Histórias

Palestra chata teve saída estratégica

Publicado

⠀em

História de Quartistas saindo pela janela

 

Num determinado Congresso da ABQM, realizado em Maringá, na década de 80, a associação resolveu, através de uma palestra, prá lá de técnica, divulgar aos criadores o que era o HYPP, síndrome que estava afetando principalmente os cavalos de Conformação da linhagem Impressive. O presidente da ABQM, na época, “convocou” praticamente todos que estavam a serviço da entidade a comparecerem e se postou num lugar estratégico, perto da porta de saída. Objetivo: observar quem “saísse de fininho”, antes do término. Um juiz, da região de Ribeirão Preto (SP), perguntou:

O HYPP também dá em gente¿.

O riso foi geral. Mas a maioria, cansada do dia de trabalho, não aguentava mais assistir a tal palestra. Como não dava para sair pela porta principal, pois o presidente estava de olho vivo de quem abandonasse o recinto, muitos começaram a sair pela janela, dos fundos da sala. Em pouco tempo, o recinto ficou vazio…Quando o presidente olhou para trás da sala não entendeu por onde saiu tanta gente… 

Continue lendo
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Histórias

Rolo com o cavalo que mancava

Publicado

⠀em

Um certo  “roleiro” de cavalos, como muitos que a gente conhece por aí, tinha um produto  “ajeitado”, bonito, mas que andava um pouco e logo mancava. Seu vizinho de sítio e muito seu amigo, adorava esse animal  e queria comprá-lo de qualquer maneira.

– Mas ele manca – , alertava o roleiro ao seu “brother’.

De tanto insistir para comprá-lo, o roleiro aceitou.

– Tá bom, vou levá-lo a sua fazenda que é aqui perto. No meio do caminho, foi matutando como vou vender esse cavalo manco ainda mais pro meu bom amigo?

Faltando alguns metros da fazenda, o cavalo começou a mancar.

-E agora o que eu faço?  –, pensou o roleiro. Estava perto de uma cerca de arame farpado. Como todo roleiro, foi rápido no raciocínio. Arrancou um grampo dela e colocou-a no casco do cavalo.

Chegando à fazenda do amigo, foi logo avisando:

– O Cavalo está mancando…

O amigo, insistiu, dizendo:

– Deixa eu ver a pata do cavalo…

Verificou e viu o grampo encravado na pata.

-Tá vendo, é por isso que ele manca. Quero ficar com ele…

E o negócio foi feito…

Continue lendo

Histórias

Vida de Gado

Publicado

⠀em

Novela_O_Rei_do_Gado

 

Revendo algumas cenas da novela o Rei do Gado, me fez recordar o esforço que a equipe do Departamento de Esportes, na época, mais ou menos há uns 15 anos, chefiada pela Helô Penteado, e a Revista Quarto de Milha, fizeram para inserir o Quarto de Milha, como o cavalo da moda no meio rural. Nesse contexto, com a música sertaneja também no seu auge, a ABQM homenageou na Festa do Peão, em Barretos, vários artistas. Entre eles, Sérgio Reis (teve até uma reportagem com ele na Revista), Chitaozinho e Xororó, Leandro e Leonardo, entre outros. Muitos deles eram criadores da raça e elogiavam a sua versatilidade. Tempos difíceis, mas gloriosos. Certamente ficarão na história, como a novela.

Continue lendo

Histórias

Dormindo com o rato e roncando na enchente

Publicado

⠀em

ronco do cabeça

Ele é um romeiro dos brutos. Na sela de um cavalo ou numa mula, cavalga vários quilômetros. Sempre alegre e incansável. Dorme na trilha, no meio do mato ou em qualquer pouso sem as mínimas condições de conforto. Tem uma grande qualidade: sempre que pode ajuda os mais necessitados. Mas, como todo mundo, também seus defeitos. O principal deles é a falta de organização, além da descontração no “urtimo”. Ele morou muito tempo junto com amigos em pequenos ranchos na cidade de Vargem Grande Paulista (SP). Um deles conta que nosso personagem dormia em seu quartinho e, à noite, aparecia um rato e mordiscava o tornozelo do peão. Em vez de ele mesmo dar um jeito na situação, começou a dormir com um gato que, depois de algumas noites, deu um fim no camundongo. Certa época choveu muito e seu colega de quarto, preocupado, pois a área alagava, perguntou se estava tudo em ordem.

