Internacional

Talentoso e apaixonado por Rédeas, Pedro Baião conta sua trajetória

Publicado

⠀em

Talentoso e apaixonado por Rédeas, Pedro Baião conta sua trajetória Campeão NRHA Futurity Open N1 e N2 em 2012 e do N2 em 2016, a maior competição de Rédas do mundo, é nela que ele se sente ‘em casa’

Campeão NRHA Futurity Open N1 e N2 em 2012 e do N2 em 2016, a maior competição de Rédas do mundo, onde ele se sente ‘em casa’

O mineiro Teófilo Otoni, Pedro Baião, 32, fixou residência nos Estados Unidos. Hoje mora e treina cavalos de Rédeas em Scottsdale, Arizona. A oportunidade que tem lá lhe fornece a chance de trabalhar para um dos maiores criadores dos Estados Unidos, Kathy e Marc Gordon.

Pedro é hoje o treinador principal do Gordon Quarter Horses e seu time conta com mais dois brasileiros, Aires de Mello e Gustavo Mundim. Juntos, eles trabalham 32 cavalos para treinamento. Número que poderia ser maior, já que o local em que alugam as cocheiras não comporta mais do que essa quantidade.

Talentoso e apaixonado por Rédeas, Pedro Baião conta sua trajetória. Ele é campeão NRHA Futurity Open N1 e N2 em 2012 e do N2 em 2016
Crédito da foto: Divulgação/Cam Essick

De acordo com Pedro, Marc Gordon mantém mais cavalos no Texas e, contando com éguas de cria, potrinhos, cavalos para venda e prova, garanhão, ele é dono de mais de 100 animais. Entre eles, Late Night Stopper, que Pedro já monta e treina a primeira geração de filhos. Esses potros estão sendo preparados para estreia em 2021.

O brasileiro conta que não se arrepende da decisão de mudar de vez para os Estados Unidos. Em sua opinião, para quem atua com cavalos, é um dos melhores lugares do mundo, onde tem grandes animais, provas, sem contar na qualidade de vida. Contudo, Pedro Baião tem o sonho ainda de poder competir no Brasil. Como saiu daqui cedo, aos 17 anos, não teve essa oportunidade.

Conversamos com ele, confira!

Pedro Baião no começo da carreira – Foto: Arquivo Pessoal

O início

“Quando eu era criança, montava na fazenda dos meus avós. Então, já adolescente, entre 13 e 14 anos, pedi um cavalo de prova para o meu pai. Ganhei um de Três Tambores e fiz algumas provas. Mas o que meu pai mais queria mesmo era que eu fosse jogador de futebol e joguei por um tempo na categoria de base profissional do Cruzeiro. Nesse meio tempo eu fiz um curso de Rédeas com o Franco Bertolani.

Descobri ali que eu queria seguir na Rédeas. Ao quebrar o tornozelo jogando bola aos 15 anos e precisar ficar longe dos campos para me recuperar, tomei a decisão de fazer um estágio com o Franco e passei um ano com ele. Em seguida, aos 16 anos, vim para os Estados Unidos fazer um intercâmbio de um ano (sem receber salário) com o treinador Doug Milholand. Lembro que eu trabalhava muito todos os dias montando e, inclusive, aos domingos.

Talentoso e apaixonado por Rédeas, Pedro Baião conta sua trajetória. Ele é campeão NRHA Futurity Open N1 e N2 em 2012 e do N2 em 2016
Crédito da foto: Divulgação/Cam Essick

Fazíamos de tudo, desde tratar e limpar as cocheiras, além de montar os animais. Nessa oportunidade eu vim em busca de novos aprendizados e mais conhecimento. Dessa forma posso garantir que aqui a gente aprende muito e trabalha muito também. Não e fácil, mas vale a pena quando você tem um sonho ou objetivo.

Voltei ao Brasil por causa do visto, mas não consegui ficar muito tempo e logo retornei aos Estados Unidos e dessa vez foi em definitivo. Estou aqui até hoje, sendo cidadão americano”.

