Rédeas

ANCR realiza ‘Live’ no Potro do Futuro e Campeonato Nacional

Associação Nacional do Cavalo de Rédeas mudou o formato da competição por conta da pandemia; evento aconteceu de 24 a 28 de novembro, em Avaré

Publicado

⠀em

“Um [evento] Potro do Futuro e Campeonato Nacional para entrar para história da modalidade Rédeas no Brasil! Gostaria de agradecer a cada um que ajudou a constituir esta Live. E, principalmente, a Deus, por nos permitir tudo isso”, comenta Francisco Moura, presidente da ANCR.

“Tudo que se faz com amor e paixão da certo, acreditem! Parabéns a todos que participaram, os campeões e todos que trabalharam no evento! Não vou conseguir citar nomes, pois são muitas pessoas que construíram e geriram esta Live e posso me esquecer de alguém. Um grande abraço a todos e continuem se cuidando! Nos vemos logo mais em 2021!”

O 30° ANCR Potro do Futuro aconteceu, portanto, de 24 a 28 de novembro, na EMAPA em Avaré/SP. Um evento exclusivo para animais de três anos hípicos. Junto com ele, então, o 29° Campeonato Nacional de Rédeas, a 11ª Copa Internúcleos da ANCR e o Cardinal Ranch Cup N1 (Principiante).

Assim, por conta da pandemia do novo coronavírus, as provas esse ano foram adiadas. A fim de cumprir todas as exigências sanitárias, não houve a presença de público. Desse modo, liberados apenas competidores, suas equipes e o staff da ANCR. Para público, transmissão via internet através dos sites da Associação, da Jequitibá Comunicação e pelo app Ride2Play.

Segundo dados da organização, houve 8500 visualizações na transmissão, que alcançou pessoas de 23 países. A apresentação foi de Fernanda Camargo, que entrou ao vivo dos bastidores com entrevistas diversas, contagiando os telespectadores com simpatia e muito profissionalismo.

ANCR mudou o formato da competição por conta da pandemia; PF, CN e Copa Internúcleos aconteceram de 24 a 28 de novembro, em Avaré/SP
Giovanna Diniz e Fantastico Voodoo MV

Potro do Futuro

Exclusivo para animais da geração 2016, o ANCR Potro do Futuro aconteceu nas categorias Aberta – Níveis 2, 3 e 4 e Amador – Níveis 2, 3 e 4. A saber, 87 cavalos começaram a disputa na categoria Aberta, que contou com uma classificatória e uma repescagem. Enquanto na Amador, 38 conjuntos participaram da classificatória.

Na final da Aberta, Marcelo Almeida (foto) faturou seu sexto título e um anel de ouro cravejado de diamantes como prêmio. Com o baio GSP Was Your Johnny (Hollywood Gotta Gun x Cherry Bueno), de Gabriel Cordeiro Martins, marcou 226,5 na final do Nível 4. Seu primeiro título foi em 2011, com That’s Great Dunit. Em seguida, Dominic Dunit em 2014; Gunna Dun It em 2015; Country Style Tari em 2016; Just In Holygun QR em 2019.

O campeão dos Níveis 2 e 3, e segundo lugar do Nível 4, foi o conjunto Matheus Gabriel de Oliveira e Rock In Hollywood (Hollywood Gotta Gun x Rock This Diamonds), de Otávio Canela, com a nota 225. Os dois cavalos filhos do mesmo garanhão e de criação do Quality Ranch.

Giovanna Diniz, com o alazão Fantastico Voodoo MV (Shiners Voodoo Dr x Corona Lite Chex), de sua propriedade, carimbou seu terceiro título de Potro do Futuro ANCR Amador. Na final, o conjunto – que ganhou um trailer com capacidade para dois cavalos – recebeu dos juízes a nota 221. Giovanna foi campeã dessa prova também em 2013 com Jessie James Whizi e em 2017 com Gold Red Dunit.

Nos Níveis 2 e 3 do PF Amador, vitória da chilena Catalina Adriana Perez. A amazona conduziu o baio amarilho Make Cielo Mad (Cielo Doc x Don’t Make Me Mad) e marcou 212 na final.

