Cultura & Estilo

Criada Associação Brasileira de Turismo Equestre

Publicado

⠀em

Com objetivos claros de fortalecimento do turismo equestre, associação foi fundada contando com sócios em 13 estados

A Associação Brasileira de Turismo Equestre tem objetivos claros: fortalecer o setor. Dessa forma, entre os principais, promover o desenvolvimento da atividade de turismo equestre no Brasil é o primeiro deles. Assim como realizar projetos em parceria com áreas governamentais e empresariais, a fim de possibilitar a profissionalização e o desenvolvimento do setor. E ainda estimular e apoiar as melhores práticas do bem-estar animal, preservação ambiental e sustentabilidade entre seus associados.

Em primeiro lugar, elegeram como presidente Paulo Junqueira Arantes. Ao lado dele, Sergio de Lima Beck, vice-presidente. Ademais, a diretoria conta ainda com os conselheiros Carlos Roberto Solera e Ricardo Bacellar Wuerkert. Antes de mais nada, a Associação Brasileira de Turismo Equestre já nasce com 23 sócios fundadores em 13 estados: Alagoas, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

E a ABTE, cumprindo seus objetivos, participou da fundação do IBEqui –  Instituto Brasileiro de Equideocultura e se cadastrou no Ministério do Turismo.

Com objetivos claros de fortalecimento do turismo equestre, associação brasileira foi fundada contando com 23 sócios em 13 estados

Turismo Equestre

O turismo equestre é a atividade turística que utiliza o cavalo como principal fator de atração turística. Os produtos oferecidos vão desde pequenos passeios a cavalo a cavalgadas de vários dias. No turismo equestre o turista pode ter uma experiência rica e autêntica. Assim sendo, em contato com a natureza, cultura, ruralidade, tradições, gastronomia, entre outros. A atividade provoca especial impacto no desenvolvimento do turismo em espaço rural.

A atividade é reconhecida em diferentes países como importante segmento dentro do turismo e lazer. Acima de tudo, conta com grande e crescente número de adeptos. O Brasil, com toda a certeza, tem real potencial para o desenvolvimento da atividade. Quer seja por sua diversidade geográfica e climática, quer seja por suas belezas naturais.

Informações: Ana Luiza – secretaria – (41) 98406-9725.

Crédito das fotos: Cavalgadas Brasil

Veja mais notícias no portal Cavalus

Moda

Miss Country está de volta com a sua loja online e descontos exclusivos

Loja online da marca está de volta com a coleção nova e descontos em peças selecionadas

Publicado

⠀em

Loja online da Miss Country está de volta com a coleção nova e descontos exclusivos de até 50% em peças selecionadas da marca.

A loja online da Miss Country voltou e já está a todo vapor. Além de peças com descontos de até 50%, você pode também garantir um look da nova coleção Mystic, que já está disponível para venda no site.

Dentre os destaques da loja, temos a calça Amazonita, que reúne junto com a versatilidade do jeans, o charme dos bordados e das pedras, que dão um toque a mais de cor na peça. Ainda entre as calças da coleção Mystic, é possível adquirir Jean Água Marinha, Ametista e Ágata Azul.

A Jaqueta Diamante, queridinha da coleção e peça coringa em qualquer guarda-roupas, também está disponível e o melhor, com desconto para compra no boleto. Contudo, não é só isso que a loja online oferece. Dessa forma, a Miss Country oferece em seu outlet peças infantis com até 62% de desconto, além de máscaras de proteção facial, que fornecem segurança aliada ao estilo.

Sobre a Miss Country

De uma roda de amigos, sem planejamento algum. Assim, surgiu a Miss Country. A princípio, o objetivo era suprir a necessidade das cowgirls brasileiras que buscavam estilo e conforto na hora de se vestir.

Contudo, a marca foi além. Dessa forma, passou a disponibilizar um novo conceito no mercado de moda feminina. Onde o foco é, sobretudo, a excelência nos designs, com peças únicas, desenvolvidas uma a uma pelas sócias-proprietárias Luciana Domingues Biasoto e Fernanda Domingues.

A marca possui uma fábrica de 300 m², situada em Espírito Santo do Pinhal/SP, com toda a estrutura e maquinário necessário. Além disso, conta com 14 funcionários diretos e vários colaboradores externos.

Outras informações podem ser obtidas pelos telefones: Comercial: (19) 98667-9612 (Gustavo); Atacado: (19) 98155-2629 (Emilene); e, por fim, Marketing: (19) 98174-7354 (Vitória).

