Brasileiro de Hipismo

Conheça os campeões de cada categoria da prova BH do Futuro

Publicado

⠀em

 
 

Disputas foram realizadas durante o 14º Festival Nacional do Cavalo BH, no Clube Hípico de Santo Amaro

As disputas da prova BH do Futuro movimentaram a pista de areia do Clube Hípico de Santo Amaro, na capital paulista, durante o 14º Festival Nacional do Cavalo BH. O evento foi realizado de 11 a 17 de novembro.

Competidores entraram em pista nas seguintes categorias: Cavalos Novos 4 ano, Cavalos Novos 5 anos, Cavalos Novos 6 anos, Cavalos Novos 7 anos e, por fim, Cavalos Novos 8 anos.

Dessa forma, entraram em pista durante o Festival BH os conjuntos melhores classificados de cada regional da Associação Brasileira de Criadores do Cavalo de Hipismo (ABCCH).

De acordo com a entidade, os percursos das provas foram todos assinados pelo argentino Ivan Tagle.

BH do Futuro 04 anos

Ao todo, 36 conjuntos concorreram ao título de campeão BH do Futuro na categoria Cavalos Novos 04 anos. Todavia, a prova levou 24 zerados para o desempate com tempo ideal oculto.

FM Beluga (Indoctro x Concorde) foi a vencedora na condução do paulista Rodrigo Chaves Nunes. O conjunto terminou sem faltas com o tempo de 45s30, com 0.70 de aproximação.

Pódio da categoria Cavalos Novos 04 anos do BH do Futuro

Em segundo lugar ficou LM Hex-Chow (X-Rated Gms x Quantum do Feroleto) e Leonardo Martins, de Minas Gerais, com zero em 45s17 (0.83 de aproximação).

Na sequência, Bruno Chaves Pessanha, de São Paulo, levou Quisco FA (Calisco Jmen x Quasimodo) ao terceiro posto, com 0.96 de aproximação. Depois, foi seguido por Edison de Aguiar Coutinho, com Barbarela Jmen (Bolero Jmen (Ia) x Canavaro Jmen), sem falta com 1.09 do tempo.

Luiz Bento Martins Jr, com Bella Rosa Jmen (Bolero Jmen (Ia) x Quinar) garantiu o quinto posto, com 1.10 do tempo. Enquanto Camelie C Jmen III (Carbacan Jmen x Ritual Jmen) completou a cerimônia de premiação na condução de Gilmar William Alves Ferreira, com zero e 1.19 de aproximação.

BH do Futuro 05 anos

Na categoria Cavalos Novos 05 anos, 39 produtos da criação nacional disputaram a prova com obstáculos a 1.15m, com tempo ideal oculto. Porém, somente 25 conjuntos disputaram o concorrido desempate que teve como tempo concedido 41 segundos.

Dora LJR (Zavall VDL x Cardento) sagrou-se campeã na condução de Felipe Lopes Morgan com pista limpa em 40s87, 0.13 de aproximação do tempo ideal.

Pódio Categoria Cavalos Novos 05 anos do BH do Futuro

Semelhantemente sem penalidades e 0.22 do tempo, Handyne Hkl (Darco x Clavigo Jmen) garantiu o segundo posto com Rodrigo Chaves Nunes, enquanto Capricorn C Jmen (Carbacan Jmen x Alme Star) chegou em terceiro, com Rafael Miranda, com 0.32 de aproximação.

Depois, RR Con Beauty (Con Air x Contender) e Denis Gouvea garantiram o quarto posto, sem penalidades com 0.36 de aproximação e, por fim, Carbella C Jmen II (Carbacan Jmen x Acorado) e Comanchero C Jmen Iv (Carbacan Jmen x Laeken Jmen) completaram o pódio da prova, ambos zerados, com 0.66 e 0.77 do tempo.

BH do Futuro 06 anos

Dos 39 conjuntos que largaram no BH do Futuro exclusivo para a categoria 06 anos, 15 superaram sem faltas o percurso de Ivan Tagle e avançaram para o desempate.

Pódio Categoria Cavalos Novos 06 anos do BH do Futuro

O placar foi acirrado e apenas quatro segundos separaram os seis primeiros colocados do pódio. Rafael Ribeiro e Topazio do Rio Acima (Emilion x Ramandolo do Rio Acima) foram imbatíveis na marca de 31s50, sem penalidades.

Dessa forma, deixou na segunda colocação Diani do Araucaria, e Luiz Pimenta com zero em 33s55. Irmanie Cooper e Caio Carvalho Filho garantiram o terceiro posto, com o tempo de 33s73, e foram seguidos por Inca da Cabana, com Alberto Muylaert, com o tempo de 33s83.

