acompanhar o laudo do exame enviado para a associação através da sua conta, no próprio site da entidade.

Daniel Borja, presidente da associação, reforça que a parceria contribuirá nas demandas dos associados. “Em busca de atender a demanda dos nossos associados, temos agora mais um laboratório parceiro da ABCCMM para os exames de DNA. Estamos certos que a Allele prestará um excelente trabalho aos criadores. Sejam bem-vindos”.

“Ficamos muito felizes com essa parceria. Estamos trabalhando juntos para que tudo se enquadrasse nos sistemas há uns dois meses. Essa facilidade e interação vai de acordo com tudo que a gente se baseia. Ou seja, tecnologia de ponta, agilidade e excelência no atendimento”, finaliza a Diretora de Marketing e Negócios da Allele, Selly Sayed.

Saiba mais em www.allele.com.br | Siga nas redes sociais @allellebiotecnologia

Colaboração: Cavalus Comunicação Equestre
Crédito da foto: Divulgação/ABCCMM/Kiko Catelli

Veja mais notícias sobre o Mangalarga Marchador no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga Marchador

ABCCMM confirma Campeonatos Brasileiros de Marcha Batida e Marcha Picada 2021

Comunicado foi feito através das redes sociais oficial da associação pelos dirigentes da entidade, que informaram também o cancelamento da Exposição Nacional

Publicado

⠀em

ABCCMM confirma Campeonatos Brasileiros de Marcha Batida e Marcha Picada 2021

Na última quinta-feira (14), a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador – ABCCMM, informou, através de seu Instagram que estão confirmados os Campeonatos Brasileiros de Marcha Batida e de Marcha Picada, a serem realizados neste ano.

De acordo com os dirigentes da associação, Daniel Borja, presidente da entidade, e Adolfo Geo Filho, diretor financeiro, o CBM de Marcha Batida será no Rio de Janeiro (RJ), já o de Marcha Picada, em Salvador (BA).

Ainda no comunicado, os diretores informaram que, essas duas competições, que ainda não têm datas confirmadas, serão as principais disputas calendário da Marcha deste ano. Isso porque foi anunciado também o cancelamento da Exposição Nacional.

“Queremos sempre dar as melhores notícias possível, mas, infelizmente, a Nacional de 2021, nós não vamos conseguir fazer. Um evento que a gente tanto trabalhou, tanto sonhou, mas não deu viabilidade”, comenta Daniel Borja no vídeo.

Ainda segundo Adolfo Geo Filho, o presidente da associação tentou de várias formas, junto à prefeitura, a viabilidade para a realização da Nacional. “Tentamos juntos, mas não conseguimos viabilizar. Mas, em compensação, vamos fazer dois CBM que entrarão para a história do Mangalarga Marchador”, finaliza.

Por fim, os preparativos para os Campeonatos Brasileiros de Marcha Batida e Marcha Picada 2021 começam em breve e todas as informações podem ser obtidas no site da ABCCMM.

Por Heloísa Alves
Fonte: ABCCMM
Crédito e legenda da foto: 13º Campeonato Brasileiro de Marcha Picada – Divulgação/ABCCMM/Sidney Araújo

Veja mais notícias sobre o Mangalarga Marchador no portal Cavalus

Continue lendo

Categorias

COPYRIGHT © 2021 CAVALUS. TODOS DIREITOS RESERVADOS
ESSE SITE É PROTEGIDO PELO GOOGLE RECAPTCHA
POLÍTICA DE PRIVACIDADE | TERMOS DE SERVIÇO