Internacional

Jason Vanlandingham e A Vintage Smoke garantem ‘Tríplice’

Publicado

⠀em

Jason Vanlandingham e A Vintage Smoke garantem ‘Tríplice’ Conjunto venceu o Nível 4 do NRHA Open Derby em Oklahoma; também são campeões do NRHA Futurity e NRBC

Conjunto venceu o Nível 4 do NRHA Open Derby em Oklahoma; também são campeões do NRHA Futurity e NRBC

A Vintage Smoke sobrou no Jim Norick Coliseum durante as finais do NRHA Open Derby no último dia 20 de junho, em Oklahoma. Em seu comando, Jason Vanlandingham, que alcançou recentemente o status de NRHA Two Million Dollar Rider.

O treinador e seu vistoso garanhão preto já haviam deixado sua marca na história da Rédeas, visto que foram campeões do NRHA Futurity 2018 e do National Reining Breeders Classic (NRBC) 2019. Durante o tempo em que fica elegível para disputar as três competições da Tríplice Coroa, a chance permanece. Não venceram, portanto, o NRHA Derby ano passado, mas garantiram a Triple Crown em 2020.

Jason Vanlandingham e A Vintage Smoke surpreenderam os juízes com manobras impecáveis, uma seguida da outra, que valeram ao conjunto nota 227,5. Foi visível, ao final da apresentação deles, que todos estavam apreensivos com o resultado. Mesmo com regras de distanciamento social, bilheteria fechada e todos os cuidados para não aglomeração, quem pode assistir ao vivo aplaudiu de pé ao ser anunciada a nota.

Para um dos melhores treinadores de Rédeas do mundo – que já veio ao Brasil três vezes – uma pela ANCR e duas para um curso no Rancho Karoline em Avaré – o resultado proporcionou uma sensação de alívio. “Fiquei decepcionado comigo no ano passado, porque tivemos a chance de vencer, mas perdi minha última parada. Havia muita pressão, mas esse cavalo é realmente incrível ”, conta o campeão ao confessar que ficou nervoso antes da final.

Jason Vanlandingham e A Vintage Smoke garantem ‘Tríplice’ Conjunto venceu o Nível 4 do NRHA Open Derby em Oklahoma; também são campeões do NRHA Futurity e NRBC
Jason Vanlandingham e A Vintage Smoke

Duas vezes Tríplice Coroado

Sentindo a pressão, Jason Vanlandingham afirma que precisou de alguns momentos em oração antes de competir. “Eu estava muito nervoso, mas me conectei com Deus e orei”. Essa resolução se mostrou tudo o que ele precisava. “Fomos lá e fizemos nosso melhor, A Vintage Smoke deu o máximo que ele pôde, especialmente nas paradas”.

A vitória veio com um grande cheque de US$ 60.000. Vanlandingham e a proprietária Diane Mesmer também receberam outros prêmios: Kyle Zanetti Trailer; uma sela Bob Custom, fivela Montana Silversmiths, entre outros. Assim como o criador, que nominou o animal, ficou com uma porcentagem da premiação.

Contudo, não foi a primeira vez que Jason sentiu o gostinho de ser um Triple Crown. A Vintage Smoke é o segundo cavalo que ele montou e que venceu as três principais provas. A primeira vez que ele realizou esse feito foi com Not Ruf At All. Ambos filhos de A Sparkling Vintage. “Fazer algo que ninguém mais fez é muito especial”, reforça.

A Vintage Smoke, com apenas 5 anos, ainda tem dois anos de elegibilidade para o Derby, que pode ser disputado entre cavalos de até 7 anos hípicos. Por outro lado, o NRBC é para cavalos de até 6 anos hípicos, enquanto o NRHA Futurity, animais de até 3 anos. Os planos, acima de tudo, são para que o conjunto permaneça competindo.