HFB Kentucky com Luiz Felipe Pimenta Alves e Big Boss Cequipel com Maurício de Oliveira Franco sem penalidades, em 33s99 e 34s02, respectivamente, ocuparam o 5º e o 6º posto.

BH do Futuro 07 anos

Antes de mais nada, 33 conjuntos participaram da final do BH do Futuro para cavalos novos com 7 anos. A prova, a 1.35m, teve 13 conjuntos no desempate.

Pódio Categoria Cavalos Novos 07 anos do BH do Futuro

Desse modo, venceu Akron Jmen (Accorannus Jmen x Calenium Jmen), na condução de Luiz Felipe Pimenta Alves, sem penalidades em 37s34. Deixando na segunda colocação Georgia Polana (Canturo x Baloubet Du Rouet) e Denis Gouvea, na marca de 38s71.

Luciana Camargo levou Passo Doble Jmen (Catoo x Calato) ao terceiro posto com pista limpa em 39s25 e foi seguida por Raphael Machado Leite, montando Diamant Haylla Imperio Egipicio (Diamant De Semilly x Numero Uno), com o tempo de 40s30. 

Leia mais notícias sobre o cavalo BH

Na sequência, Liantha Do Cach (Cardento x Corland) e Jet Set M (Kannan / Canturo) completaram a cerimônia de premiação da prova, ambos com quatro pontos, em 36s95 e 37s03.

BH do Futuro 08 anos

Ao todo, 17 conjuntos participaram da prova final do BH do Futuro para cavalos novos 8 anos. Deste total, seis avançaram para o desempate, sendo dois com zero e quatro com uma falta.

Pódio Categoria Cavalos Novos 08 anos do BH do Futuro

Com zero e o tempo de 46s38, Parabell Jmen (Parabellum x Baloubet Du Rouet) sagrou-se campeão na condução de Juan Pablo Mussini. Em segundo lugar ficaram Acanthus Jmen (Accorannus Jmen x Calisco Jmen) e Artemus de Almeida, com uma falta em 36s59.

No desempate para quatro pontos, Thelma Jmen (Corrado I x Landadel), com Rodrigo Chaves Nunes, com quatro pontos em 34s92 garantiu o terceiro posto. Na quinta posição ficou Chopard D Jmen II (Cartujano Jmen x Cayetano L), na condução do mesmo cavaleiro, em 37s33.

Con Chello´S Son Jmen Con Chello / Balou Du Rouet e HSF Baronessa Imperio Egipcio Casall / Cassini I ocuparam o 5º e o 6º posto, respectivamente em 37s38, com zero e 33s47, com uma falta.

Fonte: ABCCH
Crédito das fotos: Emerson Emerim

Brasileiro de Hipismo

Nova gestão da CBH é definida com vitória da chapa de Fernando Sperb e Bárbara Laffranchi

Processo marcado por polêmicas e anulações na justiça finalmente se encerra depois de mais de um ano

Publicado

⠀em

Considerado o maior evento hípico, CSI – W Indoor começa amanhã com a elite do Hipismo

A Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) realizou no dia 23 uma Assembleia Geral Ordinária para a eleição da gestão 2021/2024.

A votação aconteceu no Rio de Janeiro e contou com participação presencial e remota. Ao todo, o Colégio Eleitoral contou com 19 das 21 Federações estaduais e sete representantes de atletas. As Federações do Rio Grande do Norte e Maranhão não participaram da eleição.

A chapa vencedora, com 1.175,43 pontos, foi a chapa 2 “Hipismo Forte e Ativo”, composta por Fernando Sperb como presidente e Bárbara Laffranchi como vice.

A chapa 1, “Hipismo pelo Brasil”, composta por Cláudio Gastão da Rosa Filho como presidente e Josenilton Neves como vice, obteve 1.014,572 pontos na votação.

Eleição marcada por contestações na Justiça

Após quase dois anos da determinação da Justiça da anulação do pleito realizado em 29 de janeiro que destituiu a diretoria da época, a nova eleição finalmente foi marcada, com a formação de uma Comissão Eleitoral formada por nomes indicados pelos dois concorrentes ao cargo.

Eleição cercada de polêmicas

Desde o início, este processo eleitoral da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) foi marcado por confusões e polêmicas.

No dia da votação, as divergências entre as duas chapas que estavam na disputa estavam longe de acabar. Afinal, a assembleia para eleger o novo presidente da entidade, realizada no dia 29 de janeiro de 2021, terminou com os dois candidatos “eleitos”. Contudo, oficialmente, a CBH só reconhece um. 

Mas por quê duas votações? De acordo com o que foi divulgado, o grupo formado pelos apoiadores da candidata Bárbara Laffranchi saiu da sala onde estava sendo realizada a assembleia originalmente por não concordarem com o fato de algumas federações terem sido impedidas de votar.

