Mangalarga

Rancho Paulista: há 4 anos quebrando paradigmas em solo capixaba

Após se mudar para Vila Velha/ES, a criação de cavalos Mangalarga de Márcio Henrique Celico Trigo precisou lidar com a falta de informação local sobre as qualidades reais da raça

Publicado

⠀em

Quando Márcio Henrique Celico Trigo, titular do Rancho Paulista, se mudou para Vila Velha, no Espírito Santo, logo se deparou com algumas dificuldades para seguir com a sua criação da raça Mangalarga,. Afinal, em solo capixaba havia uma fama equivocada sobre a raça. “Tinham a informação de que era um cavalo sem comodidade na sela e temperamental”, conta.

Desde então, o criador e farmacêutico bioquímico, bem como sua família, têm como missão a de quebrar esse paradigma. Apresentando, portanto, ao povo capixaba que o cavalo Mangalarga é, sim, uma excelente opção de montaria, que proporciona satisfação e encanta pela beleza.

“Depois que visitam o Rancho Paulista e montam na tropa, passam a admirar a raça. Assim estamos iniciando uma referência no estado”, conta Márcio. “Sem dúvidas, dentre as opções existentes para andamento, a raça que mais aprecio é a Mangalarga. Pois gosto de cavalos fortes e inteligentes. São magníficos em sua beleza plástica e imponentes na montada, isso me impulsiona a cria-los.”

A fim de conhecer um pouco mais sobre a história por trás do Rancho Paulista e o que levou Márcio Trigo a iniciar a sua criação, a equipe de reportagem do portal Cavalus bateu um papo com o criador. Sendo assim, na sequência você confere a entrevista na íntegra. Confira!

A paixão de Márcio por cavalos começou aos 4 anos de idade – Foto: Divulgação

Como tudo começou…

“Aos quatro anos de idade comecei a colecionar revistas de cavalos, embora nunca tivesse tido ainda contato com o mesmo. Porém, qualquer foto ou imagem relacionada aos equinos me deixava agitado.

Eu sempre gostei de filmes com cavalos, quadros, esculturas, enfim, tudo. Mas meus pais nunca me incentivaram. Como nasci amando, não teve outro caminho. Enfim, comecei a trabalhar na adolescência e, com 17 anos, comprei meu primeiro cavalo, era sem raça definida. Já o segundo foi um puro sangue Lusitano.

Na época, eu morava em Santa Isabel, no interior de São Paulo. Não tinha propriedade, sempre deixei em baias de aluguel. Por isso hoje vendo esse serviço, pois nunca encontrei um lugar que me agradasse em todos os quesitos de manejo e cuidados com os equinos.

Daí não parei mais. Comprei muitos cavalos da raça Lusitana. Porém eram mais voltados para o adestramento clássico e hipismo, mas na realidade sempre gostei de cavalgar. Nunca participei de provas de adestramento clássico, porém fiz curso com o mestre Luiz Carlos de Morumgaba.”

Mudança para o Espírito Santo

“Há cerca de quatro anos, mudei para o Espírito Santo, ai então me deparei com algumas dificuldades, pois poucos conhecem a raça Mangalarga aqui. Tinham a informação de que era um cavalo sem comodidade na sela, temperamental, enfim, estou juntamente com minha família quebrando paradigmas.

Afinal, depois que visitam o Rancho Paulista e montam na tropa, passam a admirar a raça e assim estamos iniciando uma referência no estado. Por isso, o cavalo Mangalarga representa para a família Trigo a união e a construção de verdadeiros elos de amizades desinteressadas. Ele nos ajudou e ajuda muito no convívio com a sociedade capixaba.”

Rancho Paulista fica em Vila Velha, no retiro do Congo a 800 mts da Rodosol, 1,5 km da praia de interlagos.