Jason Vanlandingham e A Vintage Smoke garantem ‘Tríplice’ Conjunto venceu o Nível 4 do NRHA Open Derby em Oklahoma; também são campeões do NRHA Futurity e NRBC
Fappani, Spooks Goota Outfire, Clemerson e Letícia – Foto: Reprodução/Facebook

Outros resultados

Com julgamento de Drake J. Johnson, Andi Paul, Ryan Kail, Bud Poplin e Mark E. Turner, a final do NRHA Open Derby aconteceu entre 30 cavalos no Nível 4. As maiores notas da semana, já que todo o evento aconteceu de 15 a 21 de junho, foram marcadas nessa final. Além do 227,5 de Jason e A Vintage Smoke, Nathan Piper foi o segundo melhor da semana. Com 226 pontos encerrou a participação ao lado de Patriot em segundo lugar no Derby.

Piper e Patriot enfrentam Vanlandingham e A Vintage Smoke desde o início de suas carreiras. De tal forma que os dois conjuntos já até dividiram um título, o do NRBC Open L4 de 2019.

O terceiro lugar do L4 foi Andrea Fappani com Spooks Gotta Outfire, 225,5 pontos. O garanhão é de criação do brasileiro Tiago Coleto e de propriedade do treinador brasileiro Clemerson Gomes Barbalho em sociedade com Mark Weissman. “Obrigado Andrea, Tish e a equipe Fappani por, literalmente, tornar meus sonhos realidade”, comenta Clemerson em post no Facebook.

Kole Price e Gunna Stop ficaram com o título do NRHA Open Derby L3 ao marcar 222,5 na final. Enquanto o L2 teve Arno Honstetter e Special Made Whiskey como campeões, 220,5 pontos. E Torri Sims, com Codalicious, ganhou o L1, 214,5 pontos. Pela Non Pro, o resultado do L4 surpreendeu. Indy Roper, que tem despontado recentemente no cenário da modalidade, ficou com o título ao marcar na final, com Spooks Show Time, a nota 222,5.

A programação ainda conta com provas para jovens e outras categorias, como a Novice Horse Open. Nessa última, Rodrigo Nieves, uruguaio que morou no Brasil e tem toda a nossa torcida, apresentou Hesa Rockin Whiz, segundo lugar na quinta-feira (18), e One Special Affair, outro segundo lugar na terça (16).

Jason Vanlandingham e A Vintage Smoke garantem ‘Tríplice’ Conjunto venceu o Nível 4 do NRHA Open Derby em Oklahoma; também são campeões do NRHA Futurity e NRBC
Carlos Deleu

Brasileiros

O melhor brasileiro na competição foi Franco Bertolani. Com Colonels Dancing Gun marcou nota 220 na final do L4 garantindo o 11° lugar (empatado com Francesco Martinotti/ Smoking Trash), a nona melhor nota. “Estar na final de uma prova desse nível é sempre muito importante. O nível é alto demais, grandes cavalos, provas fortes. Sou competitivo, sempre espero mais nos eventos, mas não posso reclamar. Consegui estar na final com os dois cavalos que apresentei e foi bastante positivo”.

Estiveram na final do nível quatro ainda Franco Bertolani com Masked Gun, Fernando Salgado com Gotta Shiney Peso e CSR Flash Mob. Assim como foram finalistas Gabriel Bittar Borges com Checksworthy (L3/ L2), Ricardo Amaral com Crome It Tonite (L1) e Carlos Deleu com Toriano Whiz (L1). 

“Sou abençoado! São 40 anos de profissão, onde escolhi para escritório uma arena e a escrivaninha a sela. Só tenho a agradecer esse animal maravilhoso chamado cavalo, que me deu tudo que tenho, até a esposa e meu filho”, comemora Deleu em seu Facebook, que revelou estar seis anos sem apresentar cavalos em provas.

Durante as classificatórias, houve uma disputa paralela para a decisão do Bob’s Custom Saddles Novice Horse Open. Com a nota 219 que marcou, o  brasileiro Fernando Salgado sagrou-se campeão com Gotta Shiney Peso. A Novice Horse é uma categoria para cavalos sem nenhum ganho anterior. Começaram o NRHA Open Derby 222 conjuntos, entre eles ainda os brasileiros Eduardo Salgado, Lorinaldo Gomes, Thiago Sobral. Resultados completos: http://nrhaderby.com/.

Jason Vanlandingham e A Vintage Smoke garantem ‘Tríplice’ Conjunto venceu o Nível 4 do NRHA Open Derby em Oklahoma; também são campeões do NRHA Futurity e NRBC
Fernando Salgado e Gotta Shiney Peso.