Dessa forma, ocorreram duas votações simultâneas: uma, dentro da sala elegendo Francisco José Mari, mais conhecido como Kiko, como novo presidente; e a outra no corredor em frente da sala do hotel, elegendo, do mesmo modo, Bárbara para o cargo.

Apesar das duas votações, posteriormente a assembleia a CBH confirmou por meio de nota oficial apenas a eleição de Kiko Mari e João Loyo de Meira Lins como os novos presidente e vice-presidente.

Entenda a polêmica da eleição da CBH

Originalmente, a eleição da CBH era para ter ocorrido em novembro de 2020. No entanto, as divergências entre as duas chapas concorrentes ficaram evidentes quando uma conseguiu impugnar a outra para a continuidade do processo eleitoral. Houve acusação de apresentação de documentos errados, fora do prazo e até de ata com assinaturas falsificadas.

Mesmo assim, tanto Kiko quanto Bárbara voltaram a se candidatar e a data da eleição da CBH foi remarcada para o dia 29 de janeiro de 2021. Contudo, as confusões e polêmicas permaneceram. A Federação Paulista de Hipismo (FPH) – que desde o início anunciou apoio à candidatura de Bárbara – foi acusada de inadimplência junto à CBH e, portanto, não estaria apta a votar.

Como resultado, a entidade paulista recorreu à Justiça e representantes estiveram na data eleição para registrarem o seu voto. Ademais, outras entidades também foram barradas de votar, como a de Alagoas e do Rio de Janeiro, esta última porque a presidente, apesar de morar há 40 anos no Brasil, é nascida em Portugal e o estatuto da CBH só admite no cargo brasileiros natos. 

Diante da situação, o grupo de apoiadores da candidatura de Bárbara que foram impedidos de votar se retiraram do local da assembleia e, do corredor do hotel, fizeram a sua própria votação diante de um cartorário. Assim, elegeram Bárbara ao cargo de presidente da CBH com 2.052 pontos.

Enquanto isso, dentro da sala do hotel, foi realizada a votação com o grupo de apoiadores da chapa de Kiko Mari. Elegendo-o, portanto, com 1.620 pontos, menos do que a pontuação computada para a Bárbara. 

Por Equipe Cavalus
Crédito das fotos: Divulgação

Veja mais notícias do Hipismo no portal Cavalus

Continue lendo

Brasileiro de Hipismo

Inscrições abertas para as provas de Salto do XVI Festival Nacional do Cavalo BH

Evento acontece de 04 a 14 de novembro, no Clube Hípico de Santo Amaro (SP); inscrições das provas de Salto devem ser feitas até o dia 02 de novembro

Publicado

⠀em

Inscrições abertas para as provas de Salto do XVI Festival Nacional do Cavalo BH

A Associação Brasileira de Criadores do Cavalo de Hipismo – ABCCH, abriu, na segunda-feira (25), as inscrições para as provas de Salto do XVI Festival Nacional do Cavalo BH. As competições acontecem em duas semanas, de 04 a 14 de novembro.

XVI Festival Nacional

Neste ano, além das provas de Salto exclusiva para os produtos novos, de 4 a 8 anos, da criação nacional, o BH do Futuro, o Clássico e a Copa Ouro, a programação do XVI Festival contará com provas de 1.00m a 1.30m, com chamada para todas as raças e a competição por equipe, o BH Team.

“Podemos desde já afirmar que a disputa por equipes da Copa BH Team será acirrada até o último momento. Já temos grandes nomes confirmados para participar dessa competição que fará parte das atrações do XVI Festival Nacional do Cavalo BH, no sábado, 13 de novembro”, destaca a entidade através das redes sociais.

Seguindo as normas vigentes do Estado de São Paulo, o evento terá a presença do público controlada. Dessa forma, é obrigatória a apresentação da carteira de vacinação (física ou digital), com pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19, ou exame com resultado negativo realizado em até dois dias antes do evento.

Confira a programação:

Por fim, as inscrições para as provas de Salto podem ser feitas através do site da Federação Paulista de Hipismo. Demais informações estão disponíveis no site da ABCCH.

Fonte: ABCCH
Crédito e legenda da imagem: Festival Nacional do Cavalo BH 2020/Divulgação/ABCCH/Anna Carvalho

Veja mais notícias sobre o cavalo Brasileiro de Hipismo no portal Cavalus

Continue lendo

Brasileiro de Hipismo

Equinos do Exército Brasileiro reforçam segurança nacional e fomentam modalidade de Hipismo no país

Segundo especialista, os animais ainda são usados para aulas de equitação, equoterapia e desfiles cívicos

Publicado

⠀em

Equinos do Exército Brasileiro reforçam segurança nacional e fomentam modalidade de Hipismo no país

A criação de cavalos no Brasil, assim como em diversos outros países, tem sua origem no meio militar, uma vez que foi com a ajuda desses animais que o Exército de Duque de Caxias lutou pela consolidação da nossa Independência. Essa relação é tão direta que, ainda nos dias de hoje, a escola de equitação que se tornou exemplo no mundo está na França e nasceu no século retrasado, com os chamados “cadre noir”, que é a cavalaria militar francesa.