Instagram: @miss.country | Facebook: misscountrybr | Site: www.misscountry.com.br. | Loja Online: www.outletmisscountry.com.br

INFORME PUBLICITÁRIO

Por Heloísa Alves
Crédito das fotos: Divulgação/Miss Country

Veja mais notícias sobre Moda no portal Cavalus

Continue lendo

Cavalgadas Brasil

Cavalgada na Reserva Indígena Navajo

Paulo Junqueira, em sua coluna da semana, escreve sobre uma Cavalgada na Reserva Indígena Navajo, a maior área de terra mantida por uma tribo indígena nos EUA

Publicado

⠀em

Cavalgada na Reserva Indígena Navajo

A cavalgada na terra dos Navajos atravessa as partes mais espetaculares e interessantes da vasta Reserva Indígena Navajo. Em primeiro lugar, destaca-se que é a maior área de terra mantida por uma tribo indígena nos Estados Unidos. É uma das poucas nações indígenas cujas terras de reserva se sobrepõem às suas terras originais.

Bem no coração do deserto, o antigo povo Anasazi construiu uma civilização altamente desenvolvida há mil anos, eles viviam habitações de pedra precárias, mas facilmente defendidas no alto das falésias de arenito. Então, muito tempo depois, os índios Navajo se estabeleceram nessa bela e isolada paisagem.

Reserva Indígena Navajo
Indios Navajo se estabeleceram nessa bela e isolada paisagem

Nossa cavalgada atravessou três áreas distintas da Reserva Indígena Navajo. Começando no Canyon de Chelly, cujas falésias muito altas são pontilhadas por ruínas Anasazi e Navajo. Em seguida, foram dois dias de cavalgada entre as famosas montanhas, colinas e arcos naturais do Monument Valley e os últimos dias de cavalgada na base da Montanha Navajo. No último dia de cavalgada paramos em alguns dos pontos populares que são vistos em muitos filmes.

Cavalgada na Reserva Indígena Navajo
Cavalgada atravessou três áreas distintas

Para chegar no acampamento perto da junção do Canyon de Chelly e do Canyon del Muerto, seguimos uma trilha em ziguezague para cima e para fora do Canyon del Muerto, passando por ruínas Anasazi e fazendas Navajo

Cavalgada na Reserva Indígena Navajo
Acampamento perto da junção do Canyon de Chelly e do Canyon del Muerto

Dessa forma, os índios Navajos foram nossos guias e anfitriões durante essa semana. Com eles tivemos oportunidade de vivenciar essa área fascinante em profundidade, conhecer muitas histórias antigas, costumes e a rica vida cultural Navajo que ainda está muito viva.

Por Paulo Junqueira Arantes
Cavaleiro profissional e Diretor da agência Cavalgadas Brasil
www.cavalgadasbrasil.com.br

Veja outras notícias da editoria Turismo Equestre no portal Cavalus

Continue lendo

Assessoria

Nova coleção da Cutter Jeans traz o conceito de nostalgia da pré-pandemia

Intitulada Five Star, nova coleção ainda celebra os cinco anos da marca que foram celebrados neste ano de 2021

Publicado

⠀em

Nova coleção da Cutter Jeans traz o conceito de nostalgia da pré-pandemia

A liberdade do ir e vir, à vontade, sem restrições e medo, nunca fez tanta falta como atualmente em período de pandemia. E então é esse conceito de nostalgia da pré-pandemia que virou inspiração para a nova coleção da Cutter Jeans. Intitulada  Five Star, a nova coleção ainda celebra os 5 anos de fundação da marca.

“De quando podíamos ir e vir à vontade, eventos, shows, provas, um mundo de aglomerações que ficam em nossa memória e em todos os momentos marcantes da nossa marca nesses cinco anos de história”, cita a estista da Cutter Jeans, Camila Valério de Oliveira.

De acordo com Camila, a nova coleção traz um pouco de tudo que as clientes da marca que amam usar nas provas e eventos, e um pouco de cada coleção já lançada até aqui. “Com peças que vão de cheias de brilhos à detalhes exclusivos e diferenciados, passeando por técnicas diferenciadas e uma mistura de fashionismo com ícones da moda country”.

Peças únicas

Assim, a marca manteve uma das suas premissas mais importantes: produzir peças exclusivas como nenhuma outra. “Queremos que nossas clientes se sintam únicas e prontas para qualquer lugar vestindo as peças Cutter. Nossa missão é fazê-las se sentirem singular e parte da comemoração desses 5 anos da marca”, reforça a estilista.