ANCR mudou o formato da competição por conta da pandemia; PF, CN e Copa Internúcleos aconteceram de 24 a 28 de novembro, em Avaré/SP
Marcelo Almeida e So Much Colonels
ANCR mudou o formato da competição por conta da pandemia; PF, CN e Copa Internúcleos aconteceram de 24 a 28 de novembro, em Avaré/SP
João Felipe Lacerda e Whiz A Machine Gun

Campeonato Nacional ANCR

O Campeonato Nacional é uma prova para animais de qualquer idade hípica, disputado nas categorias Aberta e Amador – Níveis 1, 2, 3 e 4. Antes de mais nada, em função da pandemia, a Associação não exigiu dos conjuntos classificação através dos núcleos regionais.

Na Aberta Nível 4, Marcelo Almeida, com So Much Colonels, e João Felipe Lacerda, com Whiz A Machine Gun, dividiram o prêmio ao marcar 227 pontos. Ao passo que, nos Níveis 2 e 3 do Nacional ANCR Aberta, o resultado foi inédito. Três conjuntos empataram com 218 pontos: Summertime Tag e Jean Carlos Silva; Capers Starbuck Gun e Marcos Antônio da Silva Jr; Whiz Rooster BCM e Lucas José Natal.

Por outro lado na Amador, a vitória no Nível 4 ficou para Joana G. Azevedo e Real Starlight Gun. O conjunto campeão do PF Amador de 2018 marcou nota 218 na final. Reservado campeão Nível 4 e campeão Níveis 2 e 3, o conjunto Gabriel Cordeiro Martins e Craque Marca dos Santos, com a nota 217.

Lucas Natal, com Whiz Rooster BCM, e Gabriel Martins, com Craque Marca dos Santos, ao marcar 217, dividiram o pódio da Aberta Principiante – Cardinal Cup N1. Enquanto o título da Amador N1 ficou para José Pinfildi Neto, nota 212,5, montando Showtime Rooster RLT. Importante ressaltar, sobretudo, que 40 conjuntos disputaram essa prova na Amador, o que é um número bastante animador para o esporte.

Por fim, os campeões da Jovem foram Good Reminic HS e Valentina Cipolla Lunardini, empatados com Tag Little Step e Henrique de Melo Tripoloni; e os da Jovem 10, Alegrete do Sapezal e Isabela Prestes Tizao. 

ANCR mudou o formato da competição por conta da pandemia; PF, CN e Copa Internúcleos aconteceram de 24 a 28 de novembro, em Avaré/SP
Joana Azevedo e Real Starlight Gun

Balanço

De acordo ainda com o presidente Chico Moura, a ANCR recebeu mais de 750 inscrições e o total de premiação chegou a mais de R$ 500 mil em prêmios. “Conseguimos atingir todos os nossos objetivos: segurança dos participantes devido à Covid-19; estrutura e pista ficaram muito boas; recorde de inscrições e uma premiação 10% maior que 2019”.

Sucesso total mesmo com o aumento de custo devido aos protocolos e ineditismo para realizar a Live. “Tudo isso e qualidade das provas realizadas nos garante dizer que foi o melhor Potro do Futuro e Campeonato Nacional que já realizamos!”, reforça o dirigente. 

Entre os pontos de destaque, Chico cita a preparação com antecedência e a contratação de profissionais para a Live. Segundo ele, muito importantes para o sucesso, visto que a ANCR nunca tinha realizado um evento nesse formato. “Utilizamos um protocolo rígido com a ajuda do IBEqui e da ABQM a fim de garantirmos a segurança de competidores e de todos que trabalharam. Além de todo o bem-estar na questão animal”.

Para seguir os protocolos com 100% de segurança, por exemplo, a estrutura teve quer ser maior, com mais espaço, para garantir o distanciamento social. “Foi obrigatório o uso de máscaras todo o tempo e instalamos também muitos pontos de álcool em gel. Além disso, a temperatura das pessoas era medida em cada entrada”.

