Cultura & Estilo

Ensaios fotográficos ganham popularidade no meio do cavalo

Impulsionado pelas redes sociais e pandemia, profissionais da fotografia já notam aumento
da demanda para esse tipo de serviço

Publicado

⠀em

Ensaios fotográficos ganham popularidade no meio do cavalo

Em tempos de pandemia, as redes sociais ganharam ainda mais força como formas de manter contato com pessoas distantes e as atividades que envolvam pouca ou nenhuma aglomeração também ganharam mais adeptos.

Andar ou praticar esportes à cavalo, que geralmente são atividades realizadas ao ar livre com quase nenhuma aglomeração, acabaram se transformando em refúgios para as pessoas se desestressarem.

Essas atividades também passaram a impulsionar um novo nicho de serviços: os ensaios fotográficos realizados entre esses animais e seus donos.

Ensaios Fotográficos

Proprietária do estúdio de fotografia que leva o seu nome, a fotógrafa Victória Lauria percebeu um aumento no número de contratos fechados para esse tipo de produção. “Por eu estar um pouco mais envolvida com a produção de fotos ao ar livre para gestantes e famílias, muitas
pessoas do meio começaram a entrar em contato ao verem que o estilo se encaixava para as fotos do meio country. E uma coisa foi puxando a outra”, comentou.

No último mês, Victória “clicou” três ensaios e realizou mais de oito orçamentos do tipo. “Até mesmo, tiveram duas gestantes que quiseram fazer ensaios e me procuraram justamente por conta das fotos com os cavalos”, explica.

Uma das pessoas que buscaram as imagens foi a engenheira de alimentos, Daniela Rodrigues Souza, que convidou as amigas, Gabriela Justi, Letícia Yamanaka e Paula Botelho, para participarem do ensaio. “Eu gosto muito de tirar fotos, mas tinha poucas com a minha égua Estrela, que era de hipismo. Infelizmente, quando ela morreu, achei que nunca mais voltaria a fazer uma modalidade equestre. Foi quando o meu novo cavalo, Ringo, entrou na minha vida e eu conheci o Centro de Treinamento (CT) de Três Tambores Gabriela Justi”, comentou Daniela.

Fotos com cavalos

Com o novo companheiro de esportes, Daniela decidiu fazer diferente. “Em um dos treinos no CT, comentei com a Gabriela que gostaria de ter fotos com o Ringo, e ela já havia feito um ensaio com a Victória. Foi isso que me motivou a convidar minhas amigas para participarem”, destacou.

A treinadora e proprietária do CT de três tambores, Gabriela Justi, destacou que também fez um ensaio para guardar de recordação. “Convidei minha família para participar, porque foram os grandes incentivadores para eu montar o CT. Então, foi uma forma de agradecer o apoio deles e guardar na memória”, afirma.

A profissional de educação física, Paula Botelho, que já havia participado de um ensaio com cavalos em 2015 fica feliz pela popularização desse tipo de serviço. “Gostei muito do resultado das fotos, pois antes era difícil achar profissionais para tirar fotos. Penso em indicar para todos, inclusive do Haras da Serra, onde resido, que tem uma paisagem muito bonita”, destacou.

A arquiteta, Letícia Yamanaka, concorda com a Paula e acrescenta que as fotografias ajudaram ainda mais a integrar as amizades. “Foi um momento muito bacana, onde pudemos estar em contato com os cavalos que treinamos sempre, mas de uma forma diferente”, concluiu.

Fonte: Equinopoint Comunicação
Crédito das fotos: Divulgação/

Veja mais notícias de Cultura e Estilo no portal Cavalus

Cavalgadas Brasil

Rotas Históricas a Cavalo – Real Caminho do Viamão

Paulo Junqueira, em sua coluna da semana, escreve sobre Rotas Históricas a cavalo, cenário de gravação de um documentário

Publicado

⠀em

Rotas Históricas a Cavalo – Real Caminho do Viamão

A cavalgada dessa semana foi para gravação de um documentário para TV produzido pela Canal Azul Filmes e Produtora Brasileira. Trata-se da terceira temporada da série “Homens do Caminho, Rotas Históricas a Cavalo” – desta vez revivendo o Real Caminho do Viamão, Rota dos Tropeiros.

