Internacional

Craig Schmersal e Cade McCutcheon campeões da ‘Prova do Milhão’

Publicado

⠀em

Evento inédito e milionário de Rédeas teve seu desfecho no último sábado, 17 de agosto

Desde que foi anunciado, o The Run For a Million causou frissom no mundo do cavalo e da Rédeas, mais especificamente. Uma premiação de US$ 1 milhão a ser disputada por apenas 12 cavaleiros convidados. Formato sem precedentes, que para ser sancionado pela NRHA teve que ser incluído em uma nova categoria. Criado por Taylor Sheridan, cineasta e roteirista indicado ao Oscar, em parceria com a produtora Amanda Brumley, do Brumley Management Group, foi sucesso!

Especialmente porque Sheridan gravou uma série documentário sobre alguns dos cavaleiros, a modalidade e estilo de vida dos cowboys, chamada The Last Cowboy. A Paramount Network esteev à frente, com produção de Truly Original e produção executiva do 101 Studios. Por conta da série, em que o episódio final conterá cenas da prova, muitos acreditam que os resultados não foram divulgados abertamente para manter o suspense.

Craig Schmersal

Os episódios são veiculados nos Estados Unidos pela televisão e os dois primeiros na íntegra estão na página da série no Facebook. Para manter mais ainda a coisa toda em um clima cinematográfico, a transmissão via internet do Invitational – como eles chamaram a prova que valeu um milhão de dólares – não foi liberada para Estados Unidos e Canadá. Então, tudo que temos até agora é o resultado, mas sem estar oficialmente divulgado.

Disputaram esse título inédito o brasileiro Franco Bertolani, Andrea Fappani, Casey Deary, Shawn Flarida, Jordan Larson, Jason Vanlandingham, Craig Schmersal, Tom McCutcheon, Duane Latimer, Abbey Lengel, Cade McCutcheon e Matt Mills. O critério para o convite: nove treinadores que já ganharam acima de um milhão de dólares na carreira e estão no topo do ranking nos últimos três anos. E mais três de forma aleatória, que chamaram de Wild Card.

Apresentação dos ’12’ em frente ao South Point Casino em Las Vegas. Foto: Reprodução/Facebook

Craig Schmersal e Cade McCutcheon (foto) marcaram 229 pontos e ganharam o The Run For a Million 2019. Entraram para a história da Rédeas depois de uma semana de tapete vermelho, muita badalação, mesa de autógrafos, fotos, filmagens e apostas. Quem seria o dono desse prêmio milionário? Agora sabemos, mas por enquanto, é isso! O brasileiro Franco Bertolani levou quatro cavalos ao South Point Equestrian Center em Las Vegas, disputando com Dun It For Whizkey o Invitational.

Além dessa prova com premiação milionária, a programação contou também com um Shootout, prova aberta para cavalos e cavaleiros, com premiação de US$ 100.000,00. Os cinco primeiros na classificação final estarão garantidos na prova principal do ano que vem. Para as outras categorias – Rookie Championships e Non Pro Championship, com US$50.000,00 de prêmio cada uma, os competidores precisaram se classificar através de uma das provas filiadas. A programação ficou completa com o Freestyle, que pagou US$ 50.000,00.

Franco Bertolani

Os primeiros campeões foram do Open Shootout. Dany Tremblay marcou impressionantes 232,50 pontos com PS Mega Shine Chic para ficar com o prêmio de campeão. Do total da premiação destinada a essa categoria, US$ 26.337,59 ficaram para os vencedores. Com 227 pontos, Jason Vanlandingham – que vem ao Brasil novamente em janeiro para um curso de Rédeas no Rancho Karoline – foi o reservado campeão dessa prova apresentando Spooks Gotta Crush.