Para tanto, a Cutter Jeans fez o uso das melhores matérias-primas disponíveis no mercado e as técnicas mais incríveis de lavagem, que deixam as peças com a qualidade e exclusividade que a marca tanto defende. Além disso, as técnicas de bordados e aplicações usadas em diferentes variações trazem o brilho necessário para a nova coleção.

“Recortes contrastantes, detalhes em pedrarias, couros, lantejoulas, pedras, bordados únicos e característicos da marca e de toda nossa história que vão te fazer brilhar por onde for, independente de estar em casa, nas pistas, na cidade ou nas festas”, finaliza a estilista.

Dessa forma, em breve, as peças da nova coleção Five Star estarão disponíveis no site da marca. Para conferir, é só acessar www.cutterjeans.com.br.

Instagram: @cutterjeans | WhatsApp: (15) 99105-5851

Por AV Comunicação Equestre
Crédito das fotos: Divulgação/Cutter Jeans

Veja mais notícias de Moda no portal Cavalus

Continue lendo

Cavalgadas Brasil

Grand Canyon a cavalo

Paulo Junqueira, em sua coluna da semana, escreve sobre uma cavalgada no Grand Canyon e como foi uma aventura esse ‘passeio’

Publicado

⠀em

Na medida que descemos para as profundezas do Canyon, há uma série de plataformas que variam em largura de 200 metros a 1,5 km largura, em um microclima que é protegido do frio e dos ventos. Esta cavalgada foi uma grande aventura e não pode ser confundida com os passeios de burro tediosos que são oferecidos aos turistas que querem descer o famoso Canyon! Essa foi uma viagem a cavalo em algumas das áreas remotas e pouco visitadas do Grand Canyon. Todos tinham que ser cavaleiros experientes, pois conduziriam os cavalos por trilhas acidentadas e alguns trechos traiçoeiros. Os poucos que participaram da aventura foram amplamente recompensadas por sentir a grandeza do cânion como os primeiros exploradores fizeram.

Primeiros exploradores brancos

Em agosto de 1869, o major John Wesley Powell e oito homens, em três barcos de madeira, com rações ficando escassas e nenhuma ideia de onde o Grand Canyon terminava, foram os primeiros exploradores brancos a documentar a incrível rede de cânions e terraços que compõem esta área do Colorado. No diário de Powell diz: “Deste ponto, posso olhar para o oeste, para os desfiladeiros do Colorado e ver a borda de um grande planalto, de onde riachos descem e ravinas profundas na escarpa que fica de frente para nós, continuado por cânions, irregulares e alargados e penhascos altos, até o rio. ”

Grand Canyon a cavalo
Cavalgada foi uma grande aventura

Guia Mel

Nosso guia, Mel, vem de uma linhagem de fazendeiros nascidos e criados nessa região incrivelmente bela, mas desolada, entre o Rio Colorado e a fronteira de Utah/Arizona. Ele chama os terraços dos degraus do Grand Canyon de “pastagens de inverno”. Dessa forma, referindo-se à prática da pecuária local de levar o gado para os cânions durante os meses de inverno, quando há água nas nascentes e tanques naturais. Paredes verticais com mais de 300 metros de altura de um lado e uma queda vertical de 300 metros do outro são cercas bastante eficazes. “as pastagens têm 40 milhas de comprimento e 40 metros de largura”, diz Mel, “e os únicos lugares que temos de cercar são onde elas se abrem em um desfiladeiro”.

Nosso grupo era relativamente pequeno, 10 pessoas, 12 cavalos e 3 mulas. Às vezes parecia muito pequeno e insignificante, como quando estávamos cavalgando por um dos amplos terraços, ou nas profundezas de um desfiladeiro estreito. Mas, reunidos ao redor da fogueira nas noites escuras, ou quando era minha vez de ajudar no acampamento, nosso pequeno grupo parecia muito maior.

