Centrais de Reprodução

Parto na cocheira ou no piquete, o que levar em conta?

Dr. Orpheu Ávila Jr., da Central Equina de Reprodução (CER), destaca alguns pontos que devem ser considerados a fim de se evitar problemas no parto

O momento do nascimento de um potro carrega, sem dúvidas, o sonho de um criador. Portanto, é imprescindível que alguns cuidados sejam tomados a fim de se evitar complicações. Entre eles, escolher de forma consciente entre fazer o parto na cocheira ou no piquete.

Inegavelmente, ambos os ambientes destinados a maternidade têm seus prós e contra. Contudo, o dr. Orpheu Ávila Jr., médico veterinário e titular da Central Equina de Reprodução (CER), ressalta alguns pontos que devem ser respeitados.

Em primeiro lugar, caso opte por um parto na cocheira, a égua tem que estar acostumada com esse ambiente. Afinal, o estresse pode ser um fato problemático na hora do nascimento do potro.

“Se a égua não está acostumada a cocheira e for alojada lá uns dias antes de parir, com a intervenção de luz e de gente perto, poderá causar um estresse. Consequentemente, vir a ter um problema durante o parto”, explica Orpheu.

Anda de acordo com Orpheu, , caso seja escolhido fazer o parto no piquete maternidade, o ideal é que o ambiente seja bem vegetado.

“É importante que o piquete tenha boa pastagem e de preferência esteja em local plano e de fácil acesso aos funcionários da propriedade. Pois na maioria das vezes às éguas parem de noite ou pela madrugada”.

Dr. Orpheu realiza minucioso exame laboratorial – Foto: Divulgação/CER

Limpeza x equipe capacitada

Independente de qual for a escolha – parto na cocheira ou no piquete -, a limpeza deve ser prioridade em ambos os ambientes. Conforme frisa Orpheu Ávila Jr., nas primeiras 24 horas de vida de um potro, o intestino dele está aberto para absolver as imunoglobulinas do colostro.

Ou seja, qualquer proteína sanguínea com propriedades imunitárias e que tem uma função de anticorpo no organismo. Como resultado, o intestino está aberto também para qualquer tipo de bactéria que esteja presente.

“Deste modo, o local do parto pode ser uma fonte de infecção nas primeiras horas de vida do potro. Por isso, é importante que o ambiente esteja livre de sujeira”, destaca.

Além dos cuidados com o ambiente, a equipe que vai acompanhar o parto precisa estar preparada. Isso desde que seja necessária qualquer interferência humana.

“Esse pessoal tem que estar preparado, saber o que fazer em cada momento, para que não cause mais problemas do que benefícios”, finaliza Orpheu Ávila Jr.

Palpação acompanhada através da ultrassonografia – Foto: Divulgação/CER

Agende sua visita!

Mantendo o slogan “Realizando sonhos, produzindo campeões”, a CER aguarda a sua visita nesta estação de monta. A central está localizada na cidade de Boituva/SP, a apenas 120 km da capital paulista.

Os telefones de contato da CER são: (15) 98116.9998 – Orpheu / (15) 98117.0008 – Christina / (15) 99771.7278 – Gustavo / (15) 99753.4222 – Administração. Além disso, é possível mandar um e-mail para cer@cer-cavalos.com.

Instagram: @cer_cavalos | Site: www.cer-cavalos.com

INFORME PUBLICITÁRIO
Por Natália de Oliveira
Colaboração: Abdalla Jorge Abib/Assessoria de Imprensa CER
Crédito das fotos: Divulgação/Assessoria de Imprensa CER

Veja mais notícias de Centrais de Reprodução no portal Cavalus

X