Crioulo

Melhores domadores do ano são premiados na final em Esteio

Doma de Ouro e Um Ano de Freio conheceram seus vencedores do ciclo promovido pela ABCCC

Publicado

⠀em

Peça chave por trás de todo cavalo atleta, os domadores são, inegavelmente, a base para toda e qualquer atividade executada pelo cavalo Crioulo. Dessa forma, desde 2015, os profissionais da doma têm a possibilidade de demonstrar oficialmente, e para todo o público da raça, os detalhes que envolvem o ofício.

Neste ano, as finais da Doma de Ouro – etapa de Redomão da ABCCC + Um Ano de Freio – aconteceram entre quinta-feira (19) e o domingo (22), em Esteio/RS. Como resultado, a quantia de R$ 40 mil foi distribuída entre os melhores do ano, reconhecendo, portanto, a importância da atividade.

Ao todo, participaram 49 conjuntos na Doma de Ouro e 16 na Um Ano de Freio, admitidos pelo técnico Thiago Andreolla Persici.

Melhores domadores do ano

Em destaque na disputa do ciclo 2020, o domador Rian Valadão, que iniciou a carreira no Redomão da Lagoa, em 2011, e trilhou um caminho de vitórias no Freio Jovem da ABCCC. Assim, garantiu as principais colocações da etapa de Um Ano de Freio com Jardineira do Mako e Comunista da Estagira.

“Graças a Deus, meu pai e meu irmão que me fizeram um costado, consegui levar o 1º e 2º lugar para casa”, comemorou o jovem que dividiu a pista, inclusive, com o irmão – Nathan Valadão. Além da 1ª e 2ª colocação, Rian também foi o grande vencedor do título de Domador do Ano – Troféu Vilson Souza, que consagra o competidor que obteve a maior nota somada entre a final de 21 dias e Um Ano de Freio.

Já na competição da Doma de Ouro, que avalia a doma de 21 dias de um potro, o domador do ano de 2019 voltou à pista e assumiu o lugar mais alto do pódio: Marcos Silveira, montando Boina do Kavaju Porã.

Sobretudo, Marcos carrega a experiência adquirida como ex-ginete do Freio de Ouro e, atualmente, exerce profissionalmente a função da doma e treinamentos de Cavalos Crioulos. Afinal, não é à toa que ele também garantiu a 4ª colocação na Um Ano de Freio.

Antes de mais nada vale frisar que os conjuntos foram avaliados pelos jurados Gabriel Viola Marty e Luciano Correa Passos.

Rian Valadão – Foto: Divulgação/ABCCC/Felipe Ulbrich

Confira o resultado

DOMA DE OURO – REDOMÃO DA ABCCC

1º lugar: Marcos Braga Silveira de Ávila montando Boina do Kavaju Porã
2º lugar: Rian de Vasconcelos Valadão montando Luz Del Fuego do Mako
3º lugar: Alexandre dos Santos Borges montando Guindo Beribá
4º lugar: Caue Trentini Hertmann montando Sedutora da Bela Aliança

UM ANO DE FREIO

1º lugar: Rian de Vasconcelos Valadão montando Jardineira do Mako
2º lugar: Rian de Vasconcelos Valadão montado Comunista da Estagira
3º lugar: Felipe Santos da Silva montando Moço Bueno 1918 Maufer
4º lugar: Marcos Braga Silveira de Ávila montando Santa Augusta Nega Joana

Fonte: ABCCC
Crédito das fotos:
Divulgação/ABCCC/Felipe Ulbrich

Veja mais notícias do cavalo Crioulo no portal Cavalus

Crioulo

Gustavo Magalhães sobre ombros de gigantes

Conheça um pouco da história do competidor de Rédeas da raça Crioula

Publicado

⠀em

O entusiasmo em torno da modalidade de Rédeas está vivo há quatro anos na vida de Gustavo Magalhães Reis. Isso sem perder o foco no desenvolvimento pessoal como cavaleiro. Natural de Belo Horizonte/MG, o empresário e engenheiro alcançou resultados de gigantes nas últimas duas edições do Rédeas de Ouro, tanto como competidor quanto incentivador.

