Centrais de Reprodução

CER mantém padrão de excelência para criatórios arabistas

Com moderna tecnologia, a Central Equina de Reprodução vem investindo também em qualificada genética voltada à raça Árabe

Publicado

⠀em

Com moderna tecnologia, a Central Equina de Reprodução vem investindo também em qualificada genética voltada à raça Árabe

Não é de hoje que a Central Equina de Reprodução (CER) é citada como referência no meio do cavalo Quarto de Milha. Afinal, já são mais de duas décadas de atuação no mercado. No entanto, o que alguns podem não saber é que a central coloca toda sua infraestrutura também à disposição dos criatórios arabistas.

Tanto que o médico veterinário Orpheu Ávila Jr., que está à frente da CER, é membro do Conselho Deliberativo Técnico (CDT) da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Árabe (ABCCA). Nesse sentido, Orpheu destaca o que vem sendo realizado pela central em prol da raça.

“Ao longo destes anos, conseguimos manter um banco genético de altíssima qualidade. Desde a importação de sêmen dos principais garanhões internacionais, bem como na produção e congelamento de sêmen em nosso laboratório dos animais nacionais, através de suas brilhantes campanhas nas pistas, se tornaram destaques para exportação”, pontua o veterinário.

Dr. Orpheu realiza análise laboratorial do sêmen coletado – Foto: Divulgação/CER

Para Orpheu, “esse aprimoramento genético vem possibilitando cada vez mais o desenvolvimento e fomento da raça no Brasil”. Deste modo, ele cita alguns nomes que já passaram pela CER: garanhões, El Tino, El Jahez WH, Magnum Chall HVP, HP Ali; e as matrizes: FT Havanna El Keav, RFI Sophie Al Maktub, Honey’s Delight RB, Brunet Arabco, Shavanna El Madan, Lumiar Ethna,

“Sem dúvida isso demostra o total apoio que a central vem realizando para que esse crescimento atinja cada vez mais seus objetivos. Pois além de nossa tecnologia não medimos esforços para colocar ao alcance de todos o que existe de melhor no mundo em relação à genética. E por acreditar nesta parceria, a própria central é também proprietária e criadora de alguns campeões nacionais”, conclui Orpheu.

WH Justice, considerado o melhor filho de Magnum Psyche – Foto: Divulgação/CER

Agende uma visita!

Por fim, Christina Ávila, esposa de Orpheu e responsável pela área administrativa e operacional da CER, aproveita para fazer um convite aos criatórios arabistas: “Além dos plantéis que já conhecem a qualidade e agilidade de nosso atendimento, convidamos novos criadores para nos fazerem uma visita. Estamos em localização privilegiada, na cidade de Boituva (SP), a apenas 120 km da capital paulista”.

Acima de tudo, a CER prima sempre pela qualidade em seus serviços e na busca de avançadas técnicas de biotecnologia da reprodução. Tanto que é credenciada junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Do mesmo modo, a central ainda possui reconhecimento internacional, sendo a única empresa brasileira do segmento certificada na Comunidade Europeia.

Outras informações podem ser obtidas pelos celulares: (15) 98116.9998 – Orpheu / (15) 98117.0008 – Christina / (15) 99771.7278 – Gustavo / (15) 99753.4222 – Administração.

Instagram: @cer_cavalos | Site: www.cer-cavalos.com

INFORME PUBLICITÁRIO
Fonte: Abdalla Jorge Abib (assessoria de imprensa da CER)

Crédito das fotos: Divulgação/CER

Veja mais notícias de Centrais de Reprodução no portal Cavalus

Comentar com o Facebook

Continue lendo

3 Comments

  1. zortilonrel

    23 de novembro de 2020 at 18:55

    Some really excellent info , Gladiolus I noticed this.

  2. zortilo nrel

    26 de novembro de 2020 at 22:50

    so much great info on here, : D.

  3. Haywood Ingle

    3 de dezembro de 2020 at 02:54

    i like this wonderful article

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Centrais de Reprodução

Higienização em garanhões contribui para o bom resultado da coleta

Publicado

⠀em

A Central Equina de Reprodução (CER), através do médico veterinário Dr. Orpheu Ávila Jr., faz um resumo sobre o trabalho com os garanhões antes das coletas

Dando continuidade aos artigos voltados ao período de estação de monta, o médico veterinário Orpheu Ávila Jr., titular da Central Equina de Reprodução (CER), faz mais um importante alerta. Desta vez, sobre a higienização em garanhões antes da coleta de sêmen.

Especialista em clínica e reprodução equina assistida, ele frisa que a higienização é um fator primordial para a garantia de um bom desempenho reprodutivo. Isso além da realização do exame andrológico e ultrassonografia antes do início da estação de monta.

Resumidamente, Orpheu explica que, através do exame andrológico, são examinadas as glândulas anexas do garanhão. Ou seja, por meio de palpação nos testículos será possível ter uma fotografia exata da fertilidade de determinado garanhão.