Números recordes

Com a pandemia de Covid-19, a NRHA esperava que o evento fosse ser discreto.  Contudo, ao balanço final se mostrou acima das expectativas. De acordo com a NRHA, o total de mais de US$ 1.1 milhão em prêmios foi o maior da história. Em conseqüência, as premiações por categoria baterem recordes, como na Non Pro, que pagou US$ 354.620,00, maior montante já registrado.

A NRHA também computou recorde no número de baias – 1433 – e no número de cavalos que efetivamente entraram em pista – 820. Assim como o número de competidores aumentou em relação a 2019 – de 499 para 637 – produzindo recorde de inscritos – 3301.

Fonte: NRHA
Tradução e adaptação: Luciana Omena
Crédito das fotos: NRHA Divulgação/ Waltenberry

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Internacional

Brasileiro Junior Nogueira é o quinto melhor no Laço Pé

Laçador disputa o circuito mundial de rodeio pela PRCA e seus ganhos no RAM National Circuit Finals Rodeo elevaram sua posição no ranking

Publicado

⠀em

Uma viagem para Kissimmee, Flórida, foi bastante produtiva para o laçador brasileiro Junior Nogueira. Até poucas rodadas atrás ele não aparecia entre os 50 melhores e agora é o quinto melhor do ranking mundial da PRCA no Laço Pé com US$ 23.769,22. A final nacional da PRCA, que aconteceu de 8 a 10 de abril, pagou um total de US$ 465.719,00

O brasileiro Junior Nogueira laçou nesse rodeio com Dustin Egusquiza. Isso porque os dois foram os campeões regionais do circuito do Texas (com seus parceiros oficiais). A final desse regional aconteceu em Waco, de 31 de dezembro a 2 de janeiro e Juninho laçou com Cody Snow, pontuando apenas na primeira rodada. Contudo, no ranking do circuito o brasileiro somou o maior ganho, mais de US$ 21 mil, conquistando a vaga para a final Nacional.

Em Kissimmee, Juninho e Egusquiza venceram a primeira rodada, 4s8, e US$ 5.080,00 de premiação para cada. Com 4s5, foram a segunda melhor dupla da segunda passada, mais US$ 3.849,00 para a conta. Dessa forma, avançaram como líderes do evento para a semifinal e por essa posição mais US$ 5.080,00 de prêmio.

Já na semi, ficaram em segundo lugar, 6s6, e somaram mais US$ 4.618,00 cada. Em seguida, o terceiro melhor tempo do round final, 9s6, e US$ 3.079,00 em ganhos. Ou seja, Juninho entrou na zona de premiação em todas as rodadas do National Circuit Finals Rodeo e só nesse final de semana somou US$ 21.706,00.

No formato da disputa, as duas primeiras rodadas foram classificatórias e os tempos somados a fim de decidir quem passaria para a semifinal. Na semi e na final apenas quatro duplas concorreram. Resultados decidiram os campeões do rodeio; e de acordo com a pontuação do ranking geral do circuito, os campeões nacionais.

Campeões Nacionais – Foto: Divulgação/ProRodeo

Final Nacional da PRCA

O RAM National Circuit Finals Rodeo nada mais é do que a tradicional Final Nacional dos circuitos regionais ou estaduais da PRCA. Reúne somente os melhores da temporada em cada circuito, representados pelo melhor do ranking da temporada 2020 e pelo campeão da final regional. Então, 24 atletas de cada modalidade estiveram em Kissimmee, na Flórida.

Vale lembrar que em 2020, devido a pandemia, o evento aconteceu somente em setembro, em Greeley no Colorado. Em seguida, a PRCA realizou todas as finais regionais, definindo os classificados para a final nacional.

São 12 os circuitos regionais ou estaduais da PRCA. Cada competidor do circuito mundial, filiado à associação, deve escolher um circuito para pontuar no início de cada temporada. Eles participam de eventos em qualquer estado, valendo pontos para o ranking mundial, mas quando competem em rodeios dentro do seu circuito somam pontos também para o ranking regional.

Além desses 12 circuitos dentro do território norte-americano, o RNCFR tem vaga também para os melhores pontuados em eventos chancelados pela PRCA no Canadá e no México. Porém, este ano os mexicanos não participaram já que não houve eventos válidos para o ranking na temporada passada.