Afinal, em 2019 foi Campeão Potro do Futuro Amador, Reservado Campeão Nacional Amador e Campeão Categoria Sênior. Além de outras conquistas como criador e incentivador da raça. “Os nossos cavalos ainda ganharam no Campeonato Nacional Aberto e Potro do Futuro, com o Jone Carlos! E a maior nota da Copa Mapuche Reining”, relembrou com orgulho as vitórias.

Já no Rédeas de Ouro de 2020, Gustavo Magalhães garantiu dois importantes prêmios como competidor. Na Aberta Sênior, foi Reservado Campeão com Don Eldorado Marca dos Santos e, ainda, em terceiro lugar com Guri da Grande Passo. Sem falar ainda do título de Jubileu da Roraima na Nacional com Jone Carlos da Silva.

Crescimento

Para crescer, Gustavo se mantém em contato com grandes nomes de Rédeas. Enxergando, assim, mais longe por estar sobre ombros de gigantes, parafraseando o astrônomo Isaac Newton. “Acho importante sempre buscar evoluir e aprender com essa turma de craques. No ano passado treinei pouco, mas procuro ir ao CT do Junior Martins, em Brasília, ou no Jovenil Dias, em Goiânia. Quando posso, estico até Itatiba/SP e treino com o Jone e equipe”.

Além do esforço para preparar-se, o sentimento de gratidão o acompanha. Além dos agradecimentos à família (à esposa Denise e à filha Beatriz), aos incentivadores e treinadores, Gustavo garante que a Rédeas é uma grande família, que não para de crescer. “Sem dúvida, Rédeas mudou a minha vida. Me deu novas perspectivas. Um esporte que promove a persistência em evoluir continuamente, a fortalecer a humildade e a certeza de que nada somos além de eternos aprendizes”, finaliza.

Fonte: ABCCC
Crédito da foto em destaque:
 Divulgação/ABCCC/Felipe Ulbrich

Veja mais notícias do cavalo Crioulo no portal Cavalus

Continue lendo

Crioulo

Crioulaço abre a temporada 2021 do cavalo Crioulo

Evento começa a partir desta quinta-feira (14) e segue até domingo (17) Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS

Publicado

⠀em

A partir desta quinta-feira (14), os laçadores de todo o país que garantiram vaga na Final Nacional do Crioulaço movimentarão o Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS. Afinal, o Crioulaço abre a temporada 2021 do cavalo Crioulo.

De acordo com a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Crioulo (ABCCC), evento conta com mais de 700 inscrições. Como resultado, 100% das vagas disponíveis para a prova foram preenchidas.

Ao todo, 511 duplas estão inscritas para as disputas da Dupla A, B e C. Além disso, são 62 conjuntos no Criador A, 100 conjuntos no Criador B e, por fim, 64 no Potro de Ouro.

Ainda de acordo com a ABCCC, os laçadores disputarão R$ 78 mil reais em prêmios no evento, que acontece até domingo (17). Portanto, a expectativa é  grande para o Crioulaço que abre a temporada 2021 da raça.

Por fim, vale destacar que o evento será realizado sob os cuidados exigidos no protocolo sanitário e de distanciamento social vigentes em combate à proliferação do novo coronavírus. Ou seja, a atividade terá entrada controlada a apenas um acompanhante por laçador, horários definidos para revisão dos animais e entregas dos coletes – para que sejam evitadas as aglomerações -, bem como transmissão ao vivo pelos canais oficiais da ABCCC.

Programação

14/01/2021 – quinta–feira
08h – Início da entrada dos animais

15/01/2021 – sexta-feira
08h – Início da revisão dos animais e entrega dos coletes
12h – Fim da entrada dos animais
14h – Fim da revisão dos animais e entrega dos coletes do Laço Criador e Potros de Ouro
15h – Laço Criador B (Classificatória) (Passa 10 para final)
– Laço Criador A (Classificatória) (Passa 10 para final)
– Laço Potros de Ouro (100 vagas)
20h30 – Fim da revisão dos animais e entrega dos coletes das Duplas