A primeira série lançada em 2019, com três episódios, reviveu a rota histórica da Estrada Real que ligava Diamantina – MG a Paraty e Rio de Janeiro. 

Refazendo os percursos das principais rotas históricas brasileiras, os cavalos da raça Mangalarga Marchador da Agro Maripá são os grandes protagonistas dessa aventura.
Nessa semana cavalgamos em São Luiz do Purunã, bela região dos Campos Gerais, no Paraná. No primeiro dia, com um pouco de frio apesar da chegada da primavera, a gravação foi num bosque de Pinheiros em meio a “viração” como são chamadas aqui no sul as brumas/ neblina.

No dia seguinte fomos cavalgar na Cabanha São Rafael, um dos mais tradicionais criatórios de cavalos da raça Crioulo. Um encontro muito oportuno, uma vez que a Cabanha dedica-se ao resgate da tradição tropeira e o desenvolvimento social e sustentável da região, por meio do incentivo às ações do Instituto Purunã.

Passeio pela Cabanha proporcionou observar a integração de duas grandes raças de cavalos: Mangalarga Marchador e Crioulo

Foi um momento muito especial esse encontro de raças. Guiados pelo anfitrião Mariano Lemanski, percorremos os belos campos da Cabanha, passando por manadas de cavalos e gado. Foi interessante observar a integração de cavalos Mangalarga Marchador e Crioulo.

Também foi uma rica troca de experiências, quando Marcelo e Sophia da Agro Maripá falaram de seus projetos e puderam conhecer um pouco dos mais recentes projetos da Cabanha São Rafael -“Bem-estar único” e “As Domadoras”- Conexão com o cavalo. Karoliny Lopes, uma das “domadoras” cavalgou conosco montando uma égua que esta domando.

No último dia fomos cavalgar na Fazenda Purunã, que abriga parte da Área de Proteção Ambiental da Escarpa Devoniana, formada há 400 milhões de anos, o que garante ao local uma biodiversidade e geodiversidade muito específicas. Cavalgamos entre afloramentos de rochas com vista para cânions e belíssimas paisagens que impressionaram pela grandiosidade.

Cavalgada proporcionou vistas para os cânions – Foto: Raphael Luiz Sobania

Nesses dias de cavalgada tive mais uma oportunidade de ver como paixão pelo cavalo pode unir pessoas e culturas.

Por Paulo Junqueira Arantes
Cavaleiro profissional e Diretor da agência Cavalgadas Brasil
www.cavalgadasbrasil.com.br

Veja outras notícias da editoria Turismo Equestre no portal Cavalus

Continue lendo

Decoração

Country Home oferece o que há de melhor em enxovais com o estilo western

Se você quer deixar a sua casa ainda mais com a sua cara, no estilo western, Country Home é a opção ideal

Publicado

⠀em

Country Home oferece o que há de melhor em enxovais com o estilo western

Criada em 2018, a marca Country Home nasceu através de Janaína e Michel, apaixonados por cavalos e residentes em Ibitinga (SP). A cidade é conhecida como a “Capital Nacional do Bordado”, município que a economia gira em torno dos enxovais que são fabricados na cidade e comercializados em todo território nacional e internacional.

Após perceber a carência destes produtos no meio country, criaram a marca e a empresa para desenvolver enxovais para o público da moda western.

“Meus pais tem uma empresa no ramo há 28 anos e trabalho com eles desde 2012, porém desde que eu e o Michel nos conhecemos, fomos nos envolvendo cada vez mais com o mundo do cavalo, pois ele participa de provas e, percebemos que esse mercado country estava carente de produtos para a cama”, relata Janaína.

Atualmente a Country Home produz jogos de lençol, cobre leitos, edredons, porta travesseiros, travesseiros, toalhas de banho, almofadas e panos de prato voltados para o universo Western.

Então, para quem é fã desse estilo e apaixonado por cavalo, a loja é um verdadeiro parque de diversões. São peças com sofisticação e qualidade, tudo que você precisa para embelezar a sua cama, banheiro, cozinha do universo que você ama.

“Gostaríamos de agradecer a todos os nossos clientes e amigos pela aceitação que estão tendo com nossos produtos, pois nosso objetivo é produzir com qualidade para que fiquem satisfeitos”, finaliza a empresária.

Por fim, para conhecer mais sobre a marca e adquirir as peças é só acessar o Instagram @countryhomecontato, ou através do WhatsApp (16) 99646-7447 Janaína.