Animais do Rancho Paulista

“Hoje nosso time ainda é pequeno, porém com muita qualidade. Temos um garanhão chamado FERRAT do PEC, filho do Zatec do Pec e neto do Jambo da Sabaúna. Além dele, vale citar:

  • HULAN do PEC, filha do Zatec do PEC em Itália DAM (ambos campeões nacionais de andamento)
  • HELENA do PEC , filha da Musa da Copi (uma das barrigas mais desejadas pelos criadores da raça em Zatec do PEC , campeão Nacional)
  • HILLARY do PEC, filha do Zagros do PEC tri-campeão nacional em Temporada da Jauaperi
  • JAGUARIÚNA do PEC, filha do campeão nacional Galico do Morro Agudo em Flora do PEC
  • JESSEN do PEC, filha do campeão nacional Ferragamo da Piratininga em Maravilha da Janga”
Ao lado da família, Márcio quer proporcionar com o cavalo Mangalarga momentos de lazer e alegria ao povo capixaba – Foto: Divulgação

Estrutura e proposta de trabalho do Rancho Paulista

“Nossa estrutura conta com 16 baias, duas pistas para montar, redondel (em construção), área específica para ferrageamento e medicação coberta, com piso emborrachado. Além de selaria revestida em madeira, dois boxes de lavagem, banheiros masculino, feminino e acessível, cozinha Gourmet , tudo isso integrado com as baias. Aulas de equitação e ecoterapia (em implantação)”.

Já a proposta de trabalho com a raça Mangalarga no Rancho Paulista é baias de alto padrão para usuários exigentes que amam cavalos. Nossa criação está voltada para proporcionar momentos de lazer e alegria.

Por fim, iremos disseminar a raça no estado, trazendo ao público capixaba uma excelente opção de montaria e satisfação em curtir o cavalo completo”.

Informações sobre o Rancho Paulista pelos telefones: Márcio Trigo (11) 94251-4236 ou Giuliana Trigo (27) 99882-3481 – Instagram: @ranchopaulistaes.

Por Natália de Oliveira
Crédito das fotos: Divulgação/Rancho Paulista

Veja mais notícias do cavalo Mangalarga no portal Cavalus

 

Mangalarga

1ª edição do Tarlim Weekend movimenta mais de R$ 8 milhões

Programação do evento contou com cinco leilões com foco na excelência genética do cavalo Mangalarga e do gado Nelore

Publicado

⠀em

Um fim de semana de bons negócios. Assim foi a 1ª edição do Tarlim Weekend, realizado do dia 26 a 28 de fevereiro, promovido pelo Haras Tarlim. Com foco na excelência genética do cavalo Mangalarga e do gado Nelore, o evento deu uma clara demonstração do vigor da pecuária seletiva brasileira, mesmo em um ano repleto de desafios.

Afinal, os cinco leilões que integraram a agenda da 1ª edição do Tarlim Weekend apresentaram um elevado índice de liquidez e expressiva valorização. Movimentando, portanto, uma receita total de R$ 8.260.840,00.

Sem dúvidas, o ponto alto da programação foi o 6º Leilão Tarlim Mangalarga, que mostrou, mais uma vez, porque é considerado um dos grandes eventos da pecuária seletiva nacional. Haja vista que colocou em evidência o alto investimento realizado pelo Haras Tarlim nas mais modernas técnicas de reprodução animal. Bem como em biotecnologia e genômica.

Dessa forma, o remate – que aconteceu na noite do sábado (27) – alcançou uma valorização média de R$ 207.155,94 e faturamento de R$ 3.646.440,00.

Outros leilões da 1ª edição do Tarlim Weekend

A raça Mangalarga esteve em destaque ainda em outros dois remates ao longo do fim de semana. Em primeiro lugar, o Leilão Embriões Tarlim abriu com grande êxito a programação na noite da sexta-feira (26), alcançando uma cotação média de R$ 82.188,89 por embrião e gerando uma receita de R$ 1.479.400,00.

Já o Leilão de Potros Tarlim, que teve um direcionamento comercial, aconteceu no início da tarde do domingo (28), registrando uma média de R$ 20.480,00 e movimentando um montante de R$ 266.240,00.

Para Fernando Tardioli, titular do Haras Tarlim, o sucesso desses três remates foi uma demonstração de força da raça Mangalarga. “Nós mostramos uma vez mais do que somos capazes de construir quando estamos juntos. Afinal, a cada ano a gente tem o privilégio de contar com uma maior participação dos apaixonados pela raça, que acompanham, que vibram, que acreditam na raça e no potencial de retorno que o cavalo proporciona para as nossas atividades. Eu, aliás, não tenho a menor dúvida de que hoje o Mangalarga é a moeda forte da pecuária seletiva nacional”.