“Dessa maneira, criaremos um protocolo adequado para o número de coletas semanais. Além disso, saberemos a quantidade de doses que vamos ter a cada coleta. E, sem dúvida, nos ajudará a analisar a qualidade do sêmen para envio”, destaca o veterinário.

Já em relação à ultrassonografia, Orpheu explica que o exame possibilita analisar toda a estrutura testicular e de outras glândulas. Como, por exemplo, ampola e próstata.

“Após a coleta do sêmen é possível verificar a motilidade, a concentração e o volume. Sendo assim, ter uma fotografia exata do produto. E diante desses resultados será possível escolher o melhor diluente a ser utilizado nos garanhões. Acima de tudo, com o objetivo de manter esse sêmen em boa qualidade o maior número de horas possível. Pelo menos até 36 horas”, ressalta.

Dr. Orpheu realiza uma completa análise laboratorial do sêmen coletado – Foto: Divulgação/CER

Higienização: outro fator benéfico

Ainda segundo Orpheu, embora possa parecer um ato corriqueiro, a higienização do animal é necessária. Sobretudo, para se evitar contaminações na hora da coleta.

“A lavagem do pênis do garanhão é um fator de higiene muito importante antes de ser feita a coleta do sêmen. Principalmente na fossa da glande. Com isso, se diminui a maioria da sujeira presente e as bactérias que poderão ir para o sêmen”.

Portanto, a dica do médico veterinário é que a higienização em garanhões seja feita apenas com água morna: “Não se deve utilizar nenhum antisséptico ou detergente. Pois existe uma flora normal no pênis, que está em equilíbrio, e se forem aplicados poderão causar infecções. Decorrente disso, se evitará também a utilização de algum gel lubrificante, que se torna outro fator prejudicial ao sêmen”.

Concluídas estas fases, Orpheu destaca ainda outro ponto que é a análise patológica. “É um procedimento que nos propiciará saber se o garanhão terá algum problema de fertilidade. Assim poderemos manejá-lo para torná-lo fértil e emprenhar o maior número de éguas durante a estação”, finaliza.

Equipe veterinária da CER, comandada pelo dr. Orpheu Ávila (dir.) – Foto: Divulgação/CER

Agende sua visita!

A CER conta com serviços de alto padrão e um know-how de 20 anos no mercado. Neste período, vem trabalhando com selecionados reprodutores e matrizes das raças Árabe, Lusitano, Quarto de Milha e Brasileiro de Hipismo. Mantendo, portanto, o seu slogan “Realizando sonhos, produzindo campeões”.

Por fim, vale destacar que a central está localizada na cidade de Boituva/SP, a apenas 120 km da capital paulista. Os telefones de contato da CER são: (15) 98116.9998 – Orpheu / (15) 98117.0008 – Christina / (15) 99771.7278 – Gustavo / (15) 99753.4222 – Administração. Além disso, é possível mandar um e-mail para cer@cer-cavalos.com.

Instagram: @cer_cavalos | Site: www.cer-cavalos.com

INFORME PUBLICITÁRIO
Fonte: Abdalla Jorge Abib (assessoria de imprensa da CER)

Crédito das fotos: Divulgação/CER

Veja mais notícias de Centrais de Reprodução no portal Cavalus

Comentar com o Facebook

Continue lendo

Centrais de Reprodução

Saiba o que é transmissão da imunidade passiva em potros recém-nascidos

Publicado

⠀em

Dr. Orpheu Ávila Jr, da Central Equina de Reprodução (CER), alerta sobre os cuidados imprescindíveis com os neonatos nas primeiras horas de vida

Em decorrência da barreira placentária das éguas durante a gestação, os potros nascem sem anticorpos circulantes. Por conta disso, a transmissão da imunidade passiva em potros neonatos é de extrema importância. 

Mas, na prática, você sabe o que isso significa? O médico veterinário e titular da Central Equina de Reprodução (CER), Orpheu Ávila Jr., explica que a transmissão da imunidade passiva em potros recém-nascidos ocorre através do colostro (o primeiro tipo de leite produzido pela égua).

“É muito importante que o potro, nas primeiras horas de vida, tenha essa imunidade passiva”, explica Ávila. “Afinal, o colostro é rico em imunoglobulinas (lg), ou seja, anticorpos que são capazes de proteger o neonato nas primeiras semanas de vida”.

Contudo, ele alerta sobre a importância de se examinar a qualidade do colostro. “O ideal é que se faça um exame através de um aparelho que se chama colostrômetro. Assim, será possível saber a qualidade desse colostro e se ele realmente tem imunoglobulinas em boa quantidade”, reforça.

Antes de mais nada vale frisar que o resultado deste exame é imediato. Sendo assim, após se certificar sobre a qualidade e quantidade do colostro, outro ponto a ser observado é se o potro está, de fato, mamando. “Um potro com meia hora de vida já deve ser capaz de ficar em pé e procurar o peito da égua. É preciso, nesse sentido, observar se o animal está tendo reflexo de sucção”. 

Depois de 18 a 24 horas da ingestão desse colostro, Orpheu orienta que seja feito um exame no sangue do potro. E, assim, verificar a quantidade de imunoglobulinas absorvidas. “Dessa forma, será possível saber se o potro está protegido ou não nas primeiras semanas de vida”.