Com uma criação totalmente voltada à raça Brasileiro de Hipismo, criada no Brasil a partir da mistura de raças europeias com puros sangues esportivos, atualmente o foco do Exército Brasileiro está no melhoramento da criação nacional da raça, para que ela esteja sempre nivelada com a Esportiva Nacional, uma vez que esses cavalos participam de competições olímpicas.

A veterinária do Exército, 1ª tenente Bruna Rosa, explica que, além das provas, os animais são usados para aulas de equitação, equoterapia, desfiles cívicos militares e na segurança, em casos de GLO, que são Operações de Garantia da Lei e da Ordem, nas quais militares das Forças Armadas auxiliam as forças de segurança locais (polícias de determinado estado ou município).

“Os cavalos são treinados e garantem uma presença importante no combate porque eles são rápidos, imponentes e, por serem animais altos, dão ao agente de segurança uma visão privilegiada”, salienta Bruna. A veterinária destaca ainda o uso desses animais em atos cívicos e no reforço das tradições, uma vez que o cavalo sempre esteve presente na história do Brasil.

Criação de cavalos

A profissional explica ainda que são muitos os profissionais do Exército Brasileiro envolvidos no trabalho de criação de cavalos, desde a nutrição, cuidados, bem-estar, treinamento até a equitação de alunos de colégios militares. A veterinária acredita que esse trabalho acaba transbordando para fora do meio militar e fomentando o crescimento do setor em todo o país.

“Formamos profissionais temporários que deixam o Exército Brasileiro e continuam trabalhando com cavalos no meio civil”, ressalta a médica veterinária. “É uma sementinha que plantamos no meio militar, que cresce junto com a pessoa o carinho, o interesse pelos cavalos, o que também ajuda a fomentar o mercado de equinos no Brasil”, completa Bruna Rosa.

Dia do Veterinário

Por ocasião do Dia do Veterinário, celebrado no dia 09 de setembro, a veterinária falou ainda do amor que esses profissionais nutrem pelos cavalos, animais que são utilizados das mais diversas formas, sempre em apoio ao homem, como na equoterapia, atividade que também conta com o apoio do Exército Brasileiro, através de espaços e importantes parcerias para a prática.

“O cavalo é um ser muito sociável, que gosta de interagir com outros seres, então, ele nos ajuda muito nisso. Sua marcha é muito semelhante à nossa, seu movimento tridimensional é muito parecido com o humano andando, então, esse é o benefício”, assegura a profissional, que recentemente ministrou palestra sobre as funções do cavalo no Exército, durante a Expointer.

Fonte: IBEqui
Crédito da foto: Divulgação/IBEqui

Veja mais notícias sobre o cavalo Brasileiro de Hipismo no portal Cavalus

Continue lendo

Brasileiro de Hipismo

SL Bombástico III é o campeão da Copa Ouro em Brasília

Copa Ouro agitou a pista do Brasília Country Club no sábado; cavalos da raça Brasileiro de Hipismo foram destaque no evento

Publicado

⠀em

Encerrando o segundo dia de disputas da primeira etapa do Torneio do 61º Aniversário de Brasília, o cavalo a raça Brasileiro de Hipismo SL Bombástico III sagrou-se campeão. A Copa Ouro, a 1.30m, foi um dos pontos altos no Brasília Country Club, que completa 63 anos em 2021.

Dos 17 conjuntos, seis habilitaram-se ao desempate. João Victor Silveira e SL Bombastico III (foto de destaque) foram os primeiros a entrar em pista. Com percurso limpo em 44s40 seguiram imbatíveis até o final. Os cavalos da raça BH, aliás, deram um show de técnica e talento nessa categoria.

Dessa forma, ocuparam cinco entre as seis primeiras posições da prova. A segunda colocação foi de Gabriel Gomes com Carlucci GMS, também com pista zerada em 44s71. Em seguida, Luiz Gustavo Ferreira e SL Sabacord, em terceiro lugar. Vencedor da série 1.30m na sexta (30), fechou a rodada dos únicos três conjuntos sem faltas no desempate, em 51s32.

Em quinto lugar, sempre competitiva, Flávia Rocha e Manege RM Kalmia Equiprime, 4 pp e o tempo de 45s62. Por fim, Marcus Gustavo de Magalhães e Querinos Tok, também com uma falta e 45s94, completou o pódio.