16/01/2021 – sábado
07h30 – Laço Dupla Final Nacional A (Classificatória)
– Laço Dupla Final Nacional B (Classificatória)
– Laço Dupla Final Nacional C (Classificatória)
12h – Pausa para o Almoço (descanso do gado)
13h30 – Continuação da prova
19h – Abertura Oficial da Final Nacional do Crioulaço
– Laço Criador B (Final)
– Laço Criador A (Final)

17/01/2021 – domingo
08h30 – Final Força A
– Final Força B (Para em 10 ou menos)
– Final Força C (Para em 15 ou menos)
Potros de Ouro: animais confirmados nascidos na geração 17/18 (de 01/07/2017 a 30/06/2018)

Fonte: ABCCC
Crédito da foto em destaque:
Divulgação/ABCCC/Leandro Vieira

Veja mais notícias do cavalo Crioulo no portal Cavalus

Continue lendo

Crioulo

Cavalo Crioulo é referência de combate à pandemia

ABCCC se destacou em 2020 por protocolos sanitários que foram exemplo para diversas atividades agropecuárias

Publicado

⠀em

Em meio a um ano de muitos desafios, o cavalo Crioulo foi mais uma vez exemplo de superação ao se tornar referência de combate à pandemia da Covid-19. Afinal, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) foi precursora em protocolos sanitários para dar sequência ao ciclo das modalidades da raça.

Dessa forma, juntamente com a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre/RS, as medidas foram realizadas com êxito. Tornando, portanto, a entidade referência, tanto que outros eventos agropecuários procuraram seguir este modelo.

O presidente da ABCCC, Onécio Prado Júnior, destaca especialmente o trabalho do então mandatário da entidade até outubro, Francisco Fleck. Este juntamente com o diretor técnico da Santa Casa de Misericórdia, Ricardo Kroef. Juntos eles construíram uma solução para dar sequência ao ciclo de seleção da raça.

“Foi elaborado um programa sanitário visando a segurança de todos os envolvidos no ciclo do Cavalo Crioulo e, assim, conseguimos dar sequência ao ciclo de seleção. Um trabalho bem feito, de forma científica, e conseguimos realizar todas as provas de forma satisfatória”, observa, acrescentando que inclusive o programa recebeu aval das autoridades sanitárias.

Onécio Prado Junior – Foto: Divulgação/Felipe Ulbrich

Mercado da raça Crioula

Sobre o mercado, que também precisou se transformar ao longo do ano no quesito de comercialização, o dirigente lembra que, mesmo com os leilões virtuais, as vendas não se arrefeceram.

“As dificuldades exigem que a gente trabalhe com criatividade e ousadia. Tivemos que realmente investir e partir para o leilão virtual. Foi um trabalho muito bem feito não só pela associação, mas pelas leiloeiras e canais de comunicação. Tivemos uma valorização enorme e os resultados foram excepcionais. Com recordes de vendas em 2020 não só no Cavalo Crioulo, mas em outros setores pecuários. O leilão virtual nos permite levar oportunidades de aquisição do produto praticamente no Brasil todo e em outros lugares do mundo”, salienta.

Prado Júnior assumiu a associação em outubro, juntamente com uma equipe que mescla a experiência de ex-presidentes, criadores conceituados da raça e novos nomes que trazem novos olhares de gestão. Um dos pilares da diretoria é dar atenção a todos os envolvidos no processo, desde associados, passando por criadores, usuários do Cavalo Crioulo, profissionais e colaboradores da entidade.

“Estamos procurando trabalhar em todas as frentes. Temos que enfrentar todos os problemas e dificuldades e estarmos abertos a todos aqueles que tenham qualquer necessidade da associação. Todos os casos garantimos que vamos analisar e dar uma resposta, mas sempre com bom senso e pé no chão”, explica.

Para 2021, a ideia é dar sequência a um planejamento que já está trazendo resultados para a raça, que vem crescendo pelo Brasil por meio do fomento iniciado em outras gestões, mas sempre de olho no atual momento. “Estamos trabalhando com planejamento, conscientes que podemos lidar com adaptações devido às possíveis limitações que a pandemia nos traz”, complementa.

Fonte: AgroEffective
Crédito das fotos: Divulgação/Felipe Ulbrich

Veja mais notícias do cavalo Crioulo no portal Cavalus

Continue lendo
X
X