A premiação de Pedro Baião no NRHA Futurity 2012 – Foto: Divulgação/Waltenberry

Dia a dia

“Meu dia a dia por aqui continua muito corrido. Eu monto em média 15 cavalos todos os dias e dou aula para o Marc alguns dias na semana. Quem cuida das coisas de escritório e é responsável por manter tudo em ordem nas baias é a minha esposa Ana.

Nosso calendário de provas é composto pelos maiores eventos de Rédeas, sem dúvida. Porém, só definimos 100% para onde vamos cerca de um mês antes de cada, pois dependemos muito dos cavalos.

Talentoso e apaixonado por Rédeas, Pedro Baião conta sua trajetória. Ele é campeão NRHA Futurity Open N1 e N2 em 2012 e do N2 em 2016
Em 2016, campeão NRHA Futurity Open N2 – Foto: Divulgação/Gerson Verga

Em 2020, por exemplo, a minha égua de Derby (categoria para cavalos de quatro anos hípicos) que vinha de uma recuperação, não conseguiu voltar a tempo das provas. Além disso, por causa da Covid-19 estamos em casa.

Mudei de rancho recentemente e não fomos às provas que ocorreram no último mês. Estou focado ainda no treinamento de seis cavalos para o NRHA Futurity e espero conseguir apresentá-los esse ano ainda”.

NRBC com John – Foto: Divulgação/Waltenberry

Cavalos

“Nessa minha trajetória eu costumo dizer que muitos cavalos são importantes. Aqueles em que não conseguimos a performance desejada nos ensinam a melhorar. Por outro lado, os que a gente consegue melhores resultados reforçam que estamos no caminho certo. Se eu tiver que destacar um nome escolho o Spooksgottachicolena.

John, como o chamamos, me deu muitas alegrias. Em 2018 eu trabalhava para o Martin Muehlstaetter e ele era o cavalo do amador Mike Garnett no rancho. Lembro que eles queriam vendê-lo, mas antes eu pude treiná-lo, pois ele tinha machucado e ficado muito tempo parado. Fomos a primeira prova do ano, o Sun Circuit aqui em Scottsdale, e eu levei o John para tentar fazer um bom vídeo para venda.

Talentoso e apaixonado por Rédeas, Pedro Baião conta sua trajetória. Ele é campeão NRHA Futurity Open N1 e N2 em 2012 e do N2 em 2016
Família: a esposa Ana Claudia e os filhos Mya e Benjamim

Assim, fiz alguns ‘schoolings’ (provas para treino, sem valer pontos), mas John não foi muito bom não. Porém, continuei montando e no final da semana eu resolvi fazer uma prova para valer. Para a surpresa de todos marquei 74,5. Garnett decidiu investir um pouco mais antes de decisão final de vede-lo e fomos ao Cactus Reining Classic, também em Scottsdale. O plano era que se conseguíssemos marcar 220 ele iria inscrever para o NRBC.

Eu marquei 223,5 e os planos para o NRBC se mantiveram. Em uma das provas mais importantes do calendário, encerramos em 2018 empatados em segundo lugar N4 com Andrea Fappani e Epic Titan e vencemos o N3. Foi uma experiência e tanto, difícil de conseguir descrever tanta alegria que eu senti. Nesse ano eu e o John conseguimos nos classificar bem em várias provas, com título e somando prêmios. Foram mais de US$ de 130 mil dólares que me deram a chance de encerrar 2018 em nono lugar no ranking da NRHA”.

Crédito da foto: Divulgação/Waltenberry

Planos

“Estou preparando, entre outros, os filhos do Late Night Stopper para a estreia da primeira geração dele como garanhão ano que vem. E estou empolgado, pois estou gostando muito de montá-los, são talentosos e de excelente conformação.

Inegavelmente, eu não sei se conseguiria fazer outra coisa da vida se não montar e competir. Meu plano é sempre estar em busca de conhecimento e, quem sabe, um dia ser o que o Shawn Flarida é.”