INFORME PUBLICITÁRIO

Por Equipe Cavalus
Crédito das fotos: Divulgação/Country Home

Veja mais notícias na editoria Decoração no portal Cavalus

Continue lendo

Cavalgadas Brasil

Cavalgada na Rota das Emoções – Sete Cidades/Delta do Parnaíba/Lençóis Maranhenses – 2ª parte

Paulo Junqueira, em sua coluna da semana, continua com a segunda parte sobre a cavalgada na Rota das Emoções, que inclui Sete Cidades, Delta do Parnaíba e Lençóis Maranhenses

Publicado

⠀em

Cavalgada na Rota das Emoções – Sete CidadesDelta do ParnaíbaLençóis Maranhenses – 2ª parte

Em continuidade a nossa cavalgada na Rota das Emoções, ainda no Pauí, nosso animado grupo de amigos composto de cariocas, mineiros, paulistas e paranaenses foi para o Delta do Rio Parnaíba, que fica entre os estados do Maranhão e Piauí. Ele é o único Delta das Américas que deságua em mar aberto (Oceano Atlântico) e o 3º maior do mundo, atrás apenas dos rios Nilo (África) e MeKong. É um arquipélago em formato de letra grega delta, que se assemelha a uma mão aberta em que os dedos representam cinco saídas para o mar, também chamadas de barras(ou foz), que formam um grande santuário ecológico.

Delta do Rio Parnaíba é o único das Américas que deságua em mar aberto

Em Parnaíba começamos a cavalgada no Porto da Barra e seguimos por cerca de 25 kms cavalgando entre dunas e lagoas, com um cenário de tirar o fôlego, até chegar na praia de Carnaubinha. Cavalgamos mais um pouco nessa bela praia deserta até chegar no Resort, nosso destino final aonde um ótimo almoço nos esperava.

No dia seguinte, fomos de lancha para a Ilha das Canárias, localizada em Araioses (MA). Passamos o dia conhecendo essa reserva extrativista marinha e área de preservação ambiental com mangues e dunas, flora e fauna encontradas só ali.

Depois de alguns dias surpreendentes no Piauí, nos despedimos da família Sampaio, nossos grandes anfitriões no estado e seguimos para os Lençóis Maranhenses.

Lençóis Maranhenses

Paradisíaco, um dos lugares mais incríveis do Brasil, os Lençóis tem lagoas de água doce entre as dunas formando um cenário único em todo o mundo. A área protegida é enorme, porém a região dos Lençóis Maranhenses é ainda maior que o Parque Nacional.

Cavalgar nesse ambiente foi um privilégio.

Atins

Para chegar a Atins, ponto de início da cavalgada, percorremos de lancha belo trecho do rio Preguiças, passando por Mandacaru, pequeno e bonito vilarejo que tem como destaque o Farol das Preguiças. Atins está localizado à beira-mar, entre o Rio Preguiças, a praia e as dunas repletas de lagoas. O vilarejo de difícil acesso ainda é um lugar tranquilo com um clima descolado, ruas de areia que me lembraram de Caraíva na Bahia. Italianos, franceses e alemães já descobriram Atins e estão fazendo cada vez mais investimentos por lá.

Cavalgada Pôr do Sol

Nossa primeira cavalgada nos Lençóis teve como objetivo ver o pôr do sol nas dunas. Seguimos da Ponta do Mangue, vilarejo de pescadores, por áreas de vegetação seguindo trilhas de animais, entre igarapés, áreas alagadas e lagoas, passamos na Lagoa do Mario e continuamos cavalgando até o Canto do Atins, aonde chegamos já com um belíssimo pôr do sol no horizonte. Na volta paramos no Restaurante do Antônio para provar os famosos camarões na brasa, prato mais conhecido dos Lençóis Maranhenses.

Pôr do sol nas dunas

Em nosso último dia de cavalgada, atravessamos Atins e o povoado de Santo Inácio, e seguimos por áreas de vegetação do Parque Nacional Lençóis Maranhenses no limite leste do campo de dunas, com diferentes formações arenosas e flora, cerrado e restinga, atravessando igarapés, até chegar nas dunas do circuito da Lagoa Tropical, passando por diversas lagoas de diferentes cores e tamanhos. Depois entramos novamente na Ponta do Mangue, e seguimos até a casa da Dona Ziluca, que nessa região criou seus 16 filhos.