Julgaram as provas: Wadson Lander, Leopoldo Potter, Ben Balow, Brenda Brown, Christian Rammerstorfer, Fabricio Suris (equipamento), Leonardo Feitosa (bem-estar animal). Resultados completos, clique aqui.

Fernando Salgado e Vinny Gun – Foto: Wattemberry

NRHA Futurity

Está acontecendo também, de 26 de novembro a 5 de dezembro, o Potro do Futuro de Rédeas nos Estados Unidos. O NRHA Futurity acontece em Olahoma City, Oklahoma, na Jim Norrick Arena. A saber, é também prova mais importante da temporada por lá. Portanto, a NRHA divulgou recorde de participação esse ano na  55ª edição do evento. Junto com Adequan NAAC, mais de 1600 baias foram montadas. Pela primeira vez na história o campeão da Open N4 receberá R$ 250 mil de prêmio. Assim como na ANCR, o NRHA Futurity está fechado ao público por conta da pandemia da Covid-19.

A primeira passada contou com mais de 340 cavalos, entre eles, 20 apresentados por 11 treinadores brasileiros; e mais cinco cavalos de proprietários brasileiros. As notas assustaram um pouco, contudo o brasileiro Fernando Salgado com Vinny Gun marcou a maior nota da classificatória, 223,5 pontos, empatado com outro conjunto. A semifinal acontece de 30 de novembro a 2 de dezembro entre um número menor de cavalos. A NRHA estabelece uma nota de corte e somente uma porcentagem segue.

As provas da NRHA, da mesma forma, são divididas por níveis. Entre os brasileiros, estão na semifinal: Gabriel Bittar Borges (2 cavalos); Eduardo Salgado; Fernando Salgado (2 cavalos); Franco Bertolani; Pedro Baião, Leonardo Kellerman; Lucio Casalecchi; Luis Eduardo Giannasi; Lorinaldo Gomes; Marcos Guimaraes. Rodrigo Nieves representa o Brasil com três cavalos na semi, sendo dois de propriedade de brasileiros. Para acompanhar ao vivo, clique aqui. (Fonte: NRHA)

Por Luciana Omena
Colaboração: Assessoria de Imprensa

Crédito das fotos: Adilson Silva/Foto Perigo

Veja mais notícias da modalidade Rédeas no portal Cavalus

Rédeas

Country Dun It é um dos mais respeitados garanhões do Brasil

Além da beleza, o baio produziu gerações com importantes indivíduos; um legado sem precedentes

Publicado

⠀em

A chegada de Country Dun It ao Brasil ocorreu em 1999. Importado dos Estados Unidos pelo DA Ranch, de Avaré/SP, antes de vir ao Brasil foi campeão do Congress Open Reining Futurity 1995. Assim como venceu o Oklahoma Reining Open Futurity 1996, o NRHA Open Super Stakes Plus. E foi ainda finalista do NRHA Open Futurity.

Filho de Hollywood Dun It e Country Bobs Sugar, o baio ganhou mais de US$ 40 mil em prêmios em sua campanha nas pistas. Mas é o seu legado como reprodutor que impressiona.

Country Dun It foi líder das estatísticas de Reprodutores do Quarto de Milha de 2012 a 2018 em Rédeas. Soma mais de 2.075 pontos na reprodução. Seus filhos são campeões em Rédeas, Ranch Sorting, Laço Individual, Team Penning, Laço Cabeça, Vaquejada, Laço Pé, Três Tambores e Working Cow Horse. Melhor garanhão do ABQM Awards por vários anos.

Mesmo com seu desaparecimento em novembro 2013, aos 21 anos, faz parte de um seleto grupo de reprodutores com excelente posição em todos os rankings. Por exemplo, é líder do ranking de Reprodutores da Associação Nacional do Cavalo de Rédeas com R$ 527.443,45.

Sua história se funde a de Alexandre Lima Sampaio Novais, do DA Ranch (In Memorian). É impossível pensar em um sem o outro. Antes de mais nada, sua genética é requisitada até hoje.

