Mangalarga Marchador

Exposição Brasileira do Criador 2021 é confirmada

Disputas acontecem de 17 a 21 de março no Parque de Exposições de Varginha/MG; inscrições seguem abertas até o dia 13 de março

Publicado

⠀em

A edição 2021 da Exposição Brasileira do Criador já tem data marcada. De acordo com a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Mangalarga Marchador (ABCCMM), as disputas acontecem de 17 a 21 de março, no Parque de Exposições de Varginha/MG.

Antes de mais nada vale lembrar que a edição 2020 da Exposição Brasileira do Criador foi remodelada. Mesmo assim, ainda de acordo com a ABCCMM, foi um sucesso de público e de qualidade em pista.

Como critério, a Associação estabeleceu que só podem participar do evento animais do sufixo do expositor. Dessa forma, o objetivo desta iniciativa é valorizar os criadores de todo o Brasil que queiram mostrar nas pistas o seu trabalho de seleção.

Sendo assim, os criadores interessados em participar devem efetuar suas inscrições clicando aqui  até o dia 13 de março. Aliás, o valor da inscrição é de R$ 400 + R$ 100 do kit (camisa e boné dos apresentadores) + R$ 60 da manta.

Por fim, vale mencionar a dupla que estará no comando da arbitragem nos animais puxados e progênies: Aluízio Maciel Pereira Filho (morfologia) e Márcio Meirelles Leite (marcha). Já nos animais montados, os árbitros serão: Aluízio Maciel Pereira Filho e Roberto Alves Ribas, na morfologia, e Márcio Meirelles Leite, Bruno Fillipe de Souza Lima e Silva e Victor Augusto Costa Andrade, na marcha.

História da Exposição Brasileira do Criador

A Exposição Brasileira do Criador é um evento tradicional da raça Mangalarga Marchador que ficou um tempo adormecida acoplada aos Campeonato Brasileiros de Marcha (CBM). O que, certamente, lhe tirou muito de seu objetivo.

Dessa forma, para 2020 a exposição foi remodelada e mantido para 2021. “O projeto da Exposição Brasileira do Criador foi cuidadosamente pensado para dar maior conforto aos criadores e
apaixonados pela raça. Teremos camarotes para os criadores mais exigentes, além de Choperia, Villa Gourmet e Áreas Comercias para selarias e empresas. Sem falar nas atrações musicais com shows no nosso tradicional espaço vida e marcha. Pensando na família do criador, teremos Espaço Kids para a criançada e Espaço Mulher para as esposas, com joalheria”, enfatiza a ABCCMM.

Ademais, entre as atrações da exposição há o Leilão do Criador, marcado para o dia 19 de março. Como resultado, irá ofertar uma tropa selecionada na cabeceira dos principais criatórios do país. “Por fim, vale citar que serão adotados todos os protocolos sanitários exigidos pelos órgãos responsáveis”, finaliza a entidade.

Por Natália de Oliveira
Fonte: ABCCMM
Crédito das foto em destaque: Divulgação/ H. Possebon

Veja mais notícias sobre o Mangalarga Marchador no portal Cavalus

Mangalarga Marchador

Entenda como funciona a escolha do sufixo dentro da raça

Alguns critérios básicos devem ser seguidos na hora da escolha do sufixo, de acordo com o Regulamento do Serviço de Registro Genealógico da ABCCMM

Publicado

⠀em

Um momento muito importante para qualquer criador de cavalos se refere a escolha do sufixo que será adotado por ele. Afinal, é através do sufixo que um criatório será reconhecido dentro da raça. Pois, entre outras coisas, ele identificará os animais de determinada criação.

No caso da raça Mangalarga Marchador, alguns critérios básicos devem ser seguidos na hora da escolha do sufixo. Sendo, portanto, todos previstos no Regulamento do Serviço de Registro Genealógico (SRG) da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Mangalarga Marchador (ABCCMM).

A princípio, a não utilização de palavras homófonas. Ou seja, palavras pronunciadas da mesma forma, mas escritas de forma diferente, apresentando significados diferentes. Além disso, não é permitido que a escolha do sufixo tenha sentido dúbio.