Cavalgada na Rota das Emoções – Sete Cidades/Delta do Parnaíba/Lençóis Maranhenses – 2ª parte
Restaurante tem cardápio original e saboroso

O local é simples e aconchegante, com um cardápio original e saboroso que inclui uma deliciosa galinha caipira e pescada amarela, receitas tradicionais da casa. Depois do almoço, um merecido descanso no redário. Depois de um bom café voltamos aos cavalos para percorrer um último trecho de dunas em direção da praia da antiga foz do Rio Preguiça. Assim encerramos essa espetacular viagem a cavalo com chave de ouro.

Por Paulo Junqueira Arantes
Cavaleiro profissional e Diretor da agência Cavalgadas Brasil
www.cavalgadasbrasil.com.br

Veja outras notícias da editoria Turismo Equestre no portal Cavalus

Continue lendo

Decoração

Ideias básicas podem deixar o seu quarto com mais estilo no tema country

Sugestões simples, mas que podem fazer total diferença na hora da decoração, aliando estilo e conforto para o seu quarto

Publicado

⠀em

Ideias básicas podem deixar o seu quarto com mais estilo no tema country

Você quer um quarto no estilo country? Igual aqueles que você procura no Pinterest e fica apaixonado? Certamente, todo mundo que tem apego pelo campo, seja home, mulher ou criança, adoraria dormir em um ambiente decorado assim.

Por isso, separamos 6 ideias básicas para decorar um quarto no estilo country. Afinal, para começar a projetar o quarto dos seus sonhos, você precisa de alguns itens de decoração que são fundamentais no seu quarto no estilo country.

Quarto Country

1. Tapete de couro de vaca: Afinal, não seria realmente considerado um quarto de cowgirl ou cowboy se não tivesse um tapete desse, né? É uma peça que agrega nobreza e elegância ao ambiente, além de ser lindo.

2. Manta de sela: Se você usar uma manta de sela no final da cama, além de deixar o ambiente confortável e aconchegante, você vai adicionar um toque de cor! Fica incrível!

3. Crânio de boi: Você já notou um quarto com estilo country sem um crânio de boi de algum tipo? Pode ser uma imagem, uma réplica ou uma pintura. É ótimo para decoração de parede!

4. Móveis de madeira: Um traço comum em todos os quartos com a pegada western são os móveis de madeira. Conjuntos de cama de madeira adicionam um recurso rústico, essencial para o visual country.

5. Parede com chapéus: O que é mais perfeito do que usar o que você já tem para decoração? Uma parede de chapéu é bastante simples. Dá para usar um suporte de chapéu que vai além da utilidade, pois é uma peça bonita e bem pensada, dando um toque especial na decoração.

6. Almofadas: Mais do que itens que proporcionam conforto, as almofadas são capazes de adicionar estilo, energia e despojamento para qualquer ambiente. Os que tem estampas country vão deixar o ambiente ainda mais completo com a temática.

Loja Cowboys

Por fim, algumas das sugestões mencionadas a cima você pode encontrar, facilmente, na Loja Cowboys.

Ah e não deixe de seguir a marca nas mídias sociais oficiais, entre elas  InstagramFacebook e Pinterest.

Fonte: Loja Cowboys
Crédito das imagens: Divulgação/Loja Cowboys

Veja mais notícias na editoria Decoração no portal Cavalus

Continue lendo

Cavalgadas Brasil

Cavalgada na Rota das Emoções – Sete Cidades/Delta do Parnaíba/Lençóis Maranhenses – 1ª parte

Paulo Junqueira, em sua coluna da semana, escreve sobre uma cavalgada na Rota das Emoções, que inclui Sete Cidades, Delta do Parnaíba e Lençóis Maranhenses

Publicado

⠀em

Cavalgada na Rota das Emoções – Sete Cidades/Delta do Parnaíba/Lençóis Maranhenses – 1ª parte

Cavalgada na Rota das Emoções, em dois estados que inclui passagens pelo Parque Nacional Sete Cidades, Delta do Parnaíba e os Lençóis Maranhenses. Uma viagem a cavalo surpreendente que permitiu conhecer uma região muito interessante e pouco divulgada do Piauí, com cultura e belezas muito pouco divulgadas.