Com 31 cavalos na disputa, Franco Bertolani marcou sua melhor nota com Masked Gun, 222 pontos, empatado em décimo lugar com mais três conjuntos. Ele também apresentou Colonels Dancing Gun e Gunner Dun It Again, do brasileiro André Tripoloni. Outro brasileiro esteve nessa categoria, Lorinaldo Gomes com Snip O Gun, marcando 214 pontos. Entre os dez conjuntos do Freestyle, quem surpreendeu foi Andrea Fappani. Montou Custom Spook e fez uma performance de boxeador para marcar 227 pontos e ficar com a fatia de US$ 13.634,06.

Andrea Fappani no Freestyle

Addisyn Lyn Schmersal ganhou o Rookie (novatos), 216 pontos com Cashing Black Chex. E Shelby L Clausen foi campeã da Non Pro, 221,5 pontos com Smart Tinseltown. Resultados comopletos, clique aqui.

Por Luciana Omena
Fotos: TRFAM

Continue lendo

3 Comments

  1. how much carpet cleaner do i use

    30 de novembro de 2020 at 10:01

    thank you for this post, I am a big big fan of this website would
    like to continue updated.

    my site :: how much carpet cleaner do i use

  2. Mac Plack

    6 de janeiro de 2021 at 20:11

    I have a wordpress blog with a lot of pictures hosted on third party websites. I want all the pictures to be hosted in my wordpress blogs. I don’t want to manually download all pictures and replace them in the posts, i need something to do that automatically..

  3. Elena

    10 de janeiro de 2021 at 04:53

    This is really interesting, You’re a very skilled blogger.
    I’ve joined your feed and look forward to seeking more of your wonderful
    post. Also, I’ve shared your web site in my social networks!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Internacional

Jane Mayo é tricampeã mundial da Girls Rodeo Association

Com uma doença grave quando criança, desacreditada pelos médicos, foi salva quando o pai comprou um cavalo para ela ficar mais tempo ao ar livre

Publicado

⠀em

Montando seu lendário cavalo V’s Sandy, Jane Mayo venceu três campeonatos mundiais consecutivos de Três Tambores. Na época, a associação era chamada de Girls Rodeo Association – GRA, nome dado pelas fundadoras em 1948. Somente em 1982 passou a se chamar Women’s Professional Rodeo Association – WPRA.

De acordo com sua biografia, Jane Mayo foi acometida por uma rara doença no sangue quando era pequena. Os médicos previram que ela morreria antes dos 5 anos de idade. Seu pai, WH Mayo, comprou um cavalo manso para ela, Old Buck. A menina doente aprendeu a cavalgar. De tal forma que ar o fresco e o sol que ela absorveu enquanto montava trouxeram de volta sua saúde.

Assim, Jane começou a competir em rodeios no circuito escolar de Okemah, cidade do Condado de Okfuskee, Oklahoma. Em 1955, ela se formou na Okemah High School e tornou-se membro da Girls Rodeo Association. Desse modo, ganhou seu primeiro cavalo realmente bom, V’s Sandy. Formaram uma dupla e tanto no rodeio americano e nos Três Tambores.

Com uma doença grave quando criança, desacreditada pelos médicos, Jane Mayo foi salva quando o pai comprou um cavalo para ela montar

Em 1959, Jane Mayo marcou o menor tempo da final mundial, 19s2. Ganhou dois dos quatro rounds e ficou com o título da etapa. Sua primeira fivela de ouro se confirmou com a soma de US$ 5.814,00 em ganhos na temporada. No ano seguinte (1960), outro título mundial, com ganhos de US$ 7.833,00. Contudo 1961 foi seu auge, quando venceu sua terceira fivela de ouro com um recorde da época de US$ 8.356 em ganhos.

A história conta que ela gostava de laçar bezerros e Bulldog mais do que de Três Tambores. Creditava todo seu sucesso ao seu cavalo e lembra da parte mais difícil do seu trabalho, as longas viagens entre um rodeio e outro.