Por Luciana Omena
Crédito da foto de chamada: Divulgação/Waltenberry

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Comentar com o Facebook

Internacional

Programa de treinamento de João Leão é elogiado por Fallon Taylor

Treinador brasileiro de Três Tambores trabalha há um ano e meio para uma das competidoras mais famosas e vencedoras dos Estados Unidos

Publicado

⠀em

Quando chegou aos Estados Unidos em dezembro de 2018, o treinador João Leão buscava novos desafios e muito aprendizado. Nos primeiros seis meses, então, ele, a esposa Joseli e a filha Julia tocaram um centro de treinamento em Gainesville, Texas. Entretanto, há um ano e meio tudo mudou. Hoje moram em Collinsville, Texas, e trabalham para Fallon Taylor.

“Morávamos na mesma região, por isso, corríamos as mesmas provas. Um dia, ela pediu para fazer um curso comigo. Logo depois desse curso recebemos o convite para trabalhar no rancho dela e treinar os cavalos. Ela deixou a gente levar alguns animais que já estavam comigo, separou algumas cocheiras. E os demais cavalos que treino hoje são os dela. Já estamos com a Fallon há um ano e meio, graças a Deus”, conta João.

Treinador brasileiro João Leão trabalha há um ano e meio para Fallon Taylor, uma das competidoras mais famosas e vencedoras dos EUA

Bicampeã mundial da WPRA/PRCA em Três Tambores, Fallon Taylor falou, recentemente, à Cowgirl Magazine, o quanto está feliz com o programa de treinamento brasileiro de João Leão. De acordo com a publicação, desde que adotou as novas técnicas está colhendo muitos frutos dentro das arenas e é muito grata ao treinador. Com 30 anos de carreira, a norte-americana, inclusive, disse que antes dele montar os filhos de sua grande égua, Babyflo, ela e seu time já eram seus maiores fãs.

“João trabalha mais duro do que qualquer outro competidor de Três Tambores que conheço. Ele, literalmente, dedica de 16 a 18 horas por dia para garantir, em primeiro lugar, amor e conforto aos cavalos. Só depois ele os ensina a vencer. O nível de disciplina e a integridade que João mostra ao nosso esporte me dá orgulho”. Por fim, ela afirma que a união deles, toda a colaboração, tem sido espetacular.

Rédeas

Terminou ontem a semifinal do NRHA Futurity Open de Rédeas e cinco brasileiros classificaram-se para a final. A saber, essa é a prova mais importante da temporada para a modalidade, exclusiva para cavalos de três anos hípicos. Franco Bertolani, com Hey Roy, e Fernando Salgado, com Step Out N Rock It e Vinny Gun, disputam o título do Nível 4, a categoria de mais peso dentro do evento. Pelo Nível 3 teremos Gabriel Bittar Borges, com Dunsurprizedya.

Gabriel e Dunsurprizedya também concorrem na Open Nível 2, assim como Eduardo Salgado e Zapp, Leonardo Kellerman e A Cool Back Story. Leonardo e A Cool Back Story  também disputam pelo Nível 1, da mesma forma que Rodrigo Nieves. O uruguaio, que morou muitos anos no Brasil, está há um ano e meio nos Estados Unidos e carrega a bandeira brasileira na ordem de entrada em todas as competições. 

Antes de mais nada, Nives classificou seus três cavalos para as finais: Tagin Stiletto Chics nos níveis 1 e 2; Alphasushienterprize, do brasileiro Fernando Botteon; e Theoneyourelookinfor, de Eduardo e Tati Salgado, ambos no Nívei 1. A final do NRHA Open Futurity, que premiará pela primeira vez o campeão do N4 com US$ 250 mil, acontece sábado (5) na Jim Norrick Arena, em Oklahoma. (Fonte: NRHA)

Por Luciana Omena
Crédito das fotos: Arquivo Pessoal

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Comentar com o Facebook

Continue lendo

Internacional

ZRTV é responsável pela transmissão da NFR em português

A National Finals Rodeo acontece de 3 a 12 de dezembro e você poderá acompanhar tudo em tempo real e em português

Publicado

⠀em

Acompanhar em tempo real os melhores do mundo no rodeio completo da PRCA e em português será possível a partir do dia 3 de dezembro. Uma parceria entre a ZRTV e a Rural Media Group permitirá que os apaixonados por rodeio em todo o Brasil assistam ao vivo à transmissão da National Finals Rodeo.