Nossos cavalos Mangalarga Marchador foram os companheiros ideais para essa viagem a cavalo.

Rota das Emoções

Começamos a cavalgada em Pedro II que fica a 200 km de Teresina, na Serra dos Matões. Trata-se de uma pequena cidade serrana com clima ameno e povo acolhedor. A cidade é conhecida nacional e internacionalmente pela extração de Opala. O garimpo, beneficiamento, lapidação e venda da pedra são a base para o sustento da maioria das pessoas na cidade.

Partindo do Mirante do Gritador, que tem uma vista panorâmica incrível, começamos descer a serra com destino ao Parque Nacional Sete Cidades. No caminho paramos para visitar um engenho de cana bem original, puxado a boi. Acompanhamos o processo de preparo da rapadura, depois visitamos uma Casa de Farinha, espaço onde são feitas as farinhadas e preparado o delicioso beiju feito de goma e coco babaçu ralado. Nossa última parada foi na Associação Artesanal Xique-Xique que conta com 25 artesãs que produzem peças que tem como foco as tradições locais de tecelagem com pontos bem característicos da região, como o “olho-de-pombo”, o “tapeueuirana” e o “catado”. Riqueza nos detalhes, dedicação, talento e trabalho minucioso.

Parque Nacional Sete Cidades

Então, o Parque Nacional das Sete Cidades ou Cidades de Pedra, se destaca por suas sete cidades imaginárias, sete grupos de formações rochosas, ricas em monumentos e semelhanças com a realidade. As “cidades” apresentam formações rochosas esculpidas pela flora, calor, sol e chuvas, em forma de figuras humanas, animais e símbolos, atrativos únicos em cada uma.

A beleza cênica dos paredões e formações rochosas servem de moldura para uma viagem ao passado ilustrada por pinturas rupestres. Passado e presente se misturam nos mais de 6 mil hectares do Parque, que também é uma zona de encontro da Caatinga com o Cerrado. Nossa cavalgada no Parque começou entre pés de pequi e juazeiros que se juntam na mesma paisagem que une flora e fauna típica dos dois biomas.

Cavalgar nesses biomas enriquece ainda mais as belezas naturais do Parque, um cenário impressionante que já foi mencionado pelo autor de “Eram os Deuses Astronautas”, Erich Von Dãniken, que atribuiu a construção das Sete Cidades de Pedra a forças não naturais.

Por Paulo Junqueira Arantes
Cavaleiro profissional e Diretor da agência Cavalgadas Brasil
www.cavalgadasbrasil.com.br

Veja outras notícias da editoria Turismo Equestre no portal Cavalus

Continue lendo

Moda

T-shirts são peças indispensáveis em qualquer guarda-roupa

T-shirt é opção para manter o estilo country mesmo no calor, já que a peça combina a leveza do tecido com os detalhes que vão do básico às cheias de detalhes

Publicado

⠀em

T-shirts são peças indispensáveis em qualquer guarda-roupa

O inverno ainda não terminou, mas o calor já vem se mostrando bem presente nesses últimos dias que antecedem a chegada da primavera. Com isso, manter o estilo country com camisas pode não ser tão agradável em cidades onde o calor predomina. Dessa forma, uma ótima opção são as t-shirts.

Chamadas de “blusinhas”, as t-shirts são peças coringas em qualquer guarda-roupas. Algumas mais básicas, outras mais detalhadas, mas sem perder o estilo e com o conforto de uma peça mais leve.

Na Miss Country, são diversas opções de t-shirts, que vão te ajudar na hora de montar o seu look. Vale destacar que apesar das peças serem inspiradas no universo country, as “blusinhas” podem ser usadas em qualquer ocasião, indo do campo para a cidade.

T-shirts são peças indispensáveis em qualquer guarda-roupa
Peças aliam conforto e estilo para o look country

Além das combinações para o seu dia a dia, algumas t-shirts da Miss Country estão disponíveis em formato mãe e filha. Para as mamães, essa é uma boa pedida, já que a maioria das filhas se inspiram em suas mães e querem looks iguais para sair juntas.

Então, não é por causa do calor que você vai deixar de se vestir com o seu estilo favorito. E com tantas opções que a Miss Country oferece, será difícil escolher apenas uma, por isso, confira já todas as opções disponível no site da marca ou procure um representante.