Mais importante ainda, e o fato que ajudou não só o brasileiro Junior Nogueira, como também outros atletas, historicamente o dinheiro ganho durante o RNCFR não valia para o ranking mundial da PRCA. Desde a edição 2020 isso mudou, permanecendo agora para 2021.

Houve muitas reviravoltas no ranking depois desse final de semana. Como para o ranking mundial o que conta é o dinheiro ganho nas etapas, somar os ganhos da final nacional tornou o evento uma competição ainda mais importante na briga pelo título mundial.

Keyla e Marcos – Foto: Arquivo Pessoal

Keyla e Marcos Alan

Nos Três Tambores, a brasileira Keyla Polizello é, no momento, a terceira melhor na média (soma de tempos) do tradicional San Angelo Rodeo. Acontecendo desde o dia 9 de abril, essa etapa só termina dia 23, com semifinal e final. E as chances de classificação para ela são muito boas. Na segunda rodada, em conjunto com Spotlite Ta Fame, Keyla marcou 14s44, o quinto melhor tempo.

Enquanto não chega a confirmação, ela disputa ao lado do marido rodeios na Califórnia nos próximos dias, como o de Red Bluff. Marcos Alan Costa, no Tie-Down Roping somo ainda US$ 13.423,00 no ranking mundial e é o 18° colocado no momento. Assim como os demais atletas, o laçador brasileiro busca estar em uma das 15 vagas para a final mundial da PRCA.

Por Luciana Omena
Colaboração: Abner Henrique/Rodeio S.A. e Eugenio José
Crédito da foto de chamada: Divulgação/Matt Cohen

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

Brasileiro André Coelho garante vaga para o Breeders Challenge

Com US$ 1milhão em prêmios programados para 13 a 19 de setembro, competição de Três Tambores realizará, ao todo, quatro classificatórias

Publicado

⠀em

O brasileiro André Coelho permaneceu em Washington a fim de participar de mais uma competição de Três Tambores em Walla Walla. As mais de 16 horas que separam a sua casa, em Bennet, Colorado, do local das provas o fizeram tomar a decisão de permanecer mais tempo na estrada. Logo depois do Sand Cup foi a vez do VGBRA Barrel Daze.

Antes de mais nada, a primeira passada da categoria Futurity valeu como a segunda classificatória para o Breeders Challenge. Entre 13 a 19 de setembro, no Will Rogers Coliseum, em Fort Worth, Texas, 80 finalistas em quatro categorias concorrerão a US$ 1 milhão.

Com Slym Shady (Frenchmans Fabulous x SF Tiny Bit Of Fame), o brasileiro André Coelho marcou o segundo menor tempo da classificatória do Breeders Challenge, 15s461. Assim, garantiu um lugar na final da competição em setembro. Ainda restam mais duas provas – Memphis (TN) e Montrose (CO) – e ele poderá tentar uma segunda vaga.

Brasileiro André Coelho garante presença na prova que pagará US$ 1milhão em prêmios, programada para 13 a 19 de setembro no Texas
André e Slym Shady durante o Sand Cup – Foto: Divulgação/Shane Rux

O desempenho do treinador com Slym Shady durante o VGBRA Barrel Daze também rendeu a ele o sexto lugar na categoria Futurity (31s271). Esse potro, ao lado de uma filha o A Streak Of Flying, são dois dos cavalos mais promissores do brasileiro no momento. A temporada de futurities segue a todo vapor nos Estados Unidos e é importantes escolher bem qual a prova participar.

Uma semana atrás, o brasileiro André Coelho foi terceiro lugar com o Slym Shady no Sand Cup Futurity. Agora ele passa uns dias em casa e logo depois segue para Oklahoma, para o Ruby Buckle Futurity. Os campeões do Barrel Daze foram Samantha Flannery e Promise Me Fame (30s678).