Antes de mais anda, a Rural Media Group é proprietária dos canais de TV a Cabo The Cowboy Channel e RFD-TV e do prestigioso The American. De acordo com Gabriela Conde e Dudu Vaz, da ZRTV, plataforma de streaming do agronegócio, a parceria entre as duas empresas é antiga.

“Conhecemos o Patrick Gottsch, presidente do Rural Media Group, há mais de 15 anos. Então, quando ele lançou o The American em 2014, começamos a organizar aqui no Brasil os eventos que classificam competidores brasileiros para competir lá”.

No final de 2019, a PRCA anunciou um acordo com o Rural Media Group. Transformou os dois canais especializados no setor rural e esportes western nos detentores exclusivos dos direitos de transmissão das competições da PRCA a partir de 2020. Dessa forma, The Cowboy Channel e RFD-TV detém os direitos de transmissão até 2024.

“Portanto, foi a partir daí que nasceu a ideia de fazer uma transmissão narrada em português da NFR, grande final mundial do rodeio completo. Começamos a trabalhar em julho, entretanto, a pandemia nos impediu de fazer a transmissão do evento direto de Arlington, Texas. Mas, ano que vem, se tudo der certo, faremos a transmissão in loco”, reforçam Gabi Conde e Dudu Vaz da ZRTV.

ZRTV x Rural Media Group

Ainda de acordo com os diretores da ZRTV, o mais importante nessa parceria com o Rural Media Group é trazer para o público apaixonado por rodeio e por provas funcionais o maior evento deste gênero no mundo.

“Assim como os fãs de rodeios, nós também não poderemos viajar aos Estados Unidos para acompanhar ao vivo. Como resultado, vamos fazer a transmissão dos dez dias de NFR através das plataformas on demand do The Cowboys Channel”.

Gabi e Dudu reforçam ainda que a parceria não se restringirá apenas à NFR. “Ano que vem teremos mais rodeios narrados em português. A ideia é que tenhamos o maior número possível de rodeios narrados em português em 2021.”

A National Finals Rodeo acontece de 3 a 12 de dezembro e você poderá acompanhar tudo em tempo real e em português através da ZRTV
Dudu Vaz

Como proceder

Ao assinar o Pacote de Transmissão 2020 NFR, o apaixonado por rodeio terá acesso, em português, às dez rodadas da final mundial da PRCA. Dudu Vaz e Esnar Ribeirão serão os apresentadores. A cada dia, um ‘esquenta’ de 45 minutos abrirá a transmissão.

Nesse pré-show, o assinante verá análises de competidores, números, estatísticas. Em seguida, acontecem as rodadas completas, com as disputas em todas as modalidades. Logo depois, o pós-show, com entrevistas e ‘recaps’ dos principais acontecimentos da noite.

  • Para assistir a National Finals Rodeo em português e, antes de mais nada, torcer ao vivo pelo brasileiro Junior Nogueira, que disputa o título mundial no Laço Pé, acesse o https://portuguese.cowboychannelplus.com para efetuar sua assinatura.
  • O pacote que dá direito a transmissão em português é o Pacote de Transmissão 2020 NFR, que hoje custa US$ 129.99.
  • Ao clicar ASSINAR no começo da página você será redirecionado e precisará criar uma conta.
  • Em seguida, siga todos os passos para efetuar o cadastro e o pagamento.
  • Incluso: aos 10 rounds da National Finals Rodeio em alta definição, direto de Arlington, Texas. Todas as rodadas estarão à disposição dos assinantes em até 24 horas para assistir de novo qualquer hora.
  • Nos dias do evento, de 3 a 12 de dezembro, com seu login em mãos, acesse a plataforma do The Cowboy Channel. Quando ‘logar’, aparecerá a opção acompanhar em português.