Fonte: WPRA, okgenweb.net
Crédito das fotos: WPRA

Veja histórias de outros Legends no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

Brasileiro Marcos Alan Costa fica em terceiro lugar em Waco

Pela PRCA, Marcos Alan, Junior Nogueira, Alex Cardozo e Valdiron Oliveira participaram da final do circuito do Texas

Publicado

⠀em

Um começo de ano diferente para os competidores da PRCA. Alguns dos rodeios mais tradicionais e importantes desse começo de temporada, como Denver, não aconteceram – e não acontecerão – por conta da pandemia da Covid-19. Para Marcos Alan Costa (foto), a estreia em 2021 foi durante a final do RAM Texas Circuit Finals Rodeo.

O brasileiro, que já foi campeão desse circuito, encerrou a competição de Tie-Down Roping em terceiro lugar ao somar 28s9. Marcos Alan acumulou, portanto, US$ 1.063,00 para o ranking. Realizada em Waco, Texas, a final reuniu apenas os competidores da região pontuados ao longo de 2020.

Junior Nogueira também laçou nesse rodeio. Seu melhor resultado ao lado do parceiro Cody Snow foi o segundo lugar na primeira rodada do Team Roping. Eles marcaram 5s2 e ficaram com US$ 1.063,00 de prêmio.

Enquanto pela modalidade Touros, dois brasileiros estiveram na disputa. O melhor resultado foi de Valdiron Oliveira com uma parada na primeira rodada. Empatado com Jeff Askey, marcou 83.5 pontos. Alex Cardozo também montou.

Somente os campeões da final em cada modalidade e os campeões gerais do circuito em soma de ganhos classificam-se para a final nacional na Flórida. Essa semana a PRCA realiza ainda a final do Montana Pro Rodeo Circuit Finals, dias 15 e 16 de janeiro, em Kalispell.

Praticamente todo final de semana tem um rodeio em Fort Worth, Texas. Assim, no final do ano passado, a brasileira Keyla Polizelo Costa foi campeã nos Três Tambores em um desses rodeios com sua égua Zumanity Cristal CMV. Em seguida, uma semana depois, no mesmo Cowtown Coliseum, no coração do Stockyards, ficou em segundo lugar com Spotlite Ta Fame.

Pela PRCA, Marcos Alan Costa, Junior Nogueira; no Laço, Alex Cardozo e Valdiron Oliveira; Touros, participaram da final do circuito do Texas
Leo Camarillo – Foto: Arquivo ProRodeo

Rodeio mundial perdeu dois ícones

O dia 30 de dezembro de 2020 será eternamente marcado pela partida de duas lendas do cavalo: Leo Camarillo e Robbie Schroeder.

Leo Camarillo, ProRodeo Hall of Famer, faleceu aos 74 anos em Chandler, Arizona. Em sua trajetória, foi cinco vezes campeão mundial: Team Roping em 1972-73, 1975, 1983; e All-Around em 1975. Faz parte da galeria da fama desde 1979 em Colorado Springs, Colorado. Ao lado do irmão Jerold, Leo tornou-se uma lenda, com 20 qualificações para a NFR e diversos outros títulos.

Robert ‘Robbie’ Lynn Schroeder tinha 62 anos e era conhecido como um dos melhores horsemans do nosso meio. Atuou em todas as disciplinas ao longo da carreira. De acordo com o site da AQHA, ele tem mais de 100 títulos de campeão e reservado campeão nas raças Quarto de Milha, Paint Horse e Appaloosa. Do mesmo modo que adorava ser mentor e passar um tempo com a família em Whitesboro, Texas.

Brasileiros, assim como toda a comunidade do cavalo, lamentaram essas perdas. Veja o depoimento de Junior Nogueira.

Por Luciana Omena
Fonte: PRCA
Crédito da foto de chamada: Divulgação/Arquivo Pessoal

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

Brasileiro Armando Costa Neto vence no Abilene Spectacular

Evento foi a primeira prova de Apartação do calendário americano em 2021

Publicado

⠀em

As competições de Apartação da nova temporada estão oficialmente abertas. Eventos de idade limitada mais importantes desse começo de ano começaram com a programação do Abilene Spectacular Cutting. Entre os campeões, o brasileiro Armando Costa Neto (foto).