Instagram: @miss.country | Facebook: misscountrybr | Site: www.misscountry.com.br. | Loja Online: www.outletmisscountry.com.br

INFORME PUBLICITÁRIO

Por Heloísa Alves
Crédito das fotos: Divulgação/Miss Country

Veja mais notícias sobre Moda no portal Cavalus

Continue lendo

Cinema

Querência

Filme brasileiro conta a história de Marcelo, um vaqueiro que sonha em ser narrador de rodeios

Publicado

⠀em

Querência

Lançado em 2020, o longa Querência, que já está no catálogo da Netflix, conta a história, um vaqueiro. Marcelo vê uma transformação em sua vida após um grande assalto de gado na fazenda onde trabalha.

Filmado em Unaí, Noroeste de Minas Gerais, Querência, que tem uma proposta quase documental. O longa registra o cotidiano dos atores em meio as belas paisagens do município mineiro.

Então, cowboy de uma fazenda, Marcelo usa o seu tempo livre para fazer o que mais gosta: locução de rodeio. Em um determinado dia, ao retornar para a casa, o cowboy encontra um ladrão armado que rouba o gado e seu cavalo Appaloosa.

Após o trauma, Marcelo recorre à imã Márcia, que mora no Rio de Janeiro, para ajudá-lo na superação do fato. Além disso, ele vai em busca de realizar o seu verdadeiro e maior sonho: ser um grande narrador de rodeio.

Curiosidades Querência

O longa foi lançado mundialmente no Festival de Berlim, passando por outros festivais europeus na Polônia, França e Portugal. Bem como, Querência também marcou presença no Festival Internacional de Cinema Jeonju, na Coréia do Sul, onde ganhou o troféu de melhor filme.

Dessa forma, com direção de Helvécio Marins Jr., o longa contou com atores que nunca haviam pisado em um set, o que não atrapalhou na construção das narrativas. Em entrevista ao jornal Estado de Minas, o diretor e cineasta comenta que sua amizade de longa data com o elenco facilitou no trabalho. Ainda de acordo com Marins, o roteiro, totalmente ligado ao cotidiano dos artistas facilitou o processo.

O longa foi um dos treze selecionados do mundo para o World Cinema Fund do Festival de Berlim, um investimento destinado à produção, finalização ou distribuição de projetos. Além de ter sido selecionado para a 43ª Mostra Internacional de SP, em 2019, na categoria “Novos Diretores”.

Por fim, desde março de 2021 o longa está disponível no catálogo de filmes da Netflix.

Fonte: Estado de Minas/Adoro Cinema
Crédito imagem: Entreter-se

Veja mais da editoria Cinema no portal Cavalus

Continue lendo

Cavalgadas Brasil

Cavalgada em Dubai com cavalos árabes

Paulo Junqueira, em sua coluna da semana, escreve sobre uma cavalgada em Dubai com cavalos árabes

Publicado

⠀em

Cavalgada em Dubai com cavalos árabes

Para apaixonados por cavalos e cavalgadas, uma opção para quem quer fazer uma cavalgada no deserto em uma visita a Dubai, é conhecer os estábulos de Al Jiyad. Eles oferecem uma experiência interessante, a apenas trinta minutos de carro de Dubai, em um ambiente tranquilo na bela região desértica de Saih Al Salam.

Oportunidade para um galope pelas dunas em um belo cavalo árabe e possibilidade de ver alguns dos animais selvagens únicos da Arábia de perto. A área de conservação de Al Marmum é o lar do órix árabe, gazelas e raposas do deserto, entre outros animais que normalmente não são visíveis de carro.

Al Jiyad é uma opção para quem quer fazer uma cavalgada no deserto em uma visita a Dubai
Al Jiyad é uma opção para quem quer fazer uma cavalgada no deserto em uma visita a Dubai

O Al Jiyad atende a todos os níveis de cavaleiros e tem cavalos adequados a cada perfil de experiência. Os guias experientes conduzem desde um passeio pelas belas dunas do deserto até uma cavalgada mais emocionante nas trilhas de enduro. Ambas as experiências oferecem belas memórias deste ambiente único e ficam ainda mais especiais, no nascer ou o pôr do sol sobre o deserto.