Filhos de destaque

Em Rédeas, destacam-se Silk Dun Doc, tem mais de R$ 40 mil em ganhos nas categorias Aberta e Amador, bem como 38,5 pontos em Registro de Mérito. Campeão de inúmeras provas de Derby, Super Stakes e ainda campeão Nacional ANCR 2012, do Potro do Futuro ANCR 2010, Congresso e Copa dos Campeões ABQM 2014.

Country Hit tem 37,7 pontos pela ABQM e quase R$ 50 mil em ganhos pela ANCR. Na Amador ganhou o Super Stakes ANCR 2019 N3 e N2 e ainda foi reservado N4. Enquanto na Aberta, foi campeão Potro do Futuro ANCR 2018 N3 e 4° lugar N4, campeão Super Stakes ANCR 2019. E ainda bicampeão Congresso ABQM 2018-19 e campeão Nacional ABQM 2018-19 e da Copa dos Campeões.

Por outro lado, seus dois filhos mais pontuados são Suzie Q Dun It, com 203,25 pontos em Ranch Sorting e Team Penning, e Pilgreen Dun It, 170 pontos pela ABQM, em Laço Individual. Sem dúvida, Country Dun It reuniu beleza com sua pelagem exótica, que imprimiu em seus filhos. Mas, acima de tudo, genética. Entrou para o Hall da Fama da ABQM em 2019, imortalizando seu legado.

Colaboração: ABQM
Crédito da foto: Divulgação/Gabriel OIiveira

Veja mais notícias da modalidade Rédeas no portal Cavalus

Continue lendo

Rédeas

Lucio Casalecchi realiza o sonho de trabalhar com Rédeas nos EUA

Jovem que já passou uma temporada na Argentina mora e trabalha com a modalidade há dois anos nos Estados Unidos

Publicado

⠀em

Há dois anos nos Estados Unidos, Lucio Pontes Casalecchi Filho, 24, agradece pelas oportunidades que vem recebendo de apresentar os cavalos treinados por ele em grandes eventos de Rédeas. O mais recente, OKRHA Ride & Slide, em Tulsa, em que foi campeão de duas categorias.

Nascido em Espírito Santo do Pinhal/SP, Lucio Casalecchi mora em Purcell, Oklahoma, trabalhando para o brasileiro Thiago Boechat. Desde que chegou aos Estados Unidos, já competiu na final do NRHA Futurity 2019, na final do NRBC 2020, foi campeão do Waco Open Derby. E agora No Derby de Tulsa, campeão Nível 2 e Novice Horse Open com Ruffed Up Spooks.

Lucio Casalecchi que já passou uma temporada na Argentina mora e trabalha com a modalidade há dois anos nos Estados Unidos
NRHA Futurity

E tudo começou quando ele decidiu ser treinador profissional de cavalos de Rédeas aos 14 anos, em 2010. “Eu treinava com meu tio e amigo Laercio Casalecchi, com quem aprendi muita coisa. E assim passei a ir às minhas primeiras competições, sempre na Aberta. Aliás, sempre foi meu objetivo e meta me tornar profissional”, conta Lucinho.

A fim de seguir aprendendo e evoluindo, ele correu muitas etapas do Núcleo Anhanguera. “Por vários anos, não tive oportunidade de correr em provas grandes, já que era eu que pagava minhas inscrições. Até que em 2016 participei do meu primeiro Campeonato Nacional da ANCR e consegui ser campeão Aberta N1. Com toda a certeza, sou muito grato a todos que me ajudaram e me incentivaram no Brasil”.

Voos mais altos

Para chegar com mais segurança aos Estados Unidos, que era o seu objetivo, Lucio Casalecchi deixou tudo no Brasil e se mudou para a Argentina. Trabalhou por um ano e meio com Edvaldo Gonçalves, treinando os cavalos de Alberto Casasco, segundo ele, um dos maiores criadores de Quarto de Milha do País.

“Foi uma experiência incrível! Escolhi passar por essa etapa antes de vir para os Estados Unidos, como uma forma de treinamento. Afinal, até então eu não tinha morado sozinho e trabalhado para outra pessoa a não ser meio tio. Por isso achei que seria interessante me certificar a fim de não cometer erros futuros”.