Armandinho e Sweet Lil Kit Kat venceram a Mid Level Open (Intermediate) para cavalos de quatro anos hípicos. Marcaram na final a nota 225. Sweet Lil Kit Kat (Kit Kat Sugar x Sweet Smoke Lena) é de propriedade do criador brasileiro Renato Eugênio Rezende Barbosa.

Os dois estiveram juntos no NCHA Open Futurity no final de 2020, onde avançaram até a fase semifinal. Em Abilene, o brasileiro fez ainda a final da Open para cavalos de quatro anos com dois cavalos, mas sem resultados expressivos.

Por outro lado, Armando Costa Neto esteve na final da Mid Level Open (Intermediate) para cavalos de cinco/seis anos hípicos. Com Niki Sixx, de sua propriedade, marcou 221,5 pontos. Como resultado, terminou a prova em terceiro lugar.

Outro brasileiro também esteve nessa competição. Rodrigo Taboga ficou bem perto da nota de corte na Open 4YO ao apresentar Kidd Kat Sugar. Contudo, por meio ponto não avançou. Ele apresentou ainda Sanctus, Playin With Metal e Rocky Mountain Blues na Open 5/6YO.

Os próximos desafios dos brasileiros nesse primeiro trimestre são: Ike Classic, Bonanza Cutting, Arbuckle Futurity, The Cattleman’s Derby e NCHA Super Stakes. Fica fora dessa lista o Augusta Futurity, adiado por conta da pandemia.

Resultados completos, clique aqui.

Evento foi a primeira prova de Apartação do calendário americano em 2021. Os brasileiros Armando Costa Neto e Rodrigo Taboga competiram!
Wimpys Little Step – Foto: Divulgação/John Brasseaux

Rédeas

A menos de dois anos, Wimpys Little Step tornou-se apenas o terceiro garanhão a gerar filhos ganhadores de mais de US$ 11 milhões pela National Reining Horse Association. Nesse meio tempo, com o fim da temporada 2020, ele mudou de nível.

Se juntou a Topsail Whiz e Gunner como garanhão produtor de mais de US$ 12 milhões em ganhos de seus filhos. Ou seja, Wimpys Little Step atingiu a marca de NRHA Twelve Million Dollar Sire.

Filho de Nu Chex To Cash e Leolita Step, Wimpys Little Step foi um projeto da Hilldale Farm. Aos 21 anos de idade, é de propriedade da Silver Spurs Equine, de Purcell, Oklahoma. A saber, criatório que tem o envolvimento do brasileiro Thiago Boechat.

CFR Centenario Wimpy, apresentado pelo brasileiro Franco Bertolani nas pistas, e que hoje está no Brasil, é um dos cinco melhores filhos do garanhão. (Fonte: QHN)

Três Tambores

André Coelho e João Leão começaram a temporada 2021 no Sweep MVP Futurity. A prova aconteceu de 8 a 10 de janeiro, no Southern Buckeye Equestrian Center, Arizona. Assim sendo, na categoria Futurity, André ficou em sétimo lugar 1D com Jesse Famous Fling , 34s847 na soma dos tempos. Eles somaram ganhos ainda na primeira rodada, quinto lugar com 17s509. Enquanto João foi segundo 2D com Special For Tres PZ, 36a189. O conjunto campeão foi Kassie Mowry e Sand In My Socks, 34s137.

Por outro lado, João somou uns dólares a mais na categoria Friday Open, segundo lugar 2D com Flos Hush Money, 17s713. Assim como André e Jesse Famous Fling, décimo lugar 2D na Saturday Open, 17s509. (Fonte: Barrel Racing Report)

Por Luciana Omena
Créditos da foto de chamada: Divulgação/Performance Horse Central

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Continue lendo
X
X