Com voz de sono, nosso “Cabeça” respondeu:

– Tudo bem não há problema nenhum…

Desconfiado, o amigo, que estava em sua casa, em São Paulo, foi conferir.

Chegando no local, presenciou a cena. Com o quarto cheio de água barrenta quase cobrindo os pés da cama. E o nosso personagem não estava nem aí. Roncava, estremecendo as paredes do ranchinho Pocotó.

Continue lendo

Histórias

Entrando de gaiato no leilão

Publicado

⠀em

caricatura leilão

 

Quem entra de gaiato num leilão, a fim de tomar um uisquinho de graça e encher a pança, precisa tomar alguns cuidados. Teve um jornalista de primeira viagem, que começou a levantar os braços exageradamente, chamando o garçom do recinto. O pisteiro entendeu como lance e gritou o famoso “EEEEEUUU”. Apavorado, o futuro comprador só se sentiu aliviado quando seu lance foi superado. Constrangido ,saiu de “fininho” do evento.

Muitos compradores fazem gestos discretos ao pisteiro, para disfarçar a concorrência, portanto, ele precisa ser esperto para saber se o movimento é lance ou não. Um deles, trabalhando no tattersall do Jockey Club de São Paulo, me contou que observava um pretenso comprador. “Ele piscava e eu gritava ao leiloeiro. Essa rotina perdurou até o final do lote. Mas, quando levei a ele o boleto de compra para assinatura, percebi que o sujeito tinha um “tic nervoso” e piscava constantemente. Lance impugnado e compra desfeita.  

Continue lendo

Histórias

As linhagens do Quarto de Milha e a Seleção Brasileira

Publicado

⠀em

 

bolaSerá que dá para comparar os jogadores da Seleção Brasileira com o cavalo Quarto de Milha e suas linhagens?

O Neymar seria o símbolo da raça por sua versatilidade. Corre feito um cavalo de Corrida. Costura as balizas como seus adversários. Dança na frente dos beques, igual um animal de Apartação. Faz spins, deixando os marcadores tontos. Contorna um, dois três, como nos Tambores. No fim do jogo, sua nota sempre passa dos 75, ou com o tempo de menos 16s e bate os recordes de tempo em todas as distâncias dos hipódromos. E o Fred quem seria?

Acho que um cavalo de Vaquejada. Está sempre esteirando os bois dentro da área. Quando se livra, derruba o boi na faixa. E o Hulk? Tá na cara, ou melhor, no corpo inteiro. É um baita cavalo de Conformação, concorrente ao prêmio de Grande Campeão. E os laterais, Marcelo e Daniel Alves devem ser comparados com alguma coisa do Ranch Sorting ou Team Penning. Não podem deixar passar a boiada, junto com o trio Thiago Silva, David Luiz e Luiz Gustavo. Mas o Paulinho está sem senso de boi e está deixando escapar alguns. Onde fica o Laço?  São os adversários que sempre querem laçar a cabeça e os pés da Seleção e derrubá-los. Ah…sobraram os Oscar e o Júlio César. O Oscar precisa largar de participar do Western Pleasure e jogar mais pelo meio como no Working Cow Horse … E o nosso goleiro? tem de agarrar o boi na unha. Sobrou pra ele a função de bulldogueiro. E o Felipão¿ É a escolha mais difícil. Está cheio de bons treinadores no Quarto de Milha. Quem você escolheria?

Continue lendo

Histórias

Barbada pela culatra

Publicado

⠀em

carta

Um tradicional criador de cavalos de Corrida recebeu uma carta da ABQM, endereçada ao seu verdadeiro nome (ele é mais conhecido pelo apelido de Cajo (nome fictício). Aí ele pensou:

– Ninguém me envia nada pelo meu nome de batismo. Barbada: será que eu fui premiado no Awards (o Oscar da ABQM). Ou algum de meus animais ganharam mais um Registro de Mérito? – pensou cheio de entusiasmo.