Por fim, obviamente, o sufixo não pode já ter sido registrado na entidade, bem como não é permitido acrescentar letras e números a sufixos já existentes. “A escolha do sufixo será feita pelo próprio criador e em seguida submetida à aprovação da Superintendência do SRG”, explica a ABCCMM.

Dessa forma, quando aprovado o nome passa a ser de uso exclusivo daquele associado. Caso o criador deseje alguma alteração, ele deverá realizar solicitação formal ao SRG. “Aprovada a mudança, o sufixo anterior ficará livre para escolha e uso de outro associado”.

Contudo, vale destacar que os animais já registrados com o sufixo liberado permanecerão com os mesmos nomes, alerta a Associação.

Para conferir o Regulamento completo do SRG da ABCCMM, clique aqui.

Por Natália de Oliveira
Fonte: ABCCMM
Crédito das foto em destaque: Divulgação/ H. Possebon

Veja mais notícias sobre o Mangalarga Marchador no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga Marchador

Morre Haity Caxambuense, maior garanhão de marcha picada de todos os tempos

Ele tinha 31 anos, era saudável e livre. “Chegou a hora dele”, garantiu o Haras Zel, proprietário do animal, através de comunicado nas redes sociais

Publicado

⠀em

A raça Mangalarga Marchador se despediu recentemente da maior lenda da marcha picada de todo os tempos. Trata-se de Haity Caxambuense, garanhão apontado pelos amantes da raça como o divisor de águas para a evolução da marcha picada no país.

De propriedade do Haras Zel, do Comendador Laurinho Megale, a morte de Haity Caxambuense foi anunciada na página oficial do criatório nas redes sociais. Antes de mais nada vale esclarecer que ele tinha 31 anos, era saudável e livre. “Mas chegou a hora dele”, foi a explicação dada aos seguidores pelo perfil do criatório no Instagram.

Em questão de pouco tempo do anúncio do falecimento do garanhão, muitos fizeram questão de prestar sua homenagem. “Simplesmente uma lenda”, disse um seguidor. “Cavalaço de temperamento, índole e beleza”, acrescentou outro. “A base de muitos haras do país. Ele deixou uma linda e brilhante história para ser passada de gerações a gerações”, enfatizou um terceiro.

LEIA TAMBÉM

Morre Haity Caxambuense – Divulgação/Ricardo Mendes

A perda de uma lenda

Pai do principal garanhão de Marcha Picada da Atualidade, Elfo do Porto Azul, Haity Caxambuense produziu os principais descendentes de marcha picada da raça. Além disso, também contribuiu expressivamente na criação do Haras Caxambuense, que é o criatório responsável pela sua criação.

Afinal, ele deixou por lá Princesa do J. Granado. Portanto além de ter sido um pilar na marcha picada, o garanhão também deixou na marcha batida grandes marchadores. Diante de tantos feitos, o Haras Zel fez questão de prestar uma linda homenagem a Haity.

“Em todas as lindas histórias que poderíamos viver aqui, ele estava. Ele foi o começo acertado, a aposta crua, o conhecimento adquirido ao longo dos anos. Quando seu José Lauro Megale o trouxe lá de Caxambu, talvez não tinha ainda a noção do tamanho de sua importância e da história que escreveria”, cita o comunicado.

E finaliza dizendo. “O Haras Zel cresceu ouvindo: temos o melhor cavalo do Brasil. E na verdade ele se tornaria ainda melhor. Foi ele que trouxe o primeiro título Nacional já no comando do Comendador. Foi ele que espalhou por todo o país a genética campeã e revolucionou a marcha picada. Ideal para o que sonhamos. Perfeito para nós. Ele é nosso passado, nosso presente e nosso futuro. Tivemos a honra de dar a ele a melhor condição até o último minuto. Tivemos a honra de sua companhia majestosa até o fim. Nossas lágrimas são de saudade, orgulho e gratidão. Obrigado, amigo Haity Caxambuense”.