Lucio Casalecchi que já passou uma temporada na Argentina mora e trabalha com a modalidade há dois anos nos Estados Unidos
NRBC

Na Argentina, Lucio Casalecchi foi campeão nacional em todos os níveis, do 1 ao 4, e reservado campeão do Futurity Palermo. De acordo com o treinador, sua maior dificuldade de morar fora é a saudade da família e dos amigos. Contudo, em relação ao trabalho e ao idioma ele tirou de letra.

“Para o meu futuro espero evolução e crescimento sempre. O trabalho e constância nos mostra que estamos no caminho certo e com as pessoas certas ao nosso lado.”

Por Luciana Omena
Crédito das fotos: Arquivo Pessoal

Veja mais notícias da modalidade Rédeas no portal Cavalus

Continue lendo

Rédeas

Rio Grande do Sul realiza primeira prova de Rédeas de 2021

1ª etapa do 18° Campeonato Gaúcho de Rédeas ARCR e 3° Potro do Futuro aconteceram no Centro Querência em Porto Alegre

Publicado

⠀em

A Associação Riograndense do Cavalo de Rédeas deu o ponta pé inicial para a modalidade na temporada. A primeira etapa do 18° Campeonato Gaúcho ARCR aconteceu no dia 6 de fevereiro, no Centro Querência, em Porto Alegre/RS. Junto com o 3° Potro do Futuro da entidade. A prova de Rédeas contou com 119 inscrições e distribuiu R$ 18 mil em prêmios.

Fabricio Suris assumiu a presidência da ARCR em julho de 2020. Um período complicado ainda por conta da pandemia do novo coronavírus. De acordo com ele, cheio de incógnitas, pois não sabiam como procederiam com o calendário. “Pensamos por muito tempo qual seria a melhor forma de fazer a primeira prova desta gestão”, afirma.

Prova de Rédeas válida com primeira etapa do 18° Campeonato Gaúcho da ARCR e 3° Potro do Futuro aconteceram no Centro Querência em POA
Diretoria ARCR

Segundo ele, o principal desafio seria manter um campeonato que vinha sendo um sucesso, porém agora em meio a uma pandemia. “Por termos um grupo muito comprometido com a associação e a modalidade, foi possível estruturarmos o evento e cuidar de cada detalhe”.

Em primeiro lugar, a escolha do local. Conforme Fabrício explica, a prova de Rédeas aconteceu no Centro Hípico Querência. “Tradicional centro de eventos equestres, eles tomaram todos os cuidados necessários para que fosse possível regularizar e aprovar o evento em todas as secretarias municipais pertinentes. Fizemos cumprir todas as regras e protocolos exigidos para o bem estar de todos”.

Prova de Rédeas válida com primeira etapa do 18° Campeonato Gaúcho da ARCR e 3° Potro do Futuro aconteceram no Centro Querência em POA
Roberto Jou e Mapuche Mandinga

Entre os pontos do regulamento, não foi possível a presença de público. Assim, todo o evento teve transmissão ao vivo pela internet. Saldo totalmente positivo, já que a live gerou um alcance muito bom de visualizações.

Na avaliação do presidente, o principal destaque foi o engajamento de todos. Proprietários, competidores, apoiadores e patrocinadores (VTR Ventury, Organnact, Haras Virgínia) não mediram esforços. “Juntos fizemos um evento grandioso com recorde de cavalos (60 no total) participando.”

Resultados

As provas foram julgadas por Leopoldo Potter. A próxima etapa já tem data, dia 14 de abril, também no Centro Querência, junto com o 3° Snaffle Bit. Fique por dentro: @arcr.redeas.

Por Equipe Cavalus
Crédito das Fotos: Divulgação/Spolavori Fotografias
Na foto de chamada: Campeão da etapa na categoria Aberta – Max Conceição com Snowboard Dunit QR

Veja mais notícias da modalidade Rédeas no portal Cavalus

Continue lendo