Cavalgada em Dubai com cavalos árabes
Raça mais antiga é apreciada em todo o mundo

Montando Cavalos Árabes

O cavalo árabe é apreciado em todo o mundo e é uma das raças de cavalos mais antigas, suas origens remontam a 4.500 anos. Existe uma lenda antiga sobre a origem do cavalo árabe. Muito, muito tempo atrás, em um deserto da Arábia, um redemoinho de poeira se abateu sobre um homem e sua tribo.

O homem congelou de medo com a visão, mas então, do centro daquela massa de areia e poeira em redemoinho veio uma visão extraordinária. O homem esfregou os olhos, pois não confiava na visão, mas quando os abriu novamente viu que era verdade. Dessa poeira caótica vieram cascos empinados que galoparam pelo deserto, movendo-se tão rápido que pareciam engolir o chão.

O homem exclamou “Dê as boas-vindas a esta criatura”, pois acima daqueles cascos emergiu um dos animais mais bonitos que ele já tinha visto. O homem reuniu seu povo para mostrar-lhes o ser magnífico e mágico. “Bebe o vento”, anunciou ele, e por muito tempo o chamaram de Bebedor do Vento; só mais tarde foi chamado de cavalo. Então, cada tribo queria cavalos próprios, e daquele primeiro redemoinho de força e beleza vieram milhares de outros.

Foi um prazer especial montar esses cavalos incríveis em suas terras nativas.

Por Paulo Junqueira Arantes
Cavaleiro profissional e Diretor da agência Cavalgadas Brasil
www.cavalgadasbrasil.com.br

Veja outras notícias da editoria Turismo Equestre no portal Cavalus

Continue lendo

Cavalgadas Brasil

Roteiro de Charme na Austrália

Paulo Junqueira, em sua coluna da semana, escreve sobre uma cavalgada que explora umas das últimas fronteiras da Austrália

Publicado

⠀em

Roteiro de Charme na Austrália

Cavalgada explorando uma das últimas fronteiras da Austrália. Passando por desfiladeiros profundos, montanhas, fontes termais, alagados, planícies, florestas tropicais e cachoeiras. Uma área com mais de 280 mil hectares. incrivelmente bela e praticamente inexplorada.

Cobrindo toda região noroeste da Austrália, Kimberley esse “sertão” australiano, tem cerca de três vezes o tamanho da Inglaterra e uma população de menos de 40.000 habitantes. A região é conhecida por sua paisagem selvagem e a magnífica cordilheira Cockburn, que tem a forma de uma grande fortaleza redonda e se eleva mais de 600 metros acima das planícies. Paisagens de beleza extraordinária, melhor ainda quando exploradas a cavalo.

Os pioneiros de Kimberley no início da década de 1880, originalmente tentaram criar ovelhas, no entanto, a grama natural chegava a quase dois metros de altura na estação chuvosa e à medida que a seca chegava, não servia como alimento para animais como ovelhas.

Roteiro de Charme na Austrália
Local conta com cavernas e diversos pontos interessantes para os amantes de uma bela paisagem

Minha programação incluiu conhecer a cultura viva e rica dos povos aborígenas da Austrália, que remonta a dezenas de milhares de anos. Com o conhecimento transmitido de geração em geração, eles têm uma perspectiva distinta não apenas da terra, mas da própria vida.

O ponto de partida da viagem foi Kununurra, a maior cidade da Austrália Ocidental, com uma população de 5.000 habitantes, é a base para explorar a região. Tem um Parque Nacional à sua porta: o Hidden Valley (ou Parque Nacional Mirima) fica a apenas 1 km de Kununurra. Tem cavernas interessantes, rochas coloridas em camadas e pequenos desfiladeiros. O Celebrity Tree Park e o Waringarri Aboriginal Arts Center também valeram a visita. Para concluir a passagem por Kununurra, pegamos um barco no lago e tivemos a sorte de ver crocodilos de água doce e uma jibóia de cabeça preta.

A cavalgada

Nossa viagem a cavalo começou descendo para a base da Cordilheira Cockburn em direção ao Vale Caroline. O roteiro incluiu uma parada nas fontes termais Wild Dog para um lanche e um mergulho, antes de seguirmos em direção aos currais de gado da Cantin, com vista para a cordilheira Cockburn e muitas árvores antigas Baobá.
Em mais um dia de cavalgada, seguimos em direção a Zebedee Hot Springs através do deslumbrante Moonshine Gorge, paramos para um mergulho nas águas termais, um oásis em meio a uma paisagem tão seca.