Por fim, vale acrescentar que a perda foi grande, mas o legado de Haity Caxambuense é eterno. Agora, portanto, a lenda descansa.

Por Natália de Oliveira
Crédito das foto em destaque: Divulgação/ J.Oliveira 

Veja mais notícias sobre o Mangalarga Marchador no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga Marchador

Veja quais éguas foram Campeãs Brasileiras de Marcha em 2020

Nesta reportagem você acompanha um breve histórico de cada égua que entrou para o seleto grupo de Campeãs Brasileiras de Marcha da raça Mangalarga Marchador

Publicado

⠀em

Anteriormente, o portal Cavalus trouxe uma reportagem especial relembrando os cavalos que conquistaram o titulo nacional de marcha da raça Mangalarga Marchador. Agora chegou a vez delas, ou seja, das éguas que foram Campeãs Brasileiras de Marcha em 2020.

São elas: Gameleira II Genial, que subiu no lugar mais alto do pódio no Campeonato Brasileiro de Marcha Batida (CBM de Batida), e Delícia da Balada, que conquistou o maior prêmio do Campeonato Brasileiro de Marcha Picada (CBM de Picada).

Abaixo você conhece um pouco mais da história de cada uma das Campeãs Brasileiras de Marcha em 2020 da raça Mangalarga Marchador. Confira!

Gameleira II Genial (Desafio de Alcatéia x Traituba Ziara) – Divulgação/Rodrigo Mendes

Gameleira II Genial

Sem dúvidas, ela entrou na pista do Haras Raphaela, em Tietê/SP, durante o CBM de Batida bem treinada e, assim, disputou em sua categoria com grandes nomes da raça. Como resultado, a fêmea de notável andamento sagrou-se na competição Campeã das Campeãs Brasileiras de Marcha. 

O título máximo enche de orgulho a equipe do Haras General, de Campos dos Goytacazes/RJ. Afinal, a égua tem construído uma trajetória de sucesso por onde passa. 

Em 2020, ela sagrou-se em março, na última edição da ENMMERJ, Campeã das Campeãs de Marcha e a Grande Campeã Adulta da Raça. Dobradinha, aliás, comemorada por todos que acompanharam a evolução da tordilha. 

Prestes a completar 5 anos, Gameleira II Genial, é fruto do cruzamento de Desafio de Alcatéia em Traituba Ziara. Neta, portanto, na linha alta de Pavão do Morro Queimado e Favacho Jamaica, e na linha Baixa, de Pégaso Traituba AA e Traituba Folia.

Integrante do time de pista do criatório fluminense, Gameleira marcha para os novos desafios e deixa sua marca na História do CBM.

Delícia da Balada (Landau Dois Irmãos x Fragata SCA) – Foto: Reprodução/Facebook

Delícia da Balada

Da terra do sertanejo para a terra do axé. Esse foi o ousado caminho percorrido pela égua Delícia da Balada, que saiu da cidade de Petrolina de Goiás/GO para bilhar na pista do Parque de Exposições de Salvador/BA. Inegavelmente, ela conquistou a simpatia dos participantes e expectadores do 13º CBM de Marcha Picada.

Campeã em sua categoria, Égua Adulta Maior, na disputa pelo título nacional de Campeã das Campeãs de Marcha, Delícia mostrou que, além de estar em boa fase, também estava bem treinada e em sintonia com seu apresentador.

Filha de Landau Dois Irmãos em Fragata SCA nasceu em fevereiro de 2015, em Anápolis também em Goiás. Seu feliz expositor foi Márcio Ramos Gonçalves, do Haras Limongy, localizado na cidade de Petrolina de Goiás.

Portanto, ao tornar-se Campeã das Campeãs Brasileira de Marcha Picada de 2020, Delícia da Balada, carimbou, de forma definitiva, o próprio nome na história da raça Mangalarga Marchador.

Por Natália de Oliveira
Fonte: ABCCMM
Crédito das foto em destaque: Divulgação/H. Possebon

Veja mais notícias sobre o Mangalarga Marchador no portal Cavalus

Continue lendo
X
X