Bovinos Tarlim

Responsáveis por um faturamento de R$ 2.868.760,00, os bovinos estiveram em destaque em dois momentos, ambos no domingo (28). Na parte da manhã, aconteceu o Leilão Nelore P.O. Tarlim, no qual foram ofertados bezerros, bezerras, matrizes, doadoras, embriões e prenhezes.

Sobretudo, lotes provenientes do audacioso projeto de melhoramento genético da raça Nelore desenvolvido pela Fazenda Tarlim, em Campo Grande/MS. E, no fim da tarde, foi a vez do Leilão Produção Tarlim, que encerrou a programação do fim de semana com a oferta de lotes para cria, recria e engorda.

“O sentimento é de missão cumprida. A gente só pode agradecer depois dessa exitosa maratona de cinco leilões em 36 horas. Isso tudo deixa a gente muito satisfeito, pois é gratificante conseguir compartilhar essa genética e, acima de tudo, democratizar o acesso a essa seleção”, avalia o criador Fernando Tardioli, já deixando o convite para a segunda edição do Tarlim Weekend, marcada para acontecer de 11 a 13 de março de 2022.

Por Equipe Cavalus
Fonte: Pedro Rebouças
Legenda da foto: 6º Leilão Tarlim ofertou o direito reprodutivo de matrizes do Haras Tarlim
Crédito da foto: Divulgação/João Gabriel

Veja mais notícias do cavalo Mangalarga no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga

Vem aí a primeira edição do Tarlim Weekend

6º Leilão Haras Tarlim será o ponto alto da programação do evento, que contará com uma série de remates focados na excelência genética do cavalo Mangalarga e do gado Nelore 

Publicado

⠀em

Considerado um dos principais remates da equinocultura brasileira e da pecuária seletiva nacional, o Leilão Tarlim traz novidades para 2021. Sobretudo, com novos desafios e objetivos ainda mais ousados. Afinal, o evento ganhará – em sua sexta edição – uma programação mais ampla, atraente e diversificada: trata-se do Tarlim Weekend, que começa nesta sexta-feira (26) e segue até domingo (28). 

De acordo com o titular do Haras Tarlim, Fernando Tardioli, será um fim de semana inteiro dedicado ao amor pela criação. Dessa forma, num ambiente ideal para reunir amigos e propicio para ótimos investimentos.

“Uniremos a paixão pelo cavalo Mangalarga com o trabalho de melhoramento genético do Nelore Tarlim. Assim, com muita tecnologia e sem medir esforços, estamos renovando o nosso compromisso com a excelência, com a criatividade e com a transparência. Tudo isso para mostrar, mais uma vez, que é possível fabricar sonhos, produzir realidade e entregar resultados a quem aposta e confia em nosso trabalho”, garante Tardioli.

Programação Tarlim Weekend

Com todas as atividades previstas para acontecer na sede do criatório, localizada em Jaguariúna/SP, o Tarlim Weekend será aberto às 20h de sexta-feira pelo Leilão Embriões Tarlim. O remate ofertará vinte lotes selecionados a partir do cruzamento entre ventres das grandes doadoras do plantel Tarlim. Sobretudo, com os melhores reprodutores da raça Mangalarga.

Já a noite de sábado (27) será o ponto alto da programação com a realização do 6º Leilão Tarlim Mangalarga. Afinal, o aguardado remate, marcado para às 20h, ofertará lotes retirados da cabeceira da seleção do Haras Tarlim.

Entre eles, podemos citar: potros e potrancas de futuro promissor nas pistas; animais já premiados nas mais concorridas mostras da raça; matrizes consagradas na reprodução; e, por fim, coberturas dos garanhões titulares do criatório.

Além disso, o leilão repetirá uma grande inovação implementada na edição do ano passado. Ou seja, comercializará os direitos reprodutivos das doadoras do haras para a estação de monta 2021/2022.