O Brasília Country Club encerrou o CSN no domingo (02), com a prova a 1.40m. Mais uma vitória para o Brasileiro de Hipismo. Bier do Bosque e Mariana Moreira da Conceição, com uma falta cometida no percurso inicial, levaram, em 82s25.

Criação nacional em destaque na França

No mesmo final de semana, a égua Brasileiro de Hipismo Danna RJ marcou presença no CSI4* Grimaud, na França, saltando a 1.30m, 1.35m e 1.40m. Conduzida pela amazona Angélica Augustsson Zanotelli, da Suécia, entrou na pista por três vezes e finalizou com bons resultados.

No dia 30, no percurso a 1.30m em duas fases, o conjunto zerou com o tempo de 28s34. Nono lugar entre os 55 conjuntos. No sábado (1° de maio), em mais um clear-round, Danna RJ chegou em sétimo lugar na pista de velocidade.

Enquanto no domingo a atuação foi encerrada com uma única falta na segunda fase, em 37s74, no percurso com obstáculos a 1.40m.

Fonte: Assessoria da ABCCH e CBH
Crédito da foto em destaque: Divulgação/FHBR

Veja mais notícias sobre o cavalo Brasileiro de Hipismo no portal Cavalus

Continue lendo

Brasileiro de Hipismo

BHs do Haras Império Egípcio obtém bons resultados na Bélgica

Fast-Car Império Egípcio e Miss Saravejo Império Egípcio saltaram no CSI@* Azelhof

Publicado

⠀em

Dois exemplares da raça Brasileiro de Hipismo – BHs do Haras Império Egípcio obtiveram recentemente bons resultados em provas na Bélgica. A princípio, Fast-Car Império Egípcio (Diamant de Semilly x Calvaro Z) saltou no CSI@* Azelhof, na série de 1.30m no último sábado (17).

Conforme a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo de Hipismo (ABCCH), o animal – montado pelo cavaleiro Francisco Musa 0 zerou o percurso em duas fases com o tempo de 36s72. Como resultado, o conjunto encerrou a sua participação na terceira posição.

Para conferir o resultado completo da prova, clique aqui.

Ainda no último fim de semana, teve outro BHs do Haras Império Egípcio se destacando em solo europeu. Dessa vez, foi Miss Saravejo Império Egípcio (Diamant De Semilly X Canadian River) que saltou no Grande Prêmio a 1.30m do CSI2* Azelhof, na Bélgica.

No domingo (18), Miss-Sarajevo Império Egípcio saltou na condução de Francisco Musa. O conjunto zerou o percurso inicial no tempo de 63s82 e, assim, avançou para a decisão com mais 21 conjuntos entre os 60 participantes.

Como resultado, o binômio do Brasil terminou com uma falta, 4 pontos perdidos, em 45s77, em 14º. Veja aqui o placar completo

Fonte: ABCCH
Crédito da foto em destaque: Divulgação/ABCCH

Veja mais notícias sobre o cavalo Brasileiro de Hipismo no portal Cavalus

Continue lendo

Brasileiro de Hipismo

Produtos do Haras Império Egípcio mostram que estão em boa fase

Animais de criação do criatório situado em Cotia/SP têm se mantido, desde novembro do ano passado, no topo das principais competições de salto a nível nacional e estadual

Publicado

⠀em

Em meio à pandemia não é fácil se manter em forma dentro e fora das pistas. Mas para uma equipe que seguiu firme e forte na rotina, dentro das normas recomendadas e com segurança, tudo parece fluir de forma natural. Trata-se dos produtos do Haras Império Egípcio, de Cotia/SP, que, desde do ano passado, seguem com vitórias ininterruptas.

Tudo começou em novembro de 2020, durante o 30º Concurso de Salto Nacional e Internacional Indoor na Sociedade Hípica Paulista. Na ocasião, Raphael Machado Leite e Diamant Haylla Império Egípcio, égua BH de 8 anos filha de Diamant de Semilly x Numero Uno, sagraram-se campeões da série Cavalos Novos 7/8 anos com dois primeiros lugares e um oitavo.

Na sequência, já dentro da maior vitrine da raça Brasileiro de Hipismo, foi a vez de Lara Império Egípcio. Durante o Festival Nacional da raça, a égua venceu a qualificatória da Copa Ouro, com obstáculos a 1.35m.

Sharapova MCJ Império Egípcio – Foto: Divulgação/Emersom Emerim

Despedida de Sharapova Império Egípcio

Depois, ainda no Festival BH teve o Clássico, com obstáculos a 1.45m, denominado Prova Sharapova Império Egípcio. Um total de 40 conjuntos participaram, formados por cavalos da criação nacional e com registro genealógico emitido pela ABCCH.