Roteiro de Charme na Austrália
Selas australianas têm assento mais profundo

A sela australiana não tem nada a ver com as que chamamos de “australianas” aqui no Brasil. Elas combinam algumas características das selas inglesas e western, foram desenvolvidas para cavalgar em terrenos difíceis. Elas têm um assento mais profundo, assentam mais à frente, tem um apoio para os joelhos e os estribos também são colocados em uma posição mais avançada. Por isso o centro de gravidade e o peso do cavaleiro ficam em uma posição mais para frente.

O casal Christian and Laura, nossos guias, tem cerca de 30 cavalos nessa região, aonde desde 2013 realizam viagens a cavalo com clientes de todo o mundo. Christian conhece muito bem essa terra antiga e misteriosa, e compartilhou conosco muitas histórias do “homem branco”.

Explorar essas terras antigas, a cavalo foi um privilégio!

Por Paulo Junqueira Arantes
Cavaleiro profissional e Diretor da agência Cavalgadas Brasil
www.cavalgadasbrasil.com.br

Veja outras notícias da editoria Turismo Equestre no portal Cavalus

Continue lendo

Cavalgadas Brasil

Cavalgadas, Mulheres e Cavalos

Paulo Junqueira, em sua coluna da semana, escreve sobre mulheres e a relação delas com os cavalos e as cavalgadas

Publicado

⠀em

Cavalgadas, Mulheres e Cavalos

As mulheres estão presentes em todas as atividades humanas e no universo dos cavalos, essa realidade a nível mundial já é predominante. Assim, no Brasil ela está cada vez mais assumindo seu espaço, ocupando lugar de destaque na criação e nas atividades esportivas.

Voando Sem Asas – Como os Cavalos Tocam a Alma das Mulheres

Então, como bem explica Mary Midkiff em seu livro “Voando Sem Asas – Como os Cavalos Tocam a Alma das Mulheres”, mais do que se destacar, a mulher cultiva uma relação muito especial com os cavalos, que transcende o simples fato de montar o animal. Trata-se de um dom de extrema percepção e sensibilidade.

Cavalgada também é uma atividade em que as mulheres se destacam. Após 20 anos de estreita relação com amazonas de todo o mundo, estou convencido de que a razão mais importante para a proeminência feminina nas cavalgadas é sua capacidade de se relacionar com os cavalos, sua sensibilidade e paciência.

Bem como, cerca de 70% dos clientes de minha agência de viagens a cavalo, Cavalgadas Brasil, são mulheres. Elas tendem encontrar um relacionamento fácil com os cavalos, naturalmente se preocupam com o bem-estar físico e psicológico deles e são extremamente cuidadosas.

Mulheres guias de cavalgadas

Muitas mulheres ao redor do mundo são guias de cavalgadas, dessa forma destaco algumas com quem tive oportunidade de cavalgar. Laura Rosseti, que além de guiar entre cafezais na região de Mocóca e Guaxupé é juiza de atrelagem; Tammy Robaina que guia uma famosa Travessia na Patagonia Argentina; a Cristina Glenz que deixou uma bem sucedida carreira de executiva no Brasil para guiar suas cavalgadas no Uruguai; a Ingeborg Hernes que deixou seu emprego na Holanda para se tornar guia na Namíbia e a Barney Bestelink que aprendeu a montar no Quênia, estudou na British Horse Society, competiu em eventos internacionais de equitação e a mais de 30 anos é uma das mais reconhecidas guias de safaris a cavalo na África.

Por fim, na idade média, quando os cavalos eram um símbolo de poder, existia quase que um monopólio masculino na equitação. Mas nem sempre foi assim, na Grécia antiga quando sabiam muito sobre a natureza humana, a mitologia sobre as mulheres cavaleiras era muito rica. A Mongólia tem mais cavalos que pessoas, quando estive lá, pude observar que as mulheres participam das atividades e cuidados dos cavalos junto com os homens.

Por Paulo Junqueira Arantes
Cavaleiro profissional e Diretor da agência Cavalgadas Brasil
www.cavalgadasbrasil.com.br

Veja outras notícias da editoria Turismo Equestre no portal Cavalus

Continue lendo