Biotecnologia e genômica 

O Tarlim Weekend também colocará em evidência o alto investimento realizado pelo criatório nas mais modernas técnicas de reprodução animal. Bem como em biotecnologia e genômica. “De forma inédita, a engenharia genética nos permitirá trazer ao Leilão Embriões Tarlim ventres acasalados a partir do algoritmo. Este que simula a endogamia genômica de cada um dos produtos que vai nascer. Da mesma forma, aponta essa característica em todos os indivíduos que serão comercializados no 6º Leilão Tarlim”, destaca Fernando Tardioli.

Ademais, o titular do criatório prossegue ressaltando que para o Leilão de Potros – marcado para domingo, às 13h -, uma geração inteira foi submetida à análise genômica. Sem falar, ainda, que somada a uma criteriosa avaliação intra rebanho. “A comparação precisa de todos os indivíduos garante ao comprador a possibilidade de visualizar as características de destaque de cada potro. Alcançando também aquelas que deseja somar e fixar em seu plantel”.

Leilão Nelore Tarlim

A programação do domingo contará ainda com outros dois aguardados eventos. A partir das 09h, acontecerá o Leilão Nelore Tarlim, ofertando bezerros, bezerras, matrizes, doadoras, embriões e prenhezes provenientes do audacioso projeto de melhoramento genético da raça Nelore desenvolvido pela Fazenda Tarlim, em Campo Grande (MS). Por fim, às 16h, será realizado o Leilão Virtual Produção Tarlim, no qual serão ofertados lotes de gado para cria, recria e engorda.

Segundo Felipe Andrade, da Bula Assessoria Pecuária, todos os atributos que consagraram o Haras Tarlim como um dos principais criatórios de cavalo Mangalarga do Brasil estão presentes no projeto Nelore Tarlim. “Este primeiro leilão, em que serão apresentados os frutos desse trabalho, que tem obsessão pela excelência genética, será um marco importante de uma marca que fará história no melhoramento genético da raça Nelore.”

Todas as atrações do Tarlim Weekend terão transmissão ao vivo pelo Canal Rural, Canal do Criador e Remate Web. Para obter mais informações, entre em contato com a Programa Leilões, empresa leiloeira responsável pela organização do evento, pelo telefone (43) 3373-7077 ou pelo portal www.programaleiloes.com.br.

Por Equipe Cavalus
Fonte: Pedro Rebouças
Legenda da foto: Eldorado da Tarlim está entre os destaques do 6º Leilão Tarlim Mangalarga.

Crédito da foto: Divulgação/João Gabriel

Veja mais notícias do cavalo Mangalarga no portal Cavalus

Continue lendo

Mangalarga

Haras Lagoinha: há 18 anos como Melhor Criador e Expositor Mangalarga Pampa

Durante a edição de 2020 da Nacional do Cavalo Mangalarga, o criatório conquistou, mais uma vez, grandes resultados mesmo em meio aos inúmeros percalços encontrados pelo caminho

Publicado

⠀em

Chegar em primeiro não é fácil. Se manter em primeiro por 18 anos consecutivos é ainda mais difícil. E mesmo diante de um ano atípico por causa da pandemia e de outros percalços encontrados pelo caminho, o Haras Lagoinha conquistou, em 2020, o 18º título de Melhor Criador e Expositor Pelagem Pampa da Nacional do Cavalo Mangalarga.

“O sucesso começa com um sonho, do sonho para a meta, da meta para a disciplina, da disciplina para a conquista”, enfatiza Marisa Iorio, titular do criatório, localizado em Jacareí/SP. Antes de mais nada vale lembrar que a 42ª Expo Nacional do Mangalarga aconteceu de 19 a 28 de novembro, no Centro Hípico de Tatuí/SP.

Assim, se não bastasse a incerteza sobre se iria ou não ter o evento por causa da pandemia – o que atrapalha diretamente na preparação dos animais -, a criadora ainda precisou lidar com desfalques na equipe. Afinal, três dos seus mais importantes funcionários – incluindo o que monta e coordena a equipe -, sofreram acidentes e tiveram que se afastar dos trabalhos.

Por isso, Marisa até chegou a pensar em desistir. “Mas quem está a 18 anos como Melhor Criador e Expositor já passou por muitas coisas. Cada nacional a gente tem que escrever um livro, de tanta história e dificuldades que a gente passa”. Contudo, no final das contas, Marisa driblou os problemas e levou para o evento os 22 animais a qual já planejava levar desde o início.