Antes de mais nada vale destacar que a prova era especial. Afinal, marcada a despedida das pistas de uma das maiores BHs da atualidade: a égua que deu o nome a esse Clássico, ninguém menos que a craque Sharapova MCJ Império Egípcio.

Como resultado, Sharapova foi quem roubou toda a cena para se aposentar em grande estilo ao vencer a prova. Aliás, a conquista foi sob a sela do cavaleiro Raphael Machado Leite. Na sequência, ele encerrou sua participação no Festival BH de 2020 novamente no topo do pódio. Desta vez, na Copa Ouro Haras Ipiranga no dorso de Billie-Jean Império Egípcio (Dollar Du Murier / Calvaro Z).

Por fim, vale frisar que as vitórias a nível nacional e estadual seguiram desenfreadamente para os produtos do Haras Império Egípcio. Entre os prêmios conquistados de lá pra cá, ainda é possível citar:

  • Título no Mini-GP CHSA Encerramento 2020 com a Lara Império Egípcio;
  • Copa Ouro, II Etapa Torneio de Verão 21, com Billie Jean Império Egípcio;
  • Mini-GP da I Etapa da Copa Santo Amaro 21, com Ulena Qui Império Egípcio;
  • Copa Ouro SHP Open com Baronessa Império Egípcio.

Fonte: ABCCH
Legenda da foto em destaque: Raphael Machado Leite e Diamant Haylla Império Egípcio
Crédito da foto em destaque: Divulgação/Luis Ruas

Veja mais notícias sobre o cavalo Brasileiro de Hipismo no portal Cavalus

Continue lendo

Brasileiro de Hipismo

Criação nacional vence as duas principais disputas do SHP Open 2021

Enquanto Baronessa Império Egípcio venceu a Copa Ouro a 1.35m, Kripton Pullman Império Egípcio levou a melhor no GP Clássico; ambas vitórias sob a sela do cavaleiro Raphael Machado Leite

Publicado

⠀em

A criação nacional conquistou recentemente as duas principais disputas do SHP Open 2021, o Concurso de Salto Nacional 3* na Sociedade Hípica Paulista. No GP Clássico, a 1.45m, Kripton Pullmann foi o único a zerar o desempate em 45s10. Depois, na Copa Ouro a 1.35m Baronessa Império Egípcio, filha de Casall de 9 anos, foi quem subiu no lugar mais alto do pódio.

Antes de mais nada vale destacar que ambas conquistas de exemplares da raça Brasileiro de Hipismo foram sob a sela do cavaleiro Raphael Machado Leite. De acordo com ele, até o momento ele fez poucas provas com Kripton Pullman Império Egípcio. “Ainda estamos nos conhecendo”, garantiu ele.

Já com relação a Baronesa, Raphael fala que essa foi a primeira vitória em uma Copa Ouro da dupla. Esta que já venceu Clássicos em rankings organizados pelos principais clubes de São Paulo. “Baixamos ela de altura para que possa se divertir um pouco, saltar com mais facilidade. Depois vamos voltar a subir”, finaliza o cavaleiro.

Raphael com Kripton Pullman Império Egípcio – Foto: Divulgação/Luis Ruas

Pódio Clássico, 1.45m

Campeão Raphael Machado Leite / Kripton Pullman Império Egípcio – FPH – 0/45s10
Vice Tiago Mesquita / Falbert SB – FEERJ – 4/45s07
3º Tiago Mesquita / So What HP Z – FEERJ – 4/46s95
4º Gabriel Baptista Braz / Special Effect – FEPA – 1/89s87
5º Cicero Faustino Barros / Cassino Blue HR JA – FPH – 4/83s21
6º Antonio D Orey Correa da Veiga / Le Care- FEERJ – 4/85s04

Pódio Copa Ouro, 1.35m

Campeão Raphael Machado Leite / Baronessa Império Egípcio – FPH – 0/37s07
Vice Thiago Lucas Leite de Noronha / Camaro JMen – FHBR – 0/37s99
3º Bernardo Braga de Albuquerque Pereira / Rayssa R – FPH – 0/43s13
4º Rafael Ribeiro / Ludam do Liberte – FPH – 4/34s75
5º Marcello Artiaga / Sapienza TW – FPH – 4/37s03
6º Tiago Ferreira de Camargo / Cord´alia JMen – FPH – 4/37s62

Fonte: ABCCH
Legenda da foto em destaque: Raphael Machado Leite com Baronessa Império Egípcio
Crédito da foto em destaque: Divulgação/CBH/Luis Ruas

Veja mais notícias sobre o cavalo Brasileiro de Hipismo no portal Cavalus

Continue lendo

Brasileiro de Hipismo

Exemplares BHs dominam pódio da 2ª etapa do Torneio de Verão do CHSA

Criação nacional esteve presente nas seis primeiras colocações da Copa Ouro da 2ª etapa do Torneio de Verão, além de vencer o Classic Isec

Publicado

⠀em

Exemplares da raça Brasileiro de Hipismo dominaram os pódios do 2ª Etapa do Torneio de Verão no Clube Hípico de Santo Amaro (CHSA). O evento – que chegou a sua 33ª edição – foi realizado nos dias 12 e 13 de fevereiro na capital paulista.