Grand Canyon a cavalo
Reunidos ao redor da fogueiro, grupo de 10 pessoas parecia ser muito maior

Seis dias a cavalo

Foram então 6 dias explorando as pastagens de inverno do Grand Canyon. Contudo, nesses dias descobrimos muitas coisas. Não há dois cânions iguais, a água é escassa mesmo depois de uma chuva, a temperatura ambiente pode mudar muito apenas ao entrar na sombra e o rio Colorado é apenas um elemento do complexo do Grand Canyon. Quando encontrávamos uma poça de água, a maioria não tinha mais de dois centímetros de profundidade, mas nossos cavalos habilmente encontravam as mais fundas e sugavam água fresca em longos goles. Ou seja, eles eram especialistas nisso, sabendo como sabiam que poderia ser uma longa jornada até a próxima poça de água.

Grand Canyon a cavalo
Cavalos conseguem encontrar poças de água de profundidade maior

Dessa forma, ao final dessa grande experiência, depois de uma semana sem tomar banho e, um pouco rígidos por dormir no chão, estávamos todos emocionalmente relaxados e rejuvenescidos, sem muita pressa para voltar a civilização!

Por Paulo Junqueira Arantes
Cavaleiro profissional e Diretor da agência Cavalgadas Brasil
www.cavalgadasbrasil.com.br

Veja outras notícias da editoria Turismo Equestre no portal Cavalus

Continue lendo

Cavalgadas Brasil

Cavalgada 3 Parques – Arizona e Utah

Paulo Junqueira, em sua coluna da semana, escreve sobre a Cavalgada 3 Parques – Arizona e Utah, lembrando da história dos colonizadores

Publicado

⠀em

Cavalgada 3 Parques – Arizona e Utah

A história dos cavalos no Arizona remonta a cerca de um século depois que os conquistadores espanhóis chegaram ao solo americano no século XVI. Depois de 1680, quando a Rebelião Pueblo ocorreu em Santa Fé, muitos cavalos escaparam e os índios conseguiram capturar centenas deles.

A potência e a velocidade dos cavalos mudaram totalmente o estilo de vida dos índios, tornando muito mais fácil caçar búfalos e se deslocar. Tribos como os apaches e os comanches atrasaram a colonização europeia por décadas porque se tornaram extremamente hábeis cavaleiros na guerra, com uma mobilidade incrível. Seu estilo de vida nômade os tornava difíceis de rastrear e subjugar.

Logo após a Guerra Civil, os conflitos indígenas foram bastante reduzidos e os enormes rebanhos de búfalos dos quais dependiam foram rapidamente exterminados. Ao mesmo tempo, a conclusão das ferrovias transcontinentais tornou possível comercializar gado no Leste, onde uma população em rápido crescimento havia desenvolvido um enorme apetite por carne bovina.

O gado logo começou a prosperar no Arizona e, claro, foram necessários muitos vaqueiros e ainda mais cavalos para lidar com os rebanhos nas vastas áreas onde pastavam. No início, ainda havia grandes manadas de cavalos selvagens, muitos deles foram capturados, domesticados sem os quais a pecuária não poderia ter se desenvolvido tão rapidamente

Paisagens cinematográficas

Os diretores de cinema há muito tempo reconhecem que o Arizona e Utah têm algumas das paisagens mais impressionantes e dramáticas do mundo. Nessa cavalgada vamos a três dos mais belos Parques Nacionais americanos, percorrendo trilhas em algumas das partes mais remotas desta área espetacular. Cavalgamos em trilhas através de terrenos muito variados na área de fronteira entre Utah e Arizona, muitas vezes em caminhos rochosos que descem para as profundezas dos cânions.

A cavalgada começa no Pariah River Canyon e segue para o norte para contornar o Bryce Canyon, dando uma perspectiva incomum de suas fenomenais torres rosa. A trilha segue o rio Virgin, cruza o canto sudeste do labirinto de cúpulas de arenito de Sião e suas gargantas sinuosas, seguindo para o sul através de uma vasta região aberta. Em outro dia de cavalgada, dia inteiro ao longo da formação Zions cercada por penhascos brancos, com passagem pela famosa formação Elephant Cove.

Cavalgada 3 Parques – Arizona e Utah

Pastagens de verão no Grand Canyon

Dia de cavalgada espetacular descendo uma área pouco visitada no trecho norte do Grand Canyon, aonde existem áreas que fornecem abrigo para o gado e a vida selvagem das tempestades de inverno, em um microclima mais quente. Poucas cavalgadas têm um final tão dramático como essa, em Toroweap, onde o abismo do Grand Canyon cai mil metros e expõe eras de tempo geológico. 