LEIA TAMBÉM

Hisdano do PEC (Zagros do PEC x Madona DA) – Foto: Arquivo Pessoal/Haras Lagoinha

Melhor Criador e Expositor Mangalarga Pampa

Sobretudo, a conquista do título de Melhor Criador e Expositor Mangalarga de Pelagem Pampa por 18 anos consecutivos é resultado de anos de trabalho e dedicação. Que se mostram em pista, no resultado de diversos títulos conquistados na edição de 2020 do evento. Foram mais de 30 idas ao pódio, entre elas referentes a cinco grandes campeonatos nacionais.

Entre estes título, um em especial, que surpreendeu até Marisa Iorio em seus quase 40 anos de criação. Trata-se de Hisdano do PEC, que conquistou o Tri-Grande Campeonato Nacional Cavalo Pampa. “Para mim, uma alegria incomparável. Porque não existe nenhum garanhão da raça tri grande campeão. Além disso, foi realmente difícil levar um bi grande campeão da raça para o  campeonato. Ele não estava nem sendo cotado nem cogitado. Mesmo assim, conseguiu novamente esse grande título”.  

La Fontaine do PEC (Fasano do PEC x Geórgia do PEC) – Foto: Arquivo Pessoal/Haras Lagoinha

Demais títulos

Além do tricampeonato de Hísdano do PEC, outra vitória marcante para Marisa Ioria foi de Grande Campeã Potra de Andamento La Fontaine do PEC. Afinal, marcou a estreia da progênie do Fasano do PEC que, com a perda do Zagros do PEC, assumiu, atualmente, o papel de garanhão chefe do Haras Lagoinha.

“Depois da perda do Zagros, eu fiquei um pouco perdida em qual garanhão utilizar, pois todos são novos. Acabei optando pelo Fasano do PEC por ser uma linhagem que eu gosto muito, da Sucupira do Bonfim (Fumaça da São José x Turbante J.O). Eu me baseei no início da minha criação e colocamos o Fasano meio que por teste de sucessão do Zagros. E, na primeira progênie dele, ele nos dá uma Grande Campeã Potra de Marcha. Então, realmente nos deixou extremamente felizes”.

Além destas vitórias, o Haras Lagoinha ainda é detentor de mais dois Grandes Campeões da Raça da 42ª Expo Nacional do Cavalo Mangalarga. São eles:

  • Hípica do PEC – Grande Campeã Nacional de Marcha Égua Pampa
  • Ímola do PEC – Grande Campeã Nacional Égua Pampa
  • Los Angeles do PEC – Grande Campeão Potro Pampa
Sobretudo, foram mais de 30 idas ao pódio do Haras Lagoinha – Foto: Arquivo Pessoal

Evolução do criatório

Em uma exposição como a Nacional, Marisa garante que a preocupação não são apenas as premiações. Mas, principalmente, de conseguir enxergar a evolução do criatório. “Então, a vitória da La Fontaine foi um presente. De saber que, mesmo com a perda de um grande campeão como o Zagros, que fez vários grandes campeões da raça, a gente conseguiu dar continuidade ao trabalho e ter uma evolução”, acrescenta Marisa.

Além disso, ela cita que dos 80 animais inscritos na pelagem Pampa no evento, 63% eram de linhagem advinda de Monteblanco do PEC, não sendo à toa que ele está no Livro de Mérito da raça. “Então, vem esse lado de não só ganhar os campeonatos, mas de ver o legado do sangue do nosso garanhão, do nosso trabalho sendo colocado na raça através do criatório do Haras Lagoinha. Fica a marca do sangue do haras, da linhagem PEC se fortalecendo ano a ano na raça Mangalarga”, finaliza a criadora.

Para informações sobre o Haras Lagoinha entre em contato pelos telefones (12) 3956-1403 e (12) 3956-6934 ou pelo WhatsApp (12) 9.9721-0527, falar com a Marisa Iorio.

Site: www.haraslagoinha.com.br

Por Natália de Oliveira
Crédito das fotos: Divulgação/Haras Lagoinha

Veja mais notícias do cavalo Mangalarga no portal Cavalus

Continue lendo
X
X