Na sexta-feira, a Copa Ouro, a 1.35m, foi a principal disputa do Concurso de Salto Nacional 3* da 2ª Etapa do Torneio de Verão. Como resultado, o cavaleiro Raphael Machado Leite dominou o placar garantindo dobradinha nas duas primeiras colocações. Sobretudo, com duas montarias da criação nacional do Haras Império Egípcio.

Dos 32 conjuntos, 10 foram ao desempate idealizado pelo course-designer internacional Gabriel Malfatti, em que somente Raphael voltou a zerar. Montando a égua BH Billie Jean Império, de 11 anos, Raphael foi campeão sem faltas em 37s12.

Na sequência, com sua segunda montaria, o BH Thin Thin Império Egípcio, de apenas 8 anos recém completados, o cavaleiro do Haras Império Egípcio garantiu o vice. Aliás, com mais percurso sem faltas, em 39s84.

Raphael e Thin Thin do Império Egípcio em franca ascensão – Foto: Divulgação/CHSA

Mais BHs em destaque no evento

Ainda na Copa Ouro, em terceiro lugar chegou a sempre competitiva dupla Rafael Ribeiro apresentando Ludam do Liberte, uma falta, 37s18. Já a 4ª colocação ficou com Rodrigo Chaves Nunes apresentando Calvano C JMen, seguido por Luiz Guilherme Ciampi com Casilero C JMen, também com apenas um derrube, em 37s18 e 40s27.

Por fim, já o 6º posto coube a Waldir Pereira de Souza Junior, o Juninho, com Mercedes des Flandres, uma falta, 40s53. Antes de mais nada vale destacar que todos cavalos dos seis primeiros são da raça Brasileiro de Hipismo, apontando para a força e contínuo crescimento da criação nacional.

Lucio Osório e Nefertite do Arete campeões do Clássico Isec no Torneio de Verão – Foto: Divulgação/Luis Ruas

Clássico Isec

Para encerrar as disputas no CHSA, o Clássico Isec, a 1.40/1.45m, marcou o ponto alto do Concurso de Salto Nacional 3* 2ª Etapa do 33º Torneio de Verão. Dos 22 conjuntos na 1ª volta – conforme a regra – os 12 melhores entre os quais quatro sem faltas habilitaram-se para a 2ª e decisiva volta com R$ 60 mil em jogo.

Sagrou-se, portanto, campeão o top Lucio Osório, montando Nefertite do Aretê. Aliás, o BH de apenas 8 anos, foi o único a garantir duplo zero, em 39s76. O vice-campeão foi Raphael Machado Leite – campeão e vice da Copa Ouro -, com Kripton Pullmann Império Egípcio, BH de 10 anos, totalizando apenas 2 pontos perdidos, 1 em cada passagem, em 52s05.

Já o 3º posto coube a Saint Clair Gonçalves Passarinho Neto com Dardo Montana, dupla vice-campeã do Clássico do Torneio de Verão em 5/2, que fechou com um derrube na 2ª volta em 43s41.

Fonte: ABCCH
Legenda da foto em destaque: Raphael e Billie Jean Império Egípcio no galope da vitória

Crédito da foto em destaque: Divulgação/ABCCH/CHSA

Veja mais notícias sobre o cavalo Brasileiro de Hipismo no portal Cavalus

Continue lendo

Brasileiro de Hipismo

Haras Rosa Mystica colhe bons resultados em provas internacionais

“Estamos investindo na raça BH no exterior porque acreditamos muito no potencial da nossa criação”, destaca Nilson Leite, titular do criatório

Publicado

⠀em

O Haras Rosa Mystica, situado na região de Sorocaba/SP, vem investindo forte na participação de cavalos da raça Brasileiro de Hipismo em provas internacionais. Tanto que, neste início da temporada 2021, Zilouet Mystic Rose e Mylord Mystic Rose estão competindo no World Equestrian Center, em Ocala. Ou seja, o recém inaugurado e agora maior centro hípico dos Estados Unidos.

