Mangalarga

Expedição Velho Chico percorrerá 4 mil quilômetros a cavalo

Cavalgada pretende ressaltar a importância do segmento equestre para o agronegócio e colocar em evidência as qualidades do cavalo Mangalarga

Foi dada à largada para a Expedição Velho Chico, no dia 04 de setembro, no Parque do Lago, em Dourado/SP. Sobretudo, a cavalgada irá percorrer toda a bacia do rio São Francisco. Sendo assim, perfazendo um trajeto de 4 mil quilômetros.

Ao todo, a Expedição Velho Chico passará por seis estados brasileiros, no decorrer de mais de cinco meses de viagem. Antes de mais nada vale destacar que a comitiva da expedição é composta por dois experientes cavaleiros.

São eles, Sebastião Malheiro Neto, de 59 anos, e Pedro Luiz Aguiar, o Pedroca. Este último que completará 88 anos no próximo dia 18 de fevereiro. Data prevista, aliás, para a conclusão da cavalgada, com a chegada da expedição à foz do rio São Francisco.

Início da expedição

Em sua primeira semana na estrada, Malheiro e Pedroca cruzaram a região norte do estado de São Paulo. Assim, passaram por municípios como Araraquara, Ribeirão Preto, Pontal, Brodowski e Batatais.

Depois, na última segunda-feira (14) ingressaram em território mineiro. Acima de tudo, com destino à Serra da Canastra, onde está localizada a nascente do rio São Francisco.

A partir deste ponto, a comitiva percorrerá a bacia do Velho Chico, como o rio é carinhosamente conhecido. Atravessando, portanto, os estados de Minas Gerais, Bahia e Pernambuco. Finalmente, com destino à sua foz, localizada na confluência com o oceano Atlântico, na divisa entre os estados de Alagoas e Sergipe.

Cavalos da raça Mangalarga

Os cavaleiros viajam com seis equinos da raça Mangalarga, cedidos por tradicionais criadores do estado de São Paulo. São eles: Olinda do Vassoural (Beatriz Biagi Becker); Jaguatirica da Bica (João Pacheco Galvão de França); Embalo Cava Colina (Francisco Diniz Junqueira Franco); Ifigênia RBV (Luis Augusto Opice); Bonita MAB (Sebastião Malheiro Neto) e Quimera de Dourado SM (Sebastião Malheiro Neto).

Dessa forma, cada cavaleiro se reveza entre dois animais ao longo do trajeto. Já os dois animais extras ficam à disposição dos amigos que queiram acompanhá-los por alguns trechos. A expedição conta com o apoio oficial da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM).

Importantes objetivos

Segundo Malheiro, além do prazer de cavalgar por uma das mais belas regiões do país, o projeto possui uma série de importantes objetivos. “A expedição pretende colocar as atividades hípicas em evidência para o público brasileiro. Mostrando, assim, a relevância do segmento equestre para o agronegócio nacional”.

E ainda acrescenta: “Afinal, esse é um setor que movimenta uma cifra anual superior a R$ 16 bilhões. Além disso, gera mais de 600 mil empregos diretos, segundo dados da Câmara Setorial da Equideocultura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).”

Malheiro ressalta também que o projeto pretende divulgar e popularizar as cavalgadas e raids equestres entre a população brasileira. Para tanto, irão mostrar como essas são atividades acessíveis a pessoas de diferentes faixas etárias e distintos graus de habilidade.

A iniciativa, além disso, tem a intenção de colocar em evidência as qualidades do cavalo Mangalarga, equino de origem brasileira que apresenta grande aptidão para as cavalgadas de longa duração, graças à sua rusticidade, resistência e, em especial, à sua marcha progressiva, cômoda e equilibrada.

Demais objetivos

Os objetivos do projeto, entretanto, não param por aí. Afinal, se estendendo também ao campo científico. Tanto que a expedição contará com o apoio e a participação de veterinários, zootecnistas e outros profissionais. Estes que serão responsáveis por coletar dados de pesquisa para análise e posterior publicação de trabalho científico. Sobretudo, abordando a fisiologia do exercício dos animais ao longo do evento.

Muita experiência

Por fim, vale destacar que esta não será a primeira aventura protagonizada por Malheiro e Pedroca. Inegavelmente, os dois cavaleiros estiveram envolvidos com outras duas cavalgadas que marcaram a equinocultura nacional.

Por exemplo, realizada entre 1991 e 1993, a Brasil 14 mil entrou para o Guinnes Book. Isso após alcançar a notável marca de 14 mil quilômetros percorridos em território brasileiro. Por sua vez, a Tropel Mangalarga 1400 ocorreu no ano de 2011, percorrendo a distância de 1,4 mil quilômetros que separa as cidades de São Paulo/SP e Brasília/D).

Para acompanhar o dia a dia da Expedição Velho Chico, basta seguir as páginas oficiais da ABCCRM no Facebook e no Instagram. Já para saber mais detalhes sobre a raça Mangalarga, visite o portal www.cavalomangalarga.com.br.

Fonte: ABCCRM
Legenda da foto: Sebastião Malheiro e Pedroca Aguiar estão à frente da expedição.
Crédito da foto: Gironda Promoções

Veja mais notícias do cavalo Mangalarga no portal Cavalus

X