Mas quando leu o parágrafo seguinte, estava escrito:

O seu plantel foi sorteado pelo Stud Book da ABQM para ser fiscalizado. As resenhas de alguns de seus animais serão vistoriadas…. Fim do mistério do nome certo. A barbada não deu certo.

Continue lendo

Histórias

O cavalo que não virava

Publicado

⠀em

 

No Congresso da ABQM, ocorrido no mês de abril, em Avaré (SP), houve uma suspeita de mormo  em dois animais. Numa conversa  com uma proprietária, ela disse que o seu cavalo, na prova de Três Tambores, virava  somente o primeiro tambor e depois empacava, deixando-a desesperada e furiosa. Foi aí que ela saiu com essa: “Essa suspeita de mormo poderia ter acontecido com esse cavalo. Aí eu liquidava ela agora mesmo”, disse cheia de convicção, para a risada de todos que estavam ao seu lado.

Continue lendo

Histórias

O juiz e o rato

Publicado

⠀em

 

Quando  se reúne um grupo de juízes,  depois das competições, quem entrar na conversa desse povo tem de ficar esperto. Qualquer deslize ou se mostrar alguma fraqueza, lá vem bomba e gozação que se espalham por todo o evento. O juiz Roger Clark (foto abaixo à esquerda junto com seu parceiro) descobriu que seu xará norte-americano, que veio julgar prova da ABQM no Brasil, tinha pavor de rato. Pronto… Não deu outra… Com um Bombril, confeccionou um ratinho. Se o cara não olhasse direito, pensava que era um camundongo verdadeiro de tão parecido que ficou.

Entre uma folga do julgamento do Campeonato nacional da ABQM, de 2010, em Avaré (SP), o o juiz  brasileiro pediu ao norte-americano que tirassem uma foto juntos. O americano se distraiu e foi a conta de colocarem o rato no bolso do paletó do coitado. Quando ele percebeu que havia um objeto estranho no seu bolso, parecido com um rato, tirou o paletó e saiu correndo entre as arquibancadas da pista. Os outros juízes que eram cúmplices da brincadeira se fartaram de rir. A brincadeira como sempre correu de boca em boca e virou a piada do evento.

Continue lendo

Histórias

Dormindo com o Batman

Publicado

⠀em

Marcello Xavier, encarregado do Departamento de Esportes, não teve boas noites de sono em Avaré (SP). Não que o campeonato Nacional da ABQM de 2012, com provas que ele estava coordenando, foi um fracasso. Pelo contrário: sucesso total. O que  incomodou o nosso amigo foi um morcego que entrou no quarto do hotel em que estava hospedado. “Faz três dias que estou dormindo com o Batman”, brincou durante uma manhã sonolenta. Só falta os dentes caninos dele crescerem depois dessa experiência. Xiiiii….

Continue lendo

Histórias

Pilambi e as brasas do fogão à lenha

Publicado

⠀em

 

Um casebre antigo, construído por volta de 1922, ainda está nas dependências do  Rancho Coyote, em Itatiba (SP), do tradicional criador Antônio Carbonari Netto, um apaixonado pela modalidade de Apartação.  A casa fica em frente ao lago. Os mais velhos  afirmam que ali moravam antigos escravos, que foram libertados. Conta a lenda que um “Pilambi”, à meia-noite, levanta uma das telhas do casebre, para ver quem está em casa. Ele observa que o fogão à lenha nunca se apaga. Uma mulher idosa vem todas as noites soprar as brasas para manter as chamas acesas… Muitos amigos do criador gostam de pernoitar no Rancho Coyote, mas nem passam perto do lago…

Continue lendo

Categorias

COPYRIGHT © 2021 CAVALUS. TODOS DIREITOS RESERVADOS
ESSE SITE É PROTEGIDO PELO GOOGLE RECAPTCHA
POLÍTICA DE PRIVACIDADE | TERMOS DE SERVIÇO