Mylord Mustic Rose é filho de Balou du Rouet (Baloubet du Rouet) em Magnolia Mystic Rose (Zirocco Blue VDL), e tem 7 anos. Sob o comando do cavaleiro profissional Juan Bolanõs – que representa El Salvador e é parceiro do Haras Rosa Mystica – , ele estreou com diversos percursos zerados a 1.30m . Como resultado, computa dois terceiros lugares em provas que reúnem as melhores linhagens da geração futura de hipismo.

Já Zilouet Mystic Rose, outra filha de Balou de Rouet em Zonnebloem VDL, também na condução Juan Bolaños, vem fazendo bonito. Afinal, em sua estreia a 1.40m, soma quatro provas zeradas até o momento.

Outros animais de destaque do Haras Rosa Mystica

Antes de mais nada vale ressaltar que também está competindo nos Estados Unidos, no Winter Equestrian Festival, em Wellington, Magnolia Mystic Rose. Ela é filha de Zirocco Blue VDL em Majorca Tok.

Após uma temporada na Europa, a égua voltou às competições na condução do medalhista pan-americano Eduardo Menezes. Magnolia, de 11 anos, é a única BH integrante da seleta lista de cavalos em observação para formação do Time Brasil de Salto, nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Do mesmo modo, na Europa, mais um produto BH do Haras Rosa Mystica promete bons resultados em pista. Trata-se da égua Zambia Mystic Rose, filha de Cardento em Zonnebloem VDL. Ela se prepara para disputar o Sunshine Tour 2021 na Espanha, com o cavaleiro pan-americano Felipe Amaral.

De acordo com Nilson Leite, um dos títulos do Haras Rosa Mystica ao lado de seus irmãos Edson, Neide e Vania, ver a criação do Haras em pistas internacionais e, é claro, nacionais, é motivo de muito orgulho. “Estamos investindo na raça BH e Haras Rosa Mystica no Exterior, porque acreditamos muito no potencial da nossa criação”, destaca Nilson. “Hoje nosso Haras não tem nenhum cavalo com mais de 3 anos à venda. Mas nessa terça, 9/2, um de nossos produtos Logan Mystic Rose, nascido em 1/1/2020, filho de Glasgow van Het Merelsnet, estará a disposição no Leilão Virtual Jump. Sempre gosto de ressaltar que, a exemplo de todos os nossos produtos quando colocados à venda, não é há preço mínimo e nem defesa”, finaliza.

Fonte: Assessoria de Imprensa Brasil Hipismo
Legenda da foto em destaque: Juan Bolaños com Mylord Mystic Rose a postos no World Equestrian Center, Ocala

Crédito da foto: Divulgação

Veja mais notícias sobre o cavalo Brasileiro de Hipismo no portal Cavalus

Continue lendo

Brasileiro de Hipismo

Exemplar da criação nacional conquista dois primeiros lugares na Bélgica

SL Brazonado foi conduzido ao lugar mais alto do pódio pelo cavaleiro alemão Felix Hassmann

Publicado

⠀em

Um exemplar da criação nacional de Brasileiro de Hipismo conquistou dois primeiros lugares em Sentower Park o CSI2*/CSI1*/CSIYH1*, na Bélgica. Montada pelo cavaleiro alemão Felix Hassmann, SL Brazonado (Sl Baluarte x Silvestre) subiu ao lugar mais alto do pódio nas séries 1.35 m e 1.40m.

De acordo com a Associação Brasileira de Criadores do Cavalo de Hipismo (ABCCH), anteriormente dos dois primeiros lugares, SL Brazonado já havia conquistado outro prêmio na Bélgica. Logo na primeira prova internacional de 2021, ficou em quarto lugar.

Ainda de acordo com a ABCCH, a primeira vitória aconteceu no sábado (9) na prova de velocidade, a 1.35m, com mais 66 conjuntos. SL Brazonado foi imbatível com zero no tempo de 55s93, conquistando o valor em espécie de $500 euros.

Já no domingo (10), o conjunto se apresentou na Prêmio Maupiler Sporthorses, em duas fases, a 1.40m, com 71 participantes. Com pista limpa, com 30s68 de tempo, o tordilho BH mais uma vez fez a bandeira da Alemanha hastear em sua homenagem bem como ressaltou a criação nacional da raça com os dois primeiros lugares.

Confira aqui os resultados completos.

Fonte: ABCCH
Crédito da foto em destaque: Divulgação/ABCCH

Veja mais notícias sobre o cavalo Brasileiro de Hipismo no portal Cavalus

Continue lendo

Categorias

COPYRIGHT © 2021 CAVALUS. TODOS DIREITOS RESERVADOS
ESSE SITE É PROTEGIDO PELO GOOGLE RECAPTCHA
POLÍTICA DE PRIVACIDADE | TERMOS DE SERVIÇO