Potros já desmamados soltos na CER – Foto: Divulgação/CER/Mauricio Messias

Falha na transmissão da imunidade passiva

No entanto, apesar de ser algo biológico, falhas na transmissão passiva podem ocorrer, alerta o titular da CER. Como, por exemplo, o potro não conseguir ingerir o colostro ou o teste feito no animal após 24 horas da ingestão dar uma baixa ingestão de imunoglobulinas. 

Segundo Orpheu, apesar disto, há diversas condutas técnicas que podem ser adotadas em situações como essas. Entre elas, recorrer ao banco de plasma ou de colostro. Ambos são possíveis adquirir no mercado ou produzir na própria propriedade.

“No caso de usar o banco de colostro, o ideal é oferecer uma bolsa de 600 ml e ir fazendo o teste novamente. Até que ele atinja um valor acima de 800 mg/dL de Ig, que é uma quantidade segura para que o potro tenha essa imunidade passiva para protege-lo”.

Por fim, Orpheu ainda acrescenta: “O colostro tem uma absolvição máxima de 16, 18 horas de vida e depois de passado isso, cai. Após 24 horas não absorve nada. Daí tem que lançar mão do banco de plasma que é retirado do sangue do cavalo doador. Deste sangue retiramos as hemácias [glóbulos vermelhos], ficando com o plasma e células de defesa”, finaliza.

Parte das éguas receptoras de expressiva qualidade da CER – Foto: Divulgação/CER

Agende sua visita!

Mantendo o slogan “Realizando sonhos, produzindo campeões”, a CER aguarda a sua visita nesta estação de monta. A central está localizada, aliás, na cidade de Boituva/SP, a apenas 120 km da capital paulista.

Os telefones de contato da CER são: (15) 98116.9998 – Orpheu / (15) 98117.0008 – Christina / (15) 99771.7278 – Gustavo / (15) 99753.4222 – Administração. Além disso, é possível mandar um e-mail para cer@cer-cavalos.com.

Instagram: @cer_cavalos | Site: www.cer-cavalos.com

INFORME PUBLICITÁRIO
Por Natália de Oliveira
Colaboração: Abdalla Jorge Abib/Assessoria de Imprensa CER
Crédito da foto em destaque: Divulgação/CER/Mauricio Messias

Veja mais notícias de Centrais de Reprodução no portal Cavalus

Comentar com o Facebook

Continue lendo

Centrais de Reprodução

Leilão LUB Conformação teve 100% de liquidez

Publicado

⠀em

O pregão fechou com faturamento de mais de R$ 331 mil, com a comercialização de 18 lotes

Inevitavelmente, a LUB Breeding é uma grande incentivadora da modalidade de Conformação. Tanto que aloja animais renomados dessa linhagem. Para tanto, no dia 12 de outubro, promoveu o Leilão LUB Conformação movimentando o mercado.

Ao todo, 18 lotes da raça Quarto de Milha e Appaloosa foram ofertados. Além, ainda, da vendas de coberturas de garanhões renomados. Entre eles: Self Discipline, The Home Run Kid, Aint Self e Acoolest.

De acordo com os organizadores do evento, o pregão fechou com o faturamento de R$ 331.200,00. Isso sem contabilizar a venda das coberturas. Dessa forma, gerou uma média de R$ 19.483,00.

Lote 16 Special Tex – Foto: Divulgação/Felipe Ulbrich

Lotes de destaque

Entre as fêmeas, o lote 7, Little Coolest (Acoolest x Little Discipline), foi o mais valorizado. Afinal, foi arrematado por R$ 54 mil pelos criadores Rodrigo Falciano e Bruno Vaz.

Já entre os machos, os lotes 10 e 16, foram os destaques. Ambos comercializados por R$ 43.200,00, ainda segundo os organizadores do evento.

Lote 10 Asterix Leilão – Foto: Divulgação/LUB Breeding

Ademais, o animal Appaloosa Asterix Shady Canyon (EF Shady Brown x Sally Question por Don Juan Question), foi arrematado por José Oscar. Já o lote 16, Special Tex (Texas Blue x Golden Coosa), foi para Michael Gama.

“Sem dúvidas, agradeço a todos que participaram com a gente nesse leilão. Sobretudo, desejo muitas alegrias aos compradores. Antes de mais nada, devo ressaltar que a Conformação está na nossa formação. Portanto, é sempre um prazer poder falar dela. Ainda mais disponibilizar animais de qualidade ao mercado para os amantes do esporte”, finaliza Luciano Beretta, titular da LUB Breeding.

Por fim, vale frisar que Leilão LUB Conformação teve a batida do martelo de Dudu Vaz e, ainda, organização da Criar Leilões.

Fonte: AV Comunicação Equestre e Assessoria de Imprensa
Crédito da foto em destaque: Lote 7, Little Coolest 

Crédito das fotos: Divulgação/LUB

Veja mais notícias sobre Centrais de Reprodução no portal Cavalus

Comentar com o Facebook

Continue lendo
X
X