Por fim, o acampamento movido a cada dia por veículo permitiu não retardar a viagem a cavalo com animais de carga, possibilitando seguir um ritmo bom, determinado pelo tipo de terreno.
Nosso guia Mel é um verdadeiro cowboy e já participou como figurante em vários filmes do velho oeste. Os cavalos confiáveis, acostumados a esses terrenos acidentados, ajudaram tornar esta aventura inesquecível.

Por Paulo Junqueira Arantes
Cavaleiro profissional e Diretor da agência Cavalgadas Brasil
www.cavalgadasbrasil.com.br

Veja outras notícias da editoria Turismo Equestre no portal Cavalus

Continue lendo

Cinema

Silverado

Filme de 1985, apresenta grupo de cowboys desajustados que vão em busca de uma fortuna na conturbada Silverado

Publicado

⠀em

Lançado em 1985, o filme Silverado chegou em uma época em que o gênero western não estava tanto em alta nas telonas

A princípio, lançado em 1985, o filme Silverado chegou em uma época em que o gênero western não estava tanto em alta nas telonas. Entretanto, com um elenco de peso, composto por Kevin Kline, Scott Glenn, Kevin Costner, Danny Glover e Brian Dennehey, o longa teve um bom aceite entre o público, com um bom sucesso.

O filme é ambientado na cidade Silverado, do velho oeste, dominada por um xerife corrupto, até que quatro “pistoleiros” chegam, modificando não só os seus destinos, como também os dos moradores que ali vivem.

Como de costume em filmes do gênero, no longa não falta ação e é claro, cavalos. Sem dar spoilers sobre o filme, o colunista do UOL, Roberto Sadovski destaca que “Silverado continua sendo uma cápsula do tempo, um faroeste pós-moderno que agrega todas as paixões de Kasdan com uma sensibilidade contemporânea. ”

Sinopse

A cidade, praticamente perdida em meio à expansão para o Pacífico, é dominada por um rancheiro criminoso (Ray Baker) e um xerife corrupto (Brian Dennehy). Contudo, as coisas mudam com a chegada de quatro homens.

Unidos pelo destino, com histórias envolvendo vingança e justiça, caminho dos quatros se cruzam na cidade. São os irmãos Emmett (Scott Glenn) e Jake (Kevin Costner), além do pistoleiro Paden (Kevin Kline) e do caubói Mal (Danny Glover).

Curiosidade

Por fim, destaca-se que as filmagens foram realizadas em 96 dias, entre novembro de 1984 e março de 1985. A esposa do diretor Lawrence Kasdan e dois de seus filhos aparecem em pequenos papéis no filme. Silverado teve um orçamento total de U$ 26 milhões, sendo lançado em 1985.

Fonte: UOL/Adoro Cinema
Crédito imagem: Plano Crítico

Veja mais da editoria Cinema no portal Cavalus

Continue lendo

Cavalgadas Brasil

Cavalgada em Mustangs no Wyoming

Paulo Junqueira, em sua coluna da semana, escreve sobre a cavalgada na Trilha Big Horn no Wyoming com os cavalos Mustangs

Publicado

⠀em

Cavalgada em Mustangs no Wyoming

Um dos destaques da cavalgada na Trilha Big Horn no Wyoming são os cavalos. Mais de 130 para escolher, Quarto de Milha, Paint e Mustang. Nos últimos anos, Mustangs do Wild Horse Center foram adicionados a tropa e agora já são 30 Mustangs no Rancho. Alguns dos Mustangs do Rancho passaram pelo Extreme Mustang Makeover, outros por meio do programa do Bureau of Land Management de Nick e Steve Mantle e alguns chegaram por meio do Programa de Presos, onde prisioneiros trabalham com Mustangs para terapia.

Eu montei num castanho muito bom e bonito e com ele percorri várias trilhas pelas montanhas da região. Destaque para a The Mail Trail – trilha de dia inteiro ao longo de uma antiga rota do correio, saindo a 2.300m de altitude cruzando floresta, com belas vistas do Shell Canyon. A Mail Trail é parte de uma antiga trilha do século passado, usada para transportar o correio a cavalo e mulas de Sheridan a Cody. Outra trilha que gostei muito foi a Five Fingers que seguiu através de desfiladeiros rochosos, ao longo das encostas das montanhas do Big Horn, que sobem 600 ms ao longo da trilha como uma enorme parede de granito. Algumas dessas rochas tem milhões de anos.