Por Luciana Omena
Crédito da fotos Arquivo Pessoal

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Continue lendo

Internacional

José Vitor Leme supera dor e vence mais uma etapa da PBR

No primeiro rodeio da PBR com 100% de capacidade da arquibancada nesse período de um ano de pandemia, brasileiros conquistam seis das dez primeiras posições

Publicado

⠀em

Com 100% de aproveitamento, mesma porcentagem de fãs na arquibancada de uma arena coberta, José Vitor Leme (foto) venceu a 9ª etapa da PBR 2021, em Sioux Falls, South Dakota, de 9 a 11 de abril. Contudo, uma vitória de superação, já que logo no começo da terceira rodada torceu seu tornozelo no brete, o mesmo que havia lesionado no começo do ano.

Assim, montou em Lil 2 Train sentindo dores. Parou os 8 segundos e marcou 90,5 pontos. Classificado em primeiro lugar para a rodada decisiva, José Vitor Leme foi ‘para o sacrifício’ como dizemos aqui no Brasil. Selecionou Hundred Bad Days e valeu a pena. Recebeu dos juízes 92,25 pontos, sua sétima nota na casa dos 90 pontos, e carimbou o título da etapa.

“Eu só me concentrei nos meus touros a fim de tentar fazer o meu melhor. Senti um pouco de dor, mas sei que preciso ser um cowboy e montar meus touros. Foi para isso que vim. Tento me concentrar nos meus touros e fazer meu trabalho”, comenta o brasileiro à reportagem da PBR. Por seus esforços, ele ganhou um cheque de US$ 37.414,41 e 178,5 pontos pra o ranking mundial. 

Dessa forma, manteve a terceira posição na classificação geral, mas encurtou a distância para o líder. José Vitor Leme tem agora 95,50 pontos a menos que o brasileiro Kaique Pacheco, primeiro colocado do mundial de Montaria em Touros da PBR. Além disso, Leme somou sua 15ª vitória em eventos da elite da PBR nos Estados Unidos na tarde deste domingo.

De acordo com o Rodeio S.A., com mais esta vitória – a segunda na atual temporada – o brasileiro entra para o seleto clube de competidores que atingiram a marca de 15 títulos na principal divisão da PBR, feito alcançando somente por outros oito atletas até então.

No primeiro rodeio com 100% da capacidade da arquibancada, brasileiros conquistam seis das dez primeiras posições; José Vitor Leme vence
Paulo Lima – Foto: André Silva

Outros resultados

Nessa etapa Kaique Pacheco não foi bem, uma parada apenas, 86 pontos em Rising Sun. Cooper Davis é o segundo colocado do ranking geral, 69 pontos atrás do brasileiro. O norte-americano também fez uma etapa menos expressiva, contando ainda que não montou nas rodadas finais por conta de uma concussão.

João Ricardo Vieira foi o outro único competidor com 100% de aproveitamento em seus touros nessa etapa. Chegou bem perto de vencer a etapa. Para a decisão, o brasileiro selecionou um bom touro, I’m Legit Too. Em busca do seu primeiro título mundial na modalidade, parou e ‘fez bonito’: 93 pontos, a maior nota da etapa e da rodada. 

Ele deixou Dakota do Sul com 134 pontos adicionados ao ranking e US$ 26.028,92 pelo vice. É o quarto na tabela geral de classificação, 183 pontos atrás do líder. O terceiro colocado foi Dener Barbosa, caiu apenas no round final. Boogie Bomb o derrotou em 4s96. Mas o final de semana lhe rendeu pontos importantes, pois subiu de 12° para quinto no ranking mundial.

Pontuaram ainda Marco Eguchi (5°), Eduardo Aparecido e Marcelo Procopio Pereira (7°), Ramon de Lima (11°), Silvano Alves (13°), Kaique (14°), Rafael Henrique dos Santos (17°), Alex Cerqueira (18°), Junior Patrik Souza (19°).

No mesmo final de semana, pela segunda divisão – Velocity Tour – o brasileiro Paulo Ferreira Lima venceu a etapa de College Station, Texas. Parou nos três touros que montou e com o resultado subiu para a importante 37ª posição na classificação geral do campeonato.

A próxima etapa da Unleash the Beast acontece dias 17 e 18 de abril, em Oklahoma City. Pela Velocity, etapa em Grand Forks, North Dakota, dias 16 e 17.

Fonte: PBR
Tradução e adaptação: Luciana Omena
Crédito das fotos: BullStockMedia/PBR

Veja mais notícias da editoria Internacional no portal Cavalus

Continue lendo