Dicas do Nitta

Casos de gripes e resfriados em equinos aumentam com a queda da temperatura

Médico veterinário Thiago Nitta separou algumas dicas para proteger seu animal. Vacinação é a principal

Publicado

⠀em

Gripes e resfriados

As estações mais frias do ano chegaram e é hora de redobrar a atenção com seus cavalos. Afinal, assim como os humanos, eles também podem ser acometidos por gripes e resfriados.

Nos equinos, as gripes e resfriados são causados por vírus e acometem o sistema respiratório do animal. A única diferença entre os equinos e os humanos é a espécie do vírus: nos cavalos, o que acomete é a Influenza Equina.

Segundo o médico veterinário Thiago Nitta, a Influenza Equina é um vírus de alta morbidade, ou seja, acomete muitos animais, pois são de fácil transmissão, mas possuem uma mortalidade baixa. “O grande risco de perder o animal, está no fato de a gripe ou resfriado serem fatores predisponentes para doenças bacterianas, ou seja uma ‘porta de entrada’, levando a quadros mais complexos como a pneumonia, ressalta Nitta.

Para evitar que gripes e resfriados se espalhem pelo plantel, explica Nitta, o recomendado é vacinar sua tropa. “A vacinação possui uma variação de acordo com a idade e atividade do animal, que se alteram na quantidade de doses e frequência que devem ser tomadas durante o ano. O potro toma duas ou três doses no primeiro ano, depois só anualmente. Já os cavalos atletas, que estão mais susceptíveis, podem ser revacinados com intervalo menor de tempo. A vacina é a única forma de proteger o animal”, alerta o veterinário.

Como em todas doenças virais, explica Nitta, não existe um tratamento para eliminar o vírus, o que se trata são os sinais clínicos. “Se o animal está com febre entramos com antitérmico, as vezes precisamos prevenir contra bactérias oportunistas. Precisamos ficar atentos as manifestações apresentadas. Eu gosto de acompanhar o animal para observar areação frente ao vírus, realizar um exame de sangue para saber como está o curso da doença e intervir da melhor forma possível”, afirma.

No inverno, como a oferta de alimento No pasto diminui, explica Nitta, os animais acabam ficando mais confinados, mais junto, o que facilita a transmissão. “Por isso, o ideal é isolar o animal doente para não contaminar os outros”, aconselha.

Como proteger o plantel de gripes e resfriados?

Separamos algumas dicas simples que você pode fazer para evitar gripes e resfriados no seu criatório:

  1. Preste atenção na hidratação do animal e na temperatura da água. Cuidado com água muito gelada ao animal, as vezes o animal pode reduzir a sua ingestão, podendo levar a outros transtornos, como a cólica. Ofereça a água no galpão ou abrigo, pois a que ficou exposta no tempo vai estar muito gelada;
  2. Ofereça rações com mais energia, pois o cavalo precisa de mais energia para se aquecer, mas não esqueca de pedir orientações a um técnico antes;
  3. Animais utilizados para o trabalho ou esporte podem tomar seu banho após a atividade, mas ele não pode passar a noite toda molhado, talvez seria interessante lavar apenas partes importantes como membros e entre eles, a fim de evitar assaduras ou lesões na pele;
  4. Cuidado com a temperatura dos potros. Eles ainda não conseguem regular sozinhos a temperatura corporal. Deixe-os junto da mãe, em um abrigo protegido do frio e chuva.
  5. Alguns animais adaptam-se bem a capas e elas acabam auxiliando amenizando a baixa temperatura.

Ainda segundo Nitta, o ideal é ao primeiro sinal de gripes e resfriados, procurar seu médico veterinário de confiança para acompanhar o cavalo. “A pneumonia é o maior risco, porém existem outras doenças que podem acometer o seu animal, por isso não deixe de chamar seu veterinário para analisar seu animal”, finaliza Nitta.

Por: Camila Pedroso

Fotos: Pexels

Mais notícias no portal Cavalus

WordPress Ads
WordPress Ads