Hipismo

Totty fatura GP nos 86 anos do Clube Hípico de Santo Amaro

Prova encerrou o Concurso de Salto, que comemora os 86 anos do maior polo hípico do país

Publicado

⠀em

Totty fatura GP nos 86 anos do Clube Hípico de Santo Amaro

Encerrando o Concurso de Salto em comemoração ao 86º Aniversário do Clube Hípico de Santo Amaro (SP), o cavaleiro paulista Bartolomeu Bueno de Miranda, o Totty, montando Dorlanda, faturou o GP Bulova, a 1.50/1.55m.

Último em pista, Totty com Dorlanda, uma sela francesa de 13 anos, foi o único entre os conjuntos com 1 ponto perdido na 1ª volta a zerar a 2ª volta, em 52s86, faturando o título do GP do Aniversário do CHSA 2021.

“Fiquei muito satisfeito, voltei a montá-la depois de dois meses quando venci um GP no Doda Training Center, a Giulia Scampini voltou a montar ela e saltou dois concursos dentro de casa na Hípica Paulista. Aí o combinado era eu saltar aqui na Santo Amaro e Guilia vai competir com a ela na série Intermediária no Indoor na Hípica Paulista no final do mês”, conta o campeão.

Totty ainda lembra da última vez que saltou em um GP de Aniversário em Santo Amaro. “A última vez foi em 2016, quando fui vice no GP que teve vitória do Zé Roberto (Reynoso). Eu tenho várias vitórias no Derby do CHSA, mas só havia vencido o GP uma vez nos anos 90. Quero agradecer aos proprietários da Dorlanda, a Guilia e seus pais Constantino e Olivia Scampini e toda nossa equipe. Também parabenizo a todos por esse evento espetacular”, acrescenta.

Homenagem aos olímpicos da casa

No intervalo entre a 1ª e 2ª volta do GP, o CHSA homenageou seus atletas olímpicos: Camila Mazza de Benedicto, melhor amazona na história dos Jogos com a 9ª colocação em Pequim 2008. José Roberto Reynoso, integrante do Time Brasil em Londres 2012. Marcio Appel, integrante do Time Brasil de Concurso Completo na Rio 2016 e Tóquio 2020, todos presentes na cerimônia.

Também foram homenageados sem estarem presentes, mas devidamente representados: Yuri Mansur, melhor resultado individual do Time Brasil de Salto em Tóquio com a 20ª colocação e 6º lugar por equipes, Marlon Zanotelli, 6º colocado por equipes em Tóquio e atual melhor brasileiro do ranking mundial, João Victor Macari Oliva, melhor brasileiro da história da modalidade Adestramento em Jogos Olímpicos em Tóquio 2020, e finalmente, o Rodolpho Riskalla, cavaleiro criado no CHSA, que honrou a hipismo brasileiro com a conquista da medalha de prata no Adestramento Paraquestre nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Estiveram presentes na cerimônia de premiação, entre outros, Alexandre Leonor, presidente do CHSA, Francisco Fortunato, vice-presidente do CHSA, e Camila Messias, diretora de Salto CHSA e organizadora do Concurso.

CHSA em alta

Ao todo o Concurso de Salto do CHSA contou com 2125 inscrições nas provas de 1 a 1.50m estabelecendo novo recorde de participação. Ao todo o evento distribui mais de 380 mil em premiação e seis relógios Bulova. O recorde anterior de participação foi em 2018 com 1848 conjuntos no Aniversário do maior clube hípico do país. Daqui a duas semanas entre 13 e 19/9, o CHSA vai reunir a nata jovem do hipismo brasileiro no Campeonato Brasileiro da Juventude.

Fonte: Brasil Hipismo
Credito das imagens: Divulgação/Luis Ruas

Veja mais notícias do Hipismo no portal Cavalus

WordPress Ads
WordPress Ads