Fique ligado: @zrtvcombr

Por Equipe Cavalus
Crédito das fotos: Divulgação/PRCA e ZRTV
Na foto de chamada, o estádio onde acontecerá a NFR, o Globe Life Field, em Arlington, em processo de preparo para receber o rodeio

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Comentar com o Facebook

Continue lendo

Internacional

Brasileiro Junior Nogueira e mais 119 atletas disputam títulos mundiais da PRCA

A novidade ficar por conta da transmissão em português; confira a programação. A National Finals Rodeo acontece de 3 a 12 de dezembro, em Arlington, Texas

Publicado

⠀em

O laçador Junior Nogueira disputa o título mundial de Laço Pé pelo sétimo ano consecutivo. O brasileiro entrará classificado em quinto lugar, com US$ 58.083,97. Vale lembrar que a final mundial da PRCA esse ano acontecerá no Globe Life Field, em Arlington, Texas, a casa do time de baseball Texas Rangers.

Sobretudo por conta da pandemia de Covid-19, os eventos com público pagante estão proibidos em Las Vegas. Dessa forma, a PRCA fez uma enquete com os fãs e realocou o evento para o Texas. O estádio é novo e ficou pronto há quase três meses. Tem instalações modernas e capacidade para cumprir todos os protocolos de saúde e segurança para os participantes.

Ademais, o protocolo criado para receber fãs e competidores, entre outros pontos, versa que somente 50% dos mais de 40 mil lugares do Globe Life Field serão ocupados. Junior Nogueira será o único brasileiro na competição. De 2014 para cá, ele conquistou espaço entre os melhores do mundo.

De fato, essa será sua sétima final consecutiva. Em primeiro lugar, o brasileiro foi Rookie of the Year (2014), ou seja, o melhor estreante do ano. Em seguida, tornou-se o primeiro sul-americano a ser campeão mundial Alll-Around (2016). Antes de mais nada, Juninho detém ainda quatro vezes seguidas (2016-19) o vice-campeonato no Laço Pé.

A PRCA definirá, portanto, títulos mundiais em oito modalidades e ainda All-Around. São 15 classificados em cada uma: Bareback Riding, Saddle Bronc Riding, Bull Riding, Steer Wrestling, Team Roping Heading (Cabeça), Team Roping Heeling (Pé), Tie-Down Roping e Barrel Racing. O cowboy completo é definido pela soma em duas ou mais modalidades.

NFR terá transmissão em português. O brasileiro Junior Nogueira está na disputa que acontece de 3 a 12 de dezembro, em Arlington, Texas
Cody Snow e Junior Nogueira – Foto: Team Roping Journal

Junior Nogueira fala da expectativa

Todo atleta de alto rendimento tem um ritual de preparação para competições importantes. Com toda a certeza, não é diferente com Junior Nogueira. “Estamos treinando bastante e nos preparando, como todos os anos. A diferença esse ano é que não ficaremos alojados na cidade do evento, já que Arlington é perto da minha casa. Vai dar para ir e voltar todo dia”, conta o brasileiro.

Ele e o parceiro Cody Snow, inclusive, treinaram com o gado que estará na NFR. “Fomos lá na arena e vai ser um evento muito bacana. É um estado muito bonito, muito grande, estamos animados”.  Aquele frio na barriga, clássico da proximidade de grandes decisões, em 2020 tem um significado a mais: a temporada atípica que os atletas passaram por conta da pandemia.

“Estou muito feliz e a expectativa é grande. Foi um ano difícil para todo mundo, mas conseguimos estar na final em mais um ano. Só tenho que agradecer a Deus, pois é algo maravilhoso. Apesar de todas as adversidades, fui bem nas provas. Ganhei novamente na USTRC Finals, recentemente fui campeão mundial AQHA no Laço Cabeça e reservado no Pé na minha égua, algo que me alegrou muito”.

Sem dúvida, motivos de sobra para que o ídolo chegue à final mais do que motivado.

Foto: Kenneth Springer

Programação da transmissão em português

Uma parceria entre a ZRTV e a Rural Media Group permitirá que os apaixonados por rodeio em todo o Brasil assistam ao vivo à transmissão da National Finals Rodeo em português. A grande final mundial do rodeio completo da PRCA terá transmissão on demand através do The Cowboy Channel. Ao assinar o ‘Pacote de Transmissão 2020 NFR’, a pessoa terá acesso às dez rodadas da NFR.

A programação da transmissão em português terá:

  • 21h – Pré-show – um ‘esquenta’ com análises de competidores, números, estatísticas;
  • 21h45 – Abertura
  • 22h às 00h30 – Rodeio – a rodada completa ao vivo com as disputas em todas as modalidades
  • 1h – Pós-show – entrevistas e ‘recaps’ dos principais acontecimentos da noite

Portanto, para assistir a National Finals Rodeo em português e, antes de mais nada, torcer ao vivo pelo brasileiro Junior Nogueira, veja como proceder:

  • Acesse o https://portuguese.cowboychannelplus.com para efetuar sua assinatura.
  • O pacote que dá direito a transmissão em português é o Pacote de Transmissão 2020 NFR, que hoje custa US$ 129.99.
  • Ao clicar ASSINAR no começo da página você será redirecionado, então, e precisará criar uma conta.
  • Em seguida, siga todos os passos para efetuar o cadastro e o pagamento.
  • Incluso: aos 10 rounds da NFR em alta definição, direto de Arlington. Todas as rodadas estarão à disposição dos assinantes em até 24 horas para assistir de novo qualquer hora.
  • Nos dias do evento, de 3 a 12 de dezembro, com seu login em mãos, acessará a plataforma do The Cowboy Channel. Quando logar, aparecerá a opção acompanhar em português.
NFR terá transmissão em português. O brasileiro Junior Nogueira está na disputa que acontece de 3 a 12 de dezembro, em Arlington, Texas

O que você precisa saber

. Esta será a 62ª edição da NFR;

. US$ 10.000.000,00 é a premiação total para os dez dias de rodeio;

. Os finalistas recebem US$ 10.000,00 pela classificação;

. Cada rodada premia do primeiro ao sexto lugares – por ordem de tempos ou notas;

. Por rodada, são US$ 676.923,08 de premiação – US$ 84.615,38 por modalidade;

. Somados dez tempos/dez notas de cada finalista, tem-se a ordem final da etapa (average);

. De acordo com a classificação após dez rodadas, do primeiro ao oitavo lugares recebem premiação em dinheiro;

. A premiação do average (média) é US$ 2.030.769,23 – US$ 253.846,15 por modalidade;

. O finalista que quer ser campeão mundial precisa, portanto, somar dólares diariamente (se posicionando entre 1° e 6° lugares) e ficar entre os oito melhores na média;

. O ranking mundial é formado a partir do dinheiro ganho em rodeios da temporada regular da ProRodeo;

. Os campeões mundiais são aqueles que tiverem o maior número de ganhos contando o que somaram na temporada regular e na NFR;

. A NFR tem um formato de dez rounds em dez dias consecutivos. Ao final, são revelados dois campeões por modalidade: o campeão mundial e o campeão do evento;

. O parceiro de Junior Nogueira em 2020 é Cody Snow.

. Por conta da pandemia, os fãs do Brasil com visto de turista não estarão presentes;

. Marcos Alan Costa, brasileiro campeão mundial de Laço Individual 2017 não compete novamente esse ano a NFR;

.Clique aqui para ver todos os concorrentes.

Fique por dentro: ProRodeo | fb.com/PRCAProRodeo | @prca_prorodeo

Por Luciana Omena
Fonte: ProRodeo
Crédito da foto de chamada: Clay Guardipee/PRCA

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Comentar com o Facebook

Continue lendo
X
X