Brasileiros estão seguindo o campeonato mais disputado do rodeio completo mundial

Antes de começar a reta final da temporada 2019 pela Professional Rodeo Cowboys Associaton, os competidores ficam focados em pontuar nos circuitos regionais perto de casa. Escolhem um ou outro rodeio mais longe, que pague bem, para poder somar pontos importantes também. Como no caso de Junior Nogueira e seu parceiro Kaleb Driggers. Quando encerrou a temporada de inverno foram à Califórnia.

Mas somente para correr em Red Bluff e Clóvis, duas etapas de peso no estado. E deu certo, pontuaram bem antes de voltar para o Texas. Até o começo de julho, estão em fase de preparação para a temporada de verão, meses exaustivos com uma etapa atrás da outra. O ranking fecha em setembro, então é tudo ou nada para assegurar uma vaga na National Finals Rodeo e ter a chance de disputar o título mundial.

Junior Nogueira

“Esse ano a PRCA mudou para 65 etapas que podemos pontuar, em vez das 75 de antes. Então, precisamos escolher bem os rodeios que vamos assinalar para pontuar. Precisam mesmo ver os que pagam melhor. Então, vamos em bastante etapas, mas não são todos os rodeios que escolhemos contar os resultados para o ranking. Tivemos que dar uma maneirada para chegar à época de verão com mais opções de escolha”, conta Juninho.

Exemplo claro foi a vitória do final de semana no Mineral Wells PRCA Rodeo, em Mineral Wells, Texas, que correram de 9 a 11 de maio. Juninho e Kaleb venceram o rodeio, com uma laçada de 4s2, ganhando US$ 1.970,00 cada um. Mas esse valor não entrou para o ranking, valeu apenas para o circuito do Texas. Juninho continua como o oitavo melhor do Laço Pé (Heelers) com US$ 36.762,82.

Em Mineral Wells, os competidores de todas as modalidades correram em formato de slack e performance, ou seja, uma parte se apresentou ainda durante o dia e a outra parte a noite durante o rodeio dividido em três turmas. A brasileira Keyla Polizello Costa correu o slack logo no começo da disputa, com a pista molhada. “Chovia muito, muito mesmo, e não tinha gostado da minha passada, achava que não daria para entrar entre as premiadas”, conta Keyla.

Mas seu marido, o laçador e campeão mundial de Tie-Down Roping, Marcos Alan Costa garantiu que tinha sido uma boa corrida. Ela marcou 16s10 e esperou o restante do rodeio transcorrer. Continuou chovendo bastante, a pista com muita lama e muitos outros conjuntos se apresentaram até a finalização da prova. O sistema com slack deixa todos os resultados em suspenso até a última passada.

Daylon Swearingen

“Realmente, Marquinhos estava certo, minha égua trabalhou bem, não escorregou, fiquei muito feliz”. De ‘grão em grão’, Keyla vem somando dólares ao ranking mundial de Três Tambores, visando alcançar uma posição melhor a cada semana que participa. Dessa vez foi Marquinhos, entre os três brasileiros, o único que não pontuou. Mas todos seguem na preparação para a fase mais importante da temporada que já se aproxima.

Keyla e Marquinhos também estão preocupados pelo fato de que menos rodeios entram para efeito de ranking. “Ficou mais difícil, com certeza. Soubemos disso há umas três semanas, mais ou menos, e precisamos mudar a forma de escolher. Especialmente para nós dois, que estamos longe do Top 50, precisamos mesmo escolher pontuar nos rodeios que pagam mais, para ter mais chances de chegar melhor ranqueado a partir de julho”, explicou Keyla.

Trent Jacobson, um dos destaques da rodada durante o Las Vegas Days

Entre 6 e 12 de maio, a PRCA realizou oito etapas nos Estados Unidos e Canadá. Daylon Swearingen foi um dos destaques, ganhando em Mineral Wells os títulos nas modalidades Touros e Bareback. O novado de 19 anos marcou ainda a maior nota dessa rodada na Montaria em Touros, 91 pontos. Além de estar bem posicionado nos rankings dessas suas categorias, ele também está agora em terceiro lugar no Rookie Of The Year. O tempo de Kaleb e Juninho também foi o menor tempo da rodada no Team Roping.

Por Luciana Omena
Fonte e Fotos: PRCA

Escreva um comentário