Cavalgada com Mustangs em meio as rochas

Os Mustangs

Os Mustangs são descendentes de cavalos trazidos para as Américas pelos espanhóis, vivem livres no oeste americano. Embora suas raízes estejam nesses cavalos espanhóis, ao longo do tempo outras raças e tipos contribuíram para o Mustang que vemos hoje. Todos descendem de cavalos que já foram domesticados, portanto, estritamente falando, não são cavalos selvagens.

Na década de 1970, o Congresso dos EUA reconheceu esses cavalos como “símbolos vivos do espírito histórico e pioneiro do Ocidente”. Isso fez com que eles passassem a ser controlados e protegidos pelo Bureau of Land Management, que gerencia manadas de Mustangs em 177 áreas de manejo em 26,9 milhões de acres de terras públicas. Trabalham para que cada vez mais cavalos estejam sob cuidados privados por meio de seus Programas de Adoção e Vendas, bem como parcerias com organizações em todo o país.

Mustangs sao identificados com uma marca no pescoço

Porque adotar um Mustang?

Os Mustangs são conhecidos por sua firmeza, força, inteligência e resistência. Com gentileza e paciência, eles podem se acostumar ao contato humano e, então, ser treinados para uma variedade de atividades. Domar um Mustang ‘selvagem’ pode ser desafiador, mas muitas vezes é um processo muito gratificante. É também uma chance única de adotar e cuidar de uma parte do patrimônio nacional da América.

Extreme Mustang Makeover

Criado e apresentado pela Mustang Heritage Foundation, o Extreme Mustang Makeover é uma competição cujo objetivo é mostrar a beleza, versatilidade e capacidade de treinamento dos mustangs americanos. Competem nesses eventos éguas e cavalos castrados, geralmente de quatro a sete anos de idade, que vivem em terras do BLM.

Os domadores aprovados recebem um Mustang e passam aproximadamente 100 dias se preparando para uma apresentação aonde mostrarão as novas habilidades do cavalo. Ao final do evento, todos os Mustangs estão disponíveis para adoção ou compra por meio de licitação pública.

EXTREME MAKE OVER

Por Paulo Junqueira Arantes
Cavaleiro profissional e Diretor da agência Cavalgadas Brasil
www.cavalgadasbrasil.com.br

Veja outras notícias da editoria Turismo Equestre no portal Cavalus

Continue lendo

Cultura & Estilo

Ensaios fotográficos ganham popularidade no meio do cavalo

Impulsionado pelas redes sociais e pandemia, profissionais da fotografia já notam aumento
da demanda para esse tipo de serviço

Publicado

⠀em

Ensaios fotográficos ganham popularidade no meio do cavalo

Em tempos de pandemia, as redes sociais ganharam ainda mais força como formas de manter contato com pessoas distantes e as atividades que envolvam pouca ou nenhuma aglomeração também ganharam mais adeptos.

Andar ou praticar esportes à cavalo, que geralmente são atividades realizadas ao ar livre com quase nenhuma aglomeração, acabaram se transformando em refúgios para as pessoas se desestressarem.

Essas atividades também passaram a impulsionar um novo nicho de serviços: os ensaios fotográficos realizados entre esses animais e seus donos.

Ensaios Fotográficos

Proprietária do estúdio de fotografia que leva o seu nome, a fotógrafa Victória Lauria percebeu um aumento no número de contratos fechados para esse tipo de produção. “Por eu estar um pouco mais envolvida com a produção de fotos ao ar livre para gestantes e famílias, muitas
pessoas do meio começaram a entrar em contato ao verem que o estilo se encaixava para as fotos do meio country. E uma coisa foi puxando a outra”, comentou.

No último mês, Victória “clicou” três ensaios e realizou mais de oito orçamentos do tipo. “Até mesmo, tiveram duas gestantes que quiseram fazer ensaios e me procuraram justamente por conta das fotos com os cavalos”, explica.

Uma das pessoas que buscaram as imagens foi a engenheira de alimentos, Daniela Rodrigues Souza, que convidou as amigas, Gabriela Justi, Letícia Yamanaka e Paula Botelho, para participarem do ensaio. “Eu gosto muito de tirar fotos, mas tinha poucas com a minha égua Estrela, que era de hipismo. Infelizmente, quando ela morreu, achei que nunca mais voltaria a fazer uma modalidade equestre. Foi quando o meu novo cavalo, Ringo, entrou na minha vida e eu conheci o Centro de Treinamento (CT) de Três Tambores Gabriela Justi”, comentou Daniela.

Fotos com cavalos

Com o novo companheiro de esportes, Daniela decidiu fazer diferente. “Em um dos treinos no CT, comentei com a Gabriela que gostaria de ter fotos com o Ringo, e ela já havia feito um ensaio com a Victória. Foi isso que me motivou a convidar minhas amigas para participarem”, destacou.

A treinadora e proprietária do CT de três tambores, Gabriela Justi, destacou que também fez um ensaio para guardar de recordação. “Convidei minha família para participar, porque foram os grandes incentivadores para eu montar o CT. Então, foi uma forma de agradecer o apoio deles e guardar na memória”, afirma.

A profissional de educação física, Paula Botelho, que já havia participado de um ensaio com cavalos em 2015 fica feliz pela popularização desse tipo de serviço. “Gostei muito do resultado das fotos, pois antes era difícil achar profissionais para tirar fotos. Penso em indicar para todos, inclusive do Haras da Serra, onde resido, que tem uma paisagem muito bonita”, destacou.

A arquiteta, Letícia Yamanaka, concorda com a Paula e acrescenta que as fotografias ajudaram ainda mais a integrar as amizades. “Foi um momento muito bacana, onde pudemos estar em contato com os cavalos que treinamos sempre, mas de uma forma diferente”, concluiu.

Fonte: Equinopoint Comunicação
Crédito das fotos: Divulgação/

Veja mais notícias de Cultura e Estilo no portal Cavalus

Continue lendo

Assessoria

Peças Cutter Jeans são as queridinhas das mulheres para ensaios fotográficos country

Com a febre de fotos produzidas para as redes sociais, a mulherada tem apostado nas peças da marca para fotos ainda mais bonitas e autênticas

Publicado

⠀em

Peças Cutter Jeans são as queridinhas das mulheres para ensaios fotográficos country

Quem é do meio country e busca se destacar em meio ao mar de fotos que lotam as redes sociais todos os dias tem apostado em fotos mais produzidas para compartilhar entre os seus seguidos. E é aí que entram as peças da Cutter Jeans como grandes aliadas, sendo as queridinhas das mulheres para ensaios fotográficos country.

Afinal, se tem uma peça que não pode faltar na composição country é o jeans. Mas não basta ter apenas essa peça azul no seu look para as fotos ficarem bonitas, é necessário algo autêntico, com muito brilho e bordado, como são as peças da Cutter Jeans.

A Laura Michelone Bonatto, de 14 anos, recentemente participou de um ensaio fotográfico com as roupas da marca. Para ela, foi difícil escolher qual peça usar para as fotos. “Sou cliente desde as primeiras coleções. O que mais me atrai nas peças Cutter são os designers incríveis, cores e o brilhos. Todas as peças são impecáveis e foi difícil ter preferência por uma para as fotos. Mas eu amei o resultado e, certamente, quero fazer mais fotos assim no futuro”.

Quem também escolheu as peças Cutter Jeans para um ensaio fotográfico country cheio de estilo foi a Letícia do Valle, de 35 anos. “Sempre fui apaixonada pelos detalhes de cada calça e camisa, tudo muito bem feito, bordados e brilhos sempre me encantaram desde a primeira coleção. E o corte das calças, como veste no meu corpo, não troco por nenhuma outra marca. E o look deixou as fotos lindas. Eu amei”, enfatiza Letícia.

Peças Cutter Jeans são as queridinhas das mulheres para ensaios fotográficos country
Laura Michelone Bonatto, cliente desde as primeiras coleções

Outros ensaios fotográficos country

Novata no mundo dos ensaios fotográfico, a Ana Carolina Laurini Cardozo, de 34 anos, amou o resultado obtido com as peças da Cutter. “Adorei. Ficaram incríveis as fotos, um resultado muito positivo por eu nunca ter fotografado e não ser nenhum pouco profissional nessa área. Além de lindas, as peças vestem muito bem e deixam o corpo bonito”.

Já a Julia Kroker, de 23 anos, é veterana quando o assunto é ensaio fotográfico country. Isso porque ela já fez vários e sempre com as peças da Cutter Jeans. “Gosto bastante do estilo das peças, principalmente o bordado com pedraria, um diferencial na marca, o que torna especial. A roupa faz toda diferença num ensaio fotográfico, com certeza as peças Cutter deixam tudo mais bonito ainda”, finaliza.

Site: www.blog.cutterjeans.com.br |Instagram: @cutterjeans | WhatsApp: (15) 99105-5851

Por AV Comunicação Equestre
Crédito da foto: Divulgação

Veja mais notícias de Moda no portal Cavalus

Continue lendo

Assessoria

Conheça o processo de criação de uma nova coleção de moda

A estilista da Cutter Jeans, Camila Valério de Oliveira explica que são vários os passos que precisam ser seguidos para que a marca produza peças exclusivas como nenhuma outra do mercado

Publicado

⠀em

A estilista da Cutter Jeans, Camila Valério de Oliveira explica que são vários os passos que precisam ser seguidos para que a marca produza peças exclusivas como nenhuma outra do mercado

Quem vê as peças prontas das coleções da Cutter Jeans, não imagina o trabalho envolvido por trás. Ainda mais se tratando de uma marca que mantém o compromisso de produzir peças exclusivas como nenhuma outra disponível no mercado de moda western. As etapas do processo de criação de uma nova coleção envolvem muito mais do que simplesmente criar uma roupa. É preciso estudo, pesquisa, criatividade, técnica e muito mais.

Processo de Criação

Segundo a estilista da Cutter, Camila Valério de Oliveira, o primeiro passo é a pesquisa de macro tendências. “É onde a gente procura saber os assuntos que são mais falados no momento. Isso mais para a análise do comportamento do consumidor mesmo e uma análise de mercado”.

Na sequência, é feita uma pesquisa de tendências para definir o caminho que a nova coleção vai seguir. Ou seja, no caso da Cutter, que mantém o compromisso de produzir peças exclusivas como nenhuma outra, a pesquisa consiste em novidades em bordados, shapes, cores, estampas, aviamento, lavanderia, etc. “É nesta etapa que eu separo as imagens que eu vou usar para a nova coleção”, acrescenta Camila.

Depois da pesquisa, a estilista define qual vai ser o tema da coleção e monta o seu moodboard. Trata-se de uma ferramenta, muito utilizada por arquitetos e designers de todas as áreas, que pode ser traduzida como um painel de imagens conceituais e de inspiração.

“Eu coloco imagens que vão retratar a coleção e já parto para o desenvolvimento das peças. No desenvolvimento eu já defino o mix de produtos, quantas calças, t-shirts, camisa. Isso tudo juntamente com a Carol [idealizadora da marca]. Eu começo a ir atrás de tecido, de aviamento, de fornecedor, para comprar matéria-prima. Entro em contato com os ateliês que fazem bordados para nós, para gente trocar uma ideia do que eu vou querer nas peças. Eu vou atrás disso, antes mesmo de começar a desenhar”, explica a estilista.

Processo de criação
Camila Valério de Oliveira explica o passo a passo para uma nova coleção de moda – Foto: Divulgação/Cutter Jeans

Desenvolvimento de cada peça

Somente depois das etapas citadas acima que Camila começa, de fato, a desenhar cada peça da nova coleção. “É feito um desenho planificado, que é desenho que vai conter todas as informações necessárias para a gente conseguir confeccionar as peças. Um desenho planificado que vai anexo uma ficha técnica de desenvolvimento de produto. Isso eu faço para cada uma das peças da coleção”.

Por se tratar de peças exclusivas, que requerem muita pesquisa e procura por novos materiais, o processo de desenvolvimento de uma nova coleção da Cutter é bem demorado. “A partir do momento que eu começo a pensar em uma coleção, eu demoro cerca de três semanas a um mês para conseguir tirar a ideia do papel, começar a desenvolver e desenhar. Mas a coleção em si para ficar pronta, com os protótipos, uns dois meses. Então, eu começo bem antes”, cita Camila.

Por fim, quando as peças começam, de fato, a serem produzidas dentro dos setores da Cutter, a estilista conta que, apesar de ter uma ideia meio que pronta desde início, conforme a peça fica pronta, ela vai analisando a necessidade de possíveis alterações.

“Por exemplo, eu idealizei a peça sem bordado, só pedraria. Mas daí ela fica pronto e eu sinto falta de um bordado. Conforme eu vou produzindo os protótipos aqui, eu vou ainda pensando exclusivamente em cada peça, em todos os seus processos, em questão de lavagem, trabalhos manuais. É uma coisa bem complexa e bem trabalhosa, mas que me enche de felicidade ao ver tudo pronta”, finaliza.

Site: www.blog.cutterjeans.com.br | Instagram: @cutterjeans

Por AV Comunicação Equestre
Crédito da foto: Divulgação/Cutter Jeans

Veja mais notícias de Moda no portal